terça-feira, 21 de Outubro de 2014

Paineis solares em solos agrícolas? Não, diz Cameron.

Ribeira Quente. Foto: Bruno Rodrigues, 27set2014.

Reflexão – Virus ébola (13)

O caso suspeito de ébola sinalizado no Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa, no passado dia 10, foi obrigado a ficar fechado num sala de isolamento durante duas horas, sem saber porquê, e sem uma cadeira para se sentar. O doente acabou por adormecer no chão. Afinal, não tinha ébola.

Entretanto...

As seguradoras Miller e a William Gallagher Associates, via Ark Syndicate/Lloyd’s, acabam de  lançar o Pandemic Disease Business Interruption Insurance, um seguro para cobrir eventuais prejuízos causados por encerramentos de instituições de saúde decorrentes de quarentena para tratamento de vítimas do ébola.

e ainda...

A administração Obama tem um plano para conduzir vítimas do ébola para tratamento nos EUA mesmo que elas não sejam cidadãs norte—americanas, revela o Judicial Watch. Desconhece-se quem irá cobrir as despesas decorrentes desses tratamentos.

Bico calado

“A discussão do Orçamento do Estado de 2015 está distorcida, enviesada. O OE 2015 deveria ser uma Lei na qual se deve explicar como o Estado vai fazer a sua despesa, face à receita prevista. Mas em Portugal é exatamente o contrário: um diploma em que o Estado explica como vai garantir a receita (sacar dinheiro aos contribuintes) para fazer face à despesa prevista. O Orçamento é pouco mais do que uma lei fiscal." Paulo de Morais 19out2014.

segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

Barragem de Ermida/Ribeiradio quase cheia

Rodo, confluência do Teixeira com o Vouga, em Couto de Esteves, 17out2014.
Imagem retirada daqui.
  • As chuvas deste verão e início de outono encheram depressa a barragem de Ermida/Ribeiradio. Adeus ao Rodo, sítio pelo que era conhecida a confluência do Teixeira com o Vouga, cenário de momentos inesquecíveis. Adeus borbulhar de águas, adeus trinados de pássaros atrevidos, adeus convívios com repastos debaixo de  sombras refrescantes.
  • A Quercus diz-se preocupada com a descida das verbas para o ambiente e conservação da natureza, no Orçamento do Estado para 2015, realçando que áreas como a monitorização da qualidade do ar e da água têm sido prejudicadas.


Protesto silencioso vence tentativa de expulsão


Reflexão – Virus ébola (12)


Nos EUA, todos os anos o tabaco mata 450 mil, a obesidade mata 300 mil, o álcool 88 mil. E onde está o pânico?

Por outro lado, que pensar de gente que faz fretes, que participa em encenações para certos media transmitirem notícias acerca do surto do ébola? Quais serão os objetivos deste tipo de manipulações?

Bico calado


Chuva no Nabal, 
por Paulo Morais in CM18out2014

"As recentes inundações nas cidades não são culpa das chuvadas. Há outras causas para estes alagamentos, que resultam de dois fatores conjugados: falta de manutenção da via pública e especulação imobiliária, resultante da corrupção urbanística.
A gestão do espaço público, que deveria ser a primeira das responsabilidades das câmaras, é justamente a mais esquecida. Não há, por regra, um sistema global de manutenção. Este deve prever intervenções regulares nas ruas, passeios e jardins; deve contemplar limpeza de sarjetas, condutas de águas pluviais, sistemas de saneamento. (...) Mas, sem sistema de manutenção, as cidades ficam à mercê das intempéries. Apenas há intervenções de emergência, ou de conveniência, aquando de períodos eleitorais. Tal só é possível porque os autarcas andam mais preocupados com a distribuição de 'tachos' pelos seus apaniguados; e com a atribuição de negócios aos financiadores das campanhas, os promotores imobiliários.
São, aliás, os 'boys' que por norma dirigem os serviços de 'via pública', sem para tal disporem da mínima competência. Os 'boys' são eficazes a cacicar votos – mas são uns verdadeiros 'nabos' a tratar do espaço público, que assim se transforma num enorme nabal.
A par do abandono da via pública, assistiu-se nos últimos anos a uma construção desenfreada. Edificou-se ilegalmente em zonas de reserva ecológica e agrícola, sobre veios de água – provocando uma insustentável impermeabilização do solo. Sem espaço de circulação, a água reage violentamente e inunda zonas que deveriam ser reservadas às pessoas. É a vingança da natureza sobre a má gestão urbana. Pena é que os criminosos sejam autarcas e promotores imobiliários, enquanto vítimas de vingança são os cidadãos. António Costa admitia há dias que 'não existe solução para as cheias'. De facto, com esta classe política, não existe solução. Nem para as cheias, nem para o País."

domingo, 19 de Outubro de 2014

Sindicatos unidos pelo nuclear

Lomba da Maia, S. Miguel. Foto: João Coelho 12out2014.

O projeto da nova central nuclear de Hinkley Point, em Inglaterra, continua a dar que falar. Como se já não bastassem as ameaças dos ambientalistas da An Taisce pelo facto da central ir ser construída a escassas 150 milhas da costa irlandesa, e dos austríacos devido aos preços da energia combinados com a EDF, vieram agora os sindicatos ingleses ligados à construção cicil e à energia manifestar o seu total apoio ao projeto.

Conclusões a retirar? Pelo penos uma: há gente que só consegue olhar para perto e, por isso, não tem horizontes. Podem os sindicatos ingleses lançar foguetes e apanhar as canas por aquilo que dizem ter conseguido: abrir uma janela. Claro, uma janela sem horizontes, com um enorme muro à frente. Um enorme muro de resíduos radioativos pelos quais, no futuro, ninguém vai querer assumir responsbilidades. E, neste aspeto, não terão feito melhor do que os seus camaradas polacos em relação à indústria do carvão.

Reflexão – Virus ébola (11)

Quer ganhar 19 dólares à hora? 

Então inscreva-se na Angel Staffing Inc. e ajude as equipas médicas a tirar a temperatura e a vacinar, em vários aeroportos, gente suspeita de ter contraído o vírus ébola. 

Bico calado

Cristiano Ronaldo vai promover Portugal como destino turístico no mercado chinês. Tudo ao som de 150 mil euros, pagos pelo Instituto do Turismo de Portugal ao seu agente Jorge Mendes/Polaris. 
Nenhuma novidade. Sócrates já tivera o apoio da imagem de Figo, e muitos anos antes, Salazar e Caetano já se tinham servido de Eusébio para os mesmos fins. O Brasil também fez o mesmo em relação a Pélé e não foi isso que conseguiu eliminar as suas favelas. 

sábado, 18 de Outubro de 2014

Mar bravo impede consolidação de reforço da costa paramense

Praia de Paramos. Foto: Espinho Alerta 17out2014.

As fortes tempestades que se abateram o inverno passado sobre a orla costeira de Espinho provocaram grandes prejuízos e enorme erosão, nomeadamente nas praias de Paramos. A empresa Irmãos Cavaco iniciou, em fevereiro deste ano, a implantação de um enrocamento de cerca de 500 metros para defender a costa e em especial a ETAR.
Perante muito mais erosão causada pelas recentes marés vivas, cujos efeitos já se manifestaram fortemente sobre o enrocamento entretanto iniciado, a angústiva volta a pairar sobre os paramenses. É que a obra, para a qual estão disponibilizados 1 milhão e 100 mil euros do Fundo de Coesão, só deverá, segundo Manuel Dias, presidente da autarquia paramense,  ser retomada, pela Irmãos Cavaco em fevereiro de 2015. Refira-se que em agosto deste ano, e por ajuste direto, a câmara terá pago 350 mil euros à Irmãos Cavaco. Tudo isto depois de reclamações e de um concurso contestado, diz o Espinho Alerta online de 17 de outubro.

Para uma espécie de aperitivo sobre o que está em jogo neste tipo de obras de reforço da costa, convirá ler A Praia dos Tubarões, publicado por Álvaro Reis em 2006. O Ambiente Ondas3 dá-lhe uma ajuda: 52 citações, que podem ser consultadas aqui.

DiCaprio doa milhões à conservação marinha

Reflexão - Vírus Ébola (10)

Por que motivo diretores de saúde receberam bonus em anos de cortes orçamentais?

Diretores de saúde pública norte-americanos receberam, desde 2007, bonus no valor de 25 milhões de dólares, enquanto criticavam a administração Obama pela falta de vigor na resposta ao surto do ébola. Apesar do congelamento de salários impostos pelos cortes orçamentais, os diretores do CDC arranjaram inúmeras maneiras de receber bonus, horas-extra e promoções. Por exemplo, Donald Shriber, um dos 54 diretores, recebeu, em apenas um ano, um bonus de cerca de 63 mil dólares, para além do salário de 243 mil dólares.

Bico calado

  • João Grancho, ex-secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário, plagiou partes de dois textos sobre educação num seminário espanhol em 2007.  Na altura, na qualidade de presidente da Associação Nacional de Professores, João Grancho participou numa conferência com o tema "A dimensão moral da profissão docente", onde apresentou uma comunicação que continha cópias de textos publicados em 2000 por Agostinho Reis Monteiro, João Pedro Ponte e Isabel Cruz. Demitiu-se o tipo do plágio.
  • O presidente da Agência para o Desenvolvimento e Coesão, José Soeiro, admite ter recebido do Secretário de Estado Castro Almeida indicações para alterar as regras do concurso para seleção de gestores de fundos europeus (12 mil milhões entre 2014 e 2020), o que permitiu a repescagem da empresa de Rui Rio, a Boyden/Ongoing. E em vez da festa ficar pelos 40 mil, ficou pelos 100 mil euros. “Se fosse o objetivo de favorecer uma das empresas, teria sido legal fazer a adjudicação direta à empresa que se pretendesse beneficiar, sem necessidade de efetuar outras consultas e colher outros preços” disse Castro de Almeida.

sexta-feira, 17 de Outubro de 2014

Cheiro de alcatrão intoxica alunos

Imagem retirada daqui.

Ativistas da Greepeace ocuparam durante mais de um dia a plataforma de petróleo de Prezioso EniMed, Itália. A ação serviu para apelar ao primeiro-ministro para que promova um acordo ambicioso em termos de políticas de energia durante a cimeira europeia da próxima semana.

Mão pesada

A Comissão Europeia decidiu multar Portugal pelos sucessivos atrasos na adoção de diretivas comunitárias nos sistemas das águas residuais de Matosinhos e de Vila Real de Santo António. A multa de 4.458.828 euros, poderá ser acrescida de uma penalização diária de 20.196 euros, se o prazo não for cumprido.

Reflexão - Vírus Ébola (9)

Que fazem 3 mil militares norte-americanos voar para a África ocidental?

Obama envia tropas para países vítimas de surto do ébola e que exportam petróleo para a China, nota F. William Engdahl, licenciado pela Princeton University, autor, consultor e analista de de riscos estratégicos.
Não se sabe o que vão fazer 3 mil soldados que nunca tiveram qualquer formação de saúde pública. Apenas se diz que é para conter uma situação que ameaça ficar descontrolada.
Aliás, a diretora da OMS, Dr Margaret Chan, referia, já em 13 de setembro, que a situação estava a ficar descontrolada, referindo, numa conferência de imprensa, um elevado número de vítimas deveras duvidoso. Convém relembrar que esta mesma Dr Margaret Chan, em 2009, foi considerada culpada por tentar lançar o pânico a nível mundial ao sugerir a aplicação em massa de vacinas não testadas contra a a gripe A (gripe suína, H1N1) independentemente das pessoas apenas estarem a tossir, espirrar, terem corrimento nasal ou dor de garganta. E a alteração da definição da gripe A fez as estatísticas catapultá-la para pandémica. Um fraude completa em nome do maior cartel farmacêutico norte-americano e europeu.
69% dos casos de ébola na Libéria registados pela OMS não foram confirmados por testes ao sangue feitos em laboratório. Portanto, desconhecem-se as causas que mataram uma boa parte das vítimas.
O envio de 3 mil soldados para aquela região é, portanto, muito suspeito, especialmente se tivermos em conta que aquela zona é riquíssima em petróleo, ainda por explorar, mas cobiçado pela China.

quinta-feira, 16 de Outubro de 2014

O LED azul está longe de ser perfeito

Achada, S. Miguel. Foto: Pedro Silva 11out2014.

Reflexão - Vírus Ébola (8)

O mundo não poderá sobreviver se não houver uma redução de 90% na sua população, defendeu Eric Pianka.

Tudo através do virus do ébola, afirmou em 2006, perante uma audiência que, aparentemente histérica, o aplaudia incessantemente. A SIDA demorou imenso tempo a eliminar pessoas, o ébola é mais rápido, mata em poucos dias. O CDC (Center for Disease Control and Prevention) arroga-se o direito da propriedade das patentes das vacinas relacionadas com o ébola. O exército norte-americano criou o ébola e, para fins experimentais, terá implantado um virus artificial no Zaire em 1977. Se uma organização governamental defende que inventou esta doença infecciosa e depois reclama o monopólio da sua exploraçõa para fins comerciais, torna-se claro que as vacinas do CDC vão tornar-se obrigatórias, o que irá aumentar o potencial de lucro dos proprietários das patentes.

Atualização: Katie Hopkins, ex-estrela de show de TV, também disse estar admirada com a eficácia do ébola no controlo da população.

Próximo texto para reflexão : Que fazem 3 mil militares norte-americanos voar para a África ocidental?

Mão pesada

Três comerciantes de madeira ilegal foram detidos por suspeita de homicídio de Taing Try, jornalista cambojano que investigava o abate ilegal de árvores em Kratie.

quarta-feira, 15 de Outubro de 2014

Ninguém tem culpa das inundações em Lisboa

Inundações na baixa de Lisboa.

A oposição na Câmara Municipal de Lisboa critica António Costa por causa das inundações ocorridas na cidade. Denunciam que as sarjetas não são limpas. Mas apontam, sobretudo, a falta de um plano de drenagem, que dizem estar na gaveta há sete anos.
O presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, responde que não há nenhum sistema de drenagem que permita evitar situações do género.

Seus autarcas, deixem-se de sacudir a água do capote, porque as inundações nas ruas das cidades não são culpa das chuvadas. Muito menos do rio Tejo e de S. Pedro, que já lá estavam muito antes de vocês nascerem. 
As inundações em Lisboa são fruto não só da falta de limpeza sistemática das sarjetas mas também, e principalemnte, de toda uma política de regabofe imobiliário, de laxismo, da permanente impermeabilização de solos.

Ativismo ou greenwashing?

  • James Balog, excelente fotógrafo, não acreditava nas alegadas tretas das alterações climáticas. Até ao dia em que filmou enormes massas de glaciar do Ártico em movimento e a desaparecer a uma velocidade assustadora.
  • À primeira vista, Collectively.org parece uma generosa plataforma de notícias com materiais destinados a desenvolver a consciência cívica e ambiental dos jovens. Porém, quando descobrimos quem a financia, ficamos com um pé antrás. Que faz aqui tanta coporação que ainda há bem pouco tempo subsidiava lóbis para ter leis e condições de negócios favoráveis? Não me digam que agora viraram anjos!

Reflexão - Vírus Ébola (7)

Quem tem medo da solução nano prata?

Várias agências federais, incluindo o Departamento de Defesa dos EUA, confirmaram a eficácia da solução nano prata para o combate contra o virus ébola. Mas este facto foi silenciado pela Organização mundial de Saúde, que bloqueou vários carregamentos de solução nano prata com destino a países da África ocidental, revela Ethan A. Huff, da Global Research. A Natural Solutions Foundation também se queixa de de que um carregamento de nano prata com destino à Serra Leoa foi, por três vezes, devolvido.

Próximo texto para reflexão: Será que o mundo não conseguirá sobreviver se não houver uma redução de 90% na sua população?