Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Lagoa de Paramos/Barrinha de Esmoriz: continuamos a não querer aprender com os erros do passado.

Lagoa de Paramos/Barrinha de Esmoriz. Foto de Álvaro Reis 22abr2017.

Subscrevo a opinião de Álvaro Reis sobre as obras de «requalificação» da Lagoa de Paramos/Barrinha de Esmoriz. 
É, de facto, preciso muito engenho e arte para ultrapassar as recomendações internacionais de peritos em matéria ambiental. Lamentavelmente, os nossos decisores e eleitos ainda carecem de muita literacia ambiental para concretizarem essas recomendações.

O que está a ser feito confirma que não aprendemos com os erros de há 12 anos, quando se construiu, no mesmo sítio, um dique fusível, em pouco tempo destruído por vários galgamentos e marés vivas.

Ninguém assumiu responsabilidades ou foi responsabilizado por tamanho desbaratar de recursos públicos e pelo atropelo aos mais elementares princípios da conservação dos frágeis ecossistemas costeiros. 
Repete-se agora o erro. E os truques do costume não se fizeram esperar. Mesmo depois de todos os atrasos no arranque da obra, os seus responsáveis, a ABB, alegam um volume de lodos e areias pantanosas superior ao previsto. Por isso, dizem que vão ser precisas muitas mais dragagens e acelerar os trabalhos, cuja conclusão está prevista para julho de 2017.

Claro que tudo isto vai representar «trabalhos a mais», tudo pago pelo erário público, pormenores que poderão, ou não, vir a público perante o facto consumado. 
Temos, pois, a sensação de um «déjà vu» nada sustentável, puro sorvedouro de dinheiros públicos e picareta de impactos ambientais.
Share:

3 comments:

Álvaro Reis disse...

Esmoriz foi palco de folclore político e de atentados ambientais há doze anos e continua a sê-lo nos dias de hoje.

Infelizmente em Portugal só os "pobres de influências" é que vão presos. Os outros podem fazer tudo o que lhes vai na gana que ninguém lhes pede responsabilidades.

Álvaro Reis

OLima disse...

«A segunda draga chegou no dia de hoje (2 de Maio), a terceira estará por dias.» http://cusquicesdeesmoriz.blogspot.pt/2017/05/segunda-draga-vem-para-auxiliar-na-luta.html
Corrida contra o tempo, inauguração prevista em julho, em plena época balnear e vésperas de eleiç~ºoes autárquicas. Poisclaro. Trabalhos a mais pagam-nos o povo. E algum dele até bate palmas.

OLima disse...

Bloco de Esquerda lança questões pertinentes em torno das intervenções de requalificação da Barrinha de Esmoriz

Hoje, 1º de Maio, dia Internacional dos Trabalhadores, uma comitiva do Bloco de Esquerda visitou as obras em curso para requalificação do SIC Barrinha de Esmoriz – Lagoa de Paramos. O BE reconhece a urgência desta requalificação que, quando muito, peca por tardia. Com efeito, esta importante área húmida (que integra a Rede Natura 2000) há muito que merece ver recuperada a sua dignidade. Nesse sentido, o Bloco de Esquerda considera importantes as ações de remoção de plantas invasoras e reflorestação com árvores nativas. Por outro lado, esperamos que a construção do passadiço, em curso, possa ajudar a reforçar a ligação da população local a este ecossistema, fomentando o poder reivindicativo da comunidade, que há anos vive de costas voltadas para a Barrinha. Contudo, consideramos haver motivos de preocupação quanto às obras em curso:

1) A primeira preocupação prende-se com a qualidade dos dragados que estão a ser bombeados diretamente para a praia, a partir do esporão Sul (em Esmoriz). De acordo com RECAPE (Relatório de conformidade ambiental do projeto de execução), 85% dos dragados seriam sedimentos com qualidade suficiente para serem depositados diretamente na praia subaérea. Além disso, previa-se que grande parte dos materiais dragados fosse despejada diretamente no mar, a partir do topo do esporão. Apenas os sedimentos de melhor qualidade seriam depositados diretamente na praia. No entanto verifica-se que o aspecto dos dragados que estão a ser depositados diretamente na praia levanta fortes dúvidas quanto à sua qualidade e quais os riscos da sua deposição em plena praia.. O Bloco de Esquerda questiona-se sobre o que poderão ser os dragados de má qualidade, face à qualidade dos que estão a ser depositados na praia.

2) Em segundo, e ainda sobre a questão dos dragados, consideramos preocupantes as recentes informações, veiculadas através das redes sociais, sobre a possibilidade de a quantidade dos dragados ter sido subestimada nas fases preparatórias, nomeadamente no RECAPE. Em particular, preocupa-nos impacto que isso possa ter do ponto de vista orçamental e de duração dos trabalhos (tendo em consideração a aproximação da época balnear).

3) Em terceiro lugar, é preocupação do Bloco de Esquerda de Ovar (assim como dos grupos autárquicos do BE de Espinho e Santa Maria da Feira) que estas dragagens e as obras de requalificação estejam a ser feitas não se resolvendo os problemas a montante. Este é o caso dos efluentes da laguna (Ribeira de Rio Maior e Vala de Maceda), que nascem ambos no município da Feira e desaguam em Paramos (Espinho) e Esmoriz (Ovar). É também o caso das fontes de poluição difusas (ex. ligações clandestinas de esgoto a coletores de águas pluviais e até poluição industrial) a nascente da laguna, nas freguesias de Esmoriz e Paramos.

4) Por fim, questionamos a adequabilidade das espécies de árvores selecionadas para reflorestação da zona dunar e do período em que essa reflorestação foi efetuada. Com efeito, foi possível observar hoje que a mortalidade das árvores plantadas nesta zona é de praticamente 100%.

Principalmente no que se refere à poluição, o BE considera que não resolver estes problemas é continuar a colocar o ónus da poluição sobre as populações locais, a Barrinha e os ecossistemas marinhos da nossa costa, beneficiando apenas o poluidor não pagador. Não eliminar a poluição a montante é empurrar o problema com a barriga e comprometer a laguna e a população com a necessidade de novas ações de dragagem no futuro próximo. Só com a despoluição efetiva a Barrinha poderá cumprir a sua vocação no âmbito da conservação da natureza e do lazer e qualidade de vida das populações locais. Por esta razão, o BE remeterá ao Governo e à Câmara Municipal, através dos representantes na AR e da AM Ovar, um conjunto de questões a este respeito.
http://cusquicesdeesmoriz.blogspot.pt/2017/05/correio-dos-comunicados-politicos-bloco.html

Translate

Pesquisar no Ambiente Ondas3

Património

O passado do Ambiente Ondas3

Ver aqui.

Amig@s do Ambiente Ondas3

Etiquetas

Arquivo do blogue