Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

sábado, 13 de dezembro de 2014

Suspensão do plano de ordenamento viabiliza resort junto da barragem de Castelo do Bode

Caldeiras das Flores : A Comprida, Negra, Seca, e Branca, ao fundo.
  • Uma proposta para reduzir em 10% os custos da eletricidade nos Açores, apresentada pelo PCP, foi rejeitada pelos votos do PS, PSD, CDS e PPM. Assim se continua a proteger os lucros escandalosos da EDA, que atingiram em 2013 os 85 milhões de euros antes de impostos, obtidos à custa dos sacrifícios das famílias e empresas açorianas, diz Aníbal Pires.
Imagem retirada daqui.
  • O governo de Passos-Portas suspendeu, a pedido da câmara de Vila de Rei, o plano de ordenamento de uma zona junto da albufeira de Castelo do Bode, no sentido de viabilizar o resort da Herdade Foz da Represa, um empreendimento de luxo da responsabilidade de holandeses. O problema é que o resort foi sendo construído junto à margem da água, originalmente classificada como zona de protecção e valorização ambiental. 
  • A Quercus denuncia a construção de um caminho ilegal em Monforte da Beira, no concelho de Castelo Branco, junto ao vale do Rio Aravil. Tudo porque centenas de árvores foram abatidas e habitats de floresta mediterrânica foram comprometidos nesta Zona de Proteção Especial.
  • No Reino Unido, o número de centrais de digestão anaeróbica que transformam restos de comida e resíduos agrícolas em energia cresceu 34% este ano.
Share:

1 comments:

OLima disse...

A divulgação da cena da sonolência parlamentar provocou imensa polémica no grupo "Açores Global", a ponto de os seus administradores terem aconselhado a eliminação de alguns comentários mais fogosos por parte de alguns membros. Sobre a cena comentei: "Quer-se dizer", mal educado é quem desabafa e esse desabafo inclui um ou outro termo considerado inadequado, exagerado, incorreto, mal-educado pela bitola do(s) administrador(es) do grupo, e quem dormita ou quem é "apanhado" a dormitar numa reunião de um parlamento merecerá a cálida complacência do cidadão. "Mais uma forcinha" e não me admiraria nada aparecer aqui alguém a sugerir a abertura de processos disciplinares aos seguintes cidadãos envolvidos neste imbróglio: (1) ao cameraman que captou as imagens; (2) ao realizador e ao produtor do programa que as mantiveram" e (3) ao deputado interveniente que não teve suficiente engenho e arte para fazer espetáculo e manter bem acordado sua excelência o deputado sonolento.

Translate

Pesquisar no Ambiente Ondas3

Património

O passado do Ambiente Ondas3

Ver aqui.

Amig@s do Ambiente Ondas3

Etiquetas

Arquivo do blogue