Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Algoritmo prevê evolução da linha de costa


Sta Catarina, Terceira, Açores. Luís Filipe Matos 3fev2014.
  • As praias entre Cortegaça e Mira vão sofrer uma redução considerável da sua largura e registar-se-á o aparecimento de novas aberturas entre o mar e a ria de Aveiro, revela um modelo numérico de simulação do avanço do mar com previsões a 30 anos. Desenvolvido por Carlos Coelho, investigador do Departamento de Engenharia Civil da Universidade de Aveiro, o algoritmo equaciona, entre muitos outros fatores, as variações do volume de sedimentos erodido às praias e às dunas, as variações dos perfis de praia e da linha de costa, a agitação marítima, as condições meteorológicas, o nível médio das águas do mar, a morfologia dos terrenos costeiros, as intervenções humanas de defesa costeira para efetuar simulações com o objetivo de prevera evolução de linha de costa dentro de 30 anos. “Há praias que pura e simplesmente desapareceram nos últimos tempos”, lembra a investigadora Cristina Bernardes. “Entre a Costa Nova e a Vagueira, por exemplo, nos últimos 52 anos, a linha de costa recuou 73 metros. Dá uma taxa de recuo de 1,5 metros por ano e não é dos setores mais críticos. É que entre Maceda e o Furadouro, no mesmo período de tempo, houve um recuo de 120 metros”, afirma. Dica: Rui Pedro Polónia Santos.
  • Os danos provocados pelas invasões do mar em Cortegaça e Furadouro merecem uma resposta integrada, uma solução que equacione toda a zona litoral afetada e não só uma praia ou concelho e, sobretudo, que envolva a população e as autoridades locais, defende Inês Zuberdeputada do PCP ao Parlamento Europeu.
Share:

0 comments:

Translate

Pesquisar no Ambiente Ondas3

Património

O passado do Ambiente Ondas3

Ver aqui.

Amig@s do Ambiente Ondas3

Etiquetas

Arquivo do blogue