Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

terça-feira, 15 de outubro de 2019

Porto: vizinhos querem jardim em vez de centro comercial

  • Vizinhos da Rotunda da Boavista e da Casa da Música, e outros cidadãos, pedem ao presidente da Câmara Municipal do Porto que não seja licenciado mais um centro comercial (na zona onde já existem vários e onde há pouco tempo foi aberto um outro) nos terrenos da antiga estação ferroviária (Av. França/5 de outubro). Em vez disso propõem a instalação no local de um jardim de proximidade. Assine a petição.
  • A Comissão Europeia instou Portugal a corrigir erros na legislação adotada para transpor a Diretiva Avaliação de Impacto Ambiental e para informar a CE sobre a aplicação das diretivas relativas aos resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos, a pilhas e acumuladores e respetivos resíduos, aos veículos em fim de vida e às embalagens e aos resíduos de embalagens, bem como o Regulamento relativo ao transporte de resíduos.
Share:

Reino Unido: protestos climáticos prosseguem em várias frentes

  • Ativistas da Greenpeace, provenientes da Holanda, Alemanha e Dinamarca, protestaram em duas plataformas da Shell, a cerca de 115 milhas a nordeste de Shetland, exigindo à petrolífera que limpe a contaminação que provoca. A ação aconteceu após um acordo subscrito por 15 países, em Ospar, para proteger o meio marinho da Europa, e que vai ser ratificado em Londres esta sexta-feira. Energy Voice.
  • Empresas e indústrias que não estão a caminhar para a emissão de carbono zero serão punidas pelos investidores e irão falir, alertou o governador do Banco da Inglaterra em entrevista ao The Guardian. Mark Carney diz ainda que é possível que a transição global necessária para enfrentar a crise climática possa resultar num colapso colapso financeiro abrupto. Considera que quanto mais as ações para reverter as emissões forem adiadas, mais o risco de colapso aumentará.
  • Banco Europeu de Investimento vai emprestar € 12,5 milhões à VIPA para promover e financiar uma ampla gama de projetos de modernização da eficiência energética na Lituânia. Os investimentos vão concentrar-se na instalação de painéis solares em residências particulares, na renovação de edifícios com vários apartamentos e no investimento em eficiência energética em empresas industriais, especialmente em iluminação eficiente.
  • O governo da Terra Nova suspendeu todas as licenças de exploração de aquaculturas de salmão na sequência do aparecimento de 5 mil toneladas de peixe morto, alegadamente por carência de oxigênio devido à subida da temperatura da água do mar. The Canadian Press/National Observer.

  • Um incêndio esteve ativo durante mais de três semanas ao lado de um lago de água doce em Vaca Muerta, Argentina, um dos maiores depósitos de petróleo e gás de xisto do mundo e lar do povo indígena mapuche. Em colaboração com a Forensic Architecture, este vídeo analisa a alegação da comunidade mapuche local de que a indústria de petróleo e gás danificou irreversivelmente a ancestral sua terra natal e, com ela, os seus modos de vida tradicionais. Via The Guardian.
  • Os grandes cortes de energia na Califórnia mostram que a crise climática está a afetar todos, mesmo os ricos, escreve Michael J. Coren, na Quartz.
  • A Califórnia proibiu fumar em todas as suas praias e parques. O objetivo é reduzir os resíduos, a poluição marinha e o risco de incêndio. Com início em janeiro de 2020, a violação deste lei implica multas de 25 dólares. The Mercury News.
Share:

Mão pesada

A Eslováquia foi multada em 1 milhão de euros por incumprimento de regras de deposição de resíduos em aterros.
Share:

Bico calado

  • «Isabel dos Santos endivida-se muito porque, ao liquidar as dívidas, “lava” que se farta! E os bancos querem ser ressarcidos, (…) não querem saber a origem do dinheiro.» Ana Gomes, a propósito deste artigo do Jornal de Negócios.
  • «Carlos Moedas foi o mais poderoso Secretário de Estado de Passos Coelho. Foi Moedas o responsável pela coordenação do programa da Troika, no âmbito do qual interveio na privatização, em saldo, dos CTT. Os novos donos dos CTT nomearam administradora dos CTT Céline Abecassis, a mulher de Carlos Moedas. Um casamento Via CTTPaulo de Morais.
Share:

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Centenas de cientistas apoiam desobediência civil pelo Clima

  • Mais de 300 cientistas de pelo menos 20 países apoiam uma campanha de desobediência civil destinada a forçar os governos a tomarem medidas rápidas para combater a crise climática, alertando que o fracasso pode infligir sofrimento humano incalculável. Reuters.
  • Há coordenadores do movimento Extinction Rebellion a receber 400 libras por semana para enquadrarem as ações populares registadas no Reino Unido nos últimos tempos, revela o Daily Mail. Ora bem, e quem é que paga a Polícia belga para tratar os manifestantes climáticos da maneira como os tratou?
Share:

Reflexão – O preço do plástico reciclado está a subir


Durante anos, o custo de fabricar produtos plásticos a partir de flocos reciclados foi mais barato do que depender de plásticos virgens feitos a partir de combustíveis fósseis, o que significa que a opção sustentável também era uma opção económica.
Mas agora, um relatório da S&P Global Platts, especialista no mercado de commodities, conclui  que a tonelada do plástico reciclado é mais cara 72 dólares do que a do plástico virgem.
Segundo os analistas, essa tendência é impulsionada em parte pela exigência da inclusão de plásticos reciclados em novos produtos. Entretanto, o plástico virgem está a ficar mais barato de fabricar devido ao boom da produção de petroquímicos a partir do gás de xisto nos EUA.
Por isso, há fabricantes que poderão abandonar o plástico reciclado para manter baixo o preço dos seus produtos.
Isto representa um duro golpe nas estratégias estabelecidas recentemente no sentido de reduzir a utilização única do plástico. 
Share:

Bico calado

  • Em 10 de outubro de 2019, a Secretário de Educação dos EUA, a milionária Betsy DeVos, apresentou um plano antissocial para incentivar ainda mais os ricos a estabelecer mais escolas charter para encher os seus bolsos às custas dos jovens. DeVos promove ativamente esquemas de privatização de escolas há décadas; ela não apoia a educação pública. Os milionários agora também poderão usar escolas charter de gestão privada para usufruir de grandes reduções de impostos. Os “investidores” poderão maximizar seus lucros usando o “Fundo de Oportunidades Qualificadas” (parte da Lei de Cortes de Impostos e Empregos de 2017) para “investir” em escolas charter em “áreas economicamente afetadas” conhecidas como “zonas de oportunidade”. Esta nova “oportunidade de financiamento” pode ser usada pelos ricos para evitar impostos sobre instalações de escolas charter e imóveis adquiridos através do “fundo de oportunidades” e vendidos posteriormente. O governo já contratou uma empresa privada, a Leed Management Consulting, Inc., de Silver Spring, Maryland, para ajudar os proprietários de capital a explorar este esquema de privatização. Embora estes projetos sejam ostensivamente lançados para ajudar famílias pobres, especialmente minorias, eles têm um histórico de fazer o contrário. Apesar das investigações confirmarem que não se justifica a existência de escolas charter, elas continuam a aparecer. Estancar esta rápida privatização da educação pública é uma tarefa urgente que preocupa a todos. As escolas charter, de administração privada, estão a destruir as escolas públicas e a prejudicar a economia e o interesse nacional. Recentemente, foi publicado outro relatório (A escolha escolar nos Estados Unidos: 2019), desta vez pelo Departamento de Educação dos EUA, mostrando que as escolas charter de propriedade privada, que existem há mais de 25 anos, não têm registado um desempenho melhor do que o das escolas públicas. Além disso, há muito tempo as escolas charter são palco de escândalos e corrupção sem fim, altas taxas de rotatividade de estudantes e professores, salários inflacionado dos administradores, baixa transparência, conselhos escolares não eleitos e uma reputação de rejeitar muitos estudantes - ao mesmo tempo em que sugam enormes somas de dinheiro público e propriedade pública de escolas públicas. Fonte: Shawgi Tell, in Dissident Voice. Shawgi Tell é o autor de Charter School Report Card. Recordando: Entre 1998 e 2019, 306 escolas charter foram fechadas em Ohio, uma média de mais de uma escola charter encerrada por mês durante 20 anos. Nos EUA, as charter schools não se fartam de sacar dinheiro ao Estado e de o esbanjar descaradamente, admite um relatório da Network for Public Education. Lá se diz que um bilião de dólares foram aplicados em escolas charter que nunca abriram ou que funcionaram durante muito pouco tempo. Sucede que Trump aumentou em 13,6% o orçamento para estas «escolas». Há quem fale em vasta fraude académica.
Share:

domingo, 13 de outubro de 2019

Espinho: água desperdiçada e esgoto a céu aberto


Manhã de sábado, 12 de outubro. Há dezenas de horas que água tratada verte pela valeta diretamente para o pluvial da Rua 17, na esquina do Casino. 
Não chove há imenso tempo, os rios e ribeiras correm com muito pouca água, o nível das águas das albufeiras continuam a baixar, há imensos campos a ficar secos, mas em Espinho os responsáveis andam mais preocupados com jantares, conferências de imprensa, e selfies.


Sábado, 12 de outubro, 15h, na Rua do Golfe, em Espinho. Que se passa atrás deste tubo que debita tanta água cheia de espuma de sabão durante tanto tempo para uma grande valeta?

Share:

Barcelona quadriplica o preço do estacionamento automóvel

  • Há novas suspeitas de ilegalidades na atribuição da concessão para exploração de lítio, em Cepeda, Montalegre, à Lusorecursos Portugal Lithium, empresa constituída três dias antes da assinatura do contrato com o Estado. O ex-secretário de Estado da internacionalização, Jorge Costa Oliveira, tornou-se consultor financeiro da Luso Recursos Portugal Lithium três meses antes da concessão a 35 anos ter sido atribuída. RTP.
  • Barcelona combate a entrada de automóveis no centro da cidade quadruplicando o preço do estacionamento, conta o El País.
  • Katharine Hayhoe, cientista e professora na Texas Tech University, ganhou o prémio Campeões da Terra 2019, oferecido pela ONU Meio Ambiente, na categoria Ciência e Inovação. Katharine é uma investigadora do clima, e acredita que a comunicação tem um papel crucial em transformar as nossas atitudes em relação à crise climática.
Share:

Memórias curtas


No Ambiente Ondas3, os três textos mais populares do último mês foram, segundo a Google Analytics:
Durante o mesmo período, a maioria das visitas vieram, por ordem decrescente, dos seguintes países: EUA, Portugal, Brasil, Alemanha, Espanha, Áustria, Suíça, Finlândia, Camboja e Lituânia. 
Ainda durante este período, a proveniência, também por ordem decrescente, dos leitores de língua portuguesa, foi a seguinte: Porto, Lisboa, Aveiro, Coimbra, Braga, Leiria, Castelo Branco Faro, Santarém e Viana do Castelo.
Share:

Mão pesada

Dois homens foram acusados de despejar ilegalmente esgoto bruto em bueiros de West Palm Beac, na Flórida. AP.
Share:

Bico calado

  • «O PSD conseguiu tirar das suas entranhas um ente político chamado Montenegro que faz de Rui Rio um homem virtuoso. Se esse novo espectro aparecer à frente doPSD, o país inteiro vai esconder-se na casda de banhoVasco Pulido Valente, Público 12out2019.
  • «(…) Entre os vivos, gente tão diferente como Rio, Jardim, Mota Amaral, Barroso, Manuela Ferreira Leite, Fernando Nogueira, Cavaco, Santana Lopes, passavam, mas duvido que os clones de Relvas, entre o avental, as manipulações nas redes sociais e os negócios, conseguissem chegar sequer ao medíocre mais. Na verdade, o que eles querem é a posse do instrumento, o partido, que lhes permite a carreira, nada mais. Exactamente aquilo que os fundadores do PPD entendiam como uma perversão da política. Querem saber quem “deu cabo do partido”? Eles.». José Pacheco Pereira, in A importância da ideologia e a crise do PSD - Público 12out2019.
  • Rui Pinto garante ter provas de desvio de 600 milhões de euros no BES. Via JNegócios.
Share:

sábado, 12 de outubro de 2019

Londres: Extinction Rebellion bloqueia entrada da BBC e exige rigor e verdade na cobertura dos protestos climáticos

  • Ibiza produziu meia tonelada de lixo por pessoa este ano, 14% acima do resto da Europa, o dobro do que um espanhol médio produz, diz um estudo da Ibiza Preservation Foundation. Tudo por causa dos turistas: mais de quatro milhões de pessoas desembarcaram nas suas praias, um quarto deles do Reino Unido. E o que está a ser feito para tentar resolver o problema? Os promotores da movida fazem campanhas para angariar voluntários para limpar as praias e há bares e clubes noturnos a promover o abandono da utilização única de produtos de plástico. BBC. Bravo. Os produtores de plástico podem continuar a produzi-lo porque haverá sempre alguém suficientemente ingénuo e generoso para limpar as montanhas de resíduos plásticos descartados no entusiasmo ruidoso das noites de Ibiza e outros locais de consumo de massas.
  • A bacia do Mediterrâneo está a aquecer mais depressa do que o resto do planeta, alerta  Wolfgang Cramer, diretor científico do Instituto Mediterrâneo de Biodiversidade e Ecologia de França. El País.
  • O governo alemão vai aumentar os impostos sobre voos na Europa de 7,50 para 11,25 euros para intensificar as suas medidas de proteção climática. Reuters.
  • Os manifestantes da Extinction Rebellion bloquearam a sede da BBC, pedindo à emissora britânica de serviços públicos que trate a crise mudanças climática com a mesma gravidade que a Segunda Guerra Mundial e conte ao público a verdade. Reuters.
  • Os protestos ambientais são agora frequentemente relatados nos media, e o movimento verde está finalmente a receber a atenção que merece. Mas a maior parte do foco está nas atividades de grupos, como a Extinction Rebellion, que não estão fortemente enraizadas nas organizações e comunidades da classe trabalhadora. Isso é um problema porque, se queremos construir o amplo suporte necessário para uma transição radical para a sustentabilidade, precisamos de reconhecer e desenvolver todas as vertentes do ambientalismo, especialmente a da classe trabalhadora, defende Karen Bell no The Guardian.
  • A Google ajuda a financiar mais de uma dúzia de organizações que se opuseram a medidas para impedir a crise climática. Entre centenas de grupos que a empresa listou na sua página como beneficiários das suas doações políticas, há mais de uma dúzia de organizações que fizeram campanhas contra a legislação climática, questionaram a necessidade de ação ou procuraram ativamente reverter as proteções ambientais da era Obama. The Guardian.
Share:

Reflexão – Tipos de negacionistas do clima


Há três tipos de negacionistas da crise climática, e a maioria de nós é pelo menos um.
«A primeira forma de negação é literalmente negação. É a rejeição simples, consciente e direta de que algo aconteceu ou está a acontecer - isto é, mentir. (...) É tentador atribuir a negação total à malícia ou estupidez individual. Mais preocupante e mais insidiosa, porém, é a organização social da negação literal da crise climática. Há muitas evidências de mentiras clandestinas e orquestradas por interesses da indústria. Se alguém está à procura de conspiração na crise climática, é isso - não um conluio de milhares de cientistas e grandes organizações científicas.
A segunda forma de negação é a negação interpretativa. Aqui, as pessoas não contestam os factos, mas interpretam-nos de tal modo que distorcem o seu significado ou importância. Por exemplo, pode-se dizer que a crise climática sé apenas uma flutuação natural ou que a acumulação de gases de efeito estufa é uma consequência, não uma causa, da subida das temperaturas. (…)
A terceira e mais insidiosa forma é a negação implicatória. Os factos da crise climática não são negados, nem são interpretados como sendo outra coisa. O que é negado ou minimizado são as implicações psicológicas, políticas e morais dos factos para nós. Não aceitamos a responsabilidade de responder; não agimos quando a informação diz que devíamos agir.
Claro que alguns são incapazes de responder, financeiramente ou não, mas para muitos, a negação implicativa é um tipo de dissociação. Ignorar o imperativo moral para agir é uma forma de negação tão condenatória como qualquer outra, e sem dúvida é muito pior. (...)»

Iain Walker e Zoe Leviston, in The Conversation.
Share:

Bico calado


«(…) Fui de facto professor do ensino secundário com muita honra e fiz a diáspora habitual dos professores, dei aulas em Vila Nova de Gaia, Coimbra, Espinho, Boticas e no Porto e aprendi muito mais nesse deambular do que na universidade. Por uma razão muito simples: é que já era então muito mais difícil ser professor do ensino secundário do que universitário. (…) O problema é uma sociedade que deixou todos os problemas, de raça, de exclusão, de pobreza, de marginalidade, de droga para a escola e na escola para os professores. As famílias demitem-se e acham que é a escola que lhes deve socializar os filhos com um mínimo de “educação” e, como isso não acontece, atiram-se contra os professores. Não é preciso ir mais longe do que a absurda prática de deixar levar telemóveis para as aulas, sabendo-se como se sabe que não há qualquer utilidade no seu uso, e que servem apenas para uma nova forma de se estar “agarrado”. A completa falta de qualquer autoridade nas escolas torna-as um falanstério de ruídos, perda de atenção, violação da privacidade e crime, em que o comodismo dos pais, e a sua idêntica falta de autoridade, isola a função de ensinar de qualquer utilidade social. A escola perdeu a sua função e, no meio de tudo, estão professores sitiados no meio de um inferno cheio de hormonas sem regras. Não admira que seja das profissões que mais frequentam psiquiatras e psicólogos e que ardem mais depressa do que o pavio de uma vela curta. (…)» José Pacheco Pereira, in As profissões infernaisPúblico 6out2019.
Share:

sexta-feira, 11 de outubro de 2019

FMI defende subida significativa dos impostos sobre o carbono

  • Cerca de cem presidentes de Câmara de dezenas de cidades estão reunidos em Copenhaguen, Dinamarca, para debater ações concretas com vista a tomar medidas para a neutralidade de carbono. 
  • A Greenpeace apelou às cadeias de comida rápida britânicas para que parem de usar soja do Brasil nas suas cadeias de fornecimento até o ambiente estar mais bem protegido, reporta a BBC. Tudo porque estão a vender carne de animais alimentados com soja ligada aos incêndios florestais no Brasil.
  • Os grandes fabricantes mundiais de automóveis estão entre os principais opositores da ação contra a crise climática, conclui uma pesquisa do The Guardian. Embora a indústria automóvel divulgue declarações públicas que apoiam iniciativas climáticas, como o aumento da eletrificação, ela continua a injetar milhões de dólares através de órgãos da indústria em pressões de lóbi para minar as tentativas de combater o aquecimento global. 
  • Empresas de mineração de urânio e operadores de centrais nucleares pediram à administração Trump incentivos fiscais e financeiros federais numa altura em que o governo norte-americano estuda revitalizar a indústria de urânio dos EUA em nome da segurança nacional. ABC.
  • Até mesmo o insuspeitíssimo Fundo Monetário Internacional defende a subida significativa dos impostos sobre o carbono para evitar a crise climática. O FMI sugere que os governos poderiam usar esse dinheiro para ajudar as pessoas mais vulneráveis ou investir em renováveis. The Guardian.
Share:

Reflexão – Um cidadão de 91 anos protesta e deixa-se prender. Para quê?


Há meses que os protestos climáticos da Extinction Rebelleion (ER) acontecem pelo menos uma vez por semana no Reino Unido. Em Portugal, os media de referência parecem só agora ter despertado para o fenómeno e decidido dar-lhe eco.
Todas as ações da ER são agendadas, planeadas e anunciadas. Os voluntários sabem muito bem para o que vão e arriscam ser presos. Alguns fazem questão de o dizer abertamente, como é o caso do jornalista George Monbiot.
Todas as suas ações são pacíficas e cada vez mais concorridas e criativas, pelo que é muito difícil o (des)governo de Theresa May e Boris Johnson controlar a situação.
Há cada vez mais detidos. Até um cidadão de 91 anos! O sistema judicial britânico não está preparado para lidar com tanta gente como ele, que não receiam ser detidos, e que têm de ser tratados com respeito sob pena de o feitiço se virar contra o feiticeiro. Até mesmo jornalistas que acompanham os ativistas para fazerem a cobertura noticiosa para os media. E o que acontecerá se estes protestos continuarem a crescer? Haverá mudança, de certeza.
Share:

Bico calado

  • "É um facto que a cooperação de Rui Pinto com os procuradores estrangeiros parou desde que foi preso em Portugal. A detenção atrasa o trabalho que outros países estão a fazer na luta contra a corrupção no futebol (…) O que é que Portugal está a fazer para combater a corrupção na indústria do futebol? Nada? Portugal está a investigar a corrupção revelada através do Football Leaks? A resposta curta é não. As autoridades portuguesas sublinham que não podem usar as revelações do Football Leaks, uma vez que consideram terem sido obtidas ilegalmente. Quando o enquadramento legal não é suficientemente bom para combater a corrupção, é hora de Portugal pensar se a legislação não deveria ser alterada. É hora de Portugal se desenvolver. Portugal devia atualizar a sua legislação para que consiga combater a corrupção no futebol de forma eficaz. Caso contrário, Portugal só será visto como um país com um sistema legal ultrapassado, que protege os poderosos e os corruptos e prende os que escolhem falar». Eva Joly, citada por O Jogo.
  • «Tal como os racistas e xenófobos gostariam de ser chamados de populistas, os ultraliberais gostariam que os tratássemos por nomes mais civilizados. Não lhes façamos esse favor.» Ricardo Paes Mamede.
  • «Basta lembrar que após o 11 de Março de 1975 era o próprio CDS, através de Freitas do Amaral, que defendia o adiamento das eleições, “porque o povo português não está preparado para isso” e foi o MFA que as impôs, cumprindo a sua promessa de as realizar no prazo máximo de um ano!» Vasco Lourenço.
Share:

quinta-feira, 10 de outubro de 2019

Espinho: Quem anda a despejar caixas com restos de peixe na Ribeira de Silvalde?

  • Às sextas-feiras, alguém costuma despejar caixas com restos de peixe na Ribeira de Silvalde. Há um ditado popular que diz: "Tantas vezes vai o cântaro à fonte, que um dia lá deixa a asa."
  • A rede de saneamento de Gondomar registou uma descarga de concentrado de detergente de origem desconhecida. A situação foi controlada no interior da ETAR do Meiral e dela foi dado conhecimento às autoridades para investigação. Público.
  • Maria Helena Braga inventou, com John Goodenough, galardoado com o Prémio Nobel da Química 2019, uma bateria que se carrega em minutos e tem três vezes mais energia, escreve o Expresso. M Stanley Whittingham e Akira Yoshino partilham este prémio.
Share:

Turquia: barragem de Ilisu deslocaliza habitantes da velha cidade de Hasankeyf

  • A cidade de Hasankeyf, na Turquia, é uma das mais antigas povoações do mundo, com evidências de pessoas que vivem lá há 12.000 anos. Dentro de meses, a maior parte da cidade antiga será abandonada - inundada por uma albufeira que se ergue atrás da barragem de Ilisu, um dos mais recentes e maiores projetos hidroelétricos da Turquia. O polémico projeto afetará 199 povoações a montante ao longo do rio Tigre, à medida que o nível da água subir até aos 60 metros. Apesar das objeções de grupos internacionais e locais sobre a deslocalização de milhares de pessoas, a perda de sítios arqueológicos, a interferência com grupos nómadas, o impacto ambiental e os problemas de partilha de água com o Iraque a jusante, as autoridades turcas começaram a encher a albufeira este verão. Os moradores de Hasankeyf receberam uma cidade nova para se mudarem - 700 novas casas construídas três quilómetros acima da colina da cidade velha. Alguns dos monumentos e mesquitas seculares da velha cidade também foram deslocalizados para a nova cidade. The Atlantic
  • Nos últimos 60 anos, uma mina despejou os seus efluentes ácidos num afluente do Taku, um importante rio produtor de salmão que atravessa a fronteira entre a British Coplumbia e o Alasca, titula a The Narwhal.
  • O governo dos EUA está a financiar a deslocalização de comunidades situadas em zonas de elevado risco de inundações. Mas nem todas são tratadas da mesma maneira: os municípios mais ricos recebem mais ajudas para evitarem os riscos climáticos, regista um estudo publicado pela American Association for the Advancement of Science.
Share:

Reflexão - De que estamos à espera para poupar água?


Dentro de três décadas, cerca de 80% das terras que dependem das águas subterrâneas começarão a atingir os seus limites naturais de irrigação à medida que os poços secarem.
Aliás isto já está a acontecer: em 20% das captações de água das quais os agricultores e as cidades dependem de água subterrânea bombeada, o fluxo de córregos e dos rios diminuiu, mudou de direção ou parou completamente.
«Os efeitos já podem ser vistos no Midwest dos EUA Unidos e no projeto do Vale do Indo, entre o Afeganistão e o Paquistão», disse Inge de Graaf, hidrologista da Universidade de Freiburg. «Se continuarmos a bombear tanta água subterrânea nas próximas décadas como fizemos até agora, atingiremos um ponto crítico nas regiões do sul e centro da Europa, bem como nos países do norte da África», acrescenta.
Durante milhares de anos, as comunidades extraíram água de poços na estação seca e confiaram nas chuvas da estação chuvosa para reabastecê-la. Mas, à medida que o número de pessoas cresceu, a agricultura passou a ocupar cada vez mais terras e o crescimento das cidades fez com que a procura de água ultrapassasse a oferta em algumas regiões. Receia-se que a subida das temperaturas agudize o problema.
«Calcula-se que, até 2050, os limites de fluxo ambiental serão alcançados para cerca de 42% a 79% da bacia hidrográfica em que há extração de água subterrânea em todo o mundo, e isso ocorrerá antes que haver perdas substanciais no armazenamento de água subterrânea», diz o seu relatório.
«Se continuarmos a extrair tanta água subterrânea nas próximas décadas como fizemos até agora, será atingido um ponto crítico também para regiões do sul e centro da Europa - como Portugal, Espanha e Itália - e também nos países do norte da África , alerta Inge de Graaf. «A crise climática pode até acelerar este processo, pois esperamos menos precipitação, o que aumentará ainda mais a extração de águas subterrâneas e fará com que as áreas secas sequem completamente.»
Tim Radford, in Climate News Network.
Share:

Bico calado


  • «Era fatal que assim fosse. Circulam como moscas em torno da bosta publicações de perfeitos idiotas contrapondo o “patriotismo” do André Ventura ao “sectarismo” de Joacine. Tudo por causa de uma bandeira da Guiné Bissau onde Joacine tem as suas raízes. Que desrespeito por este país que deu tudo à Joacine. Não interessa nada que estivessem lá também bandeiras Portuguesas e Europeias, mas naquela foto em particular o que se vê é a da Guiné. Não interessa nada que no Canadá, nos Estados Unidos, em França, no Luxemburgo, os políticos lusodescendentes celebrem com a verde rubra que simboliza a sua origem. Aí tudo está bem, porque afinal de contas é um orgulho ser lusitano. Agora da Guiné?!! Ninguém se devia orgulhar de ser da Guiné. Não interessa que um dia um conterrâneo da Joacine tenha gritado em directo “Hoje é Feriado Caralho!”. Ninguém se chocou…afinal de contas o rapaz era bom de bola e a Joacine é apenas uma preta gaga que veio para cá com oito anos e se licenciou e doutorou trabalhando em supermercados e hotéis para pagar a sua educação. Que raio de mérito há nisso??!! Não interessa nada que o partido da Joacine tenha gasto apenas 10000 EUR numa campanha serena e esclarecedora enquanto o jovem Ventura gasta 500000EUR sem explicar de onde vieram e chega ao parlamento com uma agenda de um nacionalismo extremo, com tiradas de um populismo sem pudor, e já agora sem explicação, porque o pequeno Ventura tem vida fácil. Ele pode prometer que vai transformar os ciganos em sapos que ninguém lhe pergunta se é com beijos que o vai fazer.(…)» Nuno Barradas.
  • Em Espanha, foi detido David Morales, diretor da UC Global que espiou não só Assange como todos os que o visitaram, - incluindo amigos norte-americanos, jornalistas e advogados -, e depois passou informações à CIA, foi detido em Espanha. El País.
Share:

quarta-feira, 9 de outubro de 2019

ProTejo acusa Espanha de não cumprir caudais acordados para o Tejo

  • O Movimento ProTejo acusa Espanha de não cumprir caudais acordados para o rio Tejo e denuncia consequências para ecossistemas aquáticos, ripícolas e as próprias manchas florestais próximas dos cursos de água, bem como prejuízos relacionados com atividades de pesca, náuticas e turísticas. A Assembleia Municipal de Vila Velha de Ródão já aprovara em setembro passado uma moção apelando para a necessidade de dar início a um processo de renegociação da Convenção da Albufeira. Fontes: RR e Diário Digital Castelo Branco.
  • Milhares de toneladas de areia provenientes das antigas minas de volfrâmio assorearam 14 km de um rio que atravessa o Parque Natural de Montesinho, uma área protegida em Bragança. O problema ambiental que se arrasta há quase 10 anos está a afetar sobretudo a aldeia de Aveleda onde o rio Pepim praticamente deixou de existir. SIC.
  • I Conferência Internacional Comunidades de Energia, 4ª feira, 9 de outubro, Pavilhão do Conhecimento, Lisboa. Organização: Coopérnico (Cooperativa de Energias Renováveis), através do projeto COMPILE, Climate Change Impacts, Adaptation and Modelling (CCIAM) do Centre for Ecology, Evolution and Environmental Changes da Faculdade de Ciências na Universidade de Lisboa, através dos projetos europeos PROSEU e BEACON. Comunidade Energia.
Share:

Espanha: Iberdrola contou com os serviços do ex-comissário José Manuel Villarejo para impedir o bloqueio da central termelétrica de Arcos de la Frontera, em Cádis

  • A oitava empresa espanhola que emitiu mais gases de efeito estufa em 2018, a Iberdrola, contou com os serviços do ex-comissário José Manuel Villarejo para impedir o bloqueio da central termelétrica de ciclo combinado que a empresa possui em Arcos de la Frontera (Cádis) e que se encontrava na altura em construção, revela uma investigação do Moncloa e do El Confidencial.
  • O Quénia vai desenvolver projeto de carvão vegetal feito de sobras de coco de modo a preservar as suas florestas. DW.
  • O Governo do Panamá instalou 'chips' com códigos QR em árvores das florestas da província de Darién, na fronteira com a Colômbia e reserva da biosfera, e no leste do país, para travar o crescente abate ilegal de árvores. O novo Sistema de Rastreabilidade e Controlo Florestal acompanha e verifica a legalidade dos produtos florestais durante o seu trejeto, desde o momento anterior ao corte até ao destino final dos troncos. Lusa/Macua.
Share:

Mão pesada

A PSP de Aveiro identificou sete rapazes, com idades de 17 e 18 anos, estudantes, por suspeita de danos em papeleira de lixo na cidade, reporta o Notícias de Aveiro.
Share:

Reflexão – Que alternativas à queima de resíduos agrícolas?


As queimadas de resíduos agrícolas prejudicam a qualidade do ar, contribuindo para o aquecimento global, e são um perigo para a saúde pública, conclui um estudo coordenado por Célia Alves e Estela Vicente e apoiado pelo Centro de Estudos do Ambiente e do Mar e pelo Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro.
Apesar dos resíduos de poda terem potencial para serem convertidos em energia, as investigadoras consideram que os altos custos de transporte e processamento, a produção intermitente e os problemas operatórios gerados durante a combustão em unidades de grande escala, tornam a sua utilização economicamente inviável. Também a presença de teores elevados de metais alcalinos nestes resíduos origina normalmente emissões elevadas de partículas e gases ácidos e a formação de incrustações e depósitos nas superfícies onde ocorre transferência de calor.
Célia Alves sugere que se devem procurar soluções alternativas de pequena escala que representem um nicho de oportunidade para as comunidades rurais. A transformação dos resíduos de poda numa opção viável para aquecimento residencial permitiria reduzir os custos energéticos, tornando estas comunidades mais autossuficientes, á semelhança do que já acontece em autarquias rurais de alguns países onde têm sido testadas e aplicadas soluções direcionadas para a produção de pellets para aquecimento doméstico. Antes da pelletização, os resíduos são primeiro lixiviados com água para remover o excesso de metais alcalinos e depois secos. O lixiviado pode ser usado para rega, uma vez que é rico em nutrientes.
«Uma outra solução desenvolvida nalguns países consiste na recolha pelos serviços municipais deste tipo de resíduos, na trituração em equipamentos adequados e no encaminhamento para centrais de compostagem, obtendo-se um material estável, rico em substâncias húmicas e nutrientes minerais para adubar e melhorar as propriedades do solo», refere.
Investiga-se e testa-se, entretanto, a hipótese de transformar a biomassa residual de atividades agrícolas em biocarvão, através do processo de pirólise lenta, e a introdução deste produto nos solos. «Para além de sequestrar CO2, aumenta a matéria orgânica e melhora a biologia do solo, a retenção de nutrientes e de água», explica Célia Alves. 


Share:

Bico calado




  • 125.000€ de renda anual para 1800 lugares de estacionamento pago à superfície em Espinho em concessão da CM de Espinho à ESSE, equivale a dizer (1) que 1800 lugares de estacionamento são arrendados por 10.416 € mensais; (2) que 1800 lugares de estacionamento são arrendados por 1385.80€ diários; (3) que 1800 lugares de estacionamento são arrendados por 58€ hora; (4) que 1 lugar de estacionamento é arrendado a 0,0322€ /hora (três cêntimos à hora). 1800 lugares ocupam uma área aproximadamente de 20000m2, o que equivale a dizer (1) que a renda anual de 125000/20000=6.25€/m2 p.ano; (2) que a renda mensal de 10.416€/20000=0,52€/m2 p.mês; (3) que a renda diária de 1385,80/20000=0.069€/m2 p.dia; (4) que 1m2 de domínio publico devidamente preparado de baía de estacionamento ou de área para aparcamento, o Povo arrecada, por cada três dias, 2 cêntimos. Receita bruta anual de 500000€ corresponde sensivelmente a uma taxa de ocupação de 25,% dos 800 lugares reais. Receita bruta anual de 500000€ corresponde sensivelmente a uma taxa de ocupação de 11,5,% dos 1800 lugares previstos.» Fonte: Alexandre Duarte.
  • «Os racistas e os ultraliberais entraram no parlamento. São poucos (um de cada) e nāo vão crescer muito. Mas vão fazer-se ouvir mais do que o costume. Vamos ouvir mais vezes que os problemas do país se devem aos pretos, aos ciganos, aos impostos a mais e a liberdade individual a menos. Vão apresentar as suas ideias como novas, mesmo que já andem por aí há séculos e já tenham causado muitos estragos. Mesmo nāo votando neles, aquelas palermices entranham-se em muita gente. Há que repetir à exaustão que a discriminação e a luta de todos contra todos nunca produziram sociedades coesas. E que é a coesão que faz as sociedades mais prósperas.» Ricardo Paes Mamede.
  • Contam os media do sistema, nomeadamente a CBS, que a esposa de um diplomata norte-americano baseado no Reino Unido é acusada de usar imunidade diplomática para escapar à justiça. Ela é suspeita de responsabilidade num acidente mortal e fugiu do país. A condutora de 42 anos foi vista a sair da Royal Air Force Croughton, uma base de espionagem, e conduzia pela faixa errada da estrada quando colidiu com a vítima. Carig Murray, ex embaixador britânico desmente alguns pormenores: Jonathan Sacoolas não consta de nenhuma lista de diplomatas, pelo que nem ele nem a esposa podem usufruir da imunidade diplomática. Sacoolas trabalha como oficial técnico da NSA no posto de interceção de comunicações da RAF Croughton, o seu papel é apoiar a interceção de comunicações de cidadãos britânicos. O que aparentemente existe entre o Reino Unido e os EUA é um acordo bilateral secreto para tratar os funcionários do GCHQ e da NSA como se tivessem imunidade diplomática, mas isso não é o mesmo que a proteção da Convenção de Viena sob o direito internacional, sublinha Craig Murray.
  • A Apple voltou a disponibilizar uma aplicação que permite a localização de protestos e a presença policial em Hong Kong. Os críticos dizem que a proibição inicial se deveu à cedência da Apple perante as pressões da China continental. Por outro lado, a Apple alega que isso se deveu ao facto de a sua aplicação estar a incentivar atividades ilegais e que mais não queria senão promover a segurança e ajudar as pessoas a evitar áreas perigosas. A disponibilização da aplicação pode representar uma grande vitória para os ativistas da «pró-democracia», mas pode fazer mossa nos lucros da Apple na China. OZY.
  • As autoridades escolares de Long Island (New York), Johnson County (Kansas) e St. Charles County (Missouri), processaram a Juul Labs, acusando-a de atingir intencionalmente adolescentes com cigarros eletrónicos e de criar um incómodo público com os problemas de saúde associados ao vaping. Bloomberg.
  • «Ficas todo sujo, e ainda por cima o porco gosta. Esta frase, do dramaturgo irlandês Bernard Shaw, encerra em si mais do que o sarcasmo em que ele era exímio: é uma lição de sabedoria política. Mas tem limitações, como todas. Às vezes somos mesmo forçados a lutar com porcos, quando algo muito importante depende disso, quando tem mesmo de ser. A questão é a de saber se chegou a altura de o fazer. Porque o risco é sempre enorme, e não tem nada que ver com coragem, ou falta dela: é que o porco leva-nos uma incomensurável vantagem na porcaria, e é muito difícil terçar, com seriedade, argumentos com alguém apostado em sacar de todos os truques baixos do cardápio, de todas as cartadas do populismo, da demagogia e das falsidades mais abjetas, usar todos os maus sentimentos e toda a ignorância e ingenuidade dos que assistem à refrega no sentido de fazer valer a sua posição. (…) O que lembra outra frase famosa atribuída a outro famoso ironista, Mark Twain: "Uma mentira pode dar meia volta ao mundo antes de a verdade ter tempo de calçar os sapatos." Porque a verdade - aqui também no sentido de decência e de complexidade do mundo - é chata e comprida, empalidece e gagueja ante o descaramento da falsidade e da demagogia. Porque a verdade necessita de tempo para desmontar as mentiras, para se demonstrar. Porque ser sério e fundamentado dá muito mais trabalho do que mandar bocas e dizer coisas que vão ao encontro dos estereótipos, dos preconceitos, dos ódios. E agora, ainda por cima, temos o estribilho da "censura do politicamente correto" de cada vez que nos indignamos contra afirmações e posições que põem em causa valores basilares da civilização europeia que julgávamos (et pour cause) inquestionáveis para sempre, como a igualdade e o princípio da não discriminação. O problema é portanto o de saber quando entrar na liça, se alguma vez. Quando estamos, ao rebater um demagogo populista, a fazer o que ele mais quer - dar-lhe oxigénio, atenção, fazê-lo conhecido, acicatar a sua possível base de apoio através daquilo que ele qualificará como a "censura" dos "elitistas" e "politicamente corretos" - e quando temos mesmo de o combater. (…)» Fernanda Câncio, in Nunca lutes com um porco - DN 7ago2017.
  • Os estudantes simpatizantes do movimento «pró-democracia» da Universidade Politécnica de Hong Kong usam canetas laser sobre a cara de um professor que apoia a lei anti máscara, eles até o insultam verbalmente e ameaçam-no dentro da sala de aula. 
Share:

Translate

Pesquisar no Ambiente Ondas3

Património

O passado do Ambiente Ondas3

Ver aqui.

Amig@s do Ambiente Ondas3

Etiquetas

Arquivo do blogue