terça-feira, 14 de junho de 2016

Licenciamento da Ecoibéria suspenso

Albufeira da barragem de Ermida/Ribeiradio, em Couto de Esteves, 23mai2016.
  • O polémico licenciamento da fábrica de resíduos Ecoibéria, que se quer instalar em Guimarães num terreno de Reserva Ecológica Nacional, foi suspenso devido a questões «de segurança jurídica e urbanística». A polémica com a instalação da Ecoibéria deu-se porque a primeira licença foi atribuída três meses antes de o terreno ser considerado REN no PDM de Guimarães. Ainda assim, a fábrica carece de nova licença para construir as instalações, e foi essa que se suspendeu agora. Os moradores do loteamento adjacente, que sempre criticaram os alegados efeitos poluentes que aquela indústria lhes poderia causar, reclamaram para si uma parte da entrada da fábrica. Posto isto, «só alterando o loteamento é que a Ecoibéria consegue resolver o problema, mas implica que mais de 50% dos moradores concordem, e ninguém aceita», explica José Bastos, um dos contestatários. AM.
  • Mais de duas mil pessoas exigiram o encerramento da central nuclear de Almaraz. DN.
  • Há neste momento 1.746 «guerras invisíveis» por recursos naturais, admite a rede internacional «Atlante Global pela justiça ambiental». O motivo dos conflitos é a «obsessão pelo aumento da produção e o consumo», justifica Daniela Del Bene, uma das coordenadoras do projeto, perante a escalada preocupante dos conflitos socio ambientais nas chamadas «fronteiras do extrativismo». O hemisfério sul é o que mais sofre com a caça aos recursos, registando 63% dos conflitos. AE.
  • O Chile está a produzir tanta energia solar que a tem oferecido em algumas regiões do norte nos últimos meses. Care2.

Sem comentários: