Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

quarta-feira, 28 de março de 2018

Amares: Populares apresentam queixa por descargas ilegais para o rio Cávado

Imagem colhida aqui.
  • Persistem há semanas as descargas de saneamento para o rio Cávado, provenientes da estação de tratamento elevatória situada na freguesia de Lago. A responsabilidade é das Águas do Norte, diz Manuel Moreira, autarca. O PS local refere um «diferente entre a Câmara e a empresa Águas do Norte» sobre 500 mil euros que a empresa reclamava e que, agora há um novo diferendo entre as duas entidades, com a empresa a reclamar 200 mil euros de faturas vencidas. Semanário V.
  • A extração de gás e petróleo tem contribuído para alarmantes movimentos de terra e o aumento considerável de buracos enormes ao longo de uma grande faixa no oeste do Texas. Segundo geofísicos da Southern Methodist University, a região tem sido perfurada descontroladamente desde os anos 1940s, e, apenas em fevereiro de 2018, foram abertos nada mais nada menos do que 297 mil poços de petróleo no Texas. Toda essa atividade, alertam os investigadores, representa um perigo sério para residentes, estradas, linhas de caminho-de-ferro, barragens, oleodutos e até mesmo para a contaminação das águas subterrâneas. The Guardian.
  • Os EUA pediram à China para não concretizarem a proibição de importar sucata, depois que o maior comprador de sucata do mundo ter fechado a porta para muitos tipos de resíduos. Alega-se que a decisão foi demasiado rápida para a indústria norte-americana se adaptar, colocando em risco 155 mil empregos e fazendo com que as pessoas descartem os materiais em vez de os reciclar. Os EUA acusam ainda a China de violar o estabelecido pela Organização Mundial do Trabalho ao aplicar regras diferentes para resíduos domésticos e resíduos estrangeiros. A China respondeu dizendo que cada país devia ser responsável pelo tratamento dos resíduos que produz e tinha decidido reduzir a importação de resíduos do estrangeiros para poder arrumar a sua própria casa. Reuters. Recorde-se que, já em janeiro passado, o Reino Unido entrara em pânico com a  decisão chinesa. A indústria de reciclagem britânica admitia não saber como reciclar as 500 mil toneladas de resíduos plásticos que a China deixaria de importar. 
  • A China massificou, há dois anos, programas de partilha de bicicletas em muitas cidades. Os impactos negativos começam a evidenciar-se: cemitérios de bicicletas por todo o lado, como mostra a DW.
Share:

0 comments:

Translate

Pesquisar no Ambiente Ondas3

Património

O passado do Ambiente Ondas3

Ver aqui.

Amig@s do Ambiente Ondas3

Etiquetas

Arquivo do blogue