quinta-feira, 15 de novembro de 2018

Prémio Nacional do Ambiente entregue a Arlindo Marques, o guardião do rio Tejo

  • Arlindo Marques foi distinguido pela Confederação das Associações de Defesa do Ambiente com o Prémio Nacional do Ambiente em reconhecimento pela sua luta em defesa do rio Tejo. O dirigente do Movimento pelo Tejo contou que «foram três anos a lutar, três anos a ir ao rio, três anos a ir aos focos de poluição, a mostrar os peixes mortos, as águas escuras, porque o cheiro não se conseguia mostrar, e a espuma que parecia a espuma da morte». Arlindo Marques sublinhou todo o apoio que teve de pescadores, moradores, trabalhadores das barragens, profissionais das empresas que o alertavam para situações de poluição que estavam a acontecer, e com quem pretende partilhar o prémio. MSN.
  • Os incêndios que deflagraram em Portugal não se deveram à presença do eucalipto, mas sim ao reduzidíssimo nível de gestão da floresta e do excesso de matos e de incultos. O manifesto é subscrito por, entre outros, Celpa, Altri, Navigator, CIP, Fórum para a Competitividade, CAP, algumas  câmaras municipais, professores e antigos governantes, como Bagão Félix, Mira Amaral e Daniel Beça. JNegócios.



França: menos importações de óleo de palma, soja e carne bovina poderão refrear a desflorestação

  • O governo francês estabeleceu planos para combater o problema da desflorestação através da restrição das importações de produtos como óleo de palma, soja e carne bovina. Reuters.
  • Dezenas de ativistas ambientalistas e pescadores montenegrinos fizeram-se às águas no porto de Bar no Adriático para protestar contra a prospeção de petróleo, que, dizem, colocará em risco a vida selvagem e a pesca. Em 2016, o Montenegro aprovou a concessão de exploração marítima de petróleo e gás por 30 anos a um consórcio da italiana Eni e da russa Novatek. A Eni ofereceu 175 mil euros a 127 pescadores, mas eles consideram que isso não cobre a proibição de acederam àquela zona pesqueira. Reuters.
  • Uma alteração introduzida na lei dos parques nacionais de Israel permitirá a implantação de mais colonatos do grupo Elad em Wadi Hilweh, Silwan, na zona ocupada de Jerusalém Oriental, colidindo com uma lei antiga que impedia a construção de habitações naquela zona de parque nacional. Tudo em nome do turismo explorado por privados amigos de Israel, queixam-se os palestinianos. MEM.
  • Na China, as condições de trabalho difíceis, nomeadamente punições por delitos menores, estresse, negação de bónus prometidos e ansiedade sobre a segurança do emprego e a alta rotatividade de pessoal nas fábricas que alimentam a cadeia global de equipamentos eletrónicos, contribuem para o suicídio dos funcionários, admite um estudo do Economic Rights Institute , sedeado em Honk Kong. France24.

Mão pesada

  • A Ablebox Ltd foi multada em mais de 13 mil libras por poluir o rio Yeo, em Yeovil, com resíduos de tinta de impressão. GovUK.
  • Um indivíduo de Solihull foi condenado a cumprir 220 horas de trabalho comunitário por despejo ilegal de resíduos em Smethwic, Birmingham. GovUK.

Bico calado

  • «A cultura de empresa que a CME desenvolveu é de um desrespeito por tudo e todos. Hoje desloquei-me às 11,45h ao EcoCentro de Anta e apesar de no horário fixado referir que o fecho é às 12.00h o mesmo estava fechado. Soube posteriormente que fechava sempre mais cedo porque o funcionário tinha que ir picar o ponto a Silvalde, ou seja no outro lado de Espinho, de manhã e de tarde. A isto podemos chamar uma excelente gestão dos recursos humanos. A rapaziada gosta!!!!!» João Curral.
  • «O Parlamento admite pagar a deputados senhas de presença e ajudas de custo mesmo sabendo comprovadamente que eles faltaram às sessões, mas não admite pagar aos professores a progressão na carreira pelo tempo em que comprovadamente trabalharam. Depois admiram-se por as pessoas, desalentadas e por vezes desesperadas, votarem num fascista qualquer só porque ele promete mudança.» Francisco Bruto da Costa.
  • Na última década, Israel tornou-se um ninho de vigarices financeiras, empregando mais de 10 mil cidadãos, vendendo esquemas de opções binárias fraudulentas, investimentos de cripto moedas e faturando entre 5 e 10 biliões de dólares por ano. As vítimas acabam perdendo imenso dinheiro, e, quando protestam, o «corretor» já desapareceu misteriosamente, alguns deles migrando depois para a Rússia, Ucrânia, Filipinas, Panamá, Polónia, Albânia, Bulgária, Chipre e Sérvia. A envergadura da vigarice é tal que já obrigou o FBI a entrar em Acão. Mas as autoridades israelitas têm-lhe dado música através de um esquema burocrático muito sofisticado, conta o Times of Israel. Tem acontecido o mesmo com as tentativas levadas a cabo pelas autoridades francês no intuito de recuperar o dinheiro perdido por 3 mil franceses que caíram no logro. Mais pormenores aqui

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Lembram-se do Prestige, há 16 anos?


Para relembrar o filme da tragédia, o Ambiente Ondas3 sugere a consulta dos textos publicados em 4 de janeiro de 2006, 11 de dezembro, 13 de novembro de 2007 e 9 de junho de 2010. Posteriormente, em 12 de outubro de 2012, o Ambiente Ondas3 referia, citando os Ecologistas en Acción e o Público, que, «dez anos após o naufrágio do petroleiro que pintou de negro as costas da Galiza, das Astúrias, da Cantábria e do País Basco, não há protocolo nenhum a seguir em caso de situação semelhante», e que «nem Nem Mariano Rajoy, nem Miguel Arias Cañete, nem José María Aznar nem Francisco Álvarez-Cascos foram responsabilizados e penalizados (…) Os políticos não sofreram nenhuma penalização política pela sua incompetência e nem sequer se criou uma comissão parlamentar para investigar a gestão da catástrofe». Recentemente, em 28 de janeiro de 2016, o Ondas3 registava que o Supremo Tribunal espanhol condenou o capitão do Prestige a 2 anos de prisão e o proprietário e a seguradora britânica do petroleiro (London P&I Club) a pagar indemnizações calculadas em 920 milhões de euros. O naufrágio do Prestige ocorreu em novembro de 2002, tendo provocado uma enorme maré negra que contaminou cerca de 3 mil quilómetros das costas da Galiza e de Portugal. A Greenpeace considera que o capitão do Prestige foi usado como bode expiatório para encobrir figuras de proa com enorme responsabilidade no evoluir dos acontecimentos que descambaram em catástrofe, nomeadamente o ex primeiro-ministro espanhol Mariano Rajoy (PP). Na altura, como vice-primeiro ministro de José María Aznar, ordenou que o navio se afastasse da costa em vez de desencadear uma operação de emergência exigindo que fosse rebocado para dentro de um porto onde o ´crude pudesse ser confinado. Pior: menosprezou a gravidade do desastre, inclusive repetindo que as manchas negras que se viam junto do navio que se afundava não passavam de pequenos fios de barro.

Em Malta, a Oposição exigiu a demissão do ministro do turismo e do principal assessor do primeiro-ministro na sequência de uma investigação da Reuters e do Times of Malta ter revelado que receberam dinheiro da offshore 17 Black, sediada no Dubai, via Panamá. O ministro do Turismo, Konrad Mizzi, era o ministro responsável pela energia na época em que um grande contrato de uma central de energia foi adjudicado pelo governo a outra empresa, um de cujos diretores possuía secretamente a 17 Black. EURactiv.

Bico calado

  • Os EUA também celebraram o Armistício. Na sua terra e à sua maneira. E aproveitaram para medalhar um dos 4 (Blair, Barroso, Bush e Aznar) por muitos considerados criminosos de guerra por terem cozinhado a invasão do Iraque sabendo que a existência de armas de destruição massiva era uma enorme treta. Ao agradecer a medalha, Bush discursou e quase declarava que McCain era um criminoso de guerra. Caitlin Johnstone assistiu a toda a cena e descreve pormenores que os media de reverência omitem, como uma enorme manifestação no exterior da tenda onde a cerimónia decorreu, a projeção de imagem de caras de responsáveis norte-americanos considerados criminosos da guerra do Iraque e muito mais.
  • A Comissão Europeia acusou o Grão-Ducado do Luxemburgo de não ter implementado completamente as regras de combate ao branqueamento de capitais previstas pela quarta directiva. Este impasse levou a Comissão a remeter o Luxemburgo para o Tribunal de Justiça da UE, em 8 de novembro de 2018, por apenas transpor parcialmente estas regras. EURactiv.
  • As vendas de armas europeias à coligação liderada pela Arábia Saudita somam mais de 55 vezes o valor dado em ajudas ao Iémen, denuncia um relatório do Middle East Eye.
  • Um tribunal egípcio retomou o julgamento do futebolista Mohamed Aboutrika, acusado de evasão fiscal no valor de cerca de 40 mil dólares. MEM.
  • O Brexit mostra que os idiotas e os incompetentes é que comandam o Reino Unido – título de artigo de Chris Johns no The Irish Times.
  • A CNN acaba de processar Trump por ter violado a Primeira Emenda da Constituição ao retirar as credenciais ao seu jornalista Jim Acosta. Common Dreams.
  • O custo do TGV entre Los Angeles e San Francisco voltou a sofrer nova inflação. O orçamento original de 33 biliões atinge agora 77 biliões de dólares. Mother Jones.

terça-feira, 13 de novembro de 2018

Ecologistas, Plataforma Ibérica de Estradas Públicas e Podemos querem vias públicas e trilhas de gado protegidas em todas a Europa

Começou a grande migração do caranguejo vermelho na Christmas Island.
  • Quinta parte da série de reportagens "Lajes Confidencial", que aborda o legado da presença norte-americana nas Lajes, incluindo o nuclear. TVI24.
  • O Reino Unido tem suficientes reservas de petróleo e gás para sustentar a produção por mais 20 anos, garante a reguladora britânica Oil and Gas Authority. JE do Mar.
  • Eurodeputados de países onde há um número significativo de empregos na indústria automóvel foram menos propensos a apoiar medidas climáticas mais fortes do que aqueles onde os empregos em automóveis são menos importantes, confirma a European Data Journalism Network com base em dados recolhidos pela Votewatch. EURobserver.
  • Uma delegação composta por representantes dos Ecologistas en Acción, da Plataforma Ibérica de Estradas Públicas e do Podemos deslocaram-se ao Parlamento Europeu para pedir a aprovação de um regulamento europeu que proteja e mantenha as vias públicas e as trilhas de gado não só em Andaluzia como em todos os países membros, uma vez que o governo espanhol pouco ou nada tem feito nesse sentido.
  • As ameaças à democracia no Brasil pelo governo de Bolsonaro, que põem em risco também compromissos assumidos pela proteção da biodiversidade, das florestas, dos territórios indígenas e tradicionais no Brasil, vão ser denunciadas na Conferência das Nações Unidas sobre Biodiversidade (COP14) que decorre no Egito entre 13 e 29 de novembro. Brasil 247.
  • O tribunal de Brisbane, na província de Queensland, Austrália, acusou uma supervisora agrícola de contaminar morangos com agulhas, o que provou pânico generalizado e alegadas falências. Reuters.

Bico calado

  • «Steve Bannon, ex-banqueiro do Goldman Sachs, organizador e ideólogo da campanha para eleger Donald Trump, vai dirigir a partir de Bruxelas a campanha dos partidos de extrema-direita na União Europeia para as eleições do Parlamento Europeu a realizar no próximo ano.» Pilar Camacho, in O Lado Oculto.
  • O líder trabalhista britânico Jeremy Corbyn é criticado por ter levado ao peito um alfinete pequeno para uma cerimónia sobre paz. Mas ninguém diz nada sobre o criminoso de guerra que, por trás dele, na fotografia, enviou largas dezenas de soldados britânicos para uma morte prematura depois da invasão ilegal do Iraque.
  • O partido da alternativa de extrema-direita da Alemanha, Alice Weidel, está sob pressão para se demitir após os media alemães terem revelado que aceitou 130 mil euros de uma empresa farmacêutica suíça para a sua campanha eleitoral. A Alemanha só permite o financiamento de partidos políticos de cidadãos alemães no estrangeiro e o governo tem de ser informado sobre doações superiores a 50 mil euros de um único doador. EUObserver.
  • «Tanto o juiz Fernando Andreu como o chefe do Gabinete do Procurador do Tribunal Nacional estavam cientes no momento da prisão do franquista que tinha um arsenal e planeava matar Pedro Sánchez, [primeiro-ministro de Espanha] mas decidiram não investigar o caso. Um mês e meio depois, quando o 'Público' revelou a notícia em exclusivo, a Corte negou saber, mas acabou se retratando 24 horas depois, porque a falta de conhecimento era um escândalo ainda maior do que ter sido inibido.» 
  • «O paradoxo brasileiro: Elegeram um fascista de verdade, pensando ser mentira, por medo de um comunismo de mentira, acreditando ser verdade.» Carta Maior.
  • «O fósforo branco é uma substância que se inflama espontaneamente em contacto com o ar, criando uma densa nuvem de fumo e temperaturas da ordem dos 800 graus Celsius. Os efeitos não podem ser combatidos com água. Os seres humanos que sejam atingidos podem sofrer queimaduras extremas e ferimentos graves nos órgãos internos se a substância for absorvida pela pele, ingerida ou inalada. (…) As munições de fósforo branco não são consideradas armas químicas, mas sim incendiárias e, como tal, igualmente proibidas pelo Protocolo III relacionado com algumas armas convencionais e cuja utilização contra civis já era vedada pelas Convenções de Viena. (…) Oficialmente, o Pentágono nega a utilização de fósforo branco. Porém, foi forçado a admiti-lo perante a evidência dos bombardeamentos contra a cidade iraquiana de Fallujah, em 2004. E o jornal Washington Post publicou fotografias de fuzileiros navais dos Estados Unidos equipados com projécteis de fósforo branco na chamada “batalha de Raqqa”. O leque de imagens divulgadas provou também o recurso a esse tipo de munições em operações militares norte-americanas fora do Iraque e da Síria.» Edward Barnes, in O Lado Oculto.

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Portugal com dificuldade para cumprir metas de recolha seletiva de materiais recicláveis

  • Portugal não está a conseguir aumentar o lixo reciclado ou diminuir aquele que vai para aterro, estando muito longe da meta europeia para 2020 (50%). A recolha seletiva de materiais recicláveis ainda não é eficaz, alerta a Comissão Europeia. Os incentivos económicos de apoio à reciclagem são insuficientes e os regimes de responsabilidade alargada do produtor não cobrem integralmente os custos da recolha seletiva. A Comissão Europeia sugere várias medidas, nomeadamente mais apoios aos municípios, a revisão das taxas pagas pelos sistemas de resíduos que não cumprem os objetivos e o reforço das campanhas de sensibilização com mensagens claras e coerentes. TSF.
  • Um consumidor da Califórnia processou a Quaker Oats por não divulgar que 17 dos seus produtos contêm o herbicida mais usado no mundo, o glifosato. Sustainable Pulse.
  • Um júri federal do Tennessee decidiu a favor dos operários após uma operação de limpeza de cinzas de carvão ter provocado a morte de 30 mortos e 250 gravemente doentes. NPR.
  • A mineração de ouro em pequena escala destruiu mais de 170.000 acres de floresta primária na Amazónia peruana nos últimos cinco anos, diz uma nova análise feita por cientistas do Centro de Innovación Científica Amazónica da Wake Forest UNiversity. Terra Daily.

Reflexão – Defender a floresta tropical é ser político, radical e extremista?


Um vídeo clip de animação foi proibido pelas autoridades alegando que violava regras de publicidade, nomeadamente porque tinha objetivos políticos.
O vídeo estava incluído na campanha natalícia e mostrava um pequeno orangotango no quarto de uma criança e relacionava-o com a destruição do seu habitat às mãos da indústria do óleo de palma.

Para os patrões da publicidade, promover produtos que contêm óleo de palma não é ser político, mas denunciar os problemas do óleo de palma já é ser político. Para os reis da publicidade, neutralidade política significa estar do lado do status quo. Por isso, somos politicamente neutros se destruirmos ou ajudarmos a destruir o planeta, os ecossistemas, a vida das pessoas e dos animais, mas se desafiarmos ou denunciarmos os interesses que movem essa destruição já somos radicais ou extremistas. É triste e lamentável constatar que não são só os patrões da publicidade que pensam assim. Quase todos os media fazem o mesmo.

Bico calado

  • Doze pessoas morreram na sequência de fortes chuvas e inundações em algumas zonas da Jordânia. Ainda recentemente, 21 pessoas - a maioria crianças em idade escolar numa excursão ao Mar Morto – morreram pelas mesmas causas. Reuters. A latitude e a longitude deste país colocam-no fora da mira dos nossos media e, por isso, é notícia que não é repetida hora a hora durante dias seguidos.
  • «(…) O primeiro e mais grave processo de dissolução da democracia por parte destes ditadores com votos é essencialmente a apropriação do poder judicial, o ataque à sua independência, não só para garantirem a sua imunidade, como para o usar contra os seus adversários. O que Bolsonaro está a fazer, dando o poder político da Justiça a um juiz envolvido no processo de corrupção dos seus adversários, lança uma luz sinistra sobre esse processo, tanto mais que a sanha justiceira foi selectiva. Não tenho muitas dúvidas sobre a corrupção no PT, mas também não tenho nenhuma dúvida que a perseguição a essa corrupção foi politicamente motivada. A uma corrupção soma-se outra. O mesmo acontece com Trump, cujas medidas mais gravosas estão na moldagem de todo o sistema judicial nacional e federal, assim como nas polícias e serviços de segurança, no seu poder, através de escolhas de homens e mulheres sem carreira ou currículo, sem perfil moral mínimo para cargos vitalícios, pelo critério da lealdade pessoal ao Presidente. Destruindo todas as instituições de mediação e de contrapoder, o poder torna-se autoritário e quem o ocupa um autocrata. (…)» José Pacheco Pereira, in Os ditadores com votos mas sem lei – Público 10nov2018, via A estátua de sal.
  • Luís Carito, ex-vice-presidente da Câmara de Portimão, acusado por engolir folha A4 durante buscas à sua residência em Ferragudo, conta o Correio da Manha.

sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Sudão: jovens recolhem lixo na capital em protesto contra a guerra civil

  • A Navigator vai aumentar a capacidade de produção em 12% e reduzir em 17% o consumo de energia necessário para produzir uma tonelada de pasta de papel da fábrica na Figueira da Foz, na sequência de um empréstimo de 40 milhões de euros concedido pelo Banco Europeu de Investimento. Sapo24. Boa notícia. Bom texto de marketing e greenwahing. Os empreendedores do eucalipto agradecem. 
  • As chuvas torrenciais que se fustigaram a província de Caslellón nos passados dias 19 e 20 de outubro revelam uma imagem dantesca da pegada humana na região, denunciam os Ecologistas en Acción. Para além das construções em sítios indevidos como a proximidade de linhas de água, os rios e ribeiras funcionam como autênticos esgotos de resíduos que são transportados para as praias e para o mar, sendo o plástico o principal protagonista
  • A Comissão Europeia (CE) emitiu um ultimato à Espanha por causa da existência no país de aterros ilegais, algo que viola a legislação europeia sobre resíduos e advertiu que, se não corrigir a situação, poderia levar o país perante o Tribunal de Justiça da União Europeia. A CE avisou ainda a Espanha e a Itália para que cumpram a legislação europeia de combate à contaminação da água por nitratos. A CE acusa ambos os países de «proteção insuficiente das suas águas» contra essa contaminação causada por nitratos provenientes de fontes agrárias, ao não adaptar a diretiva europeia aplicável. EFEVerde.
  • Jovens do sul do Sudão têm-se reunido todos os meses para limpar a capital do país, Juba. O movimento ambientalista é um protesto criativo contra a guerra civil e une as pessoas das tribos beligerantes. DW.

Mão pesada

A Carnival Australia foi multada em 2,1 milhões de dólares pelo derrame de 28 mil litros de restos de comida líquida nas águas protegidas da Grande Barreira de Corais. A Autoridade de Segurança Marítima australiana deteve o navio de cruzeiro Pacific Explorer na rota de regresso a Sydney no início de setembro até pagar a multa. The Guardian.

Bico calado

  • José Silvano, deputado e secretário-geral do PSD, faltou a duas reuniões no Parlamento mas alguém usou a sua senha para registar a sua presença. Uma das reuniões era sobre Transparência. Questionado sobre este problema, Rui Rio deu música ao repórter do CM em alemão. Parece que, em língua portuguesa, já não tem mais nada para dizer. Refira-se que Silvano é Comendador da Ordem de Mérito, título atribuído pelo presidente da República Cavaco Silva. Premonitoriamente, João Quadros já escrevera o seguinte, no Jornal de Negócios de 23mar2018, o seguinte: «O meu único receio é o facto de José Silvano ter sido condecorado por Cavaco Silva, e nós sabemos como acabaram a maioria das pessoas que foram condecoradas pelo velho Aníbal.» 
  • «Não é preciso conhecer a fundo o pensamento de Rui Rio para se perceber que ele não expressa com precisão o que pensa quando resume o caso que envolve o seu secretário-geral, José Silvano, a uma banal “questiúncula”. O Rui Rio presidente da Câmara do Porto olharia o comportamento de Silvano como mais um sinal de decadência da política partidária. O Rui Rio que existiu fora dos altos cargos partidários invocaria logo a mais alta exigência ética de quem representa os cidadãos para desancar o deputado que fez o registo na plataforma electrónica do Parlamento e depois se evaporou. O Rui Rio que se fez eleger para o cargo de presidente do PSD prometendo um “banho de ética” condenaria qualquer deputado que desse um salto a correr ao Parlamento para sair logo após com o desgastado pretexto do “trabalho político” em que tudo cabe. Rui Rio diz que o que se passou não é bonito, mas, na sua nova visão da política, a latitude da exigência ética passou do rigor extremo a uma misteriosa complacência. Convém perguntar porquê. (…) ao manter por exclusivas razões de sobrevivência política uma tolerância para com comportamentos que envergonham a política e arrasam a credibilidade do Parlamento, Rui Rio afunda o PSD e acaba por destruir o capital político que acumulou nos últimos anos: o de um homem de valores inflexíveis, movido exclusivamente por princípios. A política de casos sucessivos tem o condão de lavar mais branco e é provável que daqui a um mês ou dois já ninguém se lembre da desfaçatez (para ser simpático) de José Silvano. Mas este episódio serve para reforçar a ideia de que o discurso moralista que Rui Rio usou na prática política, tantas vezes reforçado com farpas contra os magistrados ou os jornalistas, começa a soar a falso. (…)» Manuel Carvalho, in Público 8nov2018.
  • «Em Lisboa, brasileiros em amena cavaqueira encostados ao balcão do café a falarem com orgulho de Salazar. Diziam que no tempo dele existia ordem e respeito. Respeito há agora, porque, tanto eu como o empregado do café, não os mandamos à merda.» Pedro Tomás, Twitter.

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Austrália: estudantes preparam greve às aulas em protesto contra a inércia do governo perante as alterações climáticas

  • A Docapesca já começou a dragagem de manutenção de fundos do rio Gilão, em Tavira. «Os trabalhos visam recuperar as cotas mínimas de serviço imprescindíveis à operacionalidade de estacionamento e descarga do pescado em lota, sendo também essenciais para o Projecto de Reordenamento das Embarcações no Rio Gilão, que inclui a implantação de plataformas de acostagem ao longo da margem direita do rio, entre o Mercado da Ribeira e a Ponte dos Descobrimentos», esclarece a empresa. Tais «estruturas incluem cinco cais para o desembarque do pescado, para operação das empresas marítimo-turísticas, para o embarque para a ilha de Tavira, para embarcações de pesca profissional e para abastecimento de combustível». JE do Mar. As areias recolhidas serão lançadas no alto mar ou serão aproveitadas para recarregar praias vizinhas?
  • Muitas barragens grandes construídas na Europa e nos EUA foram desastrosos para o Ambiente e, por isso, dezenas delas estão a ser removidas todos os anos, sendo muitas consideradas perigosas e antieconómicas, conclui um estudo coordenado por Emilio Moran, da Michigan State University. Mais de 90% das barragens construídas desde 1930 revelaram-se mais caras do que o previsto. Pior: destruíram a ecologia dos rios, deslocaram milhões de pessoas e estimularam as alterações climáticas liberando gases de efeito estufa a partir da decomposição de solos e florestas. Os investigadores receiam que a natureza insustentável desses projetos não tenha sido reconhecida nos países em vias de desenvolvimento. 
  • Na Austrália, centenas de estudantes preparam uma greve às aulas por causa do que dizem ser um fracasso dos políticos em admitir as alterações climáticas como uma emergência. Dizem-se inspirados por Greta Thunberg, uma estudante sueca de 15 anos, que tem estado à entrada do parlamento no centro de Estocolmo para chamar a atenção paraas preocupações das gerações mais jovens sobre a crise climática global e o fracasso dos países em tomarem medidas urgentes. The Guardian.

Memórias curtas

  • 8nov2018 - Milhares de peixes apareceram mortos junto à Central de Velada, no Rio Tejo, no concelho de Nisa.
  • 8nov2015 - Voluntários recolheram resíduos de plástico de uma ribeira junto à praia do Almoxarife, no Faial, Açores
  • 8nov2011 - Ministério do Ambiente vai dispensar 164 dirigentes e eliminar 32 das 62 entidades à sua responsabilidade.
  • 8nov2009 - Esgotos correm a céu aberto em Espinheira apesar da conclusão das obras da rede de esgotos.

Bico calado

  • «Em maio de 2017, nas Conferências do Estoril organizadas pela Câmara Municipal de Cascais, havia um painel muito interessante que juntava Baltazar Garzon, António di Pietro, Sérgio Moro e Carlos Alexandre. Quatro magistrados que se distinguiam nos seus países (Espanha, Itália, Brasil e Portugal) pela condução de processos anticorrupção. Os conferencistas foram apresentados (e seguidos!) como pop stars, homens predestinados a pôr em causa o flagelo da corrupção que mina(va) os regimes democráticos dos seus países. Nessa altura já se sabia que Garzón e Di Pietro tinham deixado a magistratura e enveredado pelo exercício de cargos políticos. O que não me parece positivo. O que não se sabia (embora alguns já previssem...) era que, passados 17 meses, Moro viria a ser convidado para "superministro" do fascista Bolsonaro. Com uma diferença muito grande relativamente a Garzón e Di Pietro: Moro é ministro de um presidente que ajudou a eleger quando impediu Lula de se candidatar (sabendo-se que era aquele que recolhia, nas sondagens, mais intenções de voto). E passa a ministro antes mesmo de ver a condenação (ou a absolvição) definitiva de Lula. Ou seja, deixa o trabalho a meio (ou será que o completou, porque o seu único objetivo era eliminar Lula destas presidenciais?). Como disse Moro, há um ano, à revista "Veja": "Não seria adequado da minha parte postular qualquer espécie de cargo político porque isso poderia colocar em dúvida a integridade do trabalho que eu fiz até ao momento". Pois eu já não tenho qualquer dúvida de que "integridade" não rima com Moro... E, já agora, desejo sinceramente que Carlos Alexandre não siga este caminho, porque esta descredibilização da justiça corrói tanto a democracia como a corrupção.» Rui Sá, in O FarsanteJN 5nov2018.
  • «(…) Independentemente de estar Obama ou Trump na Casa Branca vigora em Washington a expetativa de um inevitável confronto entre os Estados Unidos e a China pela primazia económica a nível mundial. Ora, para enfraquecer os possíveis apoios do outro campo, a CIA esteve ativa no sucesso do Brexit, trabalha para que a União Europeia falhe como projeto político e económico e sabota a convergência criada entre os BRICS. Daí o sucedido nas eleições brasileiras com amplo recurso a fake news. Quem pense ser esta uma perspetiva exagerada do que ocorre nesta altura não deve esquecer o que Snowden denunciou e que irritou tão violentamente o anterior ocupante do Salão Oval. Na perspetiva dos norte-americanos a parte sul do continente terá de ser recuperada como seu quintal das traseiras, não se repetindo a distração dos primeiros anos deste século com a guerra no Iraque, que possibilitou a formação de governos progressistas na Argentina, na Venezuela, no Brasil, na Bolívia, no Equador e no Chile. E não se pense que as agências secretas ao serviço dessa agenda imperialista se intimidem com os meios: basta pensar como Dominique Strauss-Kahn foi apanhado no caso da camareira um mês depois de, enquanto líder do FMI, propor a substituição do dólar por uma cesta de moedas nos negócios mundiais. Ou como Saddam Hussein ou Kadhafi acabaram depois de proporem a transação de petróleo, respetivamente, com euros ou com uma moeda africana semelhante à europeia. Estejam em causa os interesses dos que querem continuar a manter a sua primazia como superpotência dominante e não há escrúpulos quanto aos recursos a investir. É por tudo isto que o professor de Coimbra [Boaventura Sousa Santos] conclui a entrevista com a indicação do rumo a tomar para que o projeto imperialista falhe rotundamente: “A distinção entre esquerda e direita nunca foi tão importante. A esquerda muitas vezes apaixona, mas deixa passar oportunidades de ser outra alternativa de vida. A esquerda não pode ter vergonha de defender o Estado, obviamente democrático e não corrupto. Quem mais vai precisar de saúde pública, de mais educação, não serão as classes médias altas, mas sim aquelas que ganham o salário mínimo. É preciso ter a coragem de aumentar os impostos dos mais ricos. Prejudica o investimento, dizia-se em Portugal. Não foi assim, pelo contrário, aumentou. Há muitas mentiras econômicas. Os maiores mentirosos deste século ganharam os prêmios Nobel de Economia.”» Jorge Rocha, in Ventos Semeados.
  • O grupo da campanha Brexit Leave.EU e a companhia de seguros Eldon Insurance/GoSkippy, propriedade da Arron Banks, enfrentam multas no total de 135 mil libras por violação de leis de dados. The Guardian.
  • A Igreja Católica de Guam vai declarar a falência, uma medida que permitirá que a arquidiocese evite o julgamento em dezenas de processos que acusam vários padres de alegado abuso sexual de crianças. AP.
  • Edward Snowden afirmou que o Pegasus, software de vigilância produzido pela israelita NSO Group Technologies, foi usado para espiar não só grupos de jornalistas no México mas também o jornalista saudita Jamal Khashoggi, assassinado o mês passado no consulado saudita em Istambul. JPost.
  • Grupos pró-israelitas terão inventado difamações, incluindo falsas acusações de agressão sexual, para desacreditar professores e estudantes em universidades americanas que apoiam direitos iguais para os palestinianos, denuncia o terceiro episódio do documentário The Lobby, produzido pela Al Jazeera.

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

China: hotel ocupa antiga mina a sudoeste de Shanghai

  • A empresa de fraturação hidráulica Cuadrilla violou, em 2017, legislação ambiental 7 vezes em 10 meses. DesmogUK.
  • «O Partido Republicano é uma grande ameaça não apenas para o país, mas também para a sobrevivência humana. Eu disse no passado que acho que eles são a organização mais perigosa na história da humanidade, só na questão das alterações climáticas.» Noam Chomsky, Twitter.
  • O Intercontinental Shanghai Wonderland é um hotel de 336 quartos implantado numa antiga mina a sudoeste de Shanghai. Forbes.

Memórias curtas

  • 7nov2011 - A Quercus alerta para o elevado custo de requalificar a faixa costeira portuguesa, onde mais de dois terços correm risco de erosão, considerando que em alguns casos é preferível retirar as populações ameaçadas; ativistas da Quercus acorrentaram-se a portões da barragem de Foz Tua, em Alijó, em protesto contra a construção deste empreendimento que dizem ir afundar o Douro, Património Mundial da Humanidade.
  • 7nov2010 - Universidade de Aveiro vai ter laboratório de eficiência energética patrocinado pela Galp.
  • 7nov2009 - A Inspecção-Geral do Ambiente autuou 100 empresas de transporte resíduos de construção por descargas ilegais, descarga em sítios não adequados, falta de acondicionamento adequado e falta de registo das empresas na Agência Portuguesa do Ambiente.
  • 7nov2007 - O Concelho de Lagos é a primeira zona livre de cultivo de milho transgénico na União Europeia. Assim o garante o Despacho nº 25306 do Director Regional de Agricultura e Pescas do Algarve publicado no Diário da República
  • 7nov2006 - A praia do Furadouro, em Ovar, está em primeiro lugar do "ranking" nacional das orlas costeiras em maior perigo de erosão, diz Fátima Alves, do Centro de Estudos Ambientais e do Mar, da Universidade de Aveiro

Bico calado

  • A Base das Lajes albergou pelo menos 32 bombas atómicas durante grande parte da Guerra Fria, diz uma reportagem da TVI24. A quarta parte da série de reportagens Lajes Confidencial mostra ainda que a base na Ilha Terceira teve um papel importante nos planos norte-americanos para uma guerra nuclear. TVI24.
  • O deputado José Silvano, faltou na tarde de 18 de outubro aos trabalhos da Assembleia da República por estar no distrito de Vila Real ao lado de Rui Rio, cumprindo um programa de reuniões que teve início às 15.30. Porém, alguém registou a sua presença naquela sessão plenárias da Assembleia da República. JN.
  • Ex-membros de grupos militantes apoiados pelos EUA estão a aderir ao movimento libanês Hezbollah, operando na Síria, escreveu o Wall Street Journal em 1 de novembro. Cerca de 2.000 combatentes juntaram-se às forças e começaram a receber salários. O WSJ afirmou que isso de devia a terem perdido o financiamento dos EUA. No entanto, a razão apontada por especialistas locais é que a estratégia dos EUA na Síria perdeu crédito, mesmo aos olhos de alguns de seus próprios representantes. South Front.
  • Em janeiro de 2017, o Dr. David Kattenburg, de Winnipeg, Canadá, apresentou uma queixa à Agência Canadiana de Inspeção de Alimentos (CFIA) sobre dois vinhos produzidos nos colonatos ilegais de Israel. Esses vinhos são vendidos no Canadá com rótulos que os proclamam falsamente como “Produto de Israel”. Como tal, eles violam a lei canadiana, incluindo a seção 5 da Food and Drugs Act e a seção 7 da Lei de Embalagem e Rotulagem do Consumidor. O Dr. Kattenburg, que é judeu e filho de sobreviventes do Holocausto, lembrou à CFIA que o próprio governo canadiana considera que os colonatos de Israel estão em território palestiniano ocupado, uma violação da Quarta Convenção de Genebra. O Canadá não reconhece o controlo permanente de Israel sobre os territórios ocupados em 1967 (os Montes Golã, a Cisjordânia, Jerusalém Oriental e Faixa de Gaza). Global Research.
  • Celebridades de Hollywood como Ashton Kutcher, Pharrell Williams, Gerard Butler e Katharine McPhee arrecadaram 60 milhões de dólares para os militares israelitas na gala anual do Friends of the Israel Defense Forces (FIDF). MEM.
  • Investiga-se se os bancos belgas pagaram juros e dividendos sobre contas congeladas por ordem da ONU em 2011, após a queda do líder líbio Muammar Gaddafi. RT.