Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Reflexão

Imagem retirada daqui.

O próximo genocídio, por Timothy Snyder, NYTimes 12set2015

A Solução Final nazi foi levada a cabo porque Hitler acreditava que a Alemanha precisava de mais terra e de mais comida para sobreviver e manter o seu nível de vida, e que os judeus e as suas ideias eram uma ameaça ao seu programa expansionista.

2 As alterações climáticas ameaçam provocar um novo pânico ecológico. Até agora, quem tem sofrido mais são os pobres na África e no Médio Oriente: 
a em 1994, o extermínio de meio milhão de ruandeses ocorreu após uma longada quebra da produção agrícola; Hutus mataram Tutsis não só por ódio étnico mas também para se apoderarem das suas terras; 
b em 2003, no Sudão, a seca lançou árabes nas mãos de pastoralistas; o governo sudanês aliou-se aos árabes e lançou uma política de extermínio dos povos Zaghawa, Masalit e Fur em Darfur e arredores; c a China, tal como a Alemanha antes da guerra, é uma potência industrial incapaz de alimentar a sua população a partir do seu próprio território dependendo, por isso, dos mercados; esta situação poderá provocar pânico e levar a atitudes semelhantes às tomadas pela Alemanha; entretanto, o país já adquiriu terrenos agrícolas na Ucrânia e em África; d Os Emiratos Árabes Unidos, a Coreia do Sul, o Japão, o Qatar e a Arábia Saudita têm seguido o exemplo chinês.

3 Hitler espalhou o pânico ecológico, alegando que só a terra traria segurança à Amanha e negando a ciência que prometia alternativas à guerra. Ao poluir a atmosfera com gases de efeito estufa, os EUA têm feito mais do que qualquer outra nação para provocar o próximo pânico ecológico, sendo, no entando, o único país onde a ciência do clima enfrenta ainda a resistência de certas elites políticas e empresariais. Estes negadores tendem a apresentar os resultados empíricos de cientistas como uma conspiração e questionar a validade da ciência, o que representa uma postura inteletual próxima da de Hitler.

4 Pelo contrário, a União Europeia leva as alterações climáticas a sério, mas a sua existência está ameaçada. Como a África e o Médio Oriente continuam a aquecer e guerras destroem tudo, os migrantes económicos e os refugiados de guerra fogem para a Europa. Em resposta, os populistas europeus apelam à defesa apertada das fronteiras nacionais e o fim da união. Muitos destes partidos populistas são apoiados pela Rússia, que desenvolve uma política de dividir para reanr, com o objetivo de provocar a desintegração europeia.

5 Deparamo-nos, hoje, com a mesma escolha fundamental entre ciência e ideologia que os alemães enfrentaram. Será que vamos aceitar provas empíricas e apoiar novas tecnologias energéticas, ou permitir que uma onda de pânico ecológica se espalhe pelo mundo? Negar a ciência põe em perigo o futuro convocando os fantasmas do passado.

Obs. - Conteúdo semelhante foi publicado posteriormente, em 16set2015, pelo The Guardian.
Share:

0 comments:

Translate

Pesquisar no Ambiente Ondas3

Património

O passado do Ambiente Ondas3

Ver aqui.

Amig@s do Ambiente Ondas3

Etiquetas

Arquivo do blogue