terça-feira, 31 de março de 2015

Com que então pode-se beber glifosato, que não faz mal.


Patrick Moore é considerado perito em ecologia. Entrevistado pelo Canal+, diz que o Roundup, um herbicida produzido pela Monsanto, é tão seguro que se pode beber, mas nega-se a fazê-lo, acabando intempestivamente com a entrevista e chamando parvo ao entrevistador.

Dr. Patrick Moore: «Pode-se beber um litro que isso não lhe faz mal nenhum»
Canal+: «Quer beber? Temos aqui»
Moore: «Eu bebia, mas, hummm, agora não. Mas sei que não me faria mal»
Canal+: «Se diz isso, eu tenho aqui algum glifosato, beba um bocado»
Moore: «Não, eu não sou estúpido»
Canal+: «Então, isso é perigoso, não é?»
Moore: «Não, as pessoas tentam suicidar-se com isso mas normalmente falham»
Canal+: «Diga a verdade, é perigoso».
Moore: «Não é perigoso para as pessoas»
Canal+: «Então, está preparado para beber um copo?»
Moore: «Não, não sou idiota. Entreviste-me sobre o arroz dourado, é sobre isso que estou a falar»
Canal+: «Falámos sobre isso»
Moore: «Então a entrevista acabou. Acabou.
Canal+: «Acha isto uma boa maneira de resolver o assunto?»
Moore: Levanta-se e, retirando-se, diz «parvo».

China desmantela 66 campos de folfe

Rio Liz. Foto Judite Carreira‎/Caminhadas e Passeios Pedestres por terras e lugares de Portugal 7mar2015.
  • Monitorização da Qualidade Ecológica dos Cursos de Água - ação de formação organizada pela Quercus: 11-12 abril (sábado e domingo), Ourém, no Centro de Educação Ambiental, junto à Ribeira de Seiça.
  • Este video clip mostra equipamento e pessoal do ministério do Ambiente britânico a retirar espécies invasivas de cursos de água.
  • As trágicas cheias do Lobito foram, em parte, resultado do fecho e entupimento de canais de drenagem à responsabilidade da autarquia local, cujos responsáveis foram, entretanto, exonorados.
  • A produção de arroz, trigo, batatas, cana de açúcar, tomate e outras, têm registado enormes produções em Bihar, Índia. Tudo sem transgénicos nem herbicidas ou quaiquer outros produtos tóxicos. Tudo graças ao SRI, um método desenvolvido nos anos 80 em Madagascar, por Henri de Laulanié, um jesuita francês e comprovado cientificamente por Norman Uphoff, diretor do Instituto Internacional da Alimentação da universidade de Cornell. Este método é bom para pequenos agricultores e muito exigente em trabalho físico.
  • 66 campos de golfe foram encerrados na China no âmbito de ma vasta campanha para poupar água e proteger os terrenos agrícolas do excesso de fertilizantes e herbicidas que estavam a contaminar os aquíferos.

Reflexão: A Monsanto está do lado da ciência?

Claire Robinson, na NI de abril 2105, conta o que aconteceu a cientistas que ousaram investigar e concluir que os transgénicos não são seguros.

Sabia que a Monsanto e outras produtoras de sementes transgénicas restringem o acesso das suas sementes a investigadores independentes? Sabia que quem compra sementes transgénicas patenteadas pela Monsanto é obrigado a assinar um compromisso jurando que não vai usar essas sementes para investigação nem as vai passar a ninguém para esse fim? E sabia que, mesmo que dêem licença para investigação, essas empresas arrogam-se o direito de bloquear a publicação dos resultados se eles não forem convenientes?

Por isso, não é por acaso que cientistas cujas investigações questionaram a segurança dos cultivos transgénicos sofreram ataques dirigidos a si e aos seus estudos:
1 Nos anos 90, um dirigente da britânica Royal Society ameaçou despedir o editor da The Lancet se ele publicasse a investigação de Arpad Pusztai, um cientista a trabalhar no Rowett Institute, na Escócia. Pusztai descobrira que as batatas transgénicas produziam efeitos tóxicos sobre os ratos de laboratório. A Lancet publicou os resultados, mas Pusztai foi vilipendiado por indivíduos e organizações científicas pró-transgénicas com o objetivo de o desacreditar e de destruir a sua investigação, acabando por perder o emprego, o subsídio e a equipa de investigação e até mesmo foi proibido de falar sobre as suas investigações. A campanha para silenciar Pusztai envolveu figuras gradas como o presidnete dos EUA Bill Clinton e o primeiro-ministro britânico Tony Blair.
2 Em 2012, Séralini publicou um longo e profundo estudo que detetou danos no fígado e nos rins de ratos alimentados a milho transgénico da Monsanto. Após um ano de intensa campanha de desacreditação deste estudo, o editor retirou o artigo, que acabou sendo republicado noutra revista. Todos os críticos do estudo, nomeadamente os da Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar, tintam conflitos de interesses uma vez que colaboravam com as indústrias que eles próprios regulavam.
3 Depois de Judy Carman ter recebido apoio do governo australiano para investigar os efeitos de transgénicos em animais, ela sofreu 6 ataques pessoais durante 10 anos por parte de cientistas pró-transgénicos. Atacaram-na através da sua universidade, alegando que estava a mentir e difamando o seu departamento e toda a universidade. Acabou perdendo dois empregos. 
4 Manuela Malatesta, investigadora italiana, descobriu que a soja transgénica distribuída pela Monsanto causava danos no fígado, no pâncreas e nos testículos dos ratos de laboratório. Depois de publicar as conclusões da investigação, foi obrigada a demitir-se da universidade onte tinha trabalhado durante 10 anos. 

Por isso, muitas organizações públicas aliam-se à indústria dos transgénicos para poderem ter acesso a subsídios. Essas empresas têm representantes nos órgãos de decisão das universidades e têm uma palavra importante a dizer em matéria de fundos para investigação.
Por exemplo, a Monsanto doou pelo menos 1 milhãos de dólares à University da florida. Muitas universidades norte-americanas que investigam sementes dependem da Monsanto. 
Os apoios dados a instituições públicas permitem que as empresas canalizem recursos para áreas que lhes possam trazer benefícios. As empresas patateiam cultivos transgénicos em parceria com a universidade e a universidade produz investigação que, com o selo da objetividade acvadémica, convence os reguladores da segurança ou eficácia dos transgénicos.

Mão pesada

A Comissão Europeia vai aplicar um pacote de infrações pelo incumprimento da diretiva de eficiência energética. Mais de 2/3 dos países (19) enfrentam ações legais e possíveis multas por não terem respeitado o prazo estabelecido. Já o mês passado, Portugal, Grécia e Eslovénia tinham sido processados pela não aplicação. E mesmo entre os cumpridores, apenas dois - a Irlanda e a Dinamarca – apresentaram planos credíveis e viáveis para cumprirem os requisitos da diretiva europeia.

Bico calado

  • Cofres do Estado cheios à custa dos bolsos vazios dos portugueses: aumento enorme de impostos e cortes brutais nas prestações sociais, por Eugénio Rosa.
  • As autoridades romenas divulgaram o envio de aviões militares portugueses para o seu país, numa altura em que Cavaco Silva ainda desconhecia a missão. Esta situação acabou por provocar enorme mal-estar entre o Presidente da República e o governo de Passos Coelho, num episódio que acabou por, indiretamente, envolver a própria NATO.
  • Londres, a Meca dos corruptos, por George Monbiot in The Guardian 18mar2015.
  • O parlamento espanhol acaba de aprovar leis repressivas
- fotografar a polícia (multa 600-30 mil euros)
- atos de desobediência civil ( multa 600-30 mil euros)
- ocupação de bancos em ações de protesto ( multa 600-30 mil euros)
- carência de formalização de protesto ( multa 600-30 mil euros)
- reuniões em espaços públicos (multa 100-600 euros)
- impedir uma ação de despejo (multa 600-30 mil euros)
- ocupação de casas de pessoas que foram despejadas (100-600 euros)
- agora são legais as listas negras de ativistas, manifestantes e media altenativos
- manifestações junto do parlamento (600-30 mil euros)
- agora são legais as ações de identificação aleatórias junto de minorias.
- agora são legais intervenções policiais sem a ordem pública ter sido ameaçada

segunda-feira, 30 de março de 2015

Centrais a carvão fecham

Imagem retirada daqui.

Reflexão - quem lê o Ambiente Ondas3 e quais as preferências?

No Ambiente Ondas3, as 3 textos mais populares dos últimos 8 dias foram, segundo a Google Analytics:
As visitas vieram, por ordem decrescente, de Portugal, do Brasil, dos EUA, de França, do Reino Unido, do Canadá, da Alemanha, de Moçambique, da Suíça e de Espanha

Proveniência, também por ordem decrescente, dos leitores de língua portuguesa: Espinho, Lisboa, Porto, Gaia, Ponta Delgada, São Paulo, Aveiro, Almada e Amadora.

Obrigado pela vossa preferência. Voltem sempre.

Mão pesada

O proprietário de um negócio de resíduos de pneus foi condenado a pagar multa de 700 libras e a pena de prisão suspensa por dois anos por armazenagem ilegal de pneus.

Bico calado

  • Mas quem é a Fitch para alvitrar a manutenção do centrão?
  • « Sei muito bem que a Direita e afins dispõem do poder do dinheiro, de uma Imprensa claudicante e de estipendiados sem escrúpulos, factótuns de quem está na sombra a mover os cordelinhos. Em muitas décadas de jornalismo adquiri uma espécie de sabedoria que me leva a dizer nunca ter visto uma situação como a actual. Pertenço a uma geração que chegou aos jornais extremamente politizada e com uma informação cultural e ideológica nunca antes vista. E quando do 25 de Abril, alguns de nós admitimos a esperança de que a nossa prática iria servir para alguma coisa. Fomos enganados e, sobretudo, traídos na nossa presunção. Uns burocratas desalmados tomaram a direcção das coisas; foi instituído o conceito de "distanciação" como factor de "independência" e de "imparcialidade" (que não existem) e serviram, apenas, os poderes instituídos; e os jornalistas passaram a ser meros reprodutores de insanidades ou serventuários de interesses cavilosos. Aliás, poucos profissionais de Imprensa ascenderam a lugares de direcção. Estes foram preenchidos por funcionários, destinados a "formatar" os jornais, com os jornalistas aquietados por medo de represálias. Sei muito bem do que falo.» Baptista Bastos in JNegócios 27mar2015.

domingo, 29 de março de 2015

Aveiro declarou guerra às árvores

Escola João Afonso, Aveiro. Foto: Rosa Pinho 27mar2015.
  • Definitivamente, Aveiro declarou guerra às árvores. Primeiro, na Escola Secundária Dr José Estêvão, depois, no Seminário de Santa Joana Princesa, agora na Escola João Afonso. Poder político e educativo unidos no arboricídio. Vergonhoso. Que fazem as autoridades educativas, diretores ou presidentes de agrupamentos de escolas? Comportam-se como meros burocratas de gabinete, permitindo um péssimo exemplo aos jovens a seu cargo. 
  • As florestas moçambicanas estão a ser dizimadas. Empresas chinesas, como a Yixing Madeira, contratam moçambicanos individualmente, contornando a lei e fugindo à obrigatoriedade de licenças adequadas que as obrigaria a replantar árvores. Os lenhadores submetem-se a este tipo de trabalho porque ganham mais do que se continuassem agricultores. A desflorestação provoca alterações climáticas que se manifestam na redução dos níveis de precipitação e na subida das temperaturas. Entretanto, evidenciam-se casos de enriquecimento ilícito entre políticos e funcionários governamentais graças ao suborno chinês.

Bico calado

Mª de Fátima Perestrello, embaixadora na Finlândia, põe de rastos imagem de Portugal. Tudo porque, tendo sido convidada para uma cerimónia presidida pelo ministro dos negócios estrangeiros daquele país, não se fez inscrever atempadamente. E, quando se apresentou para entrar, o segurança disse-lhe que não podia passar porque o seu nome não constava da lista de inscritos. A embaixadora foi aos arames e perguntou ao segurança com altivez: «Você não sabe que sou a embaixadora de Portugal e que o meu pai também foi embaixador?» in Clube dos Jornalistas 11mar2015.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Algarve: Festival de Surf cancelado por desinteresse das empresas

Praia de Santa Bárbara, Ribeira Grande, São Miguel. Foto: Mário Nelson 11mar2015.

Mão pesada

Bico calado

«Para a direita chouriço, embrutecida pelo reacionarismo, a esquerda caviar, aquela que tem bom gosto, educação, cultura e aprecia os prazeres da vida, é uma afronta. E porquê? Porque a direita chouriço considera que o povo, e ainda mais o povo de esquerda, deve viver na miséria, não ter dentes, contentar-se com pouco, ou nada. A felicidade é coisa para os muito ricos que a direita chouriço venera e protege custe o que custar. Se a esquerdalha começa a gostar das coisas boas onde é que isto vai parar?» Leonel Moura, Esquerda caviar, direita chouriço in JNegócios 19mar2015.

quinta-feira, 26 de março de 2015

Ar condicionado a céu aberto?

Furnas, S. Miguel-Açores. Foto: Paulo Machado 23mar2015.

Mão pesada

Bico calado

  • Gibraltar vai processar o jornal espanhol ABC por este lhe ter chamado paraíso fiscal, alegadamente albergando atividades de 15 grupos ligados a contrabando de droga, lavagem de dinehiro e à máfia russa. Gibraltar subscreveu, entretanto, a FATCA, uma norma internacional que obriga os bancos estrangeiros a revelarem a identidade dos americanos com contas no estrangeiro superiores a 50 mil dólares sob pena das contas desses cidadãos serem congeladas.
  • CDS quer tirar vídeo dos submarinos da internet.
  • O ex-ministro das Finanças grego Yorgos Papakonstantinu foi condenado a um ano de prisão com pena suspensa, por falsificação de documentos no âmbito da denominada "lista Lagarde". O Ex-ministro fora acusado de falsificar uma lista de nomes de gregos com contas não declaradas na Suíça para retirar nome de familiares. 
  • Julgamento de Rafael Marques continua em Abril.
  • Diplomatas angolanos atacam jornalista holandês que investigava abusos na imunidade diplomática.
  • A costa norte de S. Miguel parece reforçar a sua substância de análise político-partidária. É ler (1) Osvaldo Cabral e (2) Rúben Correia, respetivamente do Pico da Pedra e de Rabo de Peixe:(1) «(...)  há uma deriva para o partido nos Açores se curvar aos órgãos dirigentes de Lisboa, os mesmos que não tiveram vergonha de propor acções disciplinares a Mota Amaral por ter votado contra as propostas orçamentais que Passos propôs para os Açores. A retaliação é própria de gente fraca (...)» Osvaldo Cabral: (2) «Poucos foram os militantes micaelenses presentes naquele Congresso, mas muitos foram os independentes que lá marcaram presença. Estranho é constatar que certas figuras, independentes por natureza, sempre contestaram os Partidos e os políticos. Mas, à primeira oportunidade, mal tiveram o pelouro garantido (ou prometido...), injetaram-se de ideologias até então renegadas, derrubando aqueles que nasceram com este ADN» Rúben Correia.

quarta-feira, 25 de março de 2015

Espinho: Esgotos vertem para ribeira


Esgotos vertem diretamente para a Ribeira do Mocho. 
É em Espinho, a sul da rotunda dos cubos coloridos da rua 19.
Quem foi que disse que Espinho era uma cidade encantada?

Checos importam cavalos selvagens britânicos

Foto retirada daqui.

Bico calado


Pode uma advogada que defende, com sucesso, grandes empresas acusadas de violações ambientais, processar um vizinho por causa das alegadas perturbações causadas por esse mesmo vizinho fumar dentro da sua própria casa? Acontece na capital dos EUA.

terça-feira, 24 de março de 2015

Noruega exportou baleia contaminada para o Japão

Rãs a prociar em Berwyn Moors, North Wales. Foto: RichardBowler/Rex Features.

A Noruega tem exportado para o Japão carne de baleia-de-mink com vestígios de pesticidas tóxicos, denunciaram a Environmental Investigation Agency (EIA) e o Animal Welfare Institute (AWI) citando documentos do governo nipónico. O Japão terá recusado importar mais baleia da Noruega por ela conter elevados índices de aldrina,  dieldrina e clordano, responsáveis por nascimentos com defeitos, danos neurológicos e cancro.

Mão pesada

Bico calado

  • A Associação Académica de Coimbra recusa convite para almoçar com Passos. «O dia do estudante é para estar com os estudantes e reivindicar melhores condições para o ensisno superior. Não é para almoçar com o primeiro-ministro. Estamos sempre disponíveis para reunir, mas não num dia como amanhã. Até porque não é em almoços que se vão decidir grandes mudanças», explica Bruno Matias, presidente da AAC.
  • Diamantes de Sangue, de Rafael Marques- GRATUITO, AQUI.