quinta-feira, 23 de junho de 2016

Cidadãos exigem fim da poluição da Ribeira dos Milagres pelas suiniculturas

Gerês. Foto de Luís Ferreira.
  • Dezenas de cidadãos manifestaram-se ontem, ao fim da tarde, no Mercado de Sant'Ana, em Leiria, onde decorria a Gala Porco D'Ouro, com o patrocínio da Câmara Municipal de Leiria e a participação de muitas empresas de suinicultura. «Não aceitamos que continuem impunemente a poluir as linhas de água da região e do país, a contaminar recursos hídricos e a destruir biodiversidade. Exigimos a construção de Estações de Tratamento de Efluentes Suinícolas em dimensão apropriada à realidade da suinicultura da região, que se responsabilizem os infractores, que se mobilizem as entidades públicas e que, efectivamente, se acabem com as descargas ilegais e danosas para o ambiente e para a sociedade. O nosso ouro são os recursos naturais e o ambiente», dizia o comunicado dos organizadores. Ribeira dos milagres, FB.
  • Cinco anos antes do grande escândalo da batota das emissões dos automóveis, a Comissão Europeia avisou a VW para acabar com a batota que havia nos seus automóveis para controlar as análises das emissões. The Guardian.

Mão pesada

  • O Tribunal de Justiça europeu aplicou a Portugal uma multa de três milhões de euros por incumprimentos no tratamento de águas residuais de Matosinhos e Vila Real de Santo António. Em 2009, Portugal tinha já sido condenado pelo incumprimento da diretiva em causa, em 22 aglomerações urbanas. DN.
  • A JSB Industries, Inc. foi multada em 156 mil dólares por fuga de amoníaco anidro dos seus sistemas de refrigeração em Chelsea e Lawrence, Mass., e intimada a investir 119 mil dólares em equipamento de segurança. EPA.
  • A cadeia de supermercados Trader Joe foi multada em 500 mil dólares por fugas de hidrofluorocarbonetos dos seus sistemas de refrigeração. The Guardian.
  • O Exército norte-americano foi multado em 100 mil dólares e intimado a eliminar 12 fossas ilegais. Pacific Business News.

Bico calado

«O problema está exposto e a hipocrisia desmascarada. No caso do banco privado, o Banif, o Governo de PSD e CDS-PP passou um cheque em branco de 1,1 mil milhões de euros ao banco, em 2012, sem fazer perguntas, sem exigir explicações, apesar da empresa estar em pré-falência e de saber-se que dificilmente voltaria a pagar essa ajuda do Estado. Durante os três anos seguintes, Passos, Portas e Maria Luís adiaram o assunto, mascararam-no e geriram-no de forma grosseiramente incompetente. Para mascarar as contas públicas, empurraram a bomba-relógio para o Governo seguinte e, hoje, agem como se nada tivessem a ver com o assunto. No caso da CGD, o banco público que constitui os alicerces onde assenta todo o sistema financeiro português, antes da resolução do assunto as mesmas pessoas, do PSD e CDS-PP, exigem a politização deste tema, através de uma comissão de inquérito que demorará meses a ser concluída, e colocam entraves à recapitalização em todas as fases do processo, exibindo um nível de exigência que não é sequer comparável com a exigência que demonstraram na injecção de dinheiro em bancos privados. Não sejamos ingénuos, a antiga ambição de PSD e CDS-PP, de privatizarem a CGD, tem tudo a ver com a politização que estes partidos querem fazer dos maus negócios que prejudicaram o banco público.» Uma página numa rede social, FB.

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Espanha terá que alterar o modelo de gestão dos recursos hídricos

Canal perto de Southall. Imagem retirada daqui.
  • É demolidor o relatório do Parlamento Europeu sobre a gestão do Tejo por parte do governo espanhol. Aprovado por unanimidade, o texto diz literalmente que «deve mudar-se o modelo de gestão dos recursos hídricos em Espanha e dar prioridade aos requisitos ambientais em relação aos socioeconómicos». Sugere-se ainda, entre outras coisas, que o governo espanhol reveja o caudal ecológico proposto para o Tejo porque o atual «não é suficiente» para garantir um bom estado do rio e para permitir uma diluição suficiente das águas residuais depuradas». Cadena Ser.
  • A reciclagem de painéis solares representa um altíssimo potencial económico, podendo ultrapassar os 15 mil milhões de dólares até 2050. Energias Renovables.
  • A Pacific Gas e a Electric Co. anunciaram que não vão renovar as licenças para os reatores da central nuclear de Diablo Canyon, que deverá encerrar em 2025. Esta central manteve uma relação tumulktuosa com a comunidade local durante 31 anos, tendo provocado impactos anuais de 1 bilião de dólares. Esta é a única central nuclear a funcionar na Califórnia após o encerramento da San Onofre, em 2012. The Tribune.

Mão pesada

  • A maior fornecedora de petróleo de Porto Rico foi acusada de se ter apropriado indevidamente de 11 milhões de dinheiros públicos. A PetroWest é acusada de ter aplicado aos clientes uma taxa de 0,5% à já endividada Puerto Rico Electric Power Authority apesar de alguns municípios lhe terem concedido uma taxa mais baixa e até dispensado da taxa. The Indian Express.
  • A agência regional do Ambiente de Shandong, China, foi processada por não ter aplicado sanções contra as violações ambientaias praticadas pela Qingshun Chemical Technology Company. The Guardian.

Bico calado

  • Relatórios sobre a indústria extrativa e a evasão fiscal na América Latina: A produção da soja domina a evasão fiscal na Argentina, principalmente através da triangulação, da sobrefaturação de importações, da subfacturação de exportações, da utilização de acordos de dupla tributação, do aumento de custos através de faturas apócrifas do pagamento de serviços inexistentes e da manipulação dos preços de transferência. No Brasil, é o ferro que baila. A criação de empresas offshore é a prática mais vulgar. Embora a China seja o principal destino das exportações brasileiras de produtos minerais, a Suíça e as Ilhas Caimão constam da lista dos principais compradores destes produtos. O setor mineiro é rei na Colômbia. É comum as empresas mineiras, na Colômbia, venderem os seus produtos a inbtermediários, que normalmente pertencem ao mesmo grupo económico mas estão sediadas em paraísos fiscais. Na Costa Rica, é o ananás que dá cartas. Os mecanismos utilizados na evasão fiscal são a criação de subsidiárias em jurisdições de alta opacidade em termos fiscais e os chamados preços de transferência, que são mecanismos de comércio entre subsidiárias da mesma empresa, através de intricados mecanismos para burlar a fiscalização tributária ao longo de toda a cadeia de produção e comercialização. Por exemplo, a Del Monte não se satisfaz com uma sede nas super blindadas Ilhas Caimão: tem 30 subsidiárias em outros paraísos fiscais como Gibraltar, Bermudas, Antilhas Holandesas e Ilhas Virgens. Eurodad.

terça-feira, 21 de junho de 2016

Três ambientalistas mortos por semana em 2015

Imagem captada aqui.
  • Três ambientalistas foram assassinados por semana em 2015 por defenderem direitos ambientais contra explorações mineiras hidroelétricas e florestais. A Global Witness denuncia a morte de 185 ativistas em 16 países, um aumento de 60% em relação a 2014. O Brasil, as Filipinas e a Colômbia lideram em número de mortes, respetivamente com 50, 33 e 26. Reuters.
  • Inspetores de Água da Smiths Falls, uma pequena cidade a sudoeste de Ottawa, estão a monitorizar uma empresa funerária pioneira na utilização de uma solução alcalina para dissolver restos humanos, e, em seguida, despejar os efluentes cor de café no sistema de esgotos. CBCNews.
  • Cinco unidades de conservação federais no estado do Amazonas, criadas pela ex-presidente Dilma Rousseff, correm o risco de serem anuladas. O território corresponde a 2,83 milhões de hectares, equivalente ao estado de Alagoas.  Tudo para satisfazer os interesses de entidades ligadas ao setor rural no estado, que se diz prejudicado com a criação das áreas protegidas. EEF.

Reflexão - quem lê o Ambiente Ondas3 e quais as preferências?

Imagem captada aqui.

No Ambiente Ondas3, os três textos mais populares dos últimos oito dias foram, segundo a Google Analytics:
Durante o mesmo período, as visitas vieram dos seguintes países, por ordem decrescente: Portugal, Brasil, EUA, Alemanha, França, Espanha, Reino Unido, Suíça, Bélgica e Angola.

Ainda durante este período, a proveniência, também por ordem decrescente, dos leitores de língua portuguesa foi a seguinte: Espinho, Porto, Lisboa, São Paulo, Coimbra, Amadora, Ponta Delgada, Matosinhos, Gaia.

Bico calado

  • «Trata-se, de certa forma, de um desafio à condição de inimputabilidade a que muitos órgãos estavam sujeitos e com a qual se sentiam muito confortáveis. Mas quem pode fazer capas, quem pode interferir na opinião pública, que entra no debate, também deve estar sujeito ao escrutínio, à crítica, à discussão pública. Dentro dos limites que se impõem a tudo: respeito, educação, elevação.» Os truques da imprensa portuguesa, FB.
  • O Brexit seria ótimo para os paraísos fiscais, para a desregulamentação financeira, para a impunidade da evasão e corrupção fiscal do tipo revelado pelos Panama Papers. TJN.

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Lisboa alcançou metas de redução de CO2 exigidas pela UE

Espinho: Gaivotas nos beirais. Imagem retirada daqui.
  • Lisboa já alcançou as metas de redução de CO2 exigidas pela UE mas quer ir mais longe. Público. Municípios que participam com Planos de Ação para a Energia Sustentável: Abrantes, Águeda, Almada, Alter do Chão, Alvaiázere, Arcos de Valdevez, Arronches, Avis, Barreiro, Beja, Boticas, Caminha, Fafe, Faro,  Fronteira, Funchal,  Gavião, Guarda, Guimarães,  Lagoa (Algarve), Lisboa, Loures,  Macedo de Cavaleiros,  Marvão,  Matosinhos,  Melgaço,  Monção, Monforte, Moura, Nisa, Oeiras, Ovar, Paredes de Coura, Ponte da Barca, Ponte de Lima, Portalegre, Porto , Ribeira de Pena, Santarém, Santiago do Cacém, Seia, Seixal, Serpa,  Sertã, Sintra, Sousel,  Valença,  Vendas Novas, Viana do Castelo, Vila Nova de Cerveira, Vila Nova de Gaia, Vila Pouca de Aguiar.
  • A Califórnia é um dos estados norte-americanos mais ricos e é líder na tecnologia solar. Porém, as comunidades latinas, pobres, continuam privadas deste bem. New America Media.

Mão pesada

  • A Maxus Energy pediu proteção ao abrigo da lei das falências após conseguir 130 milhões de dólares da empresa mãe para descontaminar o Passaic, em Nova Jersey. WSJ.
  • A Wesdome Gold Mines, do Ontario, foi multada em 350 mil dólares por contaminação de um rio com efluentes perigosos. Canadian Manufacturing.

Bico calado

Gerês. Foto de Luís Ferreira.
  • Dois ex-membros do Executivo de Passos Coelho (Manuel Teixeira, ex-secretário de Estado da Saúde, e Hélder Reis, ex-secretário de Estado do Orçamento) e o diretor-geral da ADSE (Carlos Batista) arriscam-se a ter de devolver um total de €36 milhões que transferiram do sistema de proteção social da Função Pública (ADSE) para o governo regional da Madeira. Visão.
  • A Argentina expulsa a TeleSUR e a RT. É assim que o novo presidente censura as vozes dissonantes.

domingo, 19 de junho de 2016

Amostras de água do mar recolhidas em 20 pontos da costa

Imagem retirada daqui.

  • Era este, há dias, o aspeto do rio Almonte e parte do Tejo na zona de Valuengo en Jerez de los Caballeros. O fenómeno começou no princípio de maio, com a subida das temperaturas. O ministério da Agricultura espanhol não considera a situação preocupante. El Periodico Extramadura.
  • Várias instituições de investigação portuguesas voltam a recolher água do mar em 20 pontos da costa, juntando-se a um projeto mundial, - o Ocean Sampling Day -, que analisa as amostras para fazer o retrato do estado dos oceanos e dos seus habitantes. As amostras são enviadas para a sede do projeto, em Bremen, na Alemanha, e analisadas através de tecnologias modernas que permitem listar os seus componentes - de bactérias a vírus, microorganismos ou restos de peixes - e fazer a sequenciação dos genes. DO.
  • Um projeto florestal no Egito está a usar efluente de esgoto para cultivar plantações de árvores no deserto, evitando a desertificação. O método tem sido tão eficaz que tem atraído o interesse de empresas florestais alemães. DW.
  • O Bank of America, o JP Morgan Chase e o Wells Fargo são alguns dos 158 bancos, seguradoras e gestoras de pensões que, segundo a holandesa PAX, subsidiaram o fabrico de bombas de fragmentação. Os EUA, o Reino Unido, o Canadá, a França, a Alemanha, a Suiça são alguns dos países envolvidos no fabrico dessas bombas proibidas desde 2008. Common Dreams.
  • O Forest Swervice norte-americano foi processado por não proteger lobos cinzentos e outras espécies ameaçadas. Alternet.
  • Um derrame de petróleo ocorreu numa extensão de 5 Km no noroeste de Alberta, Canadá, numa zona de proteção ao urso-cinzento. O consórcio responsável da ConocoPhillips e da Paramount Resources deslocou 150 técnicos para debelar o problema. MG.

Reflexão - os lucros das maiores poluidoras

Imagem apanhada aqui.

24 mil milhões de euros na Europa e 446 milhões de euros em Portugal são os montantes a que ascendem os lucros extraordinários obtidos pelas indústrias mais poluidoras entre 2008 e 2014, à custa do sistema de Comércio Europeu de Licenças de Emissão, revela o relatório realizado pela consultora holandesa CE Delft e divulgado pela Carbon Market Watch, segundo o qual indústria do ferro e do aço, as cimenteiras, as refinarias e as petroquímicas são os setores que mais lucraram. Quercus.


Mão pesada

Rio Tejo. Foto de Tejo é Vida.
  • A Northern Ireland Water Ltd foi multada em 2 mil libras por descarga ilegal de esgoto não tratado para um afluente do rio Callan. Farming Life.
  • A Marathon Petroleum Company foi multada em 326 mil dólares e intimada a investir 319 milhões de dólares em equipamentos de recuperação de «flares» e 15 milhões em projetos para a redução da poluição nas suas refinarias de Illinois, Kentucky, Louisiana, Michigan e Ohio. EPA.
  • A BP Products North America Inc. foi multada em 275 mil dólares por violação de diversas regras de manutenção da qualidade do ar e da água na sua refinaria de Whiting, Indiana. EPA.

sábado, 18 de junho de 2016

ETARs proibidas de tratarem efluentes da fraturação hidráulica

Imagem retirada daqui.
  • Os bancos britânicos deram mais de 115 biliões de libras para apoiar projetos de combustíveis fósseis em todo o mundo nos últimos três anos, revela um relatório da Rainforest Action Network, da BankTrack, do Sierra Club e da Oil Change International. RAN.
  • O ministério do Ambiente dos EUA proibiu os efluentes das operações de fraturação hidráulica serrem tratados em ETARs públicas alegando a incapacidade destas infraestruturas para lidar com poluentes tóxicos e radioativos. EcoWatch.
  • Membros da tribo brasileira Awá bloquearam uma linha de caminho-de-ferro da mineira Vale. Dizem que a expansão da atividade da Vale vai aimentar significativamente o trânsito de comboios da mina de Carajás para o porto de São Luís e isso dificultará a busca de comida por parte da tribo. Survival.

Mão pesada

O Comando Local da Polícia Marítima de Ponta Delgada apreendeu mais de um quilómetro de rede de palangre de fundo que estava colocada no mar a 50 metros da costa no Sul e Leste de São Miguel, numa área entre os concelhos de Povoação e Nordeste, quando esta rede só pode ser colocada a três milhas de costa, ou seja, a cerca de 6 Km. Os infratores incorrem na presumível prática de contraordenações, puníveis com coimas que de acordo com a legislação em vigor podem variar entre 250 e 37.500 euros. CA.

Bico calado

Imagem captada aqui.
  • «Foi o próprio Portas que, falando de si, disse que “estava no mercado”. Sobre a sua atitude disse tudo o que queria dizer na discussão que tive na Quadratura do Círculo [SIC Notícias], excepto uma coisa: por que razão um homem que é esperto e sabe as consequências reputacionais daquilo que faz correu tão rapidamente para um emprego de lobista de uma empresa? A resposta deu-a o próprio Portas: o seu “valor” no “mercado”. Ora o “valor” de Portas no “mercado” do lóbi degrada-se rapidamente à medida que o tempo passa e os contactos e relações que estabeleceu enquanto esteve no governo, onde ocupou os mais altos cargos de “estado”, vão-se desvanecendo. Aliás, uma retórica balofa que uma certa direita do CDS tem do “estado” está bem traduzida neste episódio, em que um antigo vice-primeiro-ministro, ministro dos Negócios Estrangeiros e ministro da Defesa passa a lobista exactamente usando o “valor” que vem dessa alta experiência. E o “valor” são os segredos de Estado, os conhecimentos, os contactos, e o currículo de cargos governamentais no cartão-de-visita. É por isso que Portas tem pressa e assim pode comprar os talheres de prata mais cedo, ou fazer o upgrade para os de ouro.» José Pacheco Pereira in Sábado 17jun2016.
  • «O mais curioso deste tema, Caixa Geral de Depósitos, é o facto de a ex-coligação governamental, de repente, estar preocupada com a saúde da Caixa. Já lá vai o tempo em que Maria Luís, sobre a CGD poder levar rombo com o Fundo de Resolução no Novo Banco, dizia: “A CGD pode sentir um impacto: é o preço de ter um banco público.” Sem espinhas. E o Presidente, Cavaco Silva, garantia, a propósito do mesmo tema: “É errado dizer-se que pela via de redução dos lucros da CGD os contribuintes podem vir a suportar custos.” Era a caixa da Joana, agora é a de Pandora.» João Quadros in Na Caixa com certezaJNegócios 17jun2016.

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Horta abandona glifosato

Imagem captada aqui.

  • A Câmara Municipal da Horta abandona em julho a utilização do glifosato, disse José Leonardo. «Estou em condições de anunciar que a Câmara Municipal da Horta irá, já a partir do próximo mês de julho, abandonar a utilização do glifosato na gestão dos seus espaços urbanos e rurais, valorizando assim o nosso meio ambiente, a proteção da saúde humana e dando um forte contributo para a Economia Verde que pretendemos enaltecer», afirmou o presidente da autarquia, referindo que a Câmara da Horta é a primeira dos Açores a abolir a utilização daquele herbicida. CMHortaA Horta está de parabéns. Aliás foi na Horta que nasceu o primeiro presidente eleito da República Portuguesa.


Imagem captada aqui.

  • Ora cá está mais um frete à indústria da madeira e do papel. Toda a gente conhece os impactos negativos do eucalipto, mas outros valores se levantaram para o Expresso.

Reflexão - Nunca é demais esmiuçar este TTIP

Imagem recuperada daqui.

Os media portugueses lembraram-se, finalmente, de começar a falar deste Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento. Ainda bem, porque mais vale tarde do que nunca.

O Ambiente Ondas3 há muito que acompanha este tema e, por isso, repesca o que sobre ele «apanhou». Queiram consultar as seguintes hiperligações: