Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

sábado, 28 de novembro de 2015

Tavira une-se a outras cidades por medidas de combate às alterações climáticas

Imagem retirada daqui.
  • O Movimento de Eco Cidadania “Tavira em Transição” vai sair à rua, em Tavira, no domingo,  29 de novembro, em defesa do clima e pela diminuição da pegada de dióxido de carbono, numa marcha que contesta também a prospeção de petróleo no Algarve. A iniciativa responde a um apelo feito à cidadania mundial para a realização de marchas em várias cidades, entre as quais Porto, Coimbra e Lisboa, para exigir aos políticos um acordo global sobre as alterações climáticas, a uma semana do início da Conferência das Nações Unidas sobre o tema (COP21), em Paris.  Diário Online.
  • O Brasil vai processar a Samarco e exigir 5,24 biliões de dólares de indemnizações pelos prejuízos causados pelo tsunami de lamas de Mariana. Reuters.
  • Pelo menos 24 ambientalistas foram condenados a prisão domiciliária por tentarem organizar marcha de protesto durante a cimeira climática de Paris. Naomi Klein já acusou as autoridades francesas de grave abuso de poder que pode transformar a cimeira numa imensa farsa: «As cimeiras climáticas não são oportunidades para a promoção da popularidade de políticos. Tendo em conta a atual crise climática, é natural que os cidadãos se manifestem democraticamente. O governo francês, sob a capa de leis anti-terrorismo, parece querer evitar isto e então usa poderes de exceção para proibir manifestações pacíficas e prender ativistas.» The Guardian.
  • 4 ativistas do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra que participaram num protesto protesto contra a catástrofe ambiental de Mariana foram detidos, acusados de cometerem crime ambiental ao escreverem «morte» com lama numa parede do parlamento. O Globo.
Share:

Reflexão - Morte do Rio Doce: um crime com muitos autores

Imagem retirada daqui.

Morte do Rio Doce: um crime com muitos autores, 
por Alessandra Cardoso in EcoDebate.

Pontos a reter:

1 «(...) existem três responsabilidades que precisam ser mais claramente identificadas. A primeira é a responsabilidade da Samarco e solidariamente da Vale e da BHP Billinton. (...) A Samarco nada mais é do que uma “associação em que duas entidades se juntam para tirar proveito de alguma atividade, por um tempo limitado, sem que cada uma delas perca a identidade própria” – o que se denomina joint venture. Expressão clara de como as estratégias e decisões destas três empresas estão umbilicalmente conectadas é a utilização pela Vale da base de beneficiamento da Samarco para processar e armazenar rejeitos do seu minério de mais baixo teor extraído das minas de Fábrica Noba/Timbopeba e de Fazendão, também na região de Mariana. (...) cerca de 60 milhões de metros cúbicos de rejeitos da barragem do Fundão que inundou o Rio Doce, pelo menos 5% vinha das minas da Vale.»
2 «(...) É importante lembrar que no coração desta máquina financeira de extração de minérios está a Vale, que detêm 85% da produção brasileira de minério de ferro. Este gigante transnacional tem seu controle operacional dominado pela Valepar, que detêm 53,9% das ações da Vale, e é nada mais é do que um pull de investidores nacionais e estrangeiros.
A maior acionista da Valepar é a Litel Participações S.A., que detém 49% das ações e que, por sua vez, é controlada pelos três maiores fundos de pensão do Brasil (Previ, Funcef, Petros). Portanto, trabalhadores do Brasil que têm suas economias administradas por estes fundos de pensão devem se sentir indiretamente responsáveis pela morte do Rio Doce. Entre os outros três grandes acionistas da Valepar está o BNDES, que por meio do BNDESPAR controla 11,51% das ações da empresa e tem assento no Conselho de Administração da Vale. Portanto, o governo brasileiro também tem que se sentir responsável, diretamente e indiretamente, pela destruição socioambiental no Rio Doce. O BNDES também é financiador da Samarco. Os dois recentes projetos de expansão da capacidade de extração, beneficiamento (e geração de rejeitos) e escoamento da empresa foram financiados pelo BNDES. Em 2008 e 2014, o banco aprovou financiamentos para expansão da capacidade de extração e processamento da Samarco.»
3 «(...) Também sabemos que o Departamento Nacional de Produção Mineral – DNPM, responsável pela fiscalização o cumprimento da Lei, está sucateado. Atualmente, existem apenas 20 técnicos em todo país para fazer a fiscalização de mais de 200 barragens – e pior, sem uma qualificação específica em engenharia de barragens. Em Minas Gerais, o DNPM afirma ter capacidade de fiscalizar apenas 4 barragens por ano.»
4  «O que precisa ficar mais claro é que a responsabilidade do governo brasileiro nessa tragédia vai além de fazer as empresas cumprirem a lei. O governo é igualmente responsável, como poder concedente,  por permitir e até incentivar uma expansão agressiva na exploração mineral no Brasil por meio de uma legislação ultrapassada, o Código Mineral de 1967. Hoje, a jazida é de quem chegar primeiro no balcão no DNPM, e uma vez concedido o direito de explorar o recurso mineral, a extração se dá na intensidade e voracidade que o mercado quiser. (...) O desastre socioambiental de Mariana é sim produto desta expansão sem precedentes da extração de minério de ferro na história do Brasil. Uma expansão puxada pelo chamado super ciclo de commodities da última década, que elevou o preço da tonelada de minério de ferro a US$ 187,18 em 2011. Essa demanda mundial agressiva levou a uma corrida de investidores para ampliar a extração, processo que, uma vez iniciado com vultosos investimentos e expectativas de retorno, foi intensificado ainda mais diante da queda subsequente de preço, para manter o lucro – e o retorno dos muitos acionistas. A ausência de uma regulação do setor e das suas condições socioambientais de exploração está, portanto, na raiz desse trágico episódio comandado por uma articulação de interesses entre as grandes corporações, ávidas por lucros, e pelo governo brasileiro, ávido por superávits comerciais.
Por fim, a responsabilidade do governo estadual. (...)»

Share:

Bico calado

  • «Estes últimos quatro anos e meio de Passos e os seus calcaram o que residia em mim de alegria. Sigo o que se passa lá fora com os sobressaltos que os problemas consigo transportam. Quando o Syriza bateu o pé aos senhores da Europa, rejubilei, para logo emurchecer com a sua queda. Pertenço a todos os sítios e a todos aqueles que acreditam ser possível a felicidade entre os homens. Batuco nas teclas há um ror de anos, e sei que quem me lê sabe que não vendo fruta bichada. Transmiti-lhes, assim como aos meus, a ideia e a certeza dessa ideia de que vale a pena ter esperança, uma das formas mais nobres de resistência. E continuo a emocionar-me com o prestígio que comporta e envolve a palavra revolução, sempre relacionada com esperança, a namorada que não desiste.» Baptista Bastos in A esperança de novoJNegócios 27nov2015.
  • «Finalmente, temos Governo. Mais de meia centena de dias depois das eleições, Aníbal lá se convenceu a deixar de fazer birras. Foram necessárias mais de 12.000 horas e 31 audiências com pessoas que, suponho, valem um voto, para o quase ex-PR "indicar" Costa para PM. Acho que isto de indicar, em vez de indigitar, ficou-lhe dos tempos dos pedidos à PIDE.» João Quadros in A pinhata da nação - JNegócios 27nov2015.
  • «Sem desejar ir mais longe, se nos lembrarmos da cimeira dos Açores, em que W. Bush, Aznar e Tony Blair, com Durão Barroso a servir de vassalo, programaram a invasão do Iraque, talvez descortinemos a raiz do horror. Sem esquecer Donald Rumsfeld, o sinistro secretário de Estado norte-americano, que beneficiou com a "reconstrução" do país devastado. Nenhum deles foi punido, e qualquer deles merecia o escarmento universal, pelos crimes de guerra cometidos. E, acaso, pela humilhação inútil provocada a Saddam Hussein, e pela mentira hedionda do material de destruição maciça, logo denunciada e não ouvida por um dos investigadores, o sueco, imediatamente silenciado.» Baptista Bastos in Causas do malCM 18nov2015.
Share:

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Reino Unido financia petrolífera envolvida em escândalo de corrupção

Imagem retirada daqui.
  • Os Ecologistas en Acción denunciaram o abate de 410 árvores por parte da Endesa no parque Infanta Elena de Sevilla Este, em Sevilla. A empresa alegou a interferência com uma linha de alta tensão mas o problema é que abateu mais 283 do que o número autorizado pelas autoridades locais.
  • O Reino Unido vai conceder 471 milhões de euros à Petrobras embora a empresa enfrente acusações de corrupção que incluem branqueamento de capitais e suborno multibilionário que enredou naõ só a empresa, os seus contratantes e políticos conceituados brasileiros mas também se espalhou à Suíça e aos Estados Unidos. O apoio refletir-se-á na exploração de enormes reservas de petróleo e gás ao largo da costa do Brasil. The Guardian. Nada mau para quem, ainda há poucos dias, lamentava não ter dinheiro para subsidiar mais projetos de energias renováveis...
  • Falha de energia deixa o ministro da energia do governo moçambicano a falar às escuras em Maputo.
  • Agricultores do estado de Indiana juntaram-se num processo judicial contra a Syngenta alegando enorme quebra na produção de milho transgénico que foi vendido por aquela empresa suíça sem a aprovação do mercado chinês,  um importante importador do milho americano. A China acabaria por proibir a importação de milho americano após ter detetado traços transgénicos não aprovados. Indy Star.
Share:

Reflexão – sondagem online manipula votos negativos



Há 5 semanas, o governo do País de Gales lançou uma consulta pública online para o possível licenciamento de técnicas de pesca de arrasto na baía de Cardigan, uma zona marítima protegida. Fê-lo com um truque: depois de clicar «não» na primeira pergunta e de clicar «sim» na segunda, o voto negativo dado à primeira mudava para positivo.
O governo galês veio logo dizer que tinha havido um problema técnico, eletrónico. Mas nenhum ingénuo vai acreditar. Tratou-se de uma farsa monumental. Muitos pensam que o melhor será cortar o malpela raiz e exigir ao governo rigor, nada de truques sujos, que tudo seja limpo. Há, pois, que subscrever uma petição nesse sentido.
Share:

Mão pesada

  • A Powercon Corporation foi multada em 40 mil dólares por violação de normas de gestão de resíduos perigosos na sua fábrica de Severn em Maryland. EPA.
  • A Elkhorn Investments, LLC e a Elkhorn Gas Processing, LLC foram multadas em 50.221 dólares por incumprimento de normas de segurança nas fábricas de processamento de gás em McKean e Warren, na Pensilvânia e em Putnam, West Virginia. EPA.
  • As filiais da HollyFrontier Corporation foram multadas em 1 milhão e 200 mil dólares por infrações nos padrões de qualidade de combustíveis e equipamentos de testes na sua refinaria de Salt Lake City. EPA.
  • A Coreia do Sul multou a Volkswagen alemã e exigiu a retirada de mais de 125 mil veículos viciados. Multou ainda a Volkswagen Korea em 12,31 milhões de dólares. Reuters. Recorde-se que a Volkswagen Brasil foi multada em 50 milhões de reais.
Share:

Bico calado

Share:

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Barragem de Ortiga/Belver trata mal as águas do Tejo e muitas espécies de peixe

Barragem de Ortiga (Belver). Foto: De Mattos Sébastien 23nov2015.
  • A Barragem de Ortiga (Belver) por vezes não tem água a jusante e a que há está poluída por descargas contínuas de efluentes químicos. As águas do Tejo páram durante 8 horas por dia, garantem os vizinhos. Isto impede a desova de muitas espécies de peixe.
  • Em 29 países, Portugal é o12º que menos impostos verdes arrecada, admitem estatísticas oficiais referentes a 2013. Os países que mais arrecadaram foram a Eslovénia, a Bulgária e a Croácia, enquanto que a Bélgica, a França e a Alemanha foram os que menos faturaram. 
  • Matos Fernandes é o novo ministro do Ambiente e Transportes. Natural de Águeda, Matos Fernandes foi presidente da APDL – Administração dos Portos de Douro e Leixões, ente 2008 e 2012, e da APVC – Administração do Porto de Viana do Castelo, entre 2009 e 2012, tendo ainda acumulado o cargo de presidente da APP – Associação dos Portos de Portugal. Licenciado em Engenharia Civil pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, possui ainda um Mestrado em Transportes, pelo Instituto Superior Técnico. Foi Adjunto do Secretário de Estado dos Recursos Naturais (1995-1997) e chefe de Gabinete do Secretário de Estado Adjunto da Ministra do Ambiente (1997-1999). O engenheiro civil, de 48 anos, deixa agora o cargo de presidente do conselho de administração da empresa Águas do Porto para tutelar o ministério que enfrenta a crispação dos autarcas devido à reestruturação do setor das águas. É público que tem sido um crítico deste processo. O Ministério do Mar vai ser liderado por Ana Paula Vitorino, antiga secretária de Estado dos Transportes do Governo de José Sócrates.
  • A lama de resíduos tóxicos que resultou do colapsoruptura de uma barragem de retenção de minério em Mariana, Minas Gerais, a 5 de Novembro, já percorreu todo o caudal do rio Doce e desagua agora no mar. Depois de percorrer 650 Km do caudal do rio Doce aolongo de 16 dias, a lama pode ainda cobrir a costa de RegÊncia, no Espírito Santo, numa extensão de 9 Km. Público. Videos da catástrofe aqui.
  • Inúmeras crianças norte-americanas estão a processar o governo do país sobre questões relacionadas com as alterações climáricas. Fazem-no apoiadas pela Our Children’s Trust e até agora não têm tido grande sucesso. Think Progress.
Share:

Mão pesada

Share:

Bico calado

Se não fosse notícia do insuspeitíssimo Observador, poderia ser tomada por uma piada do Inimigo Público ou do Portugalex ou do Tubo de Ensaio.
Assessores, motoristas, adjuntos e técnicos foram nomeados no dia em que Costa foi chamado a formar novo Executivo. 100 nomeações para cargos em gabinetes dos ministérios das Finanças, Segurança Social, Ambiente, Justiça, Agricultura, Economia, Cultura e Saúdedo Governo PSD-CDS que vão cair.
Share:

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Cuba e Estados Unidos assinaram acordo para a conservação e gestão de áreas marinhas protegidas

                                                              Gorreana, S. Miguel-Açores. 
                             Foto de Conceição Sousa Medeiros/Trilhos Pedestres em S. Miguel 9nov2015.
  • Cuba e Estados Unidos assinaram um acordo para a conservação e gestão de áreas marinhas protegidas. O acordo foi assinado no âmbito de uma conferência sobre ciência marinha e ambiente em que cientistas americanos e cubanos apresentaram os resultados de uma primeira investigação conjunta sobre o comportamento dos tubarões, seus ecossistemas e rotas migratórias. AFP/Yahoo.
  • O Supremo Tribunal do México revogou a autorização dada pelo governo para o cultivo de soja transgénica em Campeche e Yucatán. La Press.
  • Embalagens plásticas rotuladas de biodegradáveis raramente se desintegram no mar porque exigem compostores industriais e exposição prolongada a temperaturas elevadas para se desfazerem, diz um recente relatório das Nações Unidas.
Share:

Mão pesada

A Samarco foi multada em R$ 112,6 milhões (cerca de 29 milhões de euros) pela Secretaria de Meio Ambiente de Minas Gerais e em R$ 250 milhões (cerca de 63 milhões de euros) pelo Ibama por responsabilidades na catástrofe ambiental de 5 de novembro provocada pelo coplapso de barragens de retenção de lamas tóxicas de mina de ferro em Mariana.
Share:

Bico calado – O pacto colonial francês

  • A Agência de Segurança Nacional dos EUA terá acedido às comunicações internas da Petróleos de Venezuela e capturado dados sensíveis com o objetivo de espiar altos funcionários da empresa. Common Dreams.
  • O Pentágono admite ter enviado bombas para a Arábia Saudita no valor de 1,29 biliões de dólares. Objetivo: defender as reservas de petróleo. RT.
  • Sabia que, neste momento, 14 países africanos, ex-colónias francesas, estão obrigados a transferir 85% de suas reservas de divisas para o banco central francês? Os líderes africanos que se recusam são eliminados ou os seus países sofrem golpe de Estado.  Os que obedecem a este pacto colonial são apoiados e recompensados pela França, com estilo de vida luxuoso, enquanto o seu povo vive em extrema pobreza e desespero. Apesar das denúncias da União Europeia, a França recusa abandonar este sistema colonial que transfere cerca de 500 biiões de dólares de África para os seuws cofres.
  • Eis que surgem as selfies nos locais dos atentados terroristas em Paris, por Leonardo Sakamoto. UOL.
  • Offshore na Terceira, Açores? É o que sugere a intenção do Governo Regional criar uma zona económica especial para a área envolvente ao Porto da Praia da Vitória e ao Aeroporto das Lajes.
  • Sabe quanto vai custar um novo fagote à banda da Armada do Canadá? Entre 25 e 40 mil dólares, diz o Toronto Star.
Share:

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Bruxelas, estufa para as alterações climáticas


Imagem retirada daqui.
  • As demolições de casas na Ria Formosa vão continuar. Rogério Bacalhau, presidente da câmara de Faro eleito pelo PSD, está contra: «Não há razão nenhuma para se fazer, nas próximas duas ou três semanas, essas demolições, acho que se deve esperar» pela formação do novo Governo. O autarca receia que, se for o PS a formar Governo, as demolições parem definitivamente, o que prejudicará os proprietários das casas entretanto demolidas. Diário Online. Este autarca tem uma visão das questões ambientais um bocado estranhas, perspetivando-as conforme o partido político no poder. O problema é que este autarca não está só. Muitos pensam como ele. É por esta e por outras que este país está como está.
  • O governo britânico anunciou a intenção de encerrar todas centrais a carvão do país até 2025. Reuters. Esperar para ver, até porque há enorme pressão para a construção de nova linha de centrais nucleares.
  • Bruxelas, as grandes energéticas e as portas giratórias: uma estufa para as alterações climáticas é a mais recente denúncia do Corporate Europe Observatory contra a captura das políticas de energia pelas grandes empresas de energia. O relatório examina casos de funcionários públicos e de representantes eleitos que passaram pelas portas giratórias certas para empregos em grandes corporações ligadas aos combustíveis fósseis e exemplos de técnicos e conselheiros que integraram a Comissão Europeia vindos dessas mesmas indústrias. O relatório recomenda, entre outras medidas, a introdução de salvaguardas que impeçam conflitos de interesses que envolvam conselheiros especiais da Comissão e um período de nojo de 2 anos para ex-eurodeputados que se tornem agentes de lóbis. Os casos mais flagrantes denunciados no relatório são os seguintes: (1) Marcus Lippold, funcionário da Comissão, ex-ExxonMobil, ex- DG Energy, agora também colaborador da Saudi Aramco; (2) Chris Davies, eurodeputado, colaborou durante 15 anos com grandes energéticas para introduzir o programa de captura e armazenagem de carbono; (3) Joaquín Almunia, comissário europeu, coautor de um relatório patrocinado pela Enel; (4) Nathalie Tocci, conselheira especial da Comissão, é simultaneamente membro da administração da Edison/EDF; (5) Matthew Hinde, ex-diretor da EU Strategy do ministério da Energia do Reino Unido, faz lóbi pela FleishmanHillard, cujos clientes incluem, entre outras, as empresas Total, Shell, Statoil, ENI, SHV Energy, Exxon Mobil e BP.
Share:

Reflexão – Parlamento Europeu é mestre em greenwashing

Imagem retirada daqui.

O parlamento europeu anunciou que a partir de 2016 vai ser a primeira instituição da União Europeia a garantir o estatuto de neutro em carbono. Isto traduzir-se-á em reduzir o consumo de energia, água e papel. Business Green.

Estes já não nos enganam, nem com relações públicas a tresandar a greenwashing. Como se não soubéssemos o que envolve um único dia de sessão do parlamento europeu, esse monstro burocrático que convoca largas centenas de pessoas entre políticos, secretários, assessores, tradutores, catering, motoristas, segurança, etc para as suas 12 sessões de 4 dias cada. Como se não pudéssemos imaginar ou calcular a pegada ecológica que envolve a movimentação e a manutenção de toda essa gente e de todos os recursos envolvidos em deslocações, alimentação, dormidas, etc.
Share:

Mão pesada

A japonesa Kyodo Senpaku foi multada em 1 milhão de dólares por um tribunal australiano por não ter acatado ordem de suspender a ca à baleia dentro do Antártico australiano. The Guardian.
Share:

Bico calado

  • «España vende armas a Arabia Saudí que es quien financia al ISIS». Pablo Iglesias
  • Caro Amigo Racista, por Ricardo Salazar – Leituras 15set2015.
  • A Clinton Foundation não declarou ao fisco 20 milhões de dólares de doações que recebeu. Reuters.
Share:

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

China financia centrais nucleares na Argentina

Imagem retirada daqui.
  • Moçambique vai impor uma moratória aos novos pedidos para explorar recursos florestais. O objetivo é poupar esses recursos, - o pau-ferro está em risco de desaparecer -, em especial em Tete, Zambézia e Cabo Delgado. Club of Mozambique.
  • O governo canadiano está a ser processado por várias organizações ambientalistas com o objetivo de fazer suspender a produção de ovos de salmão transgénicos. A norte-americana AquaBounty Technologies já tem licença para produzir ovos férteis de salmão no Canadá e para os exportar para o Panamá, onde crescerão, esperando-se que esse salmão será posteriormente importado e consumido no Canadá e nos EUA. A empresa insiste que o seu salmão transgénico não representa qualquer perigo para o Ambiente, pois vai crescer até ter o tamanho do salmão selvagem apesar de consumir menos 75% de alimento, o que representará uma redução de 25 vezes na pegada de carbono. Os ambientalistas alegam que o perigo é evidente: o salmão selvagem vai ser contaminado pelo salmão transgénico e a indústria vai embalar em projetos semelhantes para produtos animais para consumo humano. The Guardian.
  • Uma campanha de crowdfunding (financiamento coletivo) foi lançada para realizar um relatório independente de impacto ambiental causado pelo colapso das barragens de Mariana. Planeta Sustentável.
  • A China vai financiar a construção de duas centrais nucleares na Argentina. O acordo foi assinado na Turquia durante a cimeira do G20. FT.
  • A avalanche de efluentes gerados em Minas Gerais pelo colapso de duas barragens da mineradora Samarco, controlada pela Vale e pela australiana BPH, causou danos ambientais imensuráveis e irreversíveis. EcoDebate.
  • Dois guardas florestais foram abatidos a tiro por caçadores furtivos na Floresta Protegida de Preah Vihear, no noroeste do Camboja. Posteriormente detidos, os uspeitos do crime foram apenas acusados de abate ilegal de floresta. NYTimes.
Share:

Reflexão: «O Brasil não tem as cores da bandeira francesa por causa da lama de Minas Gerais»

Imagem retirada daqui.

Acabei de ler o texto de Katheen Gomes, publicado no Público de 16 de novembro

Julgo ter percebido tudo muito bem e até lido as entrelinhas. A presidente do Brasil tardou em visitar as zonas afetadas e a certificá-las como tal. Só depois os media de reverência puderam falar do problema. 
Até quando é que os media vão esperar pelas convocatórias dos presidentes, dos primeiros-ministros e dos autarcas para falarem de acontecimentos ou de problemas como este? Até quando os presidentes, os primeiros-ministros, os autarcas têm que patrocinar notícias como esta? 

A 6 de novembro, o Ambiente Ondas3 conseguia «pescar» esta notícia, traduzida e sumariada a partir do The Guardian:
• Uma lagoa que retinha efluentes tóxicos de uma mina de ferro da Samarco em Minas Gerais, no sudeste do Brasil, colapsou e inundou casas vizinhas matando, pelo menos 15 pessoas, havendo 45 desaparecidas.

O próprio Público contava a estória em 9 de novembro, três dias depois…

Os donos do Brasil devem ter pensado que divulgar a estória desta catástrofe ambiental iria beliscar a imagem de um país que vai ser palco dos Jogos Olímpicos de 2016. A maioria dos media, subserviente aos «donos desta coisa», pouca atenção deu a este desastre. É que a indústria alimenta muita boca, inclusive a de proprietários e administradores de media, que não costuma morder a mão de quem lhe envia publicidade para ser publicada a bom preço.

Convenhamos, por outro lado, que o cidadão comum acaba por ter aquilo que quer, de que gosta ou o que merece. Está visto que calamidades ambientais são coisas de somenos importância para o cidadão comum, até que uma enxurrada lhe entre pela porta, lhe leve os bens e o deixe de tanga. Aí ele bate o pé, chora baba e ranho e faz-se o centro das atenções e das desgraças do bairro, da cidade, do país e do mundo, como se viu, recentemente, em Albufeira. No meio do berreiro, critica tudo e todos e jura a pés juntos que não tem culpa de nada. Nessa altura, todo o mundo faz como ele fez até ao momento: encolhe os ombros e muda de canal.
Share:

Bico calado – Cavaco elogia o tamanho e o sabor da banana da Madeira

Imagem retirada daqui.
  • «Vocês têm uma banana maior e mais saborosa». Cavaco, segundo o Jornal da Madeira de 17nov2015.
  • «Começa a ser óbvia a estratégia de Cavaco Silva, Passos Coelho e Paulo Portas, aquilo que parecem ser declarações casuais fazem todo o sentido e podem ter sido combinadas. Há muito que Cavaco deixou de ser presidente e é conselheiro de Passos Coelho, Cavaco tem estado ao serviço e sob as ordens de Passos Coelho e Paulo Portas, ignorou a Constituição sempre que lho pediram, articulou os discursos, marcou a data das eleições para a data mais conveniente e agora, à beira de ser mandado para casa, dá o último golpe. (…)Cavaco, Portas e Passos têm sido uma troika coordenada e a única dúvida que se coloca está em perceber quem manda, se Cavaco em Passos ou Passos em Cavaco. O argumento da revisão está combinado e surgiu depois de Passos ter dito que não ficaria a assar, isto é, a ideia pode não ser dele, é bem mais provável que seja de Paulo Portas ou de Cavaco, senão mesmo dos dois. Se os banqueiros lhe disserem que sim Cavaco vai manter o governo em gestão e alinhará com Passos e Portas dizendo à esquerda que pode resolver o prolema da crise viabilizando eleições antecipadas aceitando uma revisão constitucional. Cavaco vai completar a nódoa que tem sido na democracia portuguesa e fazer chantagem sobe a democracia, é um nojo mas é o que temos.» O Jumento.
  • 750 mil refugiados instalaram-se nos EUA após o 11 de setembro. Nem um único foi preso por acusação de terrorismo doméstico. The Economist 17out2015.
Share:

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Parque eólico marinho vai flutuar ao largo de Viana

Imagem retirada daqui.
  • A EDP Renováveis, a Mitsubishi/Diamond Generating Europe, a Chiyoda, a Engie e a Repsol vão construir um parque eólico marinho flutuante em Portugal. O projeto chama-se Wind Float Atlantic e vai ser instalado 20 Km ao largo de Viana do Castelo, tendo a capacidade total de 25 MW.
  • A Bayer, fabricante de pesticidas neonicotinóides relacionados com o forte nas populações de polinizadores, deverá pagar multas a vários países europeus por danos provocados pelo fungicida Moon Privilege aplicado nas vinhas. Reuters.
  • A Gleba Bacajá, em Anapu, no Pará, continua a ser palco de ameaças, perseguições, agressões e assassinatos de trabalhadores agrícolas, denuncia a Comissão Pastoral da Terra. Entre julho e este momento, houve 7 assassinatos, seis dos quais num conflito no Lote 83, do qual um dos alegados donos é Regivaldo Pereira Galvão, o Taradão, condenado como um dos mandantes da morte de Irmã Dorothy Stang, em fevereiro de 2005. Todos os assassinatos foram considerados «crime passional», «rixa pessoal» ou «discussão», desligados de qualquer relação com a questão agrária. A violência provém de fazendeiros que ocupam áreas públicas que deveriam ter sido destinadas para fins de Reforma Agrária, por não terem sido cumpridos os termos do Contrato de Alienação de Terras Públicas. Via EcoDebate.
Share:

Reflexão – Mariana: um desastre que é mais do que ecológico

Imagem retirada daqui.

O rebentamento de uma barragem que guardava os efluentes tóxicos de uma mina de ferro da Samarco, da Vale e da BHP Billiton provocou um enorme desastre ecológico em Mariana. 17 mortos e dezenas de desaparecidos são apenas uma minúscula parte do iceberg. Os ecossistemas locais e regionais estão em perigo e serão precisos muitos anos para a mãe natureza se recompor. 
Entretanto, os media de reverência pouco falam disto. Talvez porque os até agora mais prejudicados sejam pobres e índios.
Também porque quem deveria monitorizar a situação terá recebido milhares das mineradoras para a sua campanha eleitoral.
Share:

Bico calado

Guarda rios, por Bordalo II, Estarreja.
  • «Basta um General para lançar bombas sobre um país, basta um banqueiro para destruir um Banco de um país e basta um miúdo sem futuro para se explodir matando centenas. Mas não será com um Hollande que impediremos a perpetuação destes crimes, deste…, vamos dizer o que é, estado de guerra, dirigido pela NATO – vamos ser precisos todos nós, os da civilização, árabes e europeus, islâmicos, cristão e ateus, os que gostam de rock e os de jazz, a dizer que queremos um fim a esta guerra, já – não suportamos mais abrir telejornais e não há vigilância, consentida ou não, em nome do combate ao terrorismo, que ponha fim a isto. Porque guerras, como sabe quem as faz, resolvem-se com política, ou não se resolvem. Ou nestas horas difíceis temos a coragem de denunciar todos os terrorismos, os de Estado também, ou a barbárie de ontem vai continuar.» Raquel Varela in Basta um.
  • Os EUA assinaram com a Arábia Saudita um contrato de compra e venda de armas e bombas «inteligentes» no valor de 1,3 biliões de dólares. Toronto Star.
Share:

domingo, 15 de novembro de 2015

Espinho aprova projeto de requalificação da Barrinha


  • A Câmara de Espinho aprovou o projeto de requalificação ambiental da Lagoa de Paramos / Barrinha de Esmoriz, com um prazo de execução de 20 meses. Em termos gerais a intervenção prevê a recuperação do Sistema Aquático, a recuperação do Dique Fusível e Consolidação da Natureza, a requalificação das Margens da Barrinha e do Cordão Dunar e a realização de Percursos e Zonas de Estada e Lazer, onde estão incluídos trabalhos de instalação de passadiços e caminhos, de pontes, de cais flutuante e de observatório das aves. A empreitada prevê ainda a execução e melhoramento dos parques de estacionamento e instalação de pórticos e mobiliário urbano. Cidades. O blogue Ambiente Ondas3 já tinha feito a devida referência, há 4 meses, em junho, a este importante e necessário projeto. Com uma diferença: incluía muitos mais pormenores.
  • Nenhuma Comissão Parlamentar de Inquérito foi instaurada para investigar o desastre de Mariana e a situação das demais barragens em operação em Minas Gerais. Em vez disso, o Colégio de Líderes decidiu criar a Comissão Extraordinária das Barragens. Juntos, os nove titulares dessa comissão terão recebido R$ 587 mil em doações diretas ou indiretas de mineradoras na última campanha eleitoral. O Tempo.
  • O Ibama vai aplicar multas milionárias à mineradora Samarco, responsabilizada pelo colapso das duas barragens na região de Mariana, em Minas Gerais. As multas deverão ultrapassar R$ 50 milhões. Folha de S. Paulo.
Share:

Bico calado

  • «O medo é uma componente da sociedade portuguesa. Três séculos de Inquisição, de cantochão e de arrocho, de superstição e de fanatismo, com mais 50 anos de fascismo, fizeram dos portugueses um povo amedrontado e receoso do futuro, tido como maléfico pelas forças mais conservadoras. Quando Pedro Passos Coelho, num cabisbaixo discurso, no dia do adeus, diz que não abandona Portugal, a frase morre pelo ridículo e pelo descaramento. Foram ele e os seus que empobreceram o país, que enviaram um milhão de miúdos para a fome e para a penúria, que desprezaram os velhos, que tentaram liquidar a escola pública, o Sistema Nacional de Saúde, e a Segurança Social para os fojos, que tornaram a pátria num protectorado alemão – e têm agora, suprema injúria!, o descoco de usar as frases do cordeiro.» Baptista Bastos in Isto vai, meu dilecto, isto vaiJNegócios 13nov2015.
  • «(…) deixem a direita falar nos próximos dias e mostrar o que quer para Portugal. Isso para já basta e só teria vantagens. (…) como os mercados se mantêm fora de jogo, para desgosto dos combalidos ministros que foram rejeitados, fica tudo às claras. O único factor de instabilidade e de perturbação é o retorcido sentimento de vingança da direita, que não perdoa ao parlamento a desfeita. A direita espuma de raiva e não o consegue disfarçar. Essa desorientação vai fazer com que acumule erros. (…) Vejam Paulo Rangel, de cabeça perdida nos debates em Portugal ou a fazer queixinhas num plenário em Bruxelas perante um comissário aturdido. Vejam Luís Montenegro pelos Passos Perdidos a invectivar desabridamente a escolha de oradores dos partidos que se lhe opõem. (…) Vejam Diogo Feio, logo o mais sensato dos dirigentes do CDS, a exigir o incêndio (…) agora Passos Coelho, só faltava ele, a exigir uma revisão constitucional aventureira, desenhada para lhe salvar a pele, esperando (espera alguma coisa?) que o PS o ajude nesse mister. O que estão a dizer a Portugal é que, perdendo a cabeça, nada mais lhes resta. Deixá-los pois exibirem a sua incontinência, a inflamação da direita só vai ajudar a reposicionar o governo como factor de estabilidade. (…) Não haverá melhor forma para o PS de recuperar o centro do que deixar exibir a cultura desse “segura-me se não eu bato-lhes” que Portas e Passos ensaiam desde o dia em que foram despedidos. Uma certeza podemos ter: o país, que é sereno como se sabe, não tem pachorra para essas garotices.» Francisco Louçã in Um conselho a António Costa, Catarina e Jerónimo de Sousa: deixem-nos falar, isso para já bastaPúblico 13nov2015.
Share:

sábado, 14 de novembro de 2015

Autoridade Europeia de Segurança Alimentar acha que o glifosato não é cancerígeno


Imagem retirada daqui.
  • O biólogo angolano Pedro Vaz Pinto, que liderou o projeto da redescoberta das palancas negras gigantes, animal símbolo de Angola e ameaçado de extinção, acaba de ganhar a edição 2013 do Prêmio Internacional “Terras Sem Sombra”, na área de biodiversidade. Nascido em 1967, em Luanda, Pedro Vaz Pinto é formado em Engenharia Florestal, com especialização em Gestão dos Recursos Naturais, pelo Instituto Superior de Agronomia (Universidade Técnica de Lisboa) e é investigador do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Universidade do Porto. Revista Afro.
  • A Finlândia é o primeiro país do mundo a conceder uma licença de construção de um depósito de resíduos nucleares subterrâneos permanente, concretamente na ilha de Olkiluoto. Reuters.
  • É improvável que o glifosato, a substância mais utilizada como herbicida, represente um perigo cancerígeno para o ser humano, diz relatório da Autoridade Europeia de Segurança Alimentar. Esta atitude contradiz a anunciada em março pela agência de combate ao cancro da Organização Mundial da Saúde, que considerou como cancerígeno possível ou provável cinco pesticidas, entre eles o glifosato. UOL.
Share:

Reflexão - Como o jornalismo é engolido nas grandes tragédias

Imagem retirada daqui.

Lama de Mariana: Como o jornalismo é engolido nas grandes tragédias

Dez breves considerações para uma autocrítica necessária sobre a cobertura do rompimento das barragens de rejeitos de mineração, em Mariana (MG), ocorrido na última quinta (5). Ressalto que há coberturas muito justas sendo realizadas pelas imprensas tradicional e alternativa. Ou seja, o objetivo não é generalizar, mas convidar à reflexão:

1 Onde você escreve apenas “Samarco'', como responsável pela catástrofe da barragem de Mariana, acrescente “Vale'' e “BHP''. Diga ao seu chefe para esquecer que a Vale é grande anunciante do seu veículo pelo menos desta vez.
2 Essa foi uma das maiores catástrofes ambientais do país e vai alterar a vida de milhões de pessoas e animais. Trate isso como tal e não como curiosidade mórbida. Seja decente: sensacionalismo só é bom para a sua audiência.
3 Acidente, Papai Noel e Coelho da Páscoa… Investigações estão em curso, mas o uso irresponsável da palavra “acidente'' faz crer que tudo isso seria inevitável, concedendo ao acaso uma culpa que pode ser de empresas e governos, ao destino um poder que ele não tem e dando vida a essa figura mitológica – o acidente – endeusada em falhas corporativas.
4 Se todo pequeno tremor de terra derrubasse barragem, não sobrava uma hidrelétrica de pé no Brasil, como me disse ontem um velho engenheiro barrageiro. O que é derrubado com pequeno tremor de terra é pudor de usar a justificativa do terremoto em uma matéria e não ouvir especialistas a respeito.
5 Publicar release da empresa sobre o ocorrido em formato de notícia sem checar uma informação é passaporte para o inferno sem escalas.
6 Reportagens sobre a tragédia humana são importantes para que o país tenha a dimensão do caos que se estabeleceu. Mas o estrago trazido ao não tratar das responsabilidades dos atores econômicos e políticos nunca será compensado pela cobertura “humanizada'' que você teve orgulho de fazer.
7 Importante a solidariedade de pessoas que seguem para ajudar e mandam doações. Do ponto de vista da empatia social, não da necessidade material. Porque deveria ser a Vale a estar pagando agora até pelo banho e tosa do cachorro atingido pela massa de dejetos e não a sociedade brasileira. E links de TVs deveriam estar em vigília na sede da empresa questionando isso ao invés de mostrar apenas galpões repletos com sacolas de doações.
8 O governo mineiro tratar a empresa ora como “vítima'' ora como “responsável'' mostra que a Síndrome de Estocolmo, quando um agredido passa a ter simpatia pelo agressor, atinge sempre a administração pública de forma patética. A imprensa que faz um papel central na cobrança das investigações de corrupção, estranhamente perde o mesmo ímpeto nesta situação. Lembrando que empresas financiaram partidos em eleições.
9 Se o governo federal existisse e fosse autônomo, Dilma teria pego um avião imediatamente para sobrevoar o local, colocaria a Vale contra a parede e aproveitaria a comoção pública para reabrir a discussão sobre a regulamentação da mineração no Brasil,  com efetiva participação das comunidades atingidas e foco na responsabilidade empresarial e no direito ao território e à dignidade humana. O jornalista que acha que Brasília não tem responsabilidade neste caso precisa de um curso rápido sobre as competências da União.
10 Pouco depois do mar de lama chegar à praia, o assunto será substituído por outro. Mas a tragédia acontecerá de novo em Minas Gerais, como tem acontecido periodicamente. O cronômetro já foi posto em contagem regressiva. Com a anuência não só do Estado, que peca pela falta de fiscalização e punição, mas também de parte da imprensa, que segue mais competente em monitorar o poder político do que os atores econômicos.
Share:

Mão pesada

A Volkswagen Brasil foi multada em 50 milhões de reais por ter manipulado motores a diesel. La Informacion.
Share:

Bico calado

  • «Se a TAP está a dias de não ter gasolina para os aviões e dinheiro para pagar salários, o que não acredito porque já vi usar muitas vezes por este governo argumentos ad terrorem deste tipo para justificar fazer as enormidades que quer, só pode ser por duas razões: ou foi pessimamente gerida nos últimos meses com o beneplácito governamental, ou foi deliberadamente deixada cair no caos para justificar a estranha pressa governamental para a privatizar. Não é nada de novo, - foi o que foi feito com os Estaleiros de Viana, para logo a seguir surgirem miraculosas encomendas de navios do próprio estado agora feitas aos privados.» Pacheco Pereira, Abrupto 12nov2015.
  • Cavaco também deverá ouvir as cagarras das Selvagens. Portugalex 13nov2015.
  • Paulo Portas a tentar enrolar Passos Coelho durante a campanha eleitoral de 2011.
Share:

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Descarga nas barbas de toda a gente

Imagem retirada daqui.
  • Aconteceu no Bairro do Nicho, junto da ponte sobre o Ribeiro da Boa Água, em Torres Novas. Um camião da Treciver, do grupo Lena, estacionou estrategicamente na berma da estrada mas com a ´traseira da sua caixa sobre os rails de proteção da ponte de forma a descarregar lentamente resíduos provenientes da indústria de curtumes. O camião foi bloqueado por cidadãos ambientalmente conscientes e empenhados até à chegada da SEPNA da Golegã, que tomou as devidas medidas. Fonte.
  • O Reino Unido é o único entre os países do G7 que vai aumentar os subsídios aos combustíveis fósseis, apesar de ter prometido eliminá-los. Refira-se que os países do G20 subsidiam anualmente os combustíveis fósseis em 452 biliões de dólares. The Guardian.
Share:

Bico calado

  • «Clara Ferreira Alves, que já foi de tudo e de todos, santanete mal-agradecida, viúva socratina, apoiante do PSD e do PS, promessa de escritora, modelo de futilidades e de um provincianismo cosmopolita desesperado, escrevinhadora no “Correio da Manhã”, o que pode explicar muito, que teve um primo clandestino comunista, diz ela, o que pode explicar outras tantas coisas, é boçal-chique e, principalmente, ignorante. Optou há muito por trocar pensamentos por colagens de propaganda – dá menos trabalho e tem clientela assegurada. (…)É uma snobe, para quem o fascismo, que arruma numa linha de texto, “foi um regime totalitário que não percebeu a história”, fim de citação. Falar do pintor Dias Coelho, assassinado na rua a tiro, ou das torturas infligidas ao escritor Urbano Tavares Rodrigues, ou das prisões do compositor Lopes Graça, ou do assalto e destruição da Sociedade Portuguesa de Autores em Maio de 65 pela PIDE e por elementos fascistas do Jovem Portugal e dos “Centuriões”, e da prisão de João Gaspar Simões, Augusto Abelaira, Fernanda Botelho, Manuel da Fonseca, Alexandre Pinheiro Torres, entre outros. Lembrar a morte, tortura e exílio de milhares de comunistas, homens e mulheres simples e anónimos, que com o seu sacrifício ganharam a nossa liberdade, nunca reclamando nem esperando nada, é recordar-lhe, minha senhora a sua pequenez. (…)A senhora é anticomunista porque é o seu espaço vazio que gere os fantasmas da sua incultura. Amarga e sem referências, soma clichés em panfletos e, tal como diz, “vende opiniões sujeita ao rating das audiências e comentários online”. Ou seja, tem a pluma à disposição, à venda, e ser anticomunista é mais fácil e tem dado para a vidinha. Afirma que é assim por “razões históricas e profundamente temperamentais”. Não se iluda, é fundamentalmente por ignorância.» Artur Pereira in Anticomunista e ignorante, Ionline.
  • «Só que, e aí é que está o busílis, falta ao centro a alternativa onde lhe sobra indignação. Há um vislumbre de resposta sobre como gerir as contas públicas? Nada, só o temor reverencial à “Europa”. Há uma palavra sobre como criar emprego ou onde por as fichas do investimento? Nada, os mercados dirão. Há um gesto acerca deste indignante desbaratar de bens públicos ou da teia de interesses entre a banca e a decisão política? Não se espere tanto. Nem se deveria esperar, o centro é o lugar onde não se decide nada, obedece-se à “Europa”. Porque não tem nada a propor e prefere nada fazer, o centro está a desfalecer. Por isso não me surpreende que alguns dos seus ideólogos ou praticantes se sintam agora forçados a sair para o lado. Só posso elogiar a sua sinceridade e a sua presciência. O que nos estão a dizer é que a esquerda pode e deve enfrentar a direita e que ninguém mais o fará, se não ela.» Francisco Louçã in A hora da esquerda, algumas viragens à direita e a malapata do centroPúblico 12nov2015.
  • «Pode ser que PSD e CDS tenham substituído a legitimidade revolucionária do PREC pela legitimidade dos mercados e da tradição. Mas no que toca à legitimidade democrática, que subsiste em períodos de normalidade, o voto do povo traduz-se no voto dos deputados.» Daniel Oliveira, FB.
  • A Alemanha beneficiou claramente com a crise grega, em mais de 100 mil milhões de euros, diz estudo do Instituto de Investigação Económica Leibniz. JNegócios.
  • O governo dos EUA deu 5,9 biliões de dólares dos contribuintes norte-americanos em apoio militar durante 2014. Israel, com 3,1 biliões e o Egito, com 1,3 biliões, receberam 75% deste bolo. O Iraque e a Jordânia, respetivamente com 300 e 280 milhões, seguiram-se-lhes. Press TV.
Share:

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Praga de jacintos de água na Pateira é culpa do Ministério do Ambiente

Pateira de Fermentelos 7nov2015. Foto de Lúcia Ávila.
  • A Câmara de Aveiro responsabiliza o Ministério do Ambiente pela proliferação dos jacintos de água na Pateira de Fermentelos. Tudo porque a Agência Portuguesa de Ambiente deixou de financiar as juntas de Freguesia em operações de remoção dos jacintos, alegando falta de recursos. RTP.
  • O Ayuntamiento de Madrid reduziu a velocidade de circulação automóvel nas estradas de acesso à capital e na M-30 para 70 Km por hora devido a um pico de dióxido de nitrogénio que já dura dois dias. El País.
  • A cidade de Oakland está a processar a Monsanto para tentar ganhar compensações por prejuízos causados por PCBs produzidos por aquela empresa e que são arrastados pelos pluviais para a baía de San Francisco. OS PCBs foram proibidos em 1979. SFBay.
  • Os governos centrais e provinciais da China licenciaram este ano mais de 155 centrais a carvão. Trata-se de uma média colossal de 4 por semana, em flagrante contraste com a queda do consumo de carvão a nível mundial.
Share:

Reflexão: quem lê o Ambiente Ondas3 e quais as preferências?

No Ambiente Ondas3, os 3 textos mais populares dos últimos 8 dias foram, segundo a Google Analytics:
As visitas vieram, por ordem decrescente, de Portugal, do Brasil, dos EUA, de França, de Angola, do Reino Unido, da Alemanha, de Espanha e da Holanda.

Proveniência, também por ordem decrescente, dos leitores de língua portuguesa: Espinho, Lisboa, Porto, Coimbra, São Paulo, Boston, Gaia, Ponta Delgada e Alverca do Ribatejo.

Obrigado pela preferência. Voltem sempre!
Share:

Mão pesada

Um indivíduo foi multado em 6230 libras por gestão ilegal de resíduos em Hill Top Farm, Telford.
Share:

Bico calado

  • Nuno da Câmara Pereira é um dos 152 alunos da Universidade Lusófona que viu a Licenciatura em Engenharia do Ambiente anulada pelo Ministério da Educação por irregularidades no processo de atribuição de equivalências. Para o fadista, as disciplinas de Ciências Físico-Químicas e Naturais feitas no liceu bastaram para ter equivalência a sete cadeiras da faculdade. A experiência profissional na direcção técnica de obras de drenagem e o cargo que exerceu como vice-presidente da Cruz Vermelha de Sintra deram-lhe equivalência à cadeira de Microbiologia, enquanto a formação profissional em suinicultura lhe valeu a cadeira de Saúde Pública. Sol 24jun2015.
  • No Diário da República, o 6 de novembro foi dia de publicação de louvores. Para todos os gostos, desde adjuntos de cozinheiros a chefes de cozinha, passando por assistentes técnicas, assistentes operacionais, técnicas especialistas e motoristas.
  • «Caros editores de informação, um copo pode estar meio cheio e meio vazio, porque não foi cheio ou porque alguém bebeu o que falta. Hoje os jornais anunciam aumento de pensões e os custos a isso associados – «Aumento das pensões custará 426 milhões ao Estado nos próximos dois anos» escreve o DN. Não é aumento, é mera devolução. E não são custos, a segurança social é uma função social do Estado. Paga, de forma superavitária, pelos portugueses.» Raquel Varela.
Share:

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Albufeira: catástrofe poderia ter sido minimizada

Imagem retirada daqui.
  • A catástrofe que se abateu sobre Albufeira, no passado domingo, podia ter sido minimizada: (1) A autarquia ignorou os avisos feitos há 6 anos pela Agência Portuguesa do Ambiente. A APA recomendava uma obra que, se tivesse sido concretizada, teria travado a força anormal da água. (2) A Proteção Civil nunca acionou o alerta amarelo apesar da meteorologia ter emitido um aviso vermelho de mau tempo. RTP.
  • Terminou ontem um protesto que durou uma semana no rio Tâmega. Organizada pelo GEOTA, a «Caravana pelo Tâmega» teve por objetivo alertar as pessoas para as consequências da construção de quatro grandes barragens no Tâmega e afluentes: a de Fridão concessionada à EDP e as três concessionadas à espanhola Iberdrola, no âmbito do Sistema Eletroprodutor do Tâmega que inclui os empreendimentos de Gouvães, Alto Tâmega e Daivões. TSF.
Share:

Bico calado

«Quando Passos e Portas concordam com uma devolução mais rápida dos salários ou aceitam adiar por um ano o cumprimento das metas orçamentais inscritas no Pacto de Estabilidade de Crescimento, não estão a negociar: estão a desconstruir a sua imagem e a banalizar as suas prioridades políticas. Porque se, como nos disseram e reiteraram, Portugal só poderá aspirar a uma nova fase de crescimento se for capaz de disciplinar as suas finanças públicas, então jamais poderiam ceder nesse princípio essencial. Fazendo-o agora entregam os seus despojos políticos à razão dos adversários e erguem-se como os arautos de um fundamentalismo e de uma arrogância que, tarde ou cedo, lhes custará caro. Dificilmente a curto prazo terão como responder a perguntas simples e directas: por que razão não recuaram antes nestes domínios para obter a aquiescência do PS em reformas essenciais? Por que razão não apresentaram um programa eleitoral mais flexível e amigo dos cidadãos, se, como agora reconhecem, era possível relaxar os cortes e o ritmo da consolidação orçamental sem que o mundo acabasse?» Manuel Carvalho, O leilão onde todos vão perderPúblico 8nov2015.
Share:

domingo, 8 de novembro de 2015

Voluntários recolhem resíduos de plástico de ribeira

Ruínas de moinho na trilha de acesso à praia da Viola, em Lombinha da Maia, S. Miguel-Açores
  • Voluntários recolheram resíduos de plástico de uma ribeira junto à praia do Almoxarife, no Faial, Açores. Bem hajam.
  • O maior aterro ilegal na Irlanda do Norte é ainda maior do que se pensava. Situado perto de Londonderry e junto do rio Faughan, mesmo ao lado de um centro de reciclagem, o aterro cresceu desmesuradamente até ser descoberto e denunciado, tendo sido encerrado juntamente com o centro de reciclagem. Apesar de encerrado, o local desfeia a zona e fomenta o vandalismo. UTV.
  • O Fundo Verde para o clima da Organização das Nações Unidas anunciou o financiamento de oito projetos para ajudar os países do sul na luta contra o aquecimento global. Os 168 milhões de dólares vão ser investidos no Peru, no Malawi, no Senegal, no Bangladesh, nas Fiji e nas Maldivas em energias renováveris. AFP/News24.
Share:

Mão pesada

  • A ASARCO foi multada em 4,5 milhões de dólares e intimada a investir 150 milhões em equipamento de controlo e redução de emissões de metais pesados tóxicos na sua fundição de Hayden, no Arizona. A empresa está ainda obrigada a subsidiar projetos ambientais a nível local no valor de 8 milhões e a substituir a sua locomotiva a diesel por um modelo mais limpo que custa 1 milhão. EPA.
  • A Calspec Enterprises, Inc. e a Waypoint Homes, Inc. foram multadas num total de 46.550 dólares por incumprimento de legislação federal relativa à aplicação de tinta à base de chumbo em várias propriedades no sul da Califórnia. EPA.
Share:

sábado, 7 de novembro de 2015

A quem interessa este tipo de propaganda falsa?


Várias vezes caiu a tampa que dá acesso às ligações elétricas deste foco de iluminação da esquina da Avenida 8 com a rua 13. Várias vezes foi recolocada no devido lugar com a ajuda de um fio elétrico. Há um mês, a tampa foi substituída por este plástico. O plástico faz crer que o respetivo foco de luz está desligado ao abrigo de um programa de poupança energética promovido pela câmara municipal. 
O problema é que este plástico é um embuste. A propaganda nele impressa é falsa porque o foco, passado um mês sobre a aplicação do plástico, tem estado aceso todas as noites. Aliás acende-se, como todos os outros, mesmo quando ainda há luz solar suficiente para se circular com segurança.
Quantos mais truques deste tipo há, neste momento, em Espinho?
A quem interessa este tipo de propaganda falsa?
Share:

EDP e GALP campeãs de greenwashing

Lajes do Pico. Imagem retirada daqui.
  • Nas Lajes do Pico, a autarquia local trata assim as árvores em nome de uma alegada requalificação urbana que inclui a construção de um passeio marítimo. Diz quem sabe que, numa assembleia para debater publicamente o projeto, poucos cidadãos se mostraram disponíveis para o fazer. «Poucos quiseram ouvir o que outros tinham para dizer», lamenta um local. «Quando da discussão pública sobre o projeto, tentei falar, mas da bancada mandaram-me calar», denuncia outro. É, de facto lamentável o triste espetáculo que este abate de plátanos mostra. O bom senso recomendaria outro tipo de abordagem por parte dos responsáveis. 
  • A EDP e a Galp conseguiram a pontuação máxima em transparência e desempenho na redução da emissão de gases com efeitos de estufa e mitigação dos riscos das alterações climáticas, avaliados pela organização não-governamental Carbon Disclosure Projet (CDP). Integram o grupo das 5% classificadas a nível global como «A Listers». DN. Obrigado, EDP, por mais este filme de greenwashing. É que todos estamos fartos de conhecer a colossal mentira de que as grandes barragens constituem um benefício para a proteção da Natureza. Apesar da produção de energia elétrica em alternativa à utilização de combustíveis fósseis, as grandes barragens têm um forte impacto sobre os ecossistemas, nunca se traduzem nos benefícios múltiplos previamente anunciados e as medidas de compensação não ultrapassam os danos causados.  Quanto à Galp, não é a primeira vez que a vemos em listas de empresas ditas verdes. A Galp toca na mesma orquestra que cumpre a mesma partitura, ao compasso da mesma batuta e onde os solistas são campeões dos combustíveis fósseis e da poluição como a Chevron, a BP e a Shell. Tudo isto é uma farsa colossal, uma treta monumental promovida e defendida a bem do negócio e do lucro.
Share:

Bico calado

  • «Os 100 empresários preocupados (muitos destes pendurados no Estado há decadas), são a voz de aviso depois da comunicação social ter passado 15 dias a fazer o trabalho que estes homens esperam que ela faça.» Daniel Oliveira, FB.
  • «Cavaco Silva atribuía a Nossa Senhora os sucessos nas avaliações da troika, Cristas pedia aos agricultores para rezarem por chuva, Passos andava de crucifixo em campanha e, agora, o novo ministro da Administração Interna culpa o diabo pelas cheias em Albufeira. Portugal é uma reunião da IURD com um dízimo ao cubo.» João Quadros, O XX entregou-se a Deus, JNegócios 6nov2015.
  • Passos: «Na oposição não deixarei de assumir as minhas responsabilidades». Público 6nov2015.
Share:

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Unidades de tratamento de resíduos urbanos de Aveiro e Coimbra funcionam mal

Lombinha da Maia, S. Miguel-Açores.
  • As duas unidades de tratamento dos resíduos urbanos dos Distritos de Aveiro e de Coimbra (em Eirol e Vil de Matos), sob a gestão da ERSUC, apresentam graves problemas de funcionamento, denuncia a Quercus. Tudo porque a ERSUC terá enviado cerca de 50% dos resíduos para aterro, e não 25% como a ERSUC pretende fazer crer. A Quercus chegou a esta conclusão com base na comparação entre o desempenho das unidades de tratamento mecânico e biológico da ERSUC e outras semelhantes existentes no país. Através dessa análise é possível verificar que as unidades da ERSUC, ao contrário do que diz o seu relatório anual, não reciclaram todos os resíduos orgânicos produzidos, sendo que cerca de 60% desses resíduos terão sido enviados para aterro em vez de serem reciclados naquelas unidades. A evidência desta situação surge na muito baixa produção de composto e de biogás nas unidades da ERSUC em 2014, o que leva a concluir que grande parte dos resíduos orgânicos que compõem os resíduos urbanos em vez de sofrerem um tratamento biológico, serem transformados em biogás (energia renovável) e composto (fertilizante) acabaram por ser colocados em aterro. Aliás, quer os cheiros que se verificaram no aterro de Vil de Matos em Coimbra, quer as centenas de gaivotas existentes no aterro de Eirol em Aveiro provam que demasiados resíduos orgânicos estarão a ser descarregados nesses aterros.
  • Cristas protegeu pesticidas que estão a matar as abelhas na Europa. Como? A proposta de suspender a sua utilização de três pesticidas produzidos pela Bayer e Syngenta relacionados com o colapso das populações de abelhas na Europa nos últimos anos contou com a oposição portuguesa que, assim, apoiou o lóbi dos herbicidas e pesticidas e votou contra a proteção às abelhas. Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), um terço do que comemos depende da polinização de abelhas, que são os insetos responsáveis por polinizar mais de dois terços das 100 espécies de cultivo mais importantes. Por outras palavras, são essenciais à alimentação humana, fornecendo um serviço que caso fosse executado feito por mão humana custaria muitos biliões de euros. Esquerda.Net.
  • A requalificação da orla costeira dos Açores para 2016 representa um aumento de 149% em relação a 2015. Fausto Brito e Abreu, Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, justificou os 7,5 milhões previstos com a necessidade estratégica da Região se adaptar às alterações climáticas. Destacam-se, entre várias intervenções, a requalificação costeira da costa norte de São Miguel, nomeadamente na Maia e em Rabo de Peixe, na Graciosa, a proteção e estabilização da zona Costeira da Barra, em Santa Maria, a estabilização de taludes na orla costeira da Maia, no Pico, a proteção e o reforço costeiro da Baía de Canas e a requalificação da área envolvente do Pocinho, e, no Faial, a proteção e requalificação da orla costeira em Porto Pim, que já está a decorrer. Notícias Açores.
  • O conselho municipal de Meio Ambiente do Município de Serro/MG rejeitou por unanimidade o pedido de instalação de uma mina de ferro da Anglo American, que traria investimentos de até 85 milhões de reais. O Tempo. Via Agonia ou Êxtase, de Jubal Cabral Filho.
  • Uma lagoa que retinha efluentes tóxicos de uma mina de ferro da Samarco em Minas Gerais, no sudeste do Brasil, colapsou e inundou casas vizinhas matando, pelo menos 15 pessoas, havendo 45 desaparecidas. The Guardian.
Share:

Reflexão – TTIP, um desastre


O texto integral do Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento (TTIP ou TAFTA) foi divulgado. Confirma-te tudo o que de mau sobre ele já tinha sido dito através de subtis fugas de cópias de rascunhos.

É, de facto, um desastre para o emprego, para o Ambiente, para a democracia e para o futuro da economia global, afirma Nick Dearden, da Global Justice Now. Mais do que vender produtos, reescreve as regras da economia global a favor das grandes multinacionais. É semelhante ao North American Free Trade Agreement (NAFTA), de há 20 anos, que foi ótimo para os mais ricos e um desastre emn tudo para o resto das pessoas. O NAFTA aprofundou as desigualdades e provocou enorme desemprego nos EUA e o TTIP é a versão turbo do NAFTA.
Para Michael Brune, do Sierra Club, o TTIP vai destruir décadas de progresso ambiental, vai ameaçar o nosso clima e não vai preservar a vida selvagem porque foram os grandes poluidores que ajudaram a escrever o acordo Via Common Dreams.
http://www.commondreams.org/news/2015/11/05/full-text-tpp-released-public-and-its-horrible

Para mais informação sobre este «acordo», valerá a pena (re)ler os textos publicados até ao momento por Ambiente Ondas3.
Share:

Bico calado

  • O antigo ministro da Administração Interna Miguel Macedo, que se demitiu na sequência  do escândalo dos Vistos Gold, estará agora sob suspeita de ter favorecido um ex-sócio, Jaime Couto Alves, no concurso para a manutenção dos helicópteros do Estado
  • "O ministro das Finanças dos Países Baixos, Jeroen Dijsselbloem, foi envolvido na polémica sobre a alegada influência do grupo bancário holandês ING na elaboração de uma lei que concede deduções aos bancos." Vagamente relacionado: UE continua a permitir a fuga ao fisco por parte das multinacionais.
  • Segundo Nuzzi, autor de Via Crucis, as beatificações e santificações são uma autêntica máquina de fazer dinheiro e que por cada uma o Vaticano chega a cobrar uma média de meio milhão de euros. Só para abrir o processo podem ser necessários 50 mil euros, exigindo-se depois mais outros 15 mil para cobrir os custos da operação. (…) Todos os anos, o Vaticano publica as verbas angariadas, mas não indica o seu destino final. Dos 53,2 milhões de euros obtidos em 2012, 35,7 milhões foram para a Cúria Romana, 6,3 milhões foram guardados como fundos de reserva e apenas 11 milhões foram, efetivamente, empregues na ajuda aos mais desfavorecidos. (…) na Cidade do Vaticano não se cobra IVA e ninguém paga impostos. Só as pessoas que vivem dentro dos limites da cidade do Vaticano ou os funcionários dispõem de um cartão de aquisição que lhes permite desfrutar destes benefícios fiscais.»
  • A fortuna escondida do Opus Dei em Portugal. Sábado.
Share:

Translate

Pesquisar no Ambiente Ondas3

Património

O passado do Ambiente Ondas3

Ver aqui.

Amig@s do Ambiente Ondas3

Etiquetas

Arquivo do blogue