Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

A Praia dos Tubarões (8)

Koserow , Germany, na ilha de Usedom, no mar Báltico, 12fev2014. 
Foto: Stefan Sauer/dpa/AP.

“O desenvolvimento económico do país evoluía rapidamente, sem recursos externos, cumprindo a política dos Planos de Fomento. Em 1968 e por imperativos na acostagem dos petroleiros no porto de Leixões inicia-se por um periodo de três anos o alteamento do quebra-mar submerso mediante o recurso a tetrápodes. Logo em Espinho, o avanço do mar não se fez esperar, com inundações nas áreas habitadas e com a destruição de vários sectores do cordão dunar. Ao longo do litoral do distrito de Aveiro outros sectores foram também muito afectados. Face ao estado gravíssimo em que ficou a generalidade da costa a sul do Douro, as décadas que se seguiriam seriam marcadas por uma intensa actividade de descarga de granito junto ao mar. 
Em 1969 e 1970 são prolongados em Espinho dois esporões (um frontal à piscina municipal e outro na parte sul da praia), enquanto no povoado do Furadouro o enrocamento existente estendia-se agora ao longo de 600 metros da frente urbanizada. Medidas que faziam juz ao pensamento político de então, a ‘evolução na continuidade’!”
A Praia dos Tubarões, por Álvaro Reis, 2006, p65
Share:

0 comments:

Translate

Pesquisar no Ambiente Ondas3

Património

O passado do Ambiente Ondas3

Ver aqui.

Amig@s do Ambiente Ondas3

Etiquetas

Arquivo do blogue