Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Reflexão – Reforçar albufeiras e barragens é sustentável?


Um grupo de investigadores internacionais coordenados por Giuliano Di Baldassarre, da Uppsala University, concluiu que, embora muitas barragens e albufeiras sejam construídos para minimizar os impactos da escassez de água e da seca elas podem, paradoxalmente, agudizar esses problemas. . 
Os investigadores argumentam que existem dois fenómenos contraintuitivos que devem ser considerados ao projetar ou expandir albufeiras: o ciclo de procura-oferta e o efeito de reservatório.
O ciclo de procura e oferta representa casos em que o aumento do abastecimento de água leva a uma maior procura de água, o que pode rapidamente compensar os benefícios iniciais dos reservatórios. Esses ciclos podem ser vistos como um efeito rebote, também conhecido na economia ambiental como o paradoxo de Jevon: quanto mais água está disponível, o consumo de água tende a aumentar.
Isso pode provocar um círculo vicioso: uma situação de escassez de água pode ser abordada pelo aumento do armazenamento do reservatório para aumentar a disponibilidade de água, o que permite mais consumo de água, até à próxima escassez. Assim, o ciclo de oferta-procura pode desencadear uma espiral acelerada em direção à exploração insustentável dos recursos hídricos e à degradação ambiental.
O efeito de reservatório representa casos em que a dependência excessiva de reservatórios aumenta o dano potencial causado pela seca e escassez de água. A expansão dos reservatórios geralmente reduz os incentivos para ações de preparação e adaptativas, aumentando assim os impactos negativos da escassez de água.
Além disso, períodos extensos de abastecimento abundante de água, apoiados por albufeiras, podem criar maior dependência dos recursos hídricos, o que, por sua vez, aumenta a vulnerabilidade social e os danos económicos quando a escassez de água se verifica.
Este estudo também fornece implicações políticas. Os autores argumentam que as tentativas de aumentar o abastecimento de água para lidar com a crescente procura de água, que é alimentada pelo aumento da oferta, são insustentáveis. Por isso, eles sugerem menos dependência de grandes infra-estruturas de água, como represas e albufeiras, e mais esforços em medidas de conservação de água.
Por outras palavras, lidar com a seca e escassez de água reduzindo o consumo de água, em vez de aumentar o abastecimento de água. 


Share:

0 comments:

Translate

Pesquisar no Ambiente Ondas3

Património

O passado do Ambiente Ondas3

Ver aqui.

Amig@s do Ambiente Ondas3

Etiquetas

Arquivo do blogue