Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Reflexão

“O verde vende (...)  A chamada economia verde não tem nada de verde, a não ser os dólares que os que a promovem esperam ganhar. (...) Ora a economia verde é precisamente o tema central da cimeira das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável Rio+20. (...) Vinte anos depois da cimeira da Terra, em 1992, querem-nos vender o conceito de economia verde como saída para a crise económica e ecológica. Grande mentira. O objetivo da  economia verde é promover negócio com a natureza e a vida, é fomentar a neocolonização dos recursos naturais, aqueles que ainda não estão privatizados, e tentar transformá-los em mercadorias de compra e venda.  Os seus promotores são precisamente aqueles que nos conduziram à situação de crise em que nos encontramos: as grandes multinacionais, com o apoio ativo de governos e instituições internacionais. As prinicipais empresas que promovem a economia verde são as mesmas que monopolizam o mercado da energia (Exxon, BP, Chevron, Shell, Total), da agro-indústria (Unilever, Cargill, DuPont, Monsanto, Procter&Gamble), das farmacêuticas (Roche, Merck), da química (Dow, DuPont, BASF).” Esther Vivas  in Quando a economia e o capitalismo se pintam de verde, Público.
Share:

0 comments:

Translate

Pesquisar no Ambiente Ondas3

Património

O passado do Ambiente Ondas3

Ver aqui.

Amig@s do Ambiente Ondas3

Etiquetas

Arquivo do blogue