Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Unidades de tratamento de resíduos urbanos de Aveiro e Coimbra funcionam mal

Lombinha da Maia, S. Miguel-Açores.
  • As duas unidades de tratamento dos resíduos urbanos dos Distritos de Aveiro e de Coimbra (em Eirol e Vil de Matos), sob a gestão da ERSUC, apresentam graves problemas de funcionamento, denuncia a Quercus. Tudo porque a ERSUC terá enviado cerca de 50% dos resíduos para aterro, e não 25% como a ERSUC pretende fazer crer. A Quercus chegou a esta conclusão com base na comparação entre o desempenho das unidades de tratamento mecânico e biológico da ERSUC e outras semelhantes existentes no país. Através dessa análise é possível verificar que as unidades da ERSUC, ao contrário do que diz o seu relatório anual, não reciclaram todos os resíduos orgânicos produzidos, sendo que cerca de 60% desses resíduos terão sido enviados para aterro em vez de serem reciclados naquelas unidades. A evidência desta situação surge na muito baixa produção de composto e de biogás nas unidades da ERSUC em 2014, o que leva a concluir que grande parte dos resíduos orgânicos que compõem os resíduos urbanos em vez de sofrerem um tratamento biológico, serem transformados em biogás (energia renovável) e composto (fertilizante) acabaram por ser colocados em aterro. Aliás, quer os cheiros que se verificaram no aterro de Vil de Matos em Coimbra, quer as centenas de gaivotas existentes no aterro de Eirol em Aveiro provam que demasiados resíduos orgânicos estarão a ser descarregados nesses aterros.
  • Cristas protegeu pesticidas que estão a matar as abelhas na Europa. Como? A proposta de suspender a sua utilização de três pesticidas produzidos pela Bayer e Syngenta relacionados com o colapso das populações de abelhas na Europa nos últimos anos contou com a oposição portuguesa que, assim, apoiou o lóbi dos herbicidas e pesticidas e votou contra a proteção às abelhas. Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), um terço do que comemos depende da polinização de abelhas, que são os insetos responsáveis por polinizar mais de dois terços das 100 espécies de cultivo mais importantes. Por outras palavras, são essenciais à alimentação humana, fornecendo um serviço que caso fosse executado feito por mão humana custaria muitos biliões de euros. Esquerda.Net.
  • A requalificação da orla costeira dos Açores para 2016 representa um aumento de 149% em relação a 2015. Fausto Brito e Abreu, Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, justificou os 7,5 milhões previstos com a necessidade estratégica da Região se adaptar às alterações climáticas. Destacam-se, entre várias intervenções, a requalificação costeira da costa norte de São Miguel, nomeadamente na Maia e em Rabo de Peixe, na Graciosa, a proteção e estabilização da zona Costeira da Barra, em Santa Maria, a estabilização de taludes na orla costeira da Maia, no Pico, a proteção e o reforço costeiro da Baía de Canas e a requalificação da área envolvente do Pocinho, e, no Faial, a proteção e requalificação da orla costeira em Porto Pim, que já está a decorrer. Notícias Açores.
  • O conselho municipal de Meio Ambiente do Município de Serro/MG rejeitou por unanimidade o pedido de instalação de uma mina de ferro da Anglo American, que traria investimentos de até 85 milhões de reais. O Tempo. Via Agonia ou Êxtase, de Jubal Cabral Filho.
  • Uma lagoa que retinha efluentes tóxicos de uma mina de ferro da Samarco em Minas Gerais, no sudeste do Brasil, colapsou e inundou casas vizinhas matando, pelo menos 15 pessoas, havendo 45 desaparecidas. The Guardian.
Share:

1 comments:

OLima disse...

Atualização - Ruptured Dams Engulf Brazilian Village in Toxic Mine Waste
More than a dozen are feared dead, with scores missing, after a tailings owned by some of the biggest mining companies in the world bursthttp://www.commondreams.org/news/2015/11/06/ruptured-dams-engulf-brazilian-village-toxic-mine-waste

Translate

Pesquisar no Ambiente Ondas3

Património

O passado do Ambiente Ondas3

Ver aqui.

Amig@s do Ambiente Ondas3

Etiquetas

Arquivo do blogue