Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

sábado, 29 de junho de 2019

Alentejo: Beja e Castro Verde rejeitam integração na Águas do Baixo Alentejo

  • A Assembleia Municipal de Castro Verde rejeita a proposta do executivo camarário de concessionar o abastecimento de água ao domicílio à Águas do Baixo Alentejo. Enquanto o executivo alega que se perdeu uma excelente oportunidade para investir 6 milhões de euros na melhoria das infraestruturas, a CDU considera que a solução da Câmara «prejudica os consumidores, retira competências e autonomia aos municípios, tem custos significativos, implica perda de capacidade na área de operação e manutenção e transforma a gestão da água ao domicílio num modelo de negócio que abre as portas à privatização de um bem público». Argumentam ainda os eleitos da CDU que “a tarifa da água vai aumentar para mais do dobro nos próximos cinco anos” e que “o tão propalado investimento de pouco mais de seis milhões de euros, que a empresa propõe realizar no concelho, é repartido por 40 anos”. A Assembleia Municipal de Beja adotou a mesma posição. Refira-se que Aljustrel, Almodôvar, Barrancos, Beja, Castro Verde, Mértola, Moura e Ourique são os 8 municípios do Baixo Alentejo, todos de maioria socialista, que pretendiam agregar-se para realizar uma parceria com a Águas de Portugal para a gestão da água em baixa.
  • O Movimento de Amigos da Ria de Aveiro (MARIA) e Câmara de Ovar assinaram um acordo para a promoção e defesa do espaço integrado da Ria de Aveiro. Um dos objetivos é alargar o plano do desassoreamento em curso a algumas zonas das margens onde se encontram as infraestruturas dos clubes e associações náuticas e da pesca profissional.
  • Alagoas Brancas, Lagoa-Algarve: ambientalistas contestam projeto de construção de edifícios para fábricas e serviços em zona considerada santuário de pássaros. A zona é alagadiça, o poderá ser desastroso para os ppesrojetos em vista, alertam alguns. O executivo camarário alega ter pareceres favoráveis de todos os organismos oficiais consultados aquando da aprovação do Plano de Urbanização em 2008. RTP1.
  • Ativistas da Greenpeace enfrentam uma embarcação de pesca enquanto transporta um tubarão a 320 Km dos Açores. Milhares de tubarões ameaçados são mortos todos os anos no Atlântico Norte devido à falta de proteção contra a pesca excessiva em águas internacionais, diz a Greenpeace. Entretanto, o barco da Greenpeace aportou ao Faial, Horta-Açores.
Share:

0 comments:

Translate

Pesquisar no Ambiente Ondas3

Património

O passado do Ambiente Ondas3

Ver aqui.

Amig@s do Ambiente Ondas3

Etiquetas

Arquivo do blogue