quinta-feira, 26 de maio de 2016

Petrolífera bloqueia presença de jornal

Salto Angel, Venezuela – a maior queda de água do mundo.
  • A Exxon rejeitou o pedido de presença de jornalista do The Guardian na sua assembleia geral anual que começou em Dallas, Texas. Argumento: falta de objetividade por parte do jornal sobre as alterações climáticas e alinhamento com ativistas anti petróleo e anti gás.
  • A Câmara dos Representantes aprovou a lei Zika Vector Control com o objetivo de ajudar a combater a eventual propagação do vírus Zika nos EUA. A oposição e os ambientalistas já denunciaram a atitude: o vírus Zika foi utilizado para permitir as zonas húmidas de serem pulverizadas com pesticidas. Think Progress.
  • Foi declarado o estado de emergência em 11 distritos da selva para combater a generalização do envenenamento da população por mercúrio provocado pela mineração ilegal de ouro. Vice.

Mão pesada

Serra da Estrela. Foto captada aqui.

Funcionários da Green Box Recycling Kent Limited foram multados em mais de 25 mil dólares por despejo e queima ilegal de resíduos de madeira em Marlow Farm e Tanglewood. GovUK.

Bico calado

Água Peideira – Furnas, S. Miguel, Açores. Foto de Evangelina Sousa.

«O ódio de José Rodrigues dos Santos à esquerda é já bem conhecido. Recentemente vimos como, no seu estilo apocalíptico, dramatizou a notícia de que a dívida pública estava próxima dos 130% do PIB. O motivo é claro: quer atacar a solução actual de um Governo PS apoiado pela esquerda. A mesma notícia nos tempos do governo das Direitas não mereceu esse escândalo. Uma vergonha para o jornalismo português. Outro episódio que ilustra bem o estilo faccioso, apocalíptico e manipulador de José Rodrigues dos Santos (JRS) foram as vergonhosas reportagens nas vésperas das eleições gregas de Janeiro de 2015, quando já se previa a vitória do Syriza. Há décadas que não se ouvia na TV tanta ênfase e tanta repetição da expressão “extrema-esquerda”. O aprendiz de feiticeiro JRS subiu agora um degrau académico na manipulação, chegou à história das ideias políticas. Em entrevista ao "Diário de Notícias", diz que os seus livros “'As Flores de Lótus' e 'O Pavilhão Púrpura' mostram realidades” e que “o facto de que o fascismo é um movimento que tem origem marxista, por exemplo, é uma das demonstrações feitas nesta saga”. A ficção de JRS demonstra! Que bela ciência política! Na entrevista ao jornal "i" insiste nessa ideia e vai mais além: “Uma das coisas que hoje não se sabe, mas que é verdadeiro, é que o fascismo é um movimento de origem marxista”, “pouquíssima gente sabe isto”, sublinha. E depois, arrogando-se de exímio conhecedor da história das ideias políticas, decreta que o fascismo, “em certos aspectos, é mais ortodoxamente marxista do que o comunismo”. Onde acaba a manipulação e começa a ignorância de José Rodrigues dos Santos é um segredo da "Fórmula de Deus". O mais relevante nesta história é que a vítima principal deste discurso de ódio é a cultura democrática.» Bruno de Góis in José Rodrigues dos Santos é manipulador ou ignorante?Público 24mai2016.

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Monsanto rejeita oferta da Bayer

Manhouce, Foto de Carlos Poças, 23mai2016.
  • Em Oklahoma há proprietários que andam a registar o espaço aéreo sobre os seus terrenos com o objetivo de impedir a instalação de eólicas. The Oklahoman. Muito espertos. O registo de propriedade dos seus terrenos não impede a indústria da fraturação hidráulica de os invadir para extrair gás e petróleo.
  • A gigante de sementes transgénicas e de herbicidas Monsanto rejeitou a oferta de 62 biliões de dólares avançada pela Bayer para a comprar. Os administradores querem mais. Até porque em dezembro passado, a Dow Chemical e a DuPont juntaram-se por 130 biliões, e, em fevereiro, a ChemChina comprou a Syngenta por 43 biliões. HP.
  • Há canais em Phnom Penh, no Camboja, totalmente entupidos por resíduos plásticos. The Guardian.

Mão pesada

Gerês. Imagem captada aqui.
  • O Comando-local da Polícia Marítima de Peniche desenvolveu, no passado dia 20 de maio, durante a tarde, uma ação de fiscalização no espelho de água da Lagoa de Óbidos, com o objetivo de combater a prática de pesca ilegal, assim como utilização de artes ilegais. A operação resultou na identificação e autuação de dois indivíduos que se dedicavam à pesca de choco, a bordo de embarcação de recreio, utilizando para o efeito, canas de pesca com toneiras acopladas, prática proibida por lei. Foram apreendidas quatro canas de pesca e 6,5 kg de pescado que, por se encontrar vivo, foi devolvido às águas da Lagoa. No decorrer da ação, foram ainda detetadas, recolhidas e aprendidas artes caladas, identificadas como covos, cuja utilização é proibida na lagoa, uma teia com 30 nassas de malhagem ilegal e artefactos de fabrico artesanal, que se destinavam a serem utilizados como viveiros, contendo no seu interior 10 kg de enguias que, por se encontrarem vivas, foram também devolvidas ao seu habitat. AMN.
  • Os organizadores do festival de Glastonbury foram multados em 31 mil libras por responsabilidades na contaminação do rio Whitelake com esgotos não tratados. GovUK.

Bico calado

Escultura de Liu Qiang.
  • «Penso que é altura de fazer um favor ao “Dr. João Alvarenga” e não despejar mais dinheiro nos seus campos de golfe e de ténis. Talvez voltar ao básico: ter escolas públicas decentes, inteiras e com professores motivados. Discutir como a podemos melhorar - e há muito para melhorar. Resolver os problemas das escolas que são de todos e para todos e deixar os doutores alvarengas deste país tratarem, com o seu dinheiro, dos seus negócios. Se João Alvarenga está preocupado com a liberdade de escolha, talvez se reduzir o luxo desnecessário dê para, como se fazem em algumas escolas, garantir bolsas de estudo com ensino gratuito para alunos mais pobres. Isso sim, era de valor.» Daniel Oliveira in FB.
  • A indústria farmacêutica continua a ser a principal investidora no mercado de publicidade televisiva. CM.
  • «Vem isto tudo ainda a propósito do polémico segmento do telejornal de há umas semanas onde José Rodrigues dos Santos explica, à sua maneira, como evoluiu a dívida pública portuguesa. É evidente que se trata de uma explicação enviesada, que selecciona certos dados e escamoteia outros, que possui como subtexto a ideia de que a dívida é da responsabilidade exclusiva dos governos do PS. Esse subtexto recorre a dados verdadeiros mas é desonesto porque escamoteia tudo o que não valida a tese do pivot e, por isso, o segmento inscreve-se no que se chama “propaganda”, algo de que os jornalistas se devem abster, mas é curioso verificar que as críticas feitas a JRS foram classificadas pelo próprio e por outros campeões da objectividade como “censura”. Porque é que isso é curioso? Porque essa reacção prova que o segmento de JRS não foi uma falha inconsciente, que o próprio estaria disponível para corrigir, mas um gesto intencional, um enviesamento deliberado. (…) Sectarismo nos temas escolhidos, nos testemunhos que recolhem, nas opiniões que valorizam, nos comentários que solicitam. Um sectarismo que se caracteriza pela defesa geralmente subtil, às vezes nem isso, das posições mais reaccionárias e mais próximas dos poderes fácticos mais poderosos. O segmento de JRS sobre a dívida não é mais nem menos sectário do que todos os outros feitos pelo próprio e, por isso, não merece maior escândalo. O que merece indignação é que a RTP continue a não conseguir praticar um jornalismo respeitável e independente. (…) Há bom jornalismo na RTP, mas ele aparece sempre nos interstícios de um discurso que não foge da narrativa hegemónica da direita neoliberal, dos terrores dos “mercados” aos ralhetes de Bruxelas, da respeitabilidade da banca aos riscos em que uma política de esquerda nos coloca. José Rodrigues dos Santos diz, em resposta às supostas pressões, e bem, que o jornalismo deve ser independente do Governo. Eu também acho. Teria gostado que ele próprio o tivesse sido no governo anterior e gostaria que o fosse agora. Mas duvido que saiba como isso se faz.» José Vitor Malheiros in Da vergonha alheia que se sente ao ver telejornaisPúblico 24mai2016.

terça-feira, 24 de maio de 2016

Sindicatos europeus exigem precaução em relação ao glifosato


Algures em Couto de Esteves.
  • O Governo dos Açores, através da Secretaria Regional da Agricultura e Ambiente, acaba de disponibilizar uma nova aplicação para telefones móveis dos Parques Naturais dos Açores. A nova aplicação promove a exploração dos Parques Naturais dos Açores, disponibilizando informação variada sobre o Parque Natural de cada uma das ilhas do arquipélago, permitindo que o visitante pesquise todas as valências que cada um tem para oferecer. NA.
  • Atividades como a pesca e os banhos deviam ser proibidas no rio Ave, sugere o BE. Tudo porque foram identificadas quatro estirpes de bactérias isoladas na água do rio Ave, todas 'Escherichia coli', com grande capacidade de resistência aos antibióticos, incluindo aqueles que se usam exclusivamente nos hospitais para tratamento de infeções graves (carbapenemos). DN.
  • As federações sindicais europeias exigem que a União europeia assuma uma atitude de precaução em relação ao uso do glifosato, o herbicida mais popular do mundo. Embora tenha sido considerado potencialmente cancerígeno para os humanos pela Organização Mundial de Saúde, ainda é usado nos campos e em sítios públicos. Sustainable Pulse.
  • Em Dublin, o número de utilizadores de bicicleta atingiu o máximo em 20 anos: 11 mil por dia. The Irish Times.
  • A floresta de Woodburn, em Co Antrim, Irlanda, tornou-se palco de lutas contra geólogos que exploram petróleo e moradores preocupados com a poluição e a contaminação da água. The Irish Times.
  • A Tailândia é um dos países onde é mais perigoso denunciar abusos cometidos por interesses ligados ao carvão, ao abate ilegal de floresta e ao despejo de resíduos perigosos. Cerca de 60 pessoas foram abatidas nos últimos 20 anos por isso. Agora, o fotógrafo Luke Duggleby  exibiuem Geneve 37 fotos dessas vítimas, todas elas tiradas nos sítios onde foram assassinadas. NYTimes.

Reflexão - quem lê o Ambiente Ondas3 e quais as preferências?

No Ambiente Ondas3, os três textos mais populares dos últimos oito dias foram, segundo a Google Analytics:


Durante o mesmo período, as visitas vieram dos seguintes países, por ordem decrescente: Portugal, Brasil, EUA, França, Espanha, Alemanha, Reino Unido, Austrália e Canadá.

Ainda durante este período, a proveniência, também por ordem decrescente, dos leitores de língua portuguesa foi a seguinte: Espinho, Lisboa, Porto, São Paulo, Coimbra, Matosinhos, Gaia, Amadora, Ponta Delgada.

Obrigado pela preferência. Voltem sempre!

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Barcelona devolve ruas aos moradores


Imagem captada aqui.
  • O Comando-local da Polícia Marítima de Caminha colaborou em mais uma ação de repovoamento de 3600 salmonídeos, no Troço Internacional do Rio Minho, promovida pela Comissão Permanente Internacional do Rio Minho. AMN.
  • Barcelona vai avançar com um plano radical para devolver as suas ruas aos moradores. Os objetivos são reduzir a poluição do ar e sonora, e promover a coesão social tornando as ruas locais de encontro privilegiado entre gerações. O orçamento é de 10 milhões de euros. The Guardian.
  • O município de Hounslow, em Londres, vai instalar 6 mil painéis solares no telhado do Western International Market. Os painéis vão produzir 1,73 MW e serão apoiados por 4 baterias de lítio de 60kW que armazenarão a energia excedente. The Guardian.
  • O Prospect Park, em New York, está a usar cabras em vez de herbicidas para controlar as chamadas ervas daninhas. The Guardian.
  • O Punjab, no norte da Índia, inaugurou a maior central solar mundial instalada em telhados. Os seus 11.5 MW vão fornecer energia a 8 mil casas. Mashable.

Reflexão – O perigo da amêijoa contaminada que continua a ser apanhada no Tejo

Imagem apanhada aqui.

A praia da vila do Samouco, concelho de Alcochete, no distrito de Setúbal, é palco privilegiado da apanha amêijoa-japonesa. A atividade está interdita no Tejo devido à presença de fitoplâncton produtor de toxinas marinhas, detetadas por análises realizadas pelo Instituto Português do Mar e Atmosfera. As multas variam entre os 600 e os 3400 euros, dependendo acima de tudo da reincidência no crime.

«São centenas de pessoas que diariamente se dedicam à apanha ilegal de amêijoa no estuário do Tejo. Assim que saem do rio quando a maré começa a encher, têm à sua espera receptadores igualmente ilegais que vão enchendo carrinhas depois de pesarem os bivalves em balanças comerciais pagando valores irrisórios por quilo (entre 8 cêntimos e 5 euros). Depois vendem-no em Espanha e Portugal pelo dobro do valor pago aos mariscadores (de 8 a 12 euros) (…) Segundo a GNR, é raro o dia em que os militares não façam apreensões de amêijoa e de instrumentos de apanha e identifique mariscadores e intermediários ilegais, mas estes acabam sempre por voltar quando a maré baixa, faça chuva ou sol, porque o negócio, (…)  é para muitos uma mina de ouro. Nos primeiros quatro meses deste ano, a GNR já apreendeu 58 toneladas de amêijoa-japonesa um pouco por todo o país. Estimam que cerca de 90% seja retirada do estuário do Tejo.»

Muitos se queixam deste verdadeiro «cancro», acusando as centenas de mariscadores de abandonarem lixo por todo o lado e de não respeitarem ninguém. «(…) saem da água e despem-se com toda a gente a ver, exibindo a nudez.» No lixo até aparecem «fraldas usadas pelos mariscadores para se manterem mais tempo no mar».

Autarcas locais consideram esta atividade «uma ameaça para o ambiente, para a saúde pública e uma economia paralela que ninguém controla». 

«Muita desta amêijoa entra num mercado de candonga, com vendas às escondidas nas ruas ou para vendas em alguns restaurantes. Esses restaurantes misturam esta amêijoa com a amêijoa legal, ensacada, depurada e com selo de garantia».

«Várias pessoas ficaram gravemente doentes (…) contaminadas com toxinas que causam gastroenterites graves e, em alguns casos, com materiais pesados, que podem causar cancro».

Luciano Alvarez in Um negócio ilegal feito às claras por gente que não gosta de fotografias - Público 15mai2016.

Mão pesada


  • O Comando-local da Polícia Marítima de Lisboa desenvolveu uma operação policial marítima no rio Tejo, dirigida à pesca ilegal da corvina, que resultou na apreensão de três embarcações, uma rede e 20 Kg daquela espécie piscícola. AMN.
  • A construtora Miller Homes Ltd, de Edimburgo, foi multada em 102 mil libras por despejo ilegal de água com lamas numa linha de água em Lindley Park. GovUK.

Bico calado

Imagem apanhada aqui.

«Para a nossa direita liberal as empresas privadas vão à falência, porque deixam de ter clientes, e é bem feito, é o mercado a funcionar. Já escolas privadas irem à falência porque o Estado vai deixar de ir lá gastar é um ai valha-nos o Cristo que é uma infâmia! Posto isto, exijo subsídio estatal porque quero tomar banho de imersão em água Castelo. Quero poder optar pelo privado na esfrega das partes privadas. Quero ser um cidadão com direitos especiais apenas porque não me sinto satisfeito com a água do serviço público à minha disposição; para mim tem pouco gás e a outra é melhor. Paguem, se faz favor. A ideia do PSD/CDS é pagar duas vezes a educação dos miúdos: investimos na escola pública e depois ainda pagamos a outra para esvaziar a que pagámos.» João Quadros in Minha rica escolaJNegócios 13mai2016.

quinta-feira, 19 de maio de 2016

PSD, CDS e PCP chumbam iniciativa do BE sobre glifosato em meio urbano



  • Os grupos parlamentares do PCP, do CDS-PP e do PSD chumbaram o projeto de lei do BE que proibia o uso do glifosato em espaços urbanos, enquanto PS, PEV e PAN votaram favoravelmente ao lado dos bloquistas. «Entretanto, o PCP apresentou também um projeto de resolução recomendando ao Governo medidas para controlar os fitofármacos e sua aplicação sustentável, nomeadamente através da criação de uma comissão multidisciplinar para acompanhar esta área». RTP. «Nas Assembleias Legislativas Regionais dos Açores e da Madeira, o PCP apresentou propostas para a proibição total do glifosato. Em várias Assembleias Municipais, incluindo Lisboa e Almada, o PCP tem votado pela proibição do glifosato em espaço público. A Câmara Municipal de Évora, presidida pelo PCP, anunciou que já deixou de usar glifosato. Ou seja, o PCP não chumbou o projeto-lei porque a ideia era má. A proposta era má porque vinha do Bloco. É caso para dizer que o sectarismo faz mal à saúde», atacou Nelson Peralta, do BE. Lamentável. Ainda fui tentado a pensar que teria sido por influência do último relatório apressado publicado pela ONU sobre a possibilidade de o glifosato não ser potencialmente cancerígeno. Mas não, aquilo tudo terá sido para salvaguardar a apresentação e o debate de uma proposta de formação de mais uma comissão que vai polir cadeiras e derreter tempo e dinheiro enquanto milhares de quilolitros de glifosato se infiltram nos terrenos e contaminam as águas subterrâneas, as tais de que nos abastecemos e que depois saem na nossa urina, como aliás revelaram as análises à dita dos 48 eurodeputados. O PCP corre o riso de ser apontado como responsável da perda de uma oportunidade histórica de, rejeitando a proibição do uso do glifosato, não ter contribuído para a melhoria da saúde dos portugueses. Entretanto, a Direita goza e aplaude a desunião das Esquerdas e a Monsanto e adjacentes esfregam as mãos ao som de dinheiro a tilintar. Dinheiro que será tão útil para alimentar lóbis que, pressionando eurodeputados, conseguem a perpetuação de situações nada salutares.
  • O consórcio Repsol/Partex vai avançar em outubro com a exploração de gás natural no Algarve, segundo o presidente executivo da Partex, António Costa Silva. O poço será entre 40 e 50 Km da costa de Faro. DV. A Algarve Surf & Marine Activities Association (ASMAA) tem liderado os protestos contra a exploração de gás e petróleo no Algarve.
  • A nova Estação de Biodiversidade da Ribeira de Quarteira, localizada em Paderne, Albufeira, vai ser inaugurada na próxima segunda-feira, anunciou a autarquia. A estação estende-se ao longo de um percurso pedestre de dois quilómetros, sinalizado através de um conjunto de painéis com informação detalhada sobre a diversidade biológica do local.  DO.

Bancos aconselhados a não apoiarem projetos carboníferos

Imagem extraída daqui.
  • Os 4 principais bancos australianos foram aconselhados a não fornecer empréstimos para investimentos em projetos ligados ao carvão. The Guardian.
  • Ambientalistas, canoístas, aldeões e políticos apelaram ao governo da Albânia a suspensão da construção de barragens para não destruir o Vjosa, um dos últimos rios selvagens da Europa. Reuters.
  • O executivo camarário de Portland, no Oregon, juntou-se a outras 6 cidades da costa oeste norte-americana, num processo judicial contra a Monsanto, acusando-a de ter contaminado o rio Willamette com PCBs, compostos utilizados no fabrico de tintas, óleos de arrefecimento que foram proibidos em 1979 por serem potencialmente cancerígenos. High Country News.

Mão pesada

A Plains All American Pipeline pode ser multada em 2,8 milhões de dólares por responsabilidades no derrame de petróleo na costa de Santa Barbara, Califórnia, que provocou o encerramento de duas praias e de aquiculturas e a morte de muitos animais marinhos. Think Progress.

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Mexia: EDP tem pouca capacidade para gerir caudais do Tejo

Imagem captada aqui.
  • O Festival Marés Vivas vai regressa à Praia do Cabedelo. O executivo camarário de Gaia alega que, por causa da providência cautelar interposta pela Quercus, a preparação do evento no novo local ficou demasiado atrasada, pelo que que irá imputar os prejuízos resultantes a «todos aqueles que torpedearam» o evento. Público. Pormenores do imbróglio aqui.
  • O presidente do conselho de administração da EDP, António Mexia, afirmou no parlamento português que a empresa tem uma gestão «muito limitada» nos caudais do rio Tejo e que pouco poderá fazer para minimizar os impactos ecológicos. Lusa/Mediotejo. Claro, a empresa parece só ter capacidade para providenciar remunerações milionárias a certos diretores e executivos.


Presidente de câmara esconde impactos negativos da poluição do ar em escolas de zonas pobres

Imagem captada aqui.
  • O autor de um relatório sobre os altos índices de poluição que, em Londres, afetam desproporcionalmente as escolas mais necessitadas garante que o executivo camarário de Boris Johnson reteve os resultados negativos do estudo, apenas divulgando os positivos. The Guardian.
  • A revista alemã Spiegel Online diz ter tido acesso a planos da Comissão Europeia para promover a indústria nuclear até 2030, todos contrários à política alemã nesse setor e que é a da progressiva desativação dos seus reatores até 2022. DW.
  • Dezenas de manifestantes protestaram junto das instalações da Florida Power & Light, por causa de fugas radioativas verificadas na central nuclear de Turkey Point. Os ânimos exaltaram-se quando os consumidores souberam que teriam de desembolsar 50 milhões de dólares apenas para a limpeza e descontaminação provocada pela fuga. Os ambientalistas estão preocupados com a eventual contaminação do aquífero de Biscayne. CBS Miami.
  • As autoridades chilenas estão investigando a indústria da aquacultura de salmão na sequência de uma maré de algas transportando neurotoxinas ao longo centenas de milhas ao longo da costa da Patagónia, o que provocou protestos dos pescadores e o estado de emergência. Os cientistas atribuem essa maré à subida das temperaturas das águas do mar, ao despejo de salmão podre no alto mar e à enorme quantidade de fezes produzidas na aquacultura concentrada. The Guardian.
  • John Church, um eminente cientista climático, foi despedido por telefone da Commonwealth Science and Industrial Research Organisation (CSIRO) enquanto levava a cabo pesquisas algures entre a Nova Zelândia e a Antártica. Os protestos não se fizeram esperar: cerca de 3 mil pessoas subscreveram uma carta a condenar a decisão e Al Gore sugeriu a revisão da atitude tomada. The Sydney Morning Herald.

Reflexão: O glifosato é ou não potencialmente cancerígeno? Onde se escondem os conflitos de interesses e como se disfarça o cinismo?

Imagem captada aqui.

Lembram-se de a Organização Mundial de Saúde ter concluído que o glifosato era potencialmente cancerígeno para os humanos? Também se lembram da recente conclusão da mesma OMS de que o glifosato não era potencialmente cancerígeno para os humanos? Pois bem, descobriu-se que no painel que garantiu que o glifosato não era potencialmente cancerígeno havia conflitos de interesses. O JMPR, o instituto co-dirigido pelo presidente da reunião conjunta da ONU sobre resíduos de pesticidas, recebeu milhões da Monsanto, que, como há muito se sabe, utiliza o glifosato como substância ativa do seu popular herbicida Roundup.

«O professor Alan Boobis, que presidiu à reunião conjunta FAO/OMS da ONU sobre o glifosato, também é vice-presidente do Instituto Internacional de Ciências da Vida (ILSI) Europa. O co-presidente destas sessões foi o professor Angelo Moretto, membro do conselho de administração do Health and Environmental Services Institute da ILSI, e do grupo Risk21, juntamente com Boobis. Em 2012, o grupo ILSI recebeu 500 mil dólares da Monsanto e 528 mil do grupo Croplife International, que representa, entre outras, a Monsanto, a Dow, e a Syngenta.» The Guardian.

Parece que a ONU está mesmo a precisar de uma boa barrela.

Sobre esta temática, convém (reler) o que o Ambiente Ondas 3 escreveu segunda-feira, 16 de maio.

terça-feira, 17 de maio de 2016

Recorde de produção de energia das renováveis não obra milagre de descida de preço

Imagem captada aqui.

Durante 4 dias e num total de 107 horas, Portugal só consumiu energia renovável. O recorde foi estabelecido entre as 6:45 de sábado, 7 de maio, e as 17:45 de quarta-feira, 11 de maio, informa a TVI24.

Portugal ultrapassou, assim, a Alemanha na produção de energia proveniente de fontes renováveis. Por volta da 1h da tarde de domingo, 8 de maio, as renováveis forneceram tanta energia que os preços permaneceram negativos por várias horas, referiu o Ambiente Ondas 3.

Há ainda um pormenor interessante a sublinhar. Os consumidores alemães ficaram a saber que a energia das renováveis foi tanta que os preços se mantiveram negativos durante umas horas. Por outro lado, os consumidores portugueses ficaram sem saber para onde terá ido tanto dinheiro porque, pelos vistos, a energia das renováveis ainda não consegue fazer baixar os preços da energia ao consumidor. Dir-se-ia que nem a proximidade do 13 de maio conseguiu igualar o «milagre» ocorrido na Alemanha.

Ilha encerrada para não ser destruída pelo turismo de massas

Imagem retirada daqui.
  • A França iniciou um projeto de mil quilómetros de ruas com placas solares capazes de fornecer eletricidade a 5 mil pessoas. Diario Ecologia.
  • Centenas de ativistas ocuparam temporariamente uma linha de ferro de uma mina a céu aberto que fornece lenhite à central de Schwarze Pumpe, perto de Cottbus, no leste da Alemanha. Dezenas foram presos durante o segundo dia de protestos contra o carvão. DW.
  • Um fundo norueguês está a processar a Volkswagen para tentar ser indemnizado em 850 biliões de dólares por fraude nos sistemas de controlo de emissões dos seus veículos. The Independent.
  • A Greenpeace exigiu à Universidade de Washington uma investigação ao Dr. Ray Hilborn, um professor na sua faculdade de Aquatic and Fisheries Sciences, por ele se ter recusado a revelar ter recebido 3,5 milhões de dólares, entre 2003 e 2014, por pesquisa e serviços de consultadoria da indústria de pesca. Tudo porque Hilborn é um adversário dos regulamentos rigorosos destinadas a proteger níveis sustentáveis de populações de peixes. Hilborn defendeus-e informando que também recebeu patrocínios de pequenas comunidades piscatórias do Alaska como o Sierra Club Legal Defense Fund, o Natural Resources Defense Council e o Environmental Defense Fund. WhoWhatWhy.
  • O estado do Colorado acaba de legalizar o uso de barris para recolha de água da chuva. Até agora era proibido recolher, guardar e usar água da chuva no estado do Colorado. Think Progress.
  • No início de março, a Reuters informava que os Wampis, uma tribo amazónica de Mayuriaga, no Perú, tinha feito 8 funcionários públicos reféns com o objetivo de fazer o governo tomar medidas na sequência de um derrame de petróleo que contaminara pelos menos dois rios, um deles afluente do Amazonas. Alguém conhece o desenvolvimento desta notícia? Aliás alguém pode explicar o motivo pelo qual esta notícia tem passado despercebida? 
  • O ministro do Ambiente da Coreia do Sul anunciou que vai multar a Nissan em 280 mil dólares por batota cometida no sistema de controlo de emissões do modelo Qashqai. Reuters.
  • A pequena ilha de Koh Tachai, na Tailândia, vai encerrar para que o turismo de massas não a destrua por completo. Bangkok Post.