Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Bico calado

Numa edição de agosto de 1993 do Independente, Paulo Portas criticava Cavaco Silva, então primeiro-ministro, por ter aceitado uma viagem a Salzburgo paga pela Nestlé.
  • Trump deslocou-se ao Texas para testemunhar a catástrofe provocada pelo furacão Harvey. Depois de dirigir uma mensagem de compaixão para com as vítimas da tempestade, congratulou-se pelo elevado número de pessoas presentes. Mas não se encontrou com nenhuma das vítimas. Yahoo News.
  • As autoridades dos EUA estão a investigar a China Petroleum & Chemical Corp. sobre alegados subornos de 100 milhões de dólares pagos pela petrolífera chinesa às autoridades nigerianas para resolver uma disputa de negócios. Bloomberg.
  • «Há uma lista secreta de restaurantes em Portugal onde ninguém sabe falar inglês. A lista é partilhada por um grupo de amigos, de todas as nacionalidades, que gosta de comida regional portuguesa. Estes restaurantes recebem muito bem os estrangeiros porque é raro vê-los. Não é preciso saber falar português. Basta saber ler a ementa e apontar para o que se quer. Claro que só há ementa em português. Mas o Google Images faz milagres. Aprende-se mais a ver dezenas de fotografias de dobrada do que através de uma tradução castiça como doubled. Estes restaurantes estão quase sempre cheios e são barulhentos, bons e baratos. A hora mais frenética é do meio-dia à uma da tarde. É a altura de almoçar dos trabalhadores manuais. A profusão de fatos-macacos é muito bom sinal. As pessoas que os vestem sabem quanto vale a presença delas. Os proprietários também sabem. Tratam especialmente bem os operários, jardineiros, mecânicos, electricistas e pintores. A comida é saborosa, as doses são generosas e o serviço é rápido. Há preços e medidas especiais para os digestivos, como o balãozinho de whisky por um euro. Felizmente há muitas pessoas que embirram com estes restaurantes. Dizem que parecem cantinas, refeitórios ou tascas provincianas. E daí? Qual é o mal? Os clientes gostam do que comem, mas nunca elogiam. Estão cheios de fome e de pressa. Se a comida não prestasse, não estariam ali. O elogio deles é comer com gosto e, sobretudo, pagar. Talvez se lembrem que o dia da dobrada é terça-feiraMiguel Esteves Cardoso in English not spoken – Público 31ago2017.
Share:

0 comments:

Translate

Pesquisar no Ambiente Ondas3

Património

O passado do Ambiente Ondas3

Ver aqui.

Amig@s do Ambiente Ondas3

Etiquetas

Arquivo do blogue