Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Ovar: 3 quebra-mares vão combater erosão costeira

Imagem colhida aqui.
  • Vão ser implantados dois quebra-mares ao largo do Furadouro e outro ao largo de Cortegaça. Estas obras de defesa da costa foram acordadas com a Agência Portuguesa do Ambiente, cujo orçamento suportará 3 dos 20 milhões de euros disponibilizados pelo município de Ovar. Ovar News.
  • A Agência Portuguesa do Ambiente chumbou o projeto de construção de um empreendimento junto da praia de Monte Gordo, em Vila Real de Santo António. O município é acusado de se ter apoderado de um terreno do Estado e de o ter vendido com o intuito de aí ser construído um hotel. Já em 2010 o ministério das Finanças fora alertado para esta situação, mas nada fez para defender o interesse público. Segundo o Plano de Ordenamento da Orla Costeira (POOC) Vilamoura - Vila Real de St.º António, a parcela em questão situa-se na faixa de proteção à linha de costa e tem de ser acautelada a salvaguarda do sistema dunar. Apesar disso, a Administração da Região Hidrográfica do Algarve autorizou a construção do edifício a 15 metros da praia, violando os regulamentos do POOC. Público.
  • Pela enésima vez uma corte de alegados ignorantes da grave situação dos efluentes suinícolas que poluem a ribeira dos MIlagers e a bacia hidrográfica do Lis passeou pela zona, manifestou-se chocada e disse que estavam reunidas as condições para se concretizar a construção e gestão pública de uma ETES. Apesar dos inúmeros pormenores da visita, o escriba de serviço omitiu o local concreto do repasto na Batalha.
  • O aterro sanitário do sotavento algarvio, na serra do Caldeirão, está a lançar os lixiviados (líquido com grande carga poluente proveniente da biodegradação dos resíduos depositados) diretamente na ribeira do Vascão, em direcção ao rio Guadiana. Na origem desta situação poderão estar as chuvas. A pluviosidade, considerada anormal para a época, aparentemente alterou o modo de funcionamento desta infra-estrutura. Um das duas lagoas de estabilização da ETAR passou a deitar os efluentes na linha de água sem passar pelos filtros. O facto de estar a chover poderia ter diluído a matéria poluente mas não foi o suficiente para camuflar o eventual crime ambiental. A ETAR que serve o aterro encontra-se avariada há cerca de seis meses. Em alternativa, a empresa concessionária do aterro (Algar), passou a fazer o transporte dos lixiviados em camiões-cisterna para as ETAR na zona litoral, através de um acordo com a empresa Águas do Algarve. Mas mesmo quando a estação de tratamento dos efluentes se encontrava operacional, surgiam reclamações frequentes pelo mau funcionamento do aterro. Público.
  • Cinco guardas florestais foram mortos numa emboscada no parque nacional de Virunga, na República Democrática do Congo. Um sexto guarda florestal foi ferido no ataque que ocorreu na seção central da reserva, mundialmente conhecida pela sua população rara de gorilas-das-montanhas. Mais de 170 guardas morreram protegendo a vida selvagem nos últimos 20 anos. The Guardian.
Share:

0 comments:

Translate

Pesquisar no Ambiente Ondas3

Património

O passado do Ambiente Ondas3

Ver aqui.

Amig@s do Ambiente Ondas3

Etiquetas

Arquivo do blogue