domingo, 14 de fevereiro de 2016

Duas ETARs encerradas e 16 pessoas interrogadas

Couto de Esteves 12fev2016. Imagem capturada aqui.
  • Os habitantes de Fairbourne, Gwynedd, no País de Gales, processaram o governo por este ter sido alarmista nas previsões acerca da subida do nível das águas do mar, o que provocou a desvalorização das usas propriedades. The Telegraph.
  • Duas ETARs foram encerradas e 16 pessoas, incluindo os presidentes das câmaras de Praiano e Amalfi, no sul de Itália, estão a ser interrogados por suspeitas de responsabilidade na contaminação de água do mar por esgotos não tratados. A situação não é única: Giorgio Zampetti, da Legambiente, refere que, em Itália, de 60 em 60 Km de costa, há um caso de água do mar poluída. 
  • O grupo dos irmãos Kohr estão por trás das enormes pressões e boicotes contra todo e qualquer tipo de iniciativas de investimento em energia solar em alguns estados dos EUA. Estados com elevado potencial energético solar como o Arizona, o Nevada e a Florida, não conseguem fazer avançar os seus projetos. A Florida proibiu a partilha de energia solar na rede pública. Tudo porque a administração deste estado tem estado nas mãos de jovens legisladores a tempo parcial, mal pagos, que, sujeitos a muita pressão, acabam reféns do lóbi dos combustíveis fósseis, que, pelos favores prestados, financiam não só uma ou outra mansão mas também patrocinam as suas campanhas eleitorais. No Arizona, não só conseguiram congelar os projetos de energia solar como fizeram impor aumentos na energia solar e que representaram mais 50 dólares mensais. O mesmo estão a tentar fazer no Nevada. Rolling Stone.

Imagem: dente-de-leão.

Mão pesada

A Armabridge Ltd foi multada em 15.760 libras por gestão ilegal de armazém de telhas de amianto em Torquay. GovUK.

Bico calado

  • Paraísos fiscais escondem e lavam dinheiro sujo da corrupção: uma animação (3:40), com legendas em português, produzido pela Plataforma Internacional de Jornalistas de Investigação, com o apoio do The Washington Post.
  • O gigante HSBC alojou dinheiro sujo proveniente de ditadores e de comerciantes de armas, revela uma investigação de jornalistas de 45 países.
  • «Bitte Herr Schäuble Portugal in Ruhe lassen! Wolfgang Schäuble, Ministro das Finanças alemão, acaba de fazer uma advertência/ameaça/chantagem a Portugal, indicando que "perturbar os mercados não é o melhor caminho". Schäuble, que em 1990 foi vítima de um desequilibrado que o condenou para sempre a uma cadeira de rodas, é um dos políticos no ativo mais antigos da Europa, e um dos responsáveis pela desastrosa condução económica feita a partir de Bruxelas. Pode-se entender que este homem, amante da mais absoluta austeridade, e cronicamente amargo desde que em 2000 teve de se demitir do ministério pela sua responsabilidade no financiamento ilegal do seu partido, a CDU, odeie agora os portugueses. Este homem detesta que os portugueses perturbem os mercados desde o século XIII, detesta que os portugueses comam, bebam, fodam, leiam, cantem e sejam um país soberano. Deixe Portugal em paz Herr Schäuble!» Luís Sepúlveda. FB.
  • «O mundo económico mundial está em ebulição, mas certas afirmações divulgadas por cá dão a entender que o furacão nasceu aqui, em Portugal. Até Wolfgang Schauble, o ministro alemão das Finanças, com tantas coisas para se preocupar, veio falar de nós, do nosso Orçamento e da necessidade de continuarmos a fazer as reformas que ele acha que temos de fazer. Parece um pouco exagerado concluir que o Orçamento do Estado 2016, elaborado por Mário Centeno, possa estar a ter este efeito devastador no planeta. Mas quem sabe? A economia é uma ciência tão pouco exata…(…) Das duas uma: ou a Comissão não acredita numa linha do que está escrito no Orçamento e então devia recambiá-lo e obrigar o Governo português a elaborar outro OE; ou se o aprova depois de tantas correções não tem o direito de vir dizer que é necessário preparar desde já e anunciar medidas adicionais. A Comissão e o Eurogrupo não fazem isto por questões técnicas. Fazem-no por questões políticas. Não querem nenhuma ovelha tresmalhada fora do rebanho. Não querem sobretudo maus (para eles) exemplos. Não querem que um Orçamento com orientações claramente diferentes das que eles defendem, apostado no crescimento através também (mas não só) de aliviar o peso fiscal que incide sobre os rendimentos das famílias e devolver salários que foram cortados durante a crise, possa ser aplicado e comprovar na prática que pode obter sucesso com muito menos dor social do que a alquimia que defendem. O que eles querem é que continue a flexibilização cada vez maior das leis laborais e dos despedimentos, a redução dos custos de trabalho para as empresas, a diminuição drástica de todos os apoios sociais, as privatizações de empresas públicas ou subconcessão a privados e o alívio da carga fiscal para as empresas mas não para as famílias. Tudo o que não alinhe por este diapasão tem de ser esmagado e, se possível, humilhado (como foi no caso da Grécia).(…) E quando provavelmente ia brotar um esplêndido mundo novo, eis que chega Mário Centeno com o seu Orçamento e as bolsas entram em derrocada, as taxas de juro disparam, o pânico instala-se! O ministro português das Finanças está seguramente a deixar os seus pares espantados – e ele próprio deve estar um bocadinho surpreendido com a balbúrdia que conseguiu provocar.» Nicolau Santos in Centeno deita abaixo a economia mundial – Expresso Diário 12fev2016. Via A Estátua de Sal.
  • Esteve 4 meses em funções, demitiu-se e foi condecorado por Cavaco. Demissão também é servir o país, diz Campos e Cunha. DN.

sábado, 13 de fevereiro de 2016

A conveniente educação ambiental nos EUA

Imagem captada aqui.
  • O governo de António Costa, através Portaria n.º 19/2016 de 8 de Fevereiro, revogou a Portaria n.º 874/93 de 14 de Agosto que proibia a caça na Reserva Natural da Serra da Malcata. A Quercus já informou que irá solicitar esclarecimentos ao Ministério do Ambiente e tomar todas as medidas ao seu alcance para que a Reserva Natural da Serra da Malcata possa continuar a exercer o seu papel na conservação das espécies e habitats em perigo
  • O Governo de António Costa autorizou o abate de mais de 14 mil árvores na zona do Tua para a segunda fase da construção da barragem nesta zona de Trás-os-Montes, invocando a utilidade pública, com caráter de urgência. A EDP fica, entretanto obrigada ao cumprimento de medidas compensatórias como a arborização com novos sobreiros e azinheiras de 146 hectares. RTP.
  • Apenas 38% dos estudantes norte-americanos aprendem que as alterações climáticas estão ligadas aos combustíveis fósseis, havendo professores que «leccionam» essa matéria durante menos do que uma hora POR ANO. Eric Plutzer, da Penn Styate University, coautor do estudo, afirma: «Achamos que isso nãoé boa preparação para os cidadãos defenderem políticas que vão ser essenciais não só para a sua própria geração como para as gerações viondouras». Estas lacunas vão tornar os jovens reféns de políticas de desinformação e de interesses corporativos.  The Guardian.
  • Christopher G. Wahmhoff, 37 anos, foi detido por escrever um texto no Facebook criticando o governador do Michiganm, o sr. Snyder, a propósito da maneira como geriu o grave problema da água contaminada que corria nas torneiras de Flint Ele já tivera problemas por protestar contra a expamnsão de um oleodutoi no estado. The AP.
  • Fugas de substâncias químicas na base aérea de Kadena poluíram as fontes de abastecimento de água de Okinawa, provam documentos oficiais norte-americanos. Segundo essas provas, 21 mil litros de agentes de extinção de incêndio, alguns tóxicos, foram, durante 15 anos, despejados na base por ocasião de alegados acidentes. Japan Times.

Reflexão: Aquecimento global, gentrificação e o fim da praia de Ponta Negra em Natal

Imagem captada aqui.
Aquecimento global, gentrificação e o fim da praia de Ponta Negra em Natal, 
por José Eustáquio Diniz Alves in EcoDebate.

«A praia de Ponta Negra, em Natal, foi estreitada pela ganância e a especulação imobiliária, visando ampliar o espaço do lucro da construção de hotéis, bares, restaurantes e demais malfeitorias que enfeiam e poluem a praia do Morro do Careca, ponto turístico mais famoso da capital Potiguar.

A praia de Ponta Negra ganhou muitos investimentos imobiliários nacionais e estrangeiros a partir de 1990, depois da construção da Via Costeira. A faixa de areia entre o mar e o calçadão ficou muito estreita e as pessoas e os turistas precisam se amontoar para curtir o calor e o espaço de lazer propiciado pelo vai e vem das ondas do oceano Atlântico. Há construções feitas em cima da praia e ao lado do Morro do Careca que foi espremido e sufocado pela burra e mesquinha avareza humana.
Acontece que enquanto os natalenses avançavam sobre o mar, o mar também avança sobre a praia e a costa devido ao aquecimento global provocado pelo aumento dos gases de efeito estufa e que provoca derretimento das geleiras e glaciares, elevando o nível dos oceanos. Neste confronto, quem vai perder, no longo prazo, evidentemente, é o egoismo humano.

Em 2012, um forte avanço do mar destruiu boa parte do calçadão da praia. O famoso ponto turístico ficou todo danificado e houve muitos protestos contra a ineficiência e o descaso da prefeitura. O acesso à praia ficou parecendo um campo minado e cheio de erosões. O acesso das pessoas (principalmente idosos) foi prejudicado por escadarias que cederam à força das marés, causando acidentes.

As fotos abaixo mostram os danos causados pelo avanço do mar que exige de volta as áreas tomadas pelas construções feitas para aproveitar a beleza do oceano e o aconchego da praia.

Atendendo aos interesses da elite que investiu suas riquezas e mora ou arrenda imóveis nos arredores da praia de Ponta Negra, a prefeitura de Natal gastou alguns milhões de reais para recuperar o calçadão e conter o avanço do mar (em detrimento dos investimentos na população mais pobre da cidade que nem tem esgoto sanitário e nem proteção contra a Dengue, a Chikungunya, o vírus Zika, etc.). O projeto foi progamado para ser entregue antes da Copa do Mundo de 2014. O resultado das obras, ao estilo farônico, foi encher a praia de pedras estreitando ainda mais a faixa de areia e dificultando o acesso à praia, conforme mostrado na foto abaixo. Porém, mesmo com todo o esforço de gentrificação da praia de Ponta Negra, as obras foram mal executadas e os danos não foram sanados. A foto abaixo mostra que as pedras não foram colocadas no tamanho projetado e o novo calçadão milionário já está danificado. As novas obras para amenizar o processo de erosão do calçadão deverão ter início apenas em 2016, com prazo para finalização antes das eleições municipais de outubro. Vão tentar recuperar o que já havia sido recuperado. Evidentemente é um trabalho de Sísifo. Na mitologia grega Sísifo foi condenado a rolar uma grande pedra com suas mãos até o cume de uma montanha, sendo que toda vez que ele estava quase alcançando o topo, a pedra rolava novamente montanha abaixo até o ponto de partida por meio de uma força irresistível, invalidando completamente o duro esforço despendido e obrigando-o a começar de novo.

Da mesma forma vai acontecer com o calçadão da praia de Ponta Negra. Com o aquecimento global e o aumento do nível dos oceanos, o mar vai reclamar de volta seu espaço e vai avançar impiedosamente sobre os interesses da especulação imobiliária. Não só o calçadão vai desaparecer, mas a própria praia vai desaparecer nos períodos de maré alta e a faixa de areia vai ficar tão estreita que inviabilizará o lazer e o turismo.

Este é um cenário inexorável. A dúvida é somente quando acontecerá, o que vai depender do ritmo de emissões de gases de efeito estufa e do aquecimento global, dos eventos extremos, dos furacões, dos tsunamis e da elevação do nível do mar. Infeliz Natal!»

Mão pesada

Nove tanzanianos foram acusados de participação no assassinato de um conservacionista britânico cujo helicóptero foi abatido durante uma perseguição, a caçadores suspeitos, levada a cabo no âmbito de uma patrulha na reserva de caça Maswa, no norte do país, perto do parque nacional de Serengeti, em 29 de janeiro. The Guardian.

Bico calado

Imagem captada aqui.
  • «O homem do dedo em riste voltou a atacar. "Estamos atentos aos mercados financeiros e acho que Portugal não pode continuar a perturbar os mercados", disse ontem Wolfgang Schäuble. Se o problema era o nervosismo dos mercados, o ministro alemão deve ter acalmado, deve. Ontem, o italiano La Repubblica: "Profundo Vermelho na Bolsa"; o espanhol El Mundo: "Os Mercados Duvidam da Solvência do Deutsche Bank"; o francês Le Monde: "Ações da Societé Général Mergulham"... Meu Deus, Costa, põe mão no Centeno, que a Europa não aguenta! O papel de Portugal nas finanças mundiais é tremendo. Portugal não é a minhoquice de Espanha (onde as perdas do IBEX, este ano, são só cem mil milhões de euros...), não, nós somos capazes de ondas gravitacionais negativas como só Schäuble e Einstein são capazes de prever, a cem anos ou já para a próxima crise. A Espanha só merece um raspanete: "O Eurogrupo descarta dar a Espanha a flexibilidade no défice que pede Rajoy" (ontem, El País). Ela é minorca economicamente e tem solidez política (tirando, claro, não ter governo e, a tê-lo, será com o Podemos, solução que pode estilhaçar o país, mas só na Catalunha...). Essa não assusta Schäuble. O problema, mesmo, é Portugal. Não chega o Centeno não pedir flexibilidade, prometer cumprir o défice e dizer ao Eurogrupo que tem medidas para o caso de "vir a ser necessário"... Tudo isto é estranho. Mas Schäuble ter tantos fãs em Portugal ainda é maisFerreira Fernandes in As más ondas gravitacionais de Portugal - DN 12fev2016.
  • «Miguel Portas é que tinha razão: o homem é um farsolas. Mente como ninguém, rouba como ninguém e bajula como ninguém, já cá se sabia. Agora confirmamos-lhe a pinta de comediante. De neoliberal, que o foi por pensamentos, palavras e obras, quer passar a ser social-democrata. O homem que se apoderou com gozo do memorando da troika, que quis ir mais longe do que Lagarde, Barroso e Merkel juntos, que nos chamou piegas por reclamarmos do gamanço constante e das condições de vida a andar para trás, vem agora, de mão a bater forte no peito, num acto de contrição mal amanhado, jurar sem corar que é, que sempre foi social-democrata, que foi obrigado a gamar salários e pensões, forçado - sob a ameaça de tiro e queda - a favorecer os ricos e enterrar os pobres. Por este andar, qualquer dia declara-se maoísta. Ou trotskista. Ou monge trapista. Ou malabarista. Não tem sensibilidade. Bom senso também não. Mas ninguém lhe desmente o jeito de farsante. E de meliante. Se por acaso o vir na sua rua, esconda a carteira, tranque o carro, feche-se em casa. E, sobretudo, não lhe siga os passos na grande marcha para o abismo.» Manuel Cruz in O mao da fita, Quatro Almas.
  • Oito maneiras de os milionários pagarem menos impostos: (1) Declarar menos rendimento do trabalho e mais rendimento do capital, sujeito a uma tributação inferior (2) Registar empresas em paraísos fiscais ou em países onde os lucros e os dividendos pagam menos imposto (3) Transferir imóveis para fundos imobiliários com um regime fiscal mais favorável (4) Abrir contas bancárias em países que fazem poucas perguntas (5) Usar «testas de ferro» para despistar o fisco (6) Mudar a residência (ou a nacionalidade) para outro país e usufruir dos benefícios fiscais para residentes não habituais (7) Aproveitar as brechas e os alçapões da lei e fazer planeamento fiscal agressivo com a ajuda de consultores especializados (8) Influenciar os legisladores - Visão 11fev2016.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Fuzeta e Beirinha contra exploração de petróleo

  • O Reino Unido, a França, a Irlanda e a Holanda registam um colossal atraso na concretização das metas estabelecidas a nível europeu para a produção de energia a partir de fontes renováveis, pelo que poderão ser alvo da aplicação de multas pesadas. Em 2014, 9 países, entre os quais Portugal, já tinham cumprido as metas estabelecidas para 2020. 
  • A Repsol/Partex vai explorar gás de xisto ao largo da Fuzeta. A tecnologia a usar é a fraturação hidráulica. Acontece que a costa algarvia é propensa a sismos, embora de pequena intensidade, como se pode ver aqui, pelo que os rebentamentos utilizados podem vir a potenciar a sismicidade na costa algarvia. Estudos feitos nos EUA sobre o assunto confirmam o mesmo. O contrato de concessão celebrado entre o governo português e o consórcio Repsol/Partex, não salvaguarda os danos que possam resultar do aumento da sismicidade associada aos rebentamentos, como algum desmoronamento de habitações ou outros. Também não estão salvaguardados os danos provocados por eventuais derrames que possam surgir e menos ainda os provocados pelos agentes químicos utilizados na fracturação hidráulica. Para alem dos efeitos ambientais, há ainda a registar a mortandade ou a migração de espécies piscícolas nas zonas concessionadas, bem como das margens de segurança que virão a ser impostas e que impedirão os pescadores do exercício normal da sua atividade. A Beirinha é o maior banco de pescada branca da costa algarvia e é com bastante preocupação que são encarados os efeitos nefastos tanto da prospeção como da exploração. Via Olhão Livre. Em finais de janeiro passado, a população da Carrapateira, Aljezur, mobilizou-se contra a prospeção de petróleo e gás na Costa Vicentina. A exploração por fraturação hidráulica está prevista no contrato da Petrofuel de Sousa Cintra e apesar de ainda não se estar nessa fase os receios já são muitos. 
  • A Espanha e a Irlanda lideram a sobre pesca europeia no Atlântico. Aliás, toda a frota da União Europeia excede em 13% o limite recomendado pelos cientistas, alerta o El País.
  • A Rússia vai proibir a importação de milho e soja transgénicos dos EUA. As autoridades russas dizem ter registado casos de contaminação alimentar naquelas importações e não querem correr o risco de fomentar a contaminação das suas culturas com transgénicos. Sustainable Pulse.

Bico calado

  • «Sabia que, desde 2012, o IRS subiu 28% em média para os portugueses, mas apenas 5% para os milionários? Sabia que, em Portugal, as grandes fortunas pagam 50 vezes menos do que noutros países desenvolvidos? E que, das famílias mais ricas do País, apenas 240 são conhecidas pelo fisco e nem todas pagam os impostos devidos?» Filipe Luís in Os ricos não pagam a crise – Visão 10fev2016.
  • «(…) Ver o CDS, que detinha os cargos de vice-primeiro-ministro e de ministro da Economia do anterior Governo, a pedir na Assembleia da República esclarecimentos sobre como foi possível, no final do consulado desse mesmo Governo, os administradores da Autoridade Nacional da Aviação Civil serem aumentados em 150%, passando os salários do respetivo presidente para cerca de 16 mil euros mensais, é falta de decoro! Saber que o Estado injetou cerca de 90 milhões de euros no Banco EFISA e que, depois, o vendeu por 38 milhões de euros a uma sociedade onde pontifica Miguel Relvas é, no mínimo, falta de decoro! Saber que a Direita calou propositadamente o que se passava no BANIF, procurando retirar o seu impacto do processo eleitoral é falta de decoro!(…)» Rui Sá in Haja decoroJN 8fev2016.
  • A HSBC Holdings PLC foi processado pelas famílias de cidadãos americanos mortos no México, que alegaram que o banco ajudou cartéis da droga na lavagem de dinheiro dos seus negócios, podendo, por isso ser considerado responsáveis pelas mortes. O banco pagou uma multa de 1,9 billiões de dólares em 2012 para resolver uma investigação criminal sobre a lavagem de 881 milhões por conta dos cartéis de drogas. IBTimes.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Espinho: PDM prevê arruamento em cima de cordão dunar


O novo PDM de Espinho, em discussão pública até 18 de fevereiro, «garante» (sic) o pleno funcionamento do aeródromo e «a disponibilidade de uma pista da ordem dos 1500 metros» (sic). 

Entretanto, prevê-se a abertura de um arruamento (E2) para garantir o acesso ao aglomerado habitacional da praia de Paramos em alternativa à atual via que atravessa a pista do aeródromo. Este arruamento está previsto a norte da atual via que atravessa a pista. Depois de atravessar o topo norte da pista, irá infletir para a esquerda e para sul, paralelamente à linha de costa, em cima de dunas que há anos sofrem forte e contínua erosão do mar e do vento. 

Isto contraria as estratégias gerais de mitigação de riscos, ao nível do planeamento estratégico. O próprio Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil de Espinho, p220-221, desaconselha a abertura de estradas paralelas à linha de costa, próximas do mar, em cordões dunares. A Agência Portuguesa do Ambiente emitiu parecer desfavorável acerca deste arruamento.

Sublinhe-se que o topo norte da pista há muito que desapareceu por ação da erosão. 
E é precisamente para esta zona que se pretende orientar um arruamento. A concretização deste arruamento colide com os objetivos estabelecidos de diminuição das pressões sobre a linha de costa e controlo da erosão costeira.

Onde está o bom senso? Onde está o estudo de impacto ambiental exigido por lei (Directiva europeia n.º 2001/42/CE, transcrita para o Decreto -Lei n.º 232/2007, de 15 de Junho, atualizado pelo Decreto-Lei n.º 58/2011 de 4 de Maio)? O estudo deveria estar disponibilizado na página eletrónica da autarquia…

Comunidade Autónoma de Madrid vai ter mais 400 Km de ciclovia


  • Tempestade de 8 de fevereiro em Saint-Guénolé, varreu para terra uma mistura de sal, algas mortas e resíduos de hidrocarbonetos sob a forma de uma espuma espessa.
  • A Comunidad Autónoma de Madrid anunciou a criação de uma ciclovia de 400 Km, circula, à volta de toda a região. O projeto visa «equilibrar e dinamizar a economia local, diversificar a oferta turística e criar empregos nos municípios.»
  • O Supremo Tribunal dos EUA bloqueou, por maioria tangencial, o projeto de Obama para reduzir as emissões das centrais de energia como meio para combater as alterações climáticas, conforme compromissos assumidos na cimeira climática de Paris. Bloomberg.

Reflexão - A quem interessa propagandear a existência de um alegado surto epidémico de microcefalia no Brasil?

Imagem captada aqui.

A quem interessa propagandear a existência de um surto epidémico de microcefalia no Brasil?
Jon Rappoport responde:

De repente, há um mês, apregoou-se que o Brasil tinha registado 4 mil casos de recém- nascidos com microcefalia. Posteriormente, médicos e investigadores confirmaram apenas 404 casos, mas apenas 17 desses tinham, de facto, relação com o vírus da Zika.
Com a mãozinha da Organização Mundial de Saúde, produziu-se uma campanha de alarme e de medo de tal envergadura que só pode interessar aos grandes laboratórios que se perfilam para produzir e comercializar as vacinas convenientes. Aliás, a Bharat Biotech garante ter produzido e patenteado a vacina contra o Zika há um ano, estando agora a fazer testes em animais. Aquele laboratório garante que conseguirá lançar no mercado um milhão de doses 4 meses depois de lhe darem a respetiva licença.

Entretanto, o negócio dos pesticidas disparou, uma vez que as autoridades brasileiras e não só decidiram aplicar pesticidas extensivamente na tentativa de eliminar o vírus. Dino Martins, entomologista do Quénia, considera que, embora os pesticidas possam reduzir a população de mosquitos adultos que transmitem o vírus, eles não conseguem eliminar a epidemia que ameaça tornar-se uma pandemia global, e avisa que a pulverização aérea é extremamente perigosa: «É uma solução rápida, mas a gente paga bem por ela, porque acabamos eliminando predadores de mosquitos, já para não falar na resistência aos pesticidas que os mosquitos vão ganhando».

Bico calado

  • «Em 2011 saíram de Portugal 100.978 pessoas. Em 2012 saíram 121.418. em 2013 foram 128.108. E em 2014 mais 134.624. de 2015 ainda não há dados finais mas tudo indica que aquele valor não se alterou significativamente. Ou seja, como resultado do processo de ajustamento, Portugal terá perdido mais de meio milhão de pessoas em idade ativa entre 2011 e 2015. E isso é um enorme problema para o futuro da economia portuguesa e para o país.(…) Com mais de cinco milhões de pessoas de origem portuguesa espalhadas pelo mundo, Portugal apresenta atualmente a taxa de população emigrada mais elevada da União Europeia (UE28) e é o sexto país em número de emigrantes. Ou seja, metade da população portuguesa vive no estrangeiro. E 10% desses cinco milhões deixaram o país nos últimos cinco anos.» Nicolau Santos in Como a emigração está a tramar o PIB - Expresso Diário 10fev2016.
  • «(…) Aquilo que vivemos foi uma primeira investida em regra da direita contra o governo do PS e contra a estratégia acordada por este com as restantes forças de esquerda. Uma primeira investida em regra contra uma política alternativa à austeridade e que teve como actores não apenas a direita nacional mas toda a direita europeia, com mobilização sincronizada pelo Partido Popular Europeu. Isso pode aceitar-se como normal. O que não é normal é que uma estratégia partidária deste tipo, - onde para a direita portuguesa contava mais obter uma derrota do governo português (pelo simples facto de ser do PS) do que a defesa dos interesses nacionais - tivesse tido uma tão entusiástica e sectária cobertura da imprensa em geral e dos jornalistas em particular. (…) Para desgraça de todos nós, o jornalismo é caro e o bom jornalismo mais caro ainda (porque exige profissionais de qualidade, equipas multidisciplinares com meios e tempo) e, por isso, a informação tem vindo a ser substituída com prejuízo por espaços com opinadores. O problema é que, não só a cobertura jornalística da política em geral é de um enorme sectarismo (muitos jornalistas são de direita e fazem propaganda das suas preferências políticas ou são maus e limitam-se a repetir o discurso hegemónico do poder, de direita) como os espaços de opinião estão invadidos por comentadores de direita ou do “centro” - alguns apresentados sob uma roupagem técnica como “economistas”, “politólogos” ou mesmo “jornalistas” - e estão praticamente desprovidos de uma visão alternativa. Qualquer jornalista sabe isto e sabe que isto é desonesto. O resultado é um brutal enviesamento da informação e da opinião oferecida aos cidadãos, que não podem deixar de aderir às teses que lhe são marteladas de manhã à noite, em particular pelas televisões, por falsas que sejam (como a tese do aumento da carga fiscal ou do ataque à classe média). E é por isso que todos conhecemos as mil coisas que podem correr mal na execução orçamental e que se fala tanto disso. A direita radical quer que este orçamento corra mal, que o governo caia e que o pais entre em bancarrota. Não está a olhar a meios para o conseguir. E o meio principal é esta lavagem ao cérebro que espera que se torne uma profecia auto-realizadora.» José Vítor Malheiros in Quando os jornalistas são o centro do problema - Público 9fev2016.
  • «Passos Coelho apareceu neste Carnaval com uma T- Shirt a garantir: Je suis social democrate! Eu cá vou levar uma a garantir que sou neto do Soldado Desconhecido, embora nenhum dos meus avós tenha ido à Grande Guerra. A turma dos Pinóquios e Arlequins que passam o ano inteiro a foliar e a fantasiar sobre economia nas TVs vai mascarada de vendedores de Calcitrin, que alivia a dívida e dá força ao défice. O cortejo do descaramento está na rua. A vergonha morreu atropelada pelos painéis e mesas quadradas dos estúdios de televisão e entrevistas à porta de asilos para velhinhos e feiras de agricultura. Pedro Passos Coelho mergulhou nas águas desagradáveis da oposição e saiu baptizado em social-democrata! (…) Os paineleiros neoliberais que enxameiam as sessões de lavagem ao cérebro das TVs não deram nem um ai nem um traque ao anúncio desta revelação de Pedro Passos Coelho. A questão não é a hipocrisia, nem a falta de princípios, nem mesmo a prostituição que tal silêncio revela entre a neoliberalagem, entre a libertinagem dos pregoeiros dos mercados. Com essas “virtudes” do quer fatura podem eles bem. São pagos sem NIB por elas. A questão é o que esse silêncio revela de ignorância elementar sobre o assunto a que são chamados a atestar. Sobre o básico do que é a social democracia.(…) Mas parece ser abaixo dos mínimos que neófitos da social democracia de Massamá ignorem, entre vários exemplos, os conceitos de “Bens Públicos” ou “Bens Coletivos” de um clássico da economia como Samuelson. Pro bono: ´”bens públicos” são indivisíveis e fornecidos a todos. É o caso de vias públicas, o ensino, a saúde, a segurança social. Onde estão os bens públicos do neo social democrata Passos Coelho? É típico da social democracia existirem empresas estatais nas áreas do crédito, da produção de energia, nos transportes e comunicações. Também é típico da social democracia preocupar-se com a distribuição da riqueza em vez de centrar a atenção na receita (taxas e impostos), como fazem os liberais. Isto depois do governo de Passos Coelho ter privatizado até as pontes de entrada na capital e do colossal aumento de impostos do doutor Gaspar! A social democracia de Passos Coelho é contra o típico da social democracia. É mais ou menos como uma típica feira do fumeiro com hambúrgueres! (…) Os sociais democratas de Passos Coelho deviam ir à catequese para aprenderem que o Estado social democrata e de bem se levantou entre as duas guerras do século passado contra dois ciclos económicos, para passar a ter uma palavra na regulação das crises. A intenção era manter o pleno emprego, ou perto disso, em vez de o promover e desregular, como fez Passos Coelho… Nos anos 30 do século passado os social-democratas suecos descobriram que o desemprego podia ser reduzido e a economia estimulada se o Estado seguisse políticas anticíclicas, Que a sociedade não podia ficar impotente perante os caprichos do mercado capitalista, que a economia podia ser controlada, e o bem estar dos cidadãos podia ser melhorado através do papel ativo do Estado. Esta foi a descoberta dos social-democratas. Passos Coelho e os seus seguidores fizeram exactamente o contrário durante os seus quatro anos de desgoverno. Agora são social democratas! Sempre! No próximo Verã estarão a prometer gelados aos miúdos que vão à praia.(…)» Carlos de Matos Gomes in Je suis social democrateA Viagem dos Argonautas.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Espinho: Campo de Golfe ampliado com mais buracos ou com hotel?


O novo PDM de ‪‎Espinho‬‬‬‬‬, agora em discussão pública, prevê a expansão da área a ocupar pelo Campo de Golfe.

Por um lado, este novo ‪‎PDM‬‬‬‬‬ «admite» (sic) a implantação de «empreendimentos turísticos da tipologia de estabelecimento hoteleiro» (sic). O artigo 38 do seu Regimento refere apenas dois pormenores para o Regime de edificabilidade: (1) «o índice de utilização não seja superior a 0,05, e (2) a altura da fachada não ultrapasse os 7 metros». O número máximo de quartos é omisso, tal como são omissos outros pormenores normalmente associados a este tipo de projetos.

Por outro lado, este PDM «pondera» (sic) a ampliação do Campo de ‎Golfe‬‬‬‬‬ de 18 para 27 buracos.
Afinal, em que ficamos: hotel ou 27 buracos? As duas coisas ou nenhuma? Subglinhe-se que toda aquela zona é considerada de risco porque alaga com facilidade. Por essa razão estará incluída na zona de influência do POOC.

Batalha das limas deixa um mar de plástico

Ponta Delgada, rescaldo da Batalha das Limas. Foto de Wilson Melo, 9fev2016.
  • A batalha de «limas» é o culminar do Carnaval em S. Miguel, Açores. Originalmente feitas em formas de cera, as «limas» foram substituídas por balões e sacos cheios de água. Em Ponta Delgada, no Pilar da Bretanha e noutras localidades, vários grupos fizeram-se transportar em camiões com caixas e bidões carregados de «limas» que foram arremessadas entre os contendores. No fim, o espetáculo da avenida marginal de Ponta Delgada era o que a foto mostra: um mar de plástico. Mesmo que os responsáveis tentem «esverdear» o evento dizendo que tudo é varrido e reciclado, isto não passa de um colossal desperdício de recursos.
  • A Secretaria Regional da Agricultura e Ambiente autorizou a abertura do concurso para a empreitada de selagem do aterro do Faial. Com a construção e funcionamento dos Centros de Processamento em sete das nove ilhas, pretende-se que a deposição de resíduos seja reduzida ao mínimo indispensável e que os atuais locais de deposição a céu aberto sejam objeto de intervenções de selagem e recuperação paisagística. Nesse sentido, foram já selados os aterros da Graciosa e das Flores e adjudicadas as obras em Santa Maria e no Corvo, ilha em que também vai ser construído um aterro de inertes. O Governo dos Açores vai, ainda este ano, abrir concurso para a selagem dos dois aterros em S. Jorge. NA.
  • Os habitantes de Fuentepelayo, Segóvia, organizaram-se contra um cacique do lixo. Fartos de aturar os maus cheiros dos despejos de restos de animais, lamas e resíduos de hospital num campo, formaram a plataforma No Más Mierda. Tudo porque a paciência tem limites e estavam fartos das ameaças e agressões por parte dos responsáveis da  Agrogestión y Aplicaciones Medioambientales, fartos de denunciar a situação e de o problema ainda não ter sido resolvido. Diagonal.
  • As eólicas ultrapassaram as barragens na produção de energia para a rede, em termos de capacidade, e ameaçam agora a liderança ocupada pelo carvão e pelo gás na União Europeia. Business Green.
  • Ex-produtores de café do Hawaii processaram a Monsanto por encobrimento do potencial cancerígeno do glifosato comercializado por aquela gigante química e que terá provocado cancro a uma produtora, do qual ela continua a tartar-se. Hawaii Tribune.

Reflexão - quem lê o Ambiente Ondas3 e quais as preferências?

No Ambiente Ondas3, os três textos mais populares dos últimos oito dias foram, segundo a Google Analytics:
Durante o mesmo período, as visitas vieram dos seguintes países, por ordem decrescente: Portugal, Brasil, França, EUA, Alemanha, Holanda, Argentina, Suíça, Espanha e Reino Unido,

Ainda durante este período, a proveniência, também por ordem decrescente, dos leitores de língua portuguesa foi a seguinte: Espinho, Porto, Lisboa, Coimbra, Almada, São Paulo, Alverca do Ribatejo, Gaia e Rio de Janeiro.

Obrigado pela preferência. Voltem sempre!

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Agência Portuguesa do Ambiente recusa divulgar análises às águas do Tejo

Tejo poluído perto de Abrantes. Foto de Arlindo Consolado Marques 7fev2016.
  • A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) recusa divulgar as análises toxicológicas, microbiológicas e sanitárias feiras às poluídas águas que correm no Tejo na zona de Abrantes, denuncia a SOS Observatório Ambiental do Rio Tejo Portugal. A APA não está, assim a cumprir o estabelecido pela lei 56/2012, sublinha De Mattos Sébastien. Segundo o responsável, corre-se o risco de pensar que a APA, em vez de estar do lado das populações, está do lado das indústrias poluidoras e que a água poluída está a entrar na cadeia alimentar e a prejudicar gravemente a saúde de todos. Refira-se que o último relatório sobre o estado das águas do Tejo foi publicado em 2015, mas referia-se ao ano de 2013 e dizia o seguinte: «As concentrações observadas para os radionuclidos de origem artificial (137Cs, 90Sr e 3H) são muito baixas e, situam-se frequentemente, abaixo dos valores da atividade mínima detetável, com exceção do rio Tejo onde os valores em 3H são superiores ao valor normal do fundo radioativo mas, sem significado do ponto de vista dos efeitos radiológicos.»
  • Os festejos de Carnaval produziram, domingo passado, na cidade de Cádiz (123 mil habitantes), 140 toneladas de resíduos. La Informacion.
  • Petição Em defesa dos serviços públicos de água, saneamento e resíduos, exigindo (1) a reversão da privatização da EGF, condição essencial para garantir uma política de resíduos norteada por razões ambientais, pela defesa do interesse público e não pelo lucro, (2) a reversão do processo de fusão dos sistemas multimunicipais de águas e saneamento respeitando os princípios da autonomia local, da subsidiariedade e da descentralização, assegurando a proximidade dos serviços como fator de coesão económica e social do território; (3) o reforço e a valorização das atribuições e competências municipais na prestação dos serviços de água, saneamento e resíduos, mediante a afetação dos correspondentes meios financeiros, humanos e técnicos, para dar resposta às necessidades e anseios das populações, (4) o apoio aos municípios na renegociação e eventual remunicipalização das concessões municipais de águas, saneamento e resíduos, (5) uma política de preços e tarifas que assegurem a todos o acesso a estes serviços em condições de igualdade e que não penalize ainda mais as famílias e as populações e (6) a defesa dos postos de trabalho, dos salários, dos direitos e da melhoria das condições de trabalho, assegurando a valorização social e profissional dos trabalhadores destes sectores.
  • O Ministério Público no Amazonas entrou com uma ação civil pública na Justiça Federal para que as empresas FH de Oliveira Peixoto Ltda., Elzilene da Silva e Ocrim S/A Produtos Alimentícios deixem de comercializar marcas de ração que contém milho transgênico, sem a devida rotulagem indicando que há presença de Organismos Geneticamente Modificados no alimento. EcoDebate.
  • Os agricultores da Indonésia introduziram peixes os seus cultivos de arroz em solo alagado. As fezes dos peixes atuam como fertilizantes, e os peixes comem insetos e pragas que possam vir a prejudicar a plantação, e melhora a oxigenação da água. Produção melhora em mais de 10%. Fezes dos peixes contêm fósforos e nutrientes. Youtube.

Reflexão – Os preços dos transportes públicos e os custos do automóvel privado

Imagem captada aqui.

«A indiferença que a comunicação social sempre demonstrou perante os sucessivos e brutais aumentos das tarifas dos transportes públicos e pelo desmantelamento de grande parte das linhas de comboio, em comparação com a obsessão pelos custos associados ao carro individual é um excelente retrato do nosso subdesenvolvimento político, social e ambiental.» 
Daniel Oliveira


Mão pesada

  • Um cidadão da Cornualha foi multado em 5.484 libras por gestão ilegal de sucata de automóveis. GovUK.
  • O Salt Lake Country, do estado de Utah, foi multado em 280 mil dólares e está obrigado a tomar medidas para melhorar a rede de esgotos do seu território. EPA.
  • A Loveland Products, Inc foi multada em 145 mil dólares por violar limites de descargas de efluentes contendo cádmio, cobre, chumbo, níquel e zinco para a ribeira de Brawner. EPA.

Bico calado

  • Foi você que viu, na televisão, estátuas de Lenine e de Saddam Hussein serem derrubadas? Pois agora as estátuas de Cecil Rhodes, um colonialista britânico, enfrentam o mesmo «desafio». O movimento Rhodes Must Fall começou em 9 de março de 2015, contra a sua estátua na universidade de Cape Town, tendo posteriormente alastrado a outras universidades que têm estátuas de Rhodes. A estátua de Rhodes foi apeada em 9 de abril, numa manifestação que pretende descolonizar a educação na África do Sul. Na Universidade de Oriel, em Oxford, Reino Unido, a estátua parece estar a conseguir escapar à vaga anticolonialista. Tudo ao som de elevadas somas de libras injetadas à pressa para serenar os ânimos mais exaltados. New Statesman.
  • «A gigantesca operação de chantagem e de manipulação da opinião pública que temos assistido em Portugal promovida pela direita e pela Comissão Europeia a propósito do chamado défice estrutural que tem tido, infelizmente, a colaboração de muitos jornalistas comentadores que, na maioria das vezes, se limitam a ampliar aquilo que lhes é dito (transformando numa “questão de vida ou de morte” que tem de ser respeitada, procurando assustar os portugueses e opondo-se, de facto, à melhoria da vida dos portugueses), revelando falta de objetividade e rigor, o que tem criado a falsa ideia de que a Comissão Europeia tem poderes para se sobrepor à vontade dos portugueses expressa pela Assembleia da República e para impor sanções violentas (o que não é verdade). Esta chantagem e manipulação torna-se clara se se souber como são calculados os valores utilizados para determinar o défice estrutural em percentagem. Este é obtido dividindo o “saldo estrutural” pelo “PIB potencial”, valores que são pouco rigorosos e que, parafraseando o proverbio popular, variam ao sabor das vontades politica». Eugénio Rosa.
  • Os presidentes norte-americanos mais mentirosos da história, segundo Larry Schartz: Lyndon B. Johnson, James K. Polk, Ronald Reagan, John F. Kennedy, Abraham Lincoln, Franklin D. Roosevelt, Richard Nixon, Dwight D. Eisenhower, Bill Clinton, William McKinley, George H.W. Bush e George W. Bush.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Esta tarde, na praia de Paramos

Paramos, Espinho. Foto de Paulo Duarte 7fev2016.

«Esta tarde, na Praia de Paramos, uma senhora de idade subiu o paredão, curiosa para perceber o que é que eu estava a fotografar. O marido, presumo, do alto da sua imensa sabedoria, disse-lhe:
- Ó mulher, vai mas não leves a carteira. Se o mar te levar, ao menos fico com os documentos.» 
Paulo Duarte.

A Quercus e o GEOTA querem que o Governo de António Costa suspenda a construção das barragens do Tâmega e Fridão por considerarem ser um dos maiores crimes cometidos em Portugal contra o ambiente, um escândalo financeiro de magnitude equivalente ao BES e BPN. «Estes negócios não são para servir o interesse público, mas o interesse de algumas grandes empresas«, sublinhou Joanaz de Melo, do GEOTA.  Lusa/Diário Digital.

Fuga de trítio radioativo em central nuclear perto de New York

  • Bicicletas com quadro de bambu são um sucesso no Gana e não só.

Bico calado

  • «(…) Será apenas uma questão de tempo até que esta crise da esquerda possa vir a favorecer o retorno ao poder de uma direita que será então mais agressiva e revanchista do que já é hoje. E hoje já é muito. (…)» Pacheco Pereira in Brincar com o fogo – Público 6fev2016, Via Estátua de Sal.
  • «A Comissão Europeia tem feito tudo o que há de mais sórdido para dificultar a vida ao Governo português. Há dias, na SIC Notícias, o comentador do programa Opinião Pública, da manhã, revelou o que o sorridente preopinante de economia nunca o fez: denunciou a "cilada" e as "armadilhas" (expressões usadas) que aquela Comissão estendera a António Costa, para o derrubar e ao seu legítimo Governo. (…) A pouca-vergonha das "ciladas" e "armadilhas" colocadas no projecto político de António Costa atingiu a sua expressão mais imunda por estes dias, com a delonga do Orçamento do Estado. Costa e Centeno têm conseguido "driblar", com grande astúcia política, as manobras daqueles senhores, que não são mais do que "factotuns" do "sistema", o qual possui como sentinela vigilante a senhora Merkel e o sinistro Wolfgang Schäuble. Para quem não estiver dentro das baias, eles são implacáveis. Apesar das torpes ameaças, pequenas plataformas de resistência e de desafio têm surgido, um pouco por todo o lado. As pessoas, milhões e milhões, já não suportam o peso esmagador desta fase do capitalismo, e demonstram a sua indignação das maneiras e com os processos mais diversos. (…) A comunicação social portuguesa queda-se em pequenos jogos de "economês" (de que a SIC é monumento), sem explicar a natureza do que está a acontecer. Ocasionalmente, como aconteceu na última quarta-feira, no Opinião Pública, lá aparece um colaborador que vai esclarecendo a massa ignara das manobras ocorridas nos bastidores. Ocasionalmente. Entretanto, vamos vivendo neste lodaçal de cumplicidades e de conivências: a Europa dissolve-se em uma miséria ética e de princípios onde os valores são esvaziados com displicente indiferença. O que se pretende fazer com o Governo de António Costa é inominável. Aqui fica o registo da ignomínia.» Baptista Bastos in A ignomínia europeiaJNegócios 5fev2016