quinta-feira, 25 de novembro de 2021

Reflexão – «Quem irá impedir a máfia britânica de despejar lixo ilegal?»

O despejo ilegal de resíduos, muitos deles perigosos, a maioria persistente, é agora uma crise maciça no Reino Unido, causada por falhas chocantes do governo. Grandes áreas de terra e fontes cruciais de águas subterrâneas estão a ser contaminadas por descargas ilegais, e quase ninguém no poder parece importar-se com isso.

A eliminação de resíduos neste país depende, em grande medida, da auto-regulação. Cabe-nos a nós verificar se a pessoa a quem entregamos os resíduos é um transportador registado e responsável. Mas um estudo sobre os transportadores de resíduos não registados em Inglaterra, realizado por Ray Purdy da Faculdade de Direito da Universidade de Oxford e Mat Crocker, antigo diretor adjunto dos resíduos na Agência do Ambiente, mostra que a verificação é quase impossível. Centenas de empresas diferentes utilizam nomes idênticos no registo oficial da Agência do Ambiente, que muitas vezes não têm qualquer relação com os nomes sob os quais anunciam ou comercializam. Muitas fornecem nomes falsos e localizações falsas, incluindo edifícios abandonados, recintos desportivos, etc. As falhas técnicas, não corrigidas após cinco anos, garantem que a plataforma é pouco funcional. Purdy e Crocker descobriram que a Agência do Ambiente não tinha dados sobre o tráfego online, nem pesquisa sobre quantas pessoas tinham conhecimento da existência do registo. Não existe nenhuma secção no registo para denunciar empresas que trabalham ilegalmente.

A investigação de Purdy e Crocker mostra que dois terços das empresas não constavam da lista, portanto operavam ilegalmente. No seu conjunto, estima-se que haja mais de um quarto de milhão de operadores de resíduos não registados em Inglaterra.

Investigando anúncios colocados por pessoas que se ofereceram para remover lixo, Purdy e Crocker relatam que muitos dos que pareciam ser empresários individuais (homem e carrinha) pertenciam, de facto, a redes organizadas. De 10.426 anúncios na Gumtree que seguiram, descobriram que mais de 4.000 tinham sido comprados por apenas duas organizações, que juntas gastam cerca de £300.000 por ano em publicidade na plataforma. No entanto, estes anúncios afirmam estar a promover pequenas empresas locais. Os investigadores estimam que cada uma das carrinhas de uma rede, poderia permitir a evasão fiscal de £132.000. Segundo eles, o retorno do investimento para uma empresa que gere 100 de falsos empresários individuais, está algures entre 40 a 1 e 80 a 1. Aqui, como em Itália, parece que temos uma máfia do lixo. Mas ao contrário da máfia italiana, a nossa raramente precisa de recorrer à intimidação ou à violência, porque ninguém lhe faz frente.

A investigação sugere que entre 1 e 6 milhões de toneladas de resíduos em Inglaterra são tratados todos os anos fora do sistema legal. Os resíduos despejados ilegalmente contaminam o solo, a água e - quando são deliberada ou espontaneamente queimados - o ar com uma vasta gama de toxinas, a maioria das quais é susceptível de não ser monitorizada e não registada. Quanto mais perigosos forem os resíduos, maior é o incentivo para cortar nas despesas.

George Monbiot, Negócio sujo: quem irá impedir a máfia britânica de despejar lixo ilegal? - The Guardian.

Sem comentários: