Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

domingo, 14 de outubro de 2012

Cavaquices (12)

“Assim, dois dias antes da discussão da moção de censura do PRD, a 31 de março de 1987, o PCP propôs na Assembleia da República que fosse constituída uma comissão de inquérito parlamentar para investigar o tráfico de armas norte-americanas em Lisboa. As notícias estavam nos orgãos de comunicação social dos EUA e apontavam Lisboa como um local privilegiado para obscuros negócios internacionais. Impunha-se, portanto, uma investigação. Fernando Nogueira, então o ministro-Adjunto e para os Assuntos Parlamentares, foi chamado a defender a posição do executivo português e garantiu que, em relação ao govemo, não há nada em todo o processo relativo ao denorninado ‘Irangate’ que possa comprometer a sua postura e o respeito pelas leis portuguesas e pelas regras da ética’. No entanto, o inquérito foi aprovado com os votos favoráveis do PS, PRD e PCP e as abstenções do PSD e CDS. O inquérito nunca se veio a realizar e Cavaco nunca teve de responder sobre o tráfico de armas em Portugal. E a razão é simples: a moção de censura do PRD foi aprovada pela maioria da Assembleia da República as 20 horas e 55 minutos de sexta-feira dia 3 de abril de 1985 e o Presidente da Republica, Mario Soares, depois de dias a ponderar, decidiu a 28 de abril dissolver o Parlamento e convocar eleições antecipadas. Seriam as eleições antecipadas de 19 de julho de 1987. A comissão parlamentar ao inquérito das armas norte-americanas que passaram em Portugal, que ameaçava ter de investigar negócios de 1980, do tempo da AD, e ainda de 1983, do tempo do ‘Bloco Central’, ficou suspensa devido à decisão de Mário Soares. Se o Presidente da Republica tivesse optado pela solução parlamentar e mandatasse PS e PRD para formar governo, então o inquérito teria avançado. Assim, para poder avançar, teria de ser novamente apresentado, votado e aprovado. Mas tal não voltaria a suceder. A 19 de julho de 1987, Cavaco Silva, aproveitando a ‘benesse’ do PRD e a posição democrática de Mário Soares, venceu, como esperava, a primeira maioria absoluta da sua carreira politica. Outras três se iriam seguir. Uma mais para primeiro-ministro e outras para a Presidéncia da República. O tráfico de armas em Portugal nos anos 1980 ainda hoje está por investigar.”

Frederico Duarte Carvalho, Cavaco vs Cavaco p212-213, Vogais 2012
Share:

0 comments:

Translate

Pesquisar no Ambiente Ondas3

Património

O passado do Ambiente Ondas3

Ver aqui.

Amig@s do Ambiente Ondas3

Etiquetas

Arquivo do blogue