terça-feira, 20 de fevereiro de 2024

ALEMANHA: PREÇOS ALTOS DE ENERGIA ESTIMULARAM POUPANÇAS

  • Os elevados custos de energia na Alemanha levaram ao uso frugal de eletricidade e gás em 2023. As famílias alemãs reduziram significativamente o seu consumo, utilizando 5,6% menos gás e 5,1% menos eletricidade do que em 2022. Der Spiegel.
  • A Severn Trent foi multada em mais de £ 2 milhões por poluir o rio Trent, perto de Stoke, com a Agência Ambiental considerando os seus planos de contingência para tempestades de ‘lamentavelmente inadequados’. Enormes quantidades de esgoto bruto foram despejadas no rio pelas estações de tratamento de águas residuais de Strongford, perto de Stoke-on-Trent, Staffordshire, entre novembro de 2019 e fevereiro de 2020. The Guardian.

BICO CALADO

 

  • “(...) Já alguém disse [Pinto Balsemão] que ‘o Marcelo’ é como um escorpião: a travessia do rio tinha sido longa e este acabou por não escapar à sua natureza. (...) Mas qual é afinal a natureza deste nosso escorpião? Para lá de todos os trajes mediáticos que vestiu ao longo da vida, para lá das questões de saúde mental, tantas vezes folclorizadas, Marcelo é um produto das suas origens familiares e ligações políticas de classe, do amigo Ricardo Salgado à CUF, cujo hospital mereceu a primeira visita presidencial, passando pelo sombrio Marco Galinha. (...)”. João Ropdrigues, 'O PROFESSOR MARCELO', O ESCORPIÃO - setenta e quatro.
  • “(...) 'Fazer o que nunca foi feito'? Ó Mariana Mortágua! Que foste tu e o teu partido fazer. Atiçaste as Fúrias! Ainda por cima uma blasfémia em que, com a mudança no tempo verbal, especificamente do pretérito perfeito composto do indicativo para o pretérito perfeito simples do indicativo, alteras o foco temporal da frase, indicas que o Senhor (Pedro Abrunhosa) foi impreciso na temporalidade do acto jamais feito. Tu já viste no que te meteste? Sabes as consequências? Olha, Mariana Mortágua, o filósofo e pedagogo brasileiro Paulo Freire atreveu-se em 1982, num texto sobre política educativa, a usar as exactas palavras que o Pedro Abrunhosa deu ao título da sua música em 2010 ('Fazer o que ainda não foi feito'), e sabes o que lhe aconteceu? Está morto! E desde 1997, uns 13 anos antes da música do Pedro Abrunhosa. Assim, incréus, se alcança o poder do Senhor. (…)” Serafim, Arranhadelas: ‘Abrunhosa, o Senhor da Palavra, e o triste fim de um plagiador’ - P1.
  • Há uma tradição de entrevista muito nossa, muito lusitana. A entrevista-encómio, bajulatória, cujo grau laudatório se mede com um simples engraxómetro. É uma técnica usada sobretudo com entrevistados que têm posições de prestígio ou poder - ou as poderão vir a ter. Pioneiro terá sido um grupo de intelectuais de Lisboa, conhecido também por "sociedade do elogio mútuo". A técnica foi evoluindo ao longo de século e meio, aperfeiçoada em inúmeras publicações, programas radiofónicos e televisivos no tempo da outra senhora. Fez uma transição harmoniosa e tranquila para o século XXI, sem sofrer qualquer efeito nocivo da síndroma vulgarmente designada por 'pensamento crítico'.” Miguel Szymanski.

  • Militares israelitas abatem palestinos a partir do interior de um carro de combate. Via Vanessa Beeley.
  • Centenas de britânicos juntaram-se às Forças de Defesa de Israel, que ocupam ilegalmente terras palestinas e mataram milhares de crianças em Gaza. Agora os advogados perguntam: o seu recrutamento é legal? PHIL MILLER, Declasssified UK.
  • Lula chama ao que se está passando em Gaza de genocídio, e compara a situação diretamente ao momento histórico ‘quando Hitler resolveu matar os judeus’: ‘Não é uma guerra entre soldados contra soldados, mas de um exército contra mulheres e crianças’. Fonte. Israel declara Lula da Silva 'persona non grata' após comparação com o Holocausto.

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2024

FIGUEIRA DA FOZ PROLONGA CONCESSÃO DA ÁGUA

  • A Câmara da Figueira da Foz, liderada por Santana Lopes (PSD), prolongou até 2042 o contrato de concessão da exploração do sistema de distribuição de água e saneamento. A resolução do contrato implicaria um resgate de 20 milhões. O PS absteve-se. Diário de Coimbra, 17fev2024.
  • Em Southend, Essex, Inglaterra, 15 dos 16 tubos de escoamento de esgotos estavam entupidos. Cameron Hill, Echo.
  • As empresas que quiserem fazer declarações como ‘eco’ e ‘verde’ terão de as enviar para verificação prévia antes de as utilizarem ou enfrentarão multas de ‘pelo menos 4% do seu volume de negócios anual’, de acordo com um projeto de lei da UE votado no Parlamento Europeu. Frédéric Simon, EURACTIV.

BICO CALADO

Foto: Robin Morrison/SWNS

  • A Câmara Municipal de Cascais, liderada por Carlos Carreiras (PSD), vai ter de justificar ao Tribunal Administrativo de Sintra os motivos legais para não disponibilizar ao PÁGINA UM os documentos operacionais e contabilísticos de dois contratos por ajuste direto para alimentação a refugiados ucranianos. A intimação foi apresentada depois de meses de recusas por parte do município em esclarecer compras absurdas de bens alimentais e de higiene ao Modelo Continente e a aquisição de serviços de catering à empresa ICA. No primeiro casotrata-se de um ajuste direto no valor de 166.124,88 para a entrega em períodos mensais, durante um ano – a acabar em Junho próximo –, de cerca de uma centena de produtos. O ‘problema’ deste contrato estava sobretudo no facto de as quantidades constantes no caderno de encargos, aos preços unitários então praticados pelos supermercados do Grupo Sonae, deverem totalizar pouco mais de 14 mil euros. Ou seja, o valor dos bens previstos no contrato era mais de 10 vezes superior ao valor de mercado desses produtos, havendo uma diferença de mais de 160 mil euros, se se considerar o IVA. P1.
  • Em entrevista ao DN, Mário Monteiro diz que recebeu envelopes com notas de um empreiteiro e os entregou ao presidente da Câmara quando eram ambos do PSD. Salvador Malheiro nega as acusações e promete avançar com queixa-crime. DN 17fev2024.
  • Mais de 50 países devem participar das audiências da próxima semana no Tribunal Internacional de Justiça com foco na ocupação ilegal de 57 anos da Palestina por Israel, um fórum que segue a conclusão do tribunal de Haia no mês passado de que Israel está “plausivelmente” cometendo genocídio na Gaza ocupada . Brett Wilkins, Common Dreams.
  • Estrume despejado em frente à casa de Nancy Pelosi em São Francisco em protesto contra o seu apoio ao genocídio de Israel sobre Gaza. Fonte.

  • "À semelhança de outras formas de xenofobia, a islamofobia tem funcionado de raiz. Foi cuidadosamente e apaixonadamente promovida através de uma rede bem financiada, aquilo a que o CAIR chamou "rede islamofóbica dos EUA" de organizações e indivíduos que promoveram o preconceito e o ódio contra o Islão e os muçulmanos. Em 2016, o CAIR encontrou setenta e quatro grupos que tinham acesso a pelo menos 205 milhões de dólares. Fundações que financiam causas conservadoras como a Fundação Scaife, a Fundação Carthage e a Fundação Allegheny faziam parte desta rede, doando quase 10,5 milhões de dólares no total a grupos islamofóbicos entre 2001 e 2012. (...) A islamofobia foi cuidadosamente alimentada e difundida na Internet, em comícios e nos media e ajudou a mudar o sentimento público contra os muçulmanos americanos muito depois dos ataques terroristas de 11 de setembro. Os políticos conservadores e os media cúmplices trabalharam em conjunto para oferecer uma dieta constante de desinformação e de notícias distorcidas que eram reproduzidas virtualmente em permanência. Um número crescente de americanos formou receios, apelou à ação e contribuiu para o ciclo contínuo da islamofobia. Entre os mais ativos estavam os líderes de direita da comunidade cristã evangélica, que viam a sua fé em termos de uma guerra religiosa com o Islão e o seu potencial para ameaçar a influência cultural e o domínio tradicional cristão (ou judaico-cristão) nos Estados Unidos.Erika Lee, America for Americans – a history of xenophobia in the United States. Basic Books/Hachette 2021, pp 307-308. Trad: Olima.

domingo, 18 de fevereiro de 2024

GOLEGÃ: AÇUDE NO ALMONDA CONTRA PARECER DA APA

Foto: O Mirante.

  • A Agência Portuguesa do Ambiente rejeitou o projeto do município da Golegã para a construção de um açude sazonal no rio Almonda alegando impactos negativos para a Reserva Natural do Paul do Boquilobo. A autarquia pretende manter o espelho de água para evitar consequências das secas para a biodiversidade, agricultura e desenvolvimento económico da comunidade. O Mirante.
  • A South West Water tentou calar-me por eu processá-los por descargas de esgotos não tratados. Moradores, nadadores e pescadores que alegam que a poluição os impede de aceder a cursos de água estão a ser assediados com a assinatura acordos de confidencialidade. Will Humphries, The Times.
  • Duas organizações ambientais estão a contestar um projeto de relatório estatal sobre a lei de reciclagem “Truth in Labelling” da Califórnia, dizendo que os dados preliminares nele incluídos poderiam permitir às empresas fazer reivindicações de reciclagem de plásticos mais amplas do que a lei de 2021 permite e revelam exportações potencialmente ilegais de resíduos plásticos para o México. James Bruggers, ICN.

BICO CALADO

Foto: Ann Aveyard/Agência de Notícias Animal

  • “A morte de navalny faz o pleno nas capas dos nossos periódicos. Dir-se-ia que ele foi morto para isso mesmo: ser objecto da propaganda ocidental contra a Rússia e V. Putin num momento especial e bem escolhido. (...) Quem foi navalny ? Um agenteda ciada qual recebeu formação para líder oposicionista caceteiro e sargento de manifestações não autorizadas, comandado pelo mi6 nos tempos e formas de ser ‘o símbolo máximo da opressão russa’; um guaidó eslavo que representava menos de 1% dos eleitores do país, tendo alguns seguidores em Moscovo e São Peterburgo. Julgado e condenado por corrupção estava preso e na Sibéria, longe. Estava para todos os efeitos com a sua ação política neutralizada e só o ocidente da nato ainda lhe dava atenção porque um dia iria ter algum préstimo. Como teve.” Oxisdaquestao, a desgraça de navalny foi, talvez, não estar em custóias ouno linhó.
  • Alexei Navalny não deveria estar na prisão. Nem Julian Assange deveria. Nem Imran Khan. E que políticos ocidentais que agora falam de Navalny disseram alguma coisa sobre o assassinato de Gonzalo Lira pela Ucrânia? Ou o assassinato de Abdu Al-Tamimi por Israel? Oponham-se a tudo ou a nada. A hipocrisia fede.” Craig Murray.
  • ‘Encontrei pelo menos 6 prisioneiros com menos de 50 anos que morreram nas prisões do Reino Unido no ano de 2023, antes de me cansar de contar. Mas há muitos mais. Confirmem aqui nesta página.” Tommy Barlow.
  • ‘Fico muito confuso e interrogo-me porque será que a morte de um cidadão russo é mais importante para os EUA do que a morte do cidadão americano Gonzalo Lyra, torturado e assassinado numa prisão ucraniana.’ Raul Luís Cunha.
  • Importações de Porsche, Bentley e Audi dos EUA são suspensas por causa de peça chinesa proibida porque fabricada por mão de obra infantil, titula o insuspeito Financial TimesAs violações do trabalho infantil estão aumentando à medida que alguns estados procuram flexibilizar suas regras, titula o não menos insuspeito NPRQue chatice...
  • Os 679.500 euros em envelopes encontrados nas buscas feitas pela PJ na Madeira, entre outros bens de valor elevado apreendidos na mega-operação conduzida no mês passado, não foram suficientes para o juiz de instrução do processo validar as suspeitas da prática de crimes que lhe foram apresentadas pelos investigadores. Isso mesmo consta do despacho em que o juiz manda libertar os três arguidos detidos, e que desfaz uma a uma as suspeitas do Ministério Público no caso da alegada corrupção na região. Público 197fev2024.

  • "Em meados da década de 1990, o estereótipo dos árabes e dos muçulmanos como terroristas estava tão enraizado na cultura política e popular americana que, quando uma bomba fez explodir o Edifício Federal Murrah na cidade de Oklahoma, matando 168 pessoas e ferindo outras 680 em 19 de abril de 1995, houve uma vaga coletiva para culpar os extremistas islâmicos ou os radicais árabes pelo ataque. Mas o culpado era, de facto, um homem branco e terrorista antigovernamental chamado Timothy McVeigh. No entanto, o Congresso aprovou, e Bill Clinton assinou, a Lei Antiterrorismo e Contra a Pena de Morte Eficaz (AEDPA) em 1996, com disposições que permitiam aos funcionários dos serviços de imigração dos EUA prender, deter e deportar não cidadãos (mas não radicais cristãos brancos como McVeigh) com base em provas secretas, se fossem considerados ameaças à segurança nacional. A AEDPA levou à investigação da atividade política e social dos muçulmanos americanos e à deportação de muçulmanos suspeitos de atividades terroristas. Entretanto, os ataques terroristas no estrangeiro continuaram a influenciar as atitudes dos americanos em relação aos muçulmanos no seu país. Erika Lee, America for Americans – a history of xenophobia in the United States. Basic Books/Hachette 2021, p 299. Trad: Olima.