Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

quarta-feira, 24 de abril de 2019

Londres: ativistas do Clima suspendem táticas disruptivas e avançam para negociações políticas

  • A pastorícia na Europa é uma profissão agonizante uma vez que a agricultura industrial corta cada vez mais as antigas rotas migratórias. O GPS ajuda os pastores e os seus rebanhos a seguir e pastar os melhores pastos. DW/Youtube.
  • EDP faz ultimato ao Governo sobre Fridão: ou paga ou a barragem avança, titula o Público.
  • Ativistas do Clima vão reunir com a polícia metropolitana e suspender os protestos que afetaram Londres durante uma semana, resultando em mais de 800 detenções. Os líderes da Extinction Rebellion anunciaram que estão a mudar de “táticas disruptivas” para “negociações políticas” ao entrarem na segunda semana de campanha para que o governo declare uma emergência climática. Daily Telegraph.
  • A maior central solar da América do Sul avança no deserto do norte da Argentina, A tecnologia e o financiamento são chineses. Reuters.
  • O Ministério do Ambiente da China repreendeu as autoridades provinciais de Shandong, a maior província produtora de alumínio do país, por não cumprirem as políticas para reduzir o consumo de carvão e conter o crescimento da produção de alumínio altamente poluente. Reuters.
  • No norte de Mianmar, milhares de pessoas manifestaram-se nas ruas para protestar contra o projeto da barragem de Myitsone, apoiada pela China que, segundo eles, causará enormes danos ambientais e trará poucos benefícios para o país. AFP/Terra Daily.
Share:

Reflexão – crise climática tem favorecido países ricos do norte


Um novo estudo sugere que a crise climática exacerbou a desigualdade global, causando maior prejuízo económico nos que fizeram o mínimo para causá-la. 
A invesdtigação conclui que alguns países em climas frios, incluindo o Canadá, a Noruega e a Rússia terão beneficiado economicamente do aquecimento global nas últimas décadas, enquanto países mais pobres, próximos do equador, sofreram perdas económicas. 
No geral, a «diferença no rendimento per capita nos países mais ricos e mais pobres é 25% maior do que teria sido sem a crise climática». Via Inside Climate News, NYTimes e Independent.
Share:

Bico calado

  • Mike Pompeo, referindo-se à CIA, de que foi diretor, admite que mentiram, fizeram batota e roubaram. Disse tudo isso a rir-se. E foi aplaudido! Youtube.
  • «PSD acusou o Expresso de "más práticas jornalísticas" na cobertura que faz do partido e fez queixa à ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social), pedindo uma "advertência" ao jornalista responsável por esta área política. A Direção do Expresso afasta, no entanto, qualquer alteração na equipa, e na resposta que já enviou à ERC defende a isenção do jornal e contraria as alegações de Rui Rio.» DN.
  • «O Sindicato dos Jornalistas volta a exigir ao “Expresso” que divulgue os nomes dos jornalistas supostamente envolvidos numa investigação judicial ao Grupo Espírito Santo. A 23 de abril de 2016 – lembra o sindicato –, o semanário «pôs em causa o colectivo dos jornalistas portugueses, ao publicar que a lista de alegados pagamentos da ES Enterprises, offshore conhecido como “saco azul” do Grupo Espírito Santo, continha mais de uma centena de pessoas, incluindo jornalistas». Clube de Jornalistas.

  • «(...) o homem que nem conseguia recolher oito mil assinaturas para registar o partido, e que chegou a incluir menores de idade na lista para alcançar o número mínimo de subscritores, surge subitamente convicto de que terá 400 mil euros provenientes de donativos privados para gastar na campanha. Ou seja, Ventura parece seguro de que há um conjunto de pessoas muito interessadas em destacar a extrema-direita portuguesa, e que estão disponíveis para gastar, por agora, 400 mil euros nesse objectivo. Interessante, não é?» Uma Página nUma Rede Social.
  • O Líder do Sinn Fein defendeu a realização de um referendo para a Irlanda do Norte sair do Reino Unido e unir-se à República da Irlanda. A ideia foi divulgada poucas horas depois da primeira-ministra escocesa ter também defendido um referendo para a saída da Escócia do Reino Unido. No referendo do Brexit, a Irlanda do Norte e a Escócia votaram maioritariamente na permanência na União Europeia. Independent.
Share:

domingo, 21 de abril de 2019

Londres: vigário disponibiliza espaço na sua igreja para apoiar luta de manifestantes climáticos

  • Os manifestantes climáticos são como Jesus, diz Giles Goddard, vigário da igreja de St John’s, em Waterloo, Londres. Ele desempenhou um papel crucial no apoio do bloqueio da Ponte de Waterloo levado a cabo pelos ativistas da Extinction Rebellion, disponibilizando as instalações da sua igreja para os manifestantes carregarem os seus telemóveis, dormirem entre turnos e usarem a cozinha e as casas de banho. The Times.
  • A água potável em Paradise, Butte County, Califórnia, onde 85 pessoas morreram no pior incêndio na história do estado, está contaminada com benzeno, uma substância tóxica. As autoridades dizem que a contaminação aconteceu depois dos grandes incêndios de novembro terem criado um coquetel tóxico de gases queimados que foram sugados pelos canos de água, enquanto moradores e bombeiros puxavam a água com força, causando um vácuo no sistema que sugou os gases tóxicos. Assim se explica por que o benzeno, associado a casos de anemia e leucemia, foi detetado. Em 500 amostras de água recolhida em vários pontos. A crise poderá ser resolvida com um investimento de 300 milhões de dólares durante dois anos. SFGate.
Share:

Memórias curtas

  • 21abr2007 - A Quercus vai avançar com uma acção judicial contra o Estado português por ter suspendido o Plano Director Municipal de Paços de Ferreira e ter feito excluir da Reserva Ecológica Nacional uma área em Paços de Ferreira para aí a IKEA poder construir uma fábrica.
Share:

Bico calado


«O advogado que é vice-presidente do Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas tem pelo menos um processo por burla a correr contra ele no DIAP de Lisboa. O processo foi posto por um investidor francês em Portugal que se queixa de que Pedro Pardal Henriques lhe terá "ficado" com 85 mil euros que seriam para comprar uma propriedade no centro do país - além de outras quantias, mais pequenas, por serviços de consultadoria jurídica que não terão sido realizados, embora pagos. (…)O empresário francês que agora fez a queixa ao DIAP é reformado, vive entre Portugal e em França (Toulon), tem negócios em plásticos decorativos, não achou exagerado quando o advogado lhe pediu 2500 euros para criar uma empresa, mais 500 de registo, ou 5000 para estabelecer uma empresa na zona franca da Madeira. Ou 1400 euros simplesmente para obter um NIF português. Ou ainda quando lhe passou 85 mil euros para uma conta no Deutsche Bank - no dia 3 de junho do ano passado - para a compra de uma propriedade na zona centro. (…) O DN ouviu muitas outras queixas semelhantes. Uma, no valor de 140 mil euros. "Era tudo uma confusão", diz a francesa L., ela própria uma das vítimas da alegada má prática. No caso dela, segundo conta, foi a constituição de duas empresas de que ela e o marido, luso-francês, precisavam para começar a trabalhar no ramo de ginásios e do imobiliário quando se mudaram para Portugal, em 2017. "Eu queria desempenhar legalmente a minha atividade, ele propôs fazermos duas empresas, uma no offshore de Cabo Verde e outra na Madeira. Dizia que era mais fácil para quem trabalhava com estrangeiros. Levou-nos dez mil euros e desapareceu por uns meses. De fevereiro a setembro." Todas as relações com Pedro Pardal Henriques eram feitas através da empresa Pelicanus Corporate Advisors - com sede na morada da atual empresa de advocacia International Lawyers Associated, nas Avenidas Novas, em Lisboa, que é a mesma do sindicato. Empresa onde L. foi com o marido pedir contas. Esta empresa está registada como Pelicano Expedito, consultadoria para gestão e negócios, em 2016, ou seja, antes de o advogado ter cédula profissional (com o número 57078P), o que só aconteceu em junho de 2017. "Ou seja, quando o conheci ainda não era advogado", diz L. As empresas que Pedro Pardal Henriques iria constituir não chegaram a ser aprovadas pela Zona Franca da Madeira. "Nem conseguimos abrir uma conta bancária", diz. E ainda está, com outro advogado, a tentar resolver a situação, nomeadamente a tentar liquidar a empresa, porque o advogado não lhe deu os documentos necessários. "Segundo ele nos contou, teria criado mais de 17 empresas na mesma morada da Madeira", na Rua Câmara Pestana, segundo documentos consultados pelo DN.» Catarina Carvalho, in Advogado líder de camionistas com queixa-crime por burla - DN. Entretanto, as quotas pagas pelos 800 sócios do sindicato já deverão contribuído para pagar o Maserati. 
Share:

sábado, 20 de abril de 2019

França: Monsanto perde recurso

  • A chanceler alemã, Angela Merkel, foi acompanhada pelos ministros da Energia de França, Francois de Rugy, e da Noruega, Kjell Borge Freiberg, na cerimónia oficial de abertura de um enorme parque eólico no Mar Báltico, um projeto-chave para a transição energética da Alemanha. O parque tem 60 turbinas que já fornecem eletricidade para 400 mil famílias. A francesa Engie assinou um contrato para comprar eletricidade por quatro anos da operadora OWP Arkona, uma joint venture entre a alemã Eon e a norueguesa Equinor. EurActiv.
  • O Tribunal de Apelações de Lyon decidiu novamente contra a Monsanto e a favor do agricultor Paul François, vítima de envenenamento pelo herbicida Lasso, retirado do mercado francês em novembro de 2007. Em abril de 2004, Paul François, um produtor de cereais da região de Charente, no sudoeste da França, foi gravemente envenenado com Lasso enquanto inspecionava um tanque de pulverização, tendo sofrido graves problemas neurológicos e imunológicos, o que o obrigou a permanecer no hospital várias vezes. EurActiv.
Share:

Reflexão - até quando vamos ser escravos dos combustíveis fósseis?


«Ficou a nu que temos de fugir dos senhores feudais do Médio Oriente, das oligopolísticas, campanhas energéticas com preços afinados ao milésimo de euro e, finalmente, deste tipo de sindicatos e associações patronais com um poder absolutamente desproporcionado.
Estamos naquele momento de adesão aos transportes públicos e à mobilidade elétrica. Não podia ser melhor para mudarmos de vida. O caso dos “oleodutos imaginários” é o expoente máximo das decisões político-carbónicas. Como explicar esta displicência de décadas na não construção dos gasodutos Sines-Aveiras e Estarreja-Leixões? O status quo era bom para o setor dos camiões-cisternas de materiais perigosos. Portanto, mais de duas centenas de camiões-cisternas atravessam diariamente as duas principais áreas metropolitanas do país como bombas ambulantes – numa contagem decrescente até que um dia algo de absolutamente catastrófico aconteça, como estabelece a lógica das probabilidades. Vai ser agora que acabamos com este escândalo de segurança nacional?» 

Daniel Deusdado, in Petróleo, não. Nesta semana já estivemos perto – DN 19abr2019.

Share:

Bico calado

  • O presidente do Equador Lenin Moreno vendeu Assange por um empréstimo do Fundo Monetário Internacional - Cartoon de Carlos Latuff.
  • O Fundo de Investimento Alternativo para Investidores Qualificados ou QIAIF é uma classificação regulatória do Banco Central da Irlanda estabelecida em 2013 para as cinco estruturas legais livres de impostos da Irlanda para a detenção de ativos. O Veículo de Gestão de Ativos Coletivos da Irlanda ou ICAV é a mais popular das cinco estruturas QIAIF irlandesas, e foi projetado em 2014 para rivalizar com o SPC da Cayman Island; é a principal estrutura isenta de impostos para investidores estrangeiros detentores de ativos irlandeses. Em março de 2019, as Nações Unidas identificaram formalmente os «regimes fiscais preferenciais» da Irlanda para os fundos estrangeiros em ativos irlandeses como afetando os direitos humanos dos irlandeses
  • O comissário de polícia Anthony Stansfeld fala ao Evening Standard sobre fraudes bancárias e inércia regulatória e alerta: «Estou convencido de que o encobrimento vai direto ao nível do concelho de ministros. E à cúpula da City.»..
  • A UE ameaça os EUA com 19 biliões de euros de tarifas em resposta aos subsídios dados à Boeing, titula o EurActiv.
  • Quem é o advogado de Maserati que dirige os camionistas – é no DN de 18abr2019 que Catarina Carvalho e Fernanda Câncio contam pormenores muito curiosos sobre este artistinha.
  • A AXA IM, multinacional francesa especializada em serviços financeiros, vai desinvestir parcialmente da Elbit Systems, uma fabricante de armas que forneceu ao exército israelita armas para serem usadas contra os palestinianos na Cisjordânia ocupada e sitiou a Faixa de Gaza. MEM.
  • «Altos custos em guerra e gastos relacionados com a guerra representam uma preocupação de segurança nacional porque são insustentáveis» Watson Institute for International and Public Affairs da Brown University, citado pela Newsweek.
  • Os EUA continuam a fornecer ajuda militar às forças curdas no norte da Síria contra a Turquia, uma aliada dos EUA e um estado membro da NATO, reporta a Global Research.
Share:

sexta-feira, 19 de abril de 2019

Papa Francisco «abençoou» a luta de Greta Thunberg pelo Clima

  • O Papa Francisco abençoou a luta de Greta Thunberg pelo Clima, reporta a Deutsche Welle.
  • Israel é o país menos preocupado com os impactos da crise climática, revela um estudo do Pew Research Center. Com apenas 38% dos inquiridos a manifestarem-se preocupados, o país não fica muito longe das preocupações registadas pela Nigéria (41%) e pela Rússia (43%). Dos 26 países investigados, a Grécia, a Coreia do Sul e a França manifestaram preocupações mais elevadas, respetivamente 90, 86  e 83%.
  • A Carolina do Sul propôs a proibição da exploração de petróleo ao largo da sua costa, informa a Reuters.
  • Um relatório da Environment Aotearoa sobre o estado do Ambiente da Nova Zelândia pinta uma imagem sombria da perda catastrófica da biodiversidade, dos cursos de água poluídos e do crescimento destrutivo da indústria de laticínios e da expansão urbana. Via The Guardian.
Share:

Mão pesada

  • Um tribunal na Nigéria ordenou a prisão do ex-ministro da Justiça e Procurador Geral Mohammed Adoke e do ex-ministro do Petróleo, Dan Etete e de outros 5 estrangeiros suspeitos ligados a pagamentos ilegais que levaram à aquisição, em 2011, da Licença de Prospeção de Óleo de Malabu, considerado um dos maiores campos petrolíferos do país. Energy Voice.
  • A d’Amico Shipping Italia S.p.A. foi multada em 4 milhões de dólares por despejo de resíduos de petróleo por parte do petroleiro Cielo di Milano ao navegar em águas de New Jersey, Maryland e Florida. AP/ABC.
Share:

Bico calado

  • Eurodeputada Ana Gomes interveio no Parlamento Europeu contra a eventual extradição de Julian Assange. «Nem pensar ser extraditado para os EUA. Como whistleblower merece proteção. Recordei ainda como Wikileaks vieram confirmar como era rematado mentiroso certo ministro português.» Youtube. «Os voos tortura da CIA mencionados pela eurodeputada socialista estão relacionados com uma polémica que rebentou em 2008 e que envolveu o então ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado e o primeiro-ministro José Sócrates. Na altura, um relatório da ONG Reprieve dava conta que, desde 2002 até aquele ano, 728 dos 744 prisioneiros transportados para Guantánamo terão passado por “jurisdição portuguesa”, algo que Luís Amado sempre negou.» Observador.
  • «Julian Assange não é nenhum mártir da liberdade de imprensa. A divulgação de informações sem redação foi o ato de um anarquista, não de um jornalista», escreve o The Economist. Pois, redação pode significar edição, censura, manipulação para salvaguardar interesses e garantias.
  • «Desapareceram documentos do processo do BES. Procuradores do DCIAP deram pela falta dos documentos e alertaram a Polícia Judiciária, que está a investigar o desaparecimento dos dados de uma memória externa.» Sábado.
  • CDS-PP, PS e BE abandonaram a reunião da Assembleia Municipal de Ovar em protesto contra a censura a que dizem ter sido sujeitos ao questionar o presidente da Câmara, Salvador Malheiro, sobre alegadas irregularidades investigadas pelo Ministério Público. Lusa/RTP. Contextualização aqui
  • «Esse ao lado do Prof. Marcelo, é o advogado Pedro Pardal Henriques, perito em investimento de títulos imobiliários e societários, Vice-presidente do recentemente constituído Sindicato que convocou a greve, ou melhor, acção criminosa antieconómica e manipula os motoristas...» João de Portugal, in Voz Socialista, via António Sequeira.
  • 82% dos alunos da Dublin City University, na Irlanda, votaram a favor do boicote a Israel, informa o Trinity News.
Share:

quinta-feira, 18 de abril de 2019

Egito: corte dos subsídios aos combustíveis e à eletricidade à vista

 
  • Paineis solares bloqueiam rotunda do Marble Arch, Londres, durante mais uma série de manifestações pelo Clima.
  • Várias ONGs protestaram após a publicação das conclusões do relatório deste mês do Comité Científico, Técnico e Económico para as Pescas da Comissão Europeia, alegando pouco esforço para pôr fim à sobrepesca, um problema que, segundo as mesmas, continua a devastar os mares da União Europeia.  Undercurrent News, via JE do Mar.
  • O Egito vai cortar os subsídios aos combustíveis em 40,5% e à eletricidade em 75% no ano financeiro de 2019-2020, titula o Middle East Monitor.
  • O Brasil prevê leilão para explorar petróleo em zonas sensíveis de biodiversidade marinha como o Parque Nacional de Abrolhos. Prevê-se, no todo, a oferta de 36 blocos nas bacias marítimas de Pernambuco-Paraíba, Jacuípe, Camamu-Almada, Campos e Santos, totalizando 29,3 mil Km2 no litoral do Brasil. The World News.
Share:

Memórias curtas

  • 18abr2013 - A redução da tarifa da biomassa leva ao fim de investimentos que ajudavam a limpar florestas. O grupo Portucel-Soporcel, o maior produtor de energia elétrica a partir da biomassa, reavalia os investimentos de cogeração em Cacia, Setúbal e Figueira da Foz.



Share:

Bico calado

  • Uma líder da oposição veio exigir que o governo português resolvesse imediatamente o problema da falta de combustíveis. Mandem-na estender-se numa cadeira, que ela precisa de tratamento. Como pode exigir-se que o governo interfira numa greve «convocada» por um sindicato ainda de cueiros quando sempre se queixou do enorme peso do Estado, sempre se exigiu menos Estado e sempre se acreditou nos ditames e nas soluções automáticas dos mercados? Ter-se-á verificado uma rutura de neurónios e uma deriva para a eventual renacionalização da Galp?
  • «(...) Que estes camionistas surjam representados por um advogado, igualmente apresentado como vice-presidente da Associação sindical - será que concilia a atividade na barra dos tribunais com o volante de algum pesado de mercadorias? - diz muito sobre o que aqui está em causa. Sobretudo quando uma breve consulta na internet dá para perceber que, além de partilhar um blogue com Bruno de Carvalho - e bem sabemos quanto a ultradireita na sua principal claque foi acarinhada no seu consulado à frente do Sporting - também o vemos como especialista na área dos investimentos financeiros. Estamos, pois, perante uma estratégia concertada em vários setores de atividade para utilizar o neossindicalismo como veículo de movimentos inorgânicos numa variante dos coletes amarelos, com quem estes grupos parecem inquietantemente aparentados. (...) » Jorge Rocha, in Neossindicalismos aparentados a outros neosVentos semeados.
  • Uma investigação do Channel 4 News revela como o grupo pró-Brexit de Arron Banks terá encenado fotos de imigrantes atacando mulheres em Londres. O grupo também esteve por trás de um vídeo falso, alegando mostrar como é fácil os migrantes infiltrarem-se na Grã-Bretanha. De facto, dados de satélite mostram que os homens a bordo não deixaram as águas do Reino Unido. As fotografias e o vídeo envolveram um ex-soldado da SAS, Jonathan Pollen, que trabalha para a agência de informações corporativa da Banks. Arron Banks acusa o Channel4 News de notícias falsas. Fontes: Channel 4 e Independent.
  • O Museu de História Natural de New York cancelou um jantar de gala da Câmara de Comércio do Brasil-EUA para homenagear o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro. Alegou-se que o sítio não era o adequado para cerimónia de tal jaez. AFP.
  • A Justiça do Rio suspendeu o passaporte diplomático do bispo Edir Macedo Bezerra e de sua mulher por alegada carência de interesse público que o justifique. Estadão.
  • «Assange tem de responder pelo que fez», disse Hillary Clinton. O problema é que Assange ajudou a revelar, entre outras coisas, horrores das intervenções norte-americana no mundo e Hillary apoiou-as. Hillary, que aparece insuflada num fato azul escuro, também poderá ter de responder, com Blair e outros, a «coisas» a que deram total cobertura. Youtube.
  • Dois repórteres da Reuters ganharam o Prêmio Pulitzer por reportagens internacionais que revelaram o massacre de 10 homens Rohingya por aldeões budistas e forças de segurança de Mianmar. Wa Lone e Kyaw Soe Oo foram presos em dezembro de 2017 e cumprem pena 7 anos por violar a Lei de Segredos Oficiais do país. Aljazeera.
Share:

quarta-feira, 17 de abril de 2019

Fridão: arquive-se!

  • O ministro do Ambiente diz que o projeto da EDP não vai avançar e acrescenta que «não há razões para a restituição de qualquer montante» do prémio pago há 10 anos pela EDP para poder construir a barragem do Fridão. Expresso. Há pouco tempo, o ministro do Ambiente admitira que esta barragem não era necessária.
Share:

Memórias curtas

  • 17abr2018 - Celtejo intimada a reduzir em 52% o despejo de efluentes no rio Tejo
  • 17abr2008 - Os alunos da ES Abade Baçal, em Bragança, plantaram cerca de 600 árvores numa zona ardida do Parque Natural de Montesinho, junto a Deilão.
  • 17abr2006 - Máquina de pedreira do Eido foi silenciada após queixas de moradores de Barroças e Taias, em Monção, contra o ruído e o pó
Share:

Bico calado

  • Liviu Dragnea, líder do partido social-democrata no poder na Roménia, está a ser investigado pela OLAF e pela Direcção Anti-Corrupção romena (DNA) alegando que Dragnea beneficiou ilegalmente dos negócios da Tel Drum SA, uma empresa romena que recebeu milhões de euros para construir estradas. O DNA diz que a Tel Drum é controlada por Dragnea e que ela comprou equipamentos de uma empresa associada a preços inflacionados e que Dragnea usou a empresa para desviar fundos da UE. OCCRP.
Share:

terça-feira, 16 de abril de 2019

Europa: Seca revela pedras nos rios com gravuras preocupantes

  • Concentrações de chumbo cerca de 15 vezes acima do limite legal foram detetadas na água potável no norte de Dublin e níveis inseguros em 30 zonas do país, alerta o The Irish Times. Na maioria dos casos, a contaminação é o resultado de tubos de chumbo antigos ainda em uso em toda a rede pública de água. A exposição prolongada ao chumbo pode afetar o desenvolvimento do cérebro em crianças ou bebés no útero. Também pode causar danos aos rins e pressão alta, e é classificado como um provável carcinógeno.
  • Milhares de ativistas ambientais paralisaram zonas do centro de Londres, bloqueando Marble Arch, Oxford Circus e Waterloo Bridge para tentarem forçar o governo a fazer mais para combater a crise climática. Os protestos são coordenados pelo grupo britânico Climate Extinction Rebellion e incluirão manifestações em 33 países nos próximos dias.
  • A seca na Europa faz os rios revelarem pedras com gravuras preocupantes lá inscritas para nos alertar. Conhecidas como «pedras da fome», as primeiras surgiram na República Checa logo após uma forte seca que ainda se faz sentir na Europa Central. No rio Elbo, a primeira gravura foi feita em 1616 e diz: «Wenn du mich siehst, dann weine” (Se me vires, chora). Outras dizem «Nós choramos e você vai chorar», e «Quem me viu, chorou. Quem me vê agora vai chorar». Revista Pazes.
  • O estado do Alabama está farto de ser a lixeira dos EUA. O descontentamento atingiu o auge quando a comunidade de maioria negra tomou conhecimento de que o aterro Big Sky Environmental iria recolher lixo de 48 estados. Os cheiros pestilentos despoletaram críticas e protestos junto dos seus eleitos. O Alabama tem 173 aterros sanitários operacionais, três vezes mais do que New York, um estado com uma população quatro vezes maior, mas com apenas 54 lixeiras. The Guardian. Chamam-se a isto racismo ambiental.
  • «O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, desautorizou uma operação em andamento do Ibama contra roubo de madeira dentro da Floresta Nacional do Jamari, em Rondônia; com isso, cometeu crime de responsabilidade previsto no artigo inciso 6 do 9º da Lei 1.079, que trata do assunto, ao coagir e ameaçar os funcionários do Ibama para que procedam ilegalmente.» Bolsonaro afirmou a seguir: "Ontem, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, me veio falar comigo com essa informação. Ele já mandou abrir um processo administrativo para a apurar o responsável disso aí. Não é pra queimar nada, maquinário, trator, seja o que for, não é esse procedimento, não é essa a nossa orientação". Segundo o jornalista Fabiano Maisonnave, da Folha de S. Paulo, "desde a semana passada, agentes do Ibama queimaram caminhões e tratores dentro da Flona do Jamari. A decisão de destruir o veículo foi tomada devido às más condições dos veículos e à localização remota. A avaliação foi de que haveria riscos para a segurança dos agentes, dos policiais e dos próprios criminosos". Ao contrário do que afirmaram Bolsonaro e o senador Rogério, a legislação permite a destruição de equipamentos e veículos apreendidos durante fiscalização ambiental, por meio do artigo 111 do decreto 6.514, de 2008: "Os (...) instrumentos utilizados na prática da infração poderão ser destruídos ou inutilizados quando a medida for necessária para evitar o seu uso e aproveitamento indevidos nas situações em que o transporte e a guarda forem inviáveis em face das circunstâncias, ou possam expor o meio ambiente a riscos significativos ou comprometer a segurança da população e dos agentes públicos envolvidos na fiscalização"». Brasil 247.
  • Há uma zona enorme da Amazónia a que os peruanos chamam de Madre de Dios. Hoje, a selva encontra-se esgotada por mineiros ilegais que deixaram uma paisagem lunar desolada, sobretudo numa zona chamada La Pampa. No meio da selva, longe da polícia, essas minas são quase impossíveis de encontrar. Existem dezenas de milhares de operações ilegais na região. Eles usam um motor a diesel que foi transformado numa enorme bomba de aspiração. Os motores funcionam dia e noite, com os mineiros a trabalhar em turnos de 24 horas. Os trabalhadores usam a mesma técnica usada na corrida do ouro do século XIX. O ouro está lá, mas é como partículas de poeira tão finas que você não consegue vê-las. Uma vez que o pó de ouro e a poeira estão sob a forma de lama, o mercúrio é misturado para se ligar às partículas de ouro, num longo processo que termina com enormes queimadas que libertam fumos altamente tóxicos. 7News.
Share:

Mão pesada

O Gabão suspendeu uma licença de exploração madeireira emitida para uma empresa do chinesa do Dejia Group após a Agência de Investigação Ambiental britânica a ter acusado de suborno, não pagamento de taxas e violação das leis florestais. AFT/Terra Daily.
Share:

Bico calado

  • «Lei exige auditorias anuais aos vistos gold, mas há cinco anos que não se conhece nenhuma. A última auditoria revelou um controlo "incipiente", "frágil", "ineficaz", titula a TSF
  • A Dinamarca denunciou operações locais da Ernst & Young e da KPMG à polícia. A EY está a ser investigada por não ter alertado as autoridades sobre suspeitas de lavagem estoniana do Banco Danske. A KPMG era a auditor do Kobenhavns Andelskasse, um pequeno credor local que foi encerrado o ano passado por ser sistematicamente usado para lavagem de dinheiro. Irish Examiner
  • «A reportagem da SIC "A cidade e o medo" conta a tragédia do incêndio na Rua de Alexandre Braga, no Porto, em março, que deixou um morto, cinco feridos e duas famílias desalojadas. Conta que o fogo foi posto para expulsar uma octogenária, culminando um processo de intimidação por agentes de um fundo imobiliário detido por um chinês com visto gold. Conta como estes investidores encomendam a redes de meliantes o assédio psicológico e físico a residentes em certas zonas das nossas cidades, para os forçar a abandonar as casas. Vulneráveis e apavorados, confrontam-se com profissionais que compram barato imóveis para os vender a estrangeiros em busca de autorizações de residência (ARI), ou vistos gold: as "máfias gold"... Porque há toda uma "indústria" mafiosa por detrás dos vistos gold. Incluindo advogados, imobiliárias, contabilistas, notários, especialistas em angariar estrangeiros compradores e em esvaziar casas bem situadas...Com a cumplicidade do MAI/SEF e do MNE que gerem as ARI e não cuidam de, ao menos, impor controlos sobre a origem dos capitais investidos e das fortunas dos candidatos a residentes. Muitos não vão cá residir, querem é poder circular sem entraves na zona Schengen. Acresce que em Portugal os titulares de vistos gold - já mais de sete mil, além de mais de 12 mil familiares que se lhes reuniram desde que Paulo Portas instalou o esquema - contam com a proteção do segredo. Ao contrário de pensionistas e devedores ao Fisco que veem dados pessoais divulgados pelo Estado, e ao contrário de outros países com tais esquemas, por cá não são publicados os nomes de quem requer ou obtém vistos gold: ideal para tríades se infiltrarem na UE e para cleptocratas e corruptos de todos os azimutes lavarem proventos e darem segurança europeia aos seus investimentos. Como deputada no PE, pedi repetidas vezes aos sucessivos titulares do MAI os nomes dos beneficiários de vistos gold: em vão. Por que se teme o escrutínio? A Comissão Europeia publicou em 2018 um estudo sobre vistos gold que aponta riscos para a segurança do Espaço Schengen. O PE pede que se acabem estes esquemas, que não compensam os danos para a integridade do sistema económico e financeiro. A UE está a acordar para o perigo das máfias gold. Há medo nas nossas cidades. Que mais precisa Portugal para também acordar?» Ana Gomes, in Máfias goldJN 12abr2019
  • Estátuas de Chelsea Manning, Julian Assange e Edward Snowden. Na Alexanderplatz, Berlim. Autor: o escultor italiano Davide Dormino. EuroNews
  • «Julian Assange prejudicou muito os interesses americanos na última década», queixa-se o Wall Street Journal. «Vai pagá-las num tribunal americano», acrescenta. Já nem sequer disfarçam a sua alegada independência e neutralidade: fazem qeustão de mostrar que são um apêndice dos donos disto tuto. 
  • «Sabemos agora o que Rui Pinto fez no fim do verão de 2015, em setembro. Licenciado em História e génio informático, decidiu abandonar a vida pacata em Vila Nova de Gaia, onde nasceu, e infiltrar-se nos bastidores opacos do mundo do futebol. Lançou o site Football Leaks, que se tornou um “tsunami” de denúncias de contratos ilegais, comissões dissimuladas, negócios proibidos e esquemas de evasão fiscal, com um oceano de milhões à mistura. Para demonstrar a sua “imparcialidade”, nem o FC Porto, de que é adepto, poupou. Ou Cristiano Ronaldo, o seu ídolo – mas apenas dentro das quatro linhas. Do Benfica foram expostas milhares de mensagens de email trocadas entre 2008 e 2017 por responsáveis da Luz, e, no estrangeiro, o Paris Saint-Germain, o Manchester City, o Real Madrid, o Barcelona e o presidente da FIFA, Gianni Infantino, viram o Football Leaks desviar documentação reservada e comprometedora. José Mourinho, Neymar e o “superagente” Jorge Mendes foram outros dos visados do “pirata” Rui Pinto, que se apresenta enquanto “denunciante”, à imagem de whistleblowerscomo Edward Snowden e Julian Assange. (...) as primeiras queixas-crime à PJ contra o Football Leaks surgiram mal o site disparou as “balas” iniciais. Logo no final de setembro de 2015, o Sporting e a Doyen Sports (um fundo privado de especulação financeira, com sede em Malta, que gere carreiras de futebolistas e treinadores) denunciaram a violação dos seus sistemas informáticos. Mas a Judiciária demoraria até janeiro passado, vigiando e perseguindo o pai e a madrasta do hacker, para descobrir o paradeiro de Rui Pinto – na capital húngara, Budapeste, cidade que conhece bem (estudou ali História, em Erasmus). (...) No dia 5 de março, uma juíza de 1ª instância do Tribunal Metropolitano de Budapeste validou a extradição de Rui Pinto, 30 anos. Os advogados do hacker (com honorários pagos pela Signal Foundation, entidade dos EUA que se dedica à defesa de whistleblowers) recorreram da sentença para o Tribunal Superior da capital húngara. O seu constituinte não queria ser extraditado, alegando que não vê no nosso país motivação para “lutar contra a corrupção no futebol” e que por cá existe a “cultura do clubismo”, mesmo nas magistraturas. Sente-se tratado “como se fosse o Bin Laden” e, sendo extraditado, diz recear pela sua vida. (...) Parece que, aos registos que aqui se deixam, hão de suceder-se acrescentos sonantes: Ronaldo (...), José Mourinho, Jorge Mendes (...) Benfica (...), Sporting (...) , FCPorto (...), Doyen Sports (...), Paris Saint-Germain (...), Manchester City (...).» J. Plácido Júnior, in Quem são os poderosos tramados pelas denúncias do "pirata" Rui Pinto - Visão 14abri2019
  • Durão Barroso garante que nunca recebeu qualquer pressão da EDP, titula a SIC. Pois, a gente sabe disso. O tipo sempre se blindou contra qualquer tipo de pressão. Foi vê-lo na cimeira dos Caixões, acabando presidente da Comissão Europeia e desembocando na Goldman Sachs…
Share:

domingo, 14 de abril de 2019

Mobilidade elétrica: potencial do lítio desafia biodiversidade e qualidade das águas

  • A transição da mobilidade a combustíveis fósseis para mobilidade elétrica provocou o aumento substancial da procura de lítio para fabrico de baterias. «Nas últimas semanas foram publicados em Diário da República seis avisos a dar conta de que a australiana Fortescue requereu a atribuição de direitos de prospeção e pesquisa de depósitos minerais de ouro, prata, chumbo, zinco, cobre, lítio, tungsténio, estanho e outros depósitos minerais ferrosos e minerais metálicos associados em várias áreas do país, no norte e Centro de Portugal. Os anúncios são para as áreas denominadas “Cruto” (99,1 km2, localizados no concelhos de Braga, Barcelos e Vila Verde), “Fojo” (74,7 km2, nos concelhos de Melgaço, Monção e Arcos de Valdevez), “Viso” (133,3 km2, em Vieira do Minho, Montalegre, Cabeceiras de Bastos, Fafe); “Calvo” (375,2 km2, nos concelhos de Almeida, Pinhel e Figueira de Castelo Rodrigo), “Crespo” (189,6 km2, em Idanha-a-Nova) e “Nave” (308,5 km2, nos concelhos de Guarda, Almeida e Sabugal). São mais de 1100 km2 de área a pesquisar, todos à volta das áreas que foram identificadas como de elevado potencial na estratégia nacional do lítio – e cuja autorização para pesquisa e exploração vai ser definida por concurso público internacional.» Público, via Sustentabilidade e Acção. Quem garante que estas prospeções não irão contaminar lençóis freáticos, rios e ribeiras?
  • A migração em massa de África para a Europa vai acelerar, a menos que se faça mais para combater a crise climática, afirmou David Attenborough numa reunião do Fundo Monetário Internacional em Washington. «Acho difícil exagerar o perigo. Esta é a nova extinção e estamos a meio caminho dela. Estamos com problemas terríveis e quanto mais esperarmos para tomar medidas, pior será», cita o The Guardian.
  • O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, criou um órgão regulador com o poder de perdoar ou rever as multas ambientais, uma medida para conter o que ele considerou «indústria de multas» que ele diz ameaçar a subsistência de fazendeiros e pecuários. Ambientalistas alertam que a medida pode prejudicar a aplicação de leis que limitam a desflorestação em biomas sensíveis, como a floresta amazônica. Reuters.
Share:

Bico calado

«Olá, eu sou o Julian Assange. Dou-vos de borla informações privadas sobre empresas e governos e os media chamam-me criminoso. Olá, eu sou o Mark Zuckerberg. Vendo as vossas informações privadas a empresas e governos e os media chamam-me a personalidade do ano.»
  • «O dia 11 de Abril de 2019 deu-nos uma nova palavra para Judas:   Moreno — o presidente fantoche do Equador que vendeu Julian Assange a Washington por suas 30 moedas. Nesta manhã a prisão de Assange dentro da embaixada equatoriana em Londres foi a primeira etapa na tentativa de Washington de criminalizar a Primeira Emenda da Constituição dos EUA. (…) A polícia britânica não mostrou vergonha quando carregou Assange desde a sua embaixada-prisão dos últimos sete anos até uma cela britânica como estação intermediária para outra americana. Se a polícia britânica tivesse qualquer integridade, toda a força policial teria ficado doente. Se o parlamento britânico tivesse qualquer integridade, eles teriam bloqueado a contribuição de Londres para o julgamento espectáculo de Washington agora em preparação. Se os britânicos tivessem um primeiro-ministro ao invés de uma agente de Washington, Assange teria sido libertado há muito tempo atrás e não mantido num aprisionamento de facto até que Washington aceitasse o preço de Moreno. Se o embaixador equatoriano em Londres tivesse qualquer integridade, ter-se-ia demitido ao invés de chamar a polícia para levar Assange. Será o embaixador tão desalmado que possa viver tranquilo consigo próprio como o homem que ajudou Moreno a desonrar a reputação do Equador? Se os jornalistas anglo-americanos tivessem qualquer integridade, eles levantar-se-iam em armas quanto à criminalização da sua profissão. O presidente Trump sobreviveu a três anos de provação semelhante aos sete anos da provação de Assange. Trump sabe quão corruptas são as agências de inteligência e o Departamento de Justiça (sic) dos EUA. Se Trump tivesse qualquer integridade, ele poria um fim imediato à vergonhosa e embaraçosa perseguição à Assange através da emissão de perdão pré julgamento. Isto também poria fim ao re-aprisionamento ilegal de Manning. Mas integridade não é algo que prospere em Washington, ou em Londres ou em Quito. (…) Assange é acusado de estar em conspiração com Manning para obter e publicar dados secretos do governo, tais como o filme, o qual já era conhecido de um repórter do Washington Post o qual fracassou no seu jornal e na sua profissão ao permanecer silencioso quanto a soldados dos EUA cometerem crimes extraordinários sem remorso. Como soldado dos EUA, era realmente dever de Manning relatar os crimes e a falha de tropas estado-unidenses em desobedecerem a ordens ilegais. Supunha-se que Manning relatasse os crimes aos seus superiores, não ao público, mas ele sabia que o militares já haviam encoberto o massacre de jornalistas e civis e não queria um outro evento tipo My Lai nas suas mãos. (…)» Paul Craig Roberts, in The age of injustice. via Klepsudra.
  • «O jornal Expresso avançou ontem que o Estado português paga a um consultor francês para fazer lóbi junto das agências de rating. Os plebeus convencidos que a economia e os mercados, acima das paixões e defeitos do comum dos mortais, funcionam sem necessidade de intervenção humana, e, vai-se a ver, é preciso sustentar um antigo economista-chefe da Moody’s para interceder pelo país junto dos terroristas de colarinho branco que comandam as agências de rating.» João Mendes, in Aventar.
Share:

sábado, 13 de abril de 2019

Açores: lixeira ilegal em Rosais, S. Jorge, preocupa locais

  • Uma lixeira a céu aberto na Freguesia dos Rosais, S. Jorge-Açores, tem sido alvo de críticas e denúncias. Situada numa antiga saibreira entre a Fajã de São João Dias e o Parque das 7 Fontes, a lixeira tem recebido vários tipos de resíduos, desde ferro, plástico, papelão, madeira, vidro, eletrodomésticos, e regista vestígios de queimadas recentes. A CDU local apresentou um Requerimento à Assembleia Municipal das Velas com o objetivo de apurar responsabilidades e tomar as medidas devidas. «Esta lixeira é ainda mais surpreendente num momento em que foi encerrada a antiga lixeira, situação bastante reveladora de que o atual Centro de Resíduos bem como todo o seu processo integrado de recolha e tratamento não está a dar resposta às necessidades registadas no Concelho», diz o documento.
  • A maioria PSD-CDS da assembleia municipal de Aveiro rejeitou uma recomendação do BE «Por Aveiro, um município sem Gliofosato nos espaços públicos», informa o Diário de Aveiro.
Share:

Rússia: detidos e autuados por protestarem contra construção de aterro para receber lixo

  • Com o intuito de restaurar o campo de La Mancha, o projeto europeu LIFE Estepas de La Mancha, promovido pela Global Nature Foundation e pelo Governo Regional de Castilla-La Mancha, plantou cerca de 60 mil plantas de 25 espécies diferentes com o objetivo de recuperar os corredores ecológicos. Em fila, perfaz uma faixa de arbustos de 11 Km. Esses corredores são não só refúgio das aves das estepes face aos predadores, mas também espaços onde encontram insetos para se alimentar e reproduzir. 20Minutos/La Crónica Verde.
  • Várias pessoas foram detidos e autuados por participarem em protestos em Arkhangelsk, Severodvinsk e Syktyvkar, Rússia, contra a implantação de um aterro em Shies para recolher e tratar de 6% do lixo produzido em Moscovo. A página dos ativistas contra este projeto, hospedada na VKontakte, foi encerrada. Os ambientalistas alegam os impactos negativos do projeto numa zona húmida sensível. The Barents Observer.
  • Trabalhadores que avançavam com uma vasta operação de limpeza e descontaminação de um local de armazenamento de combustível perto de um famigerado reformatório descobriram algo muito pior do que a poluição do solo: evidência de 27 possíveis túmulos clandestinos. Aconteceu junto da Dozier School for Boys, em Marianna, Florida. Fontes: Miami Herald, Tampa Bay, e WearTV.
  • O Centro de Diversidade Biológica (CBD) está a processar o Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos EUA (FWS) por não divulgar registos públicos, apesar dos vários pedidos feitos ao abrigo do Freedom of Information Act, que revelariam os impactos do FWS ter permitido o uso de neonicotinóides e culturas transgénicas em refúgios de vida selvagem. Refira-se que, em agosto passado, a administração Trump reverteu uma decisão de 2014 da FWS de proibir o uso de neonicotinóides e culturas transgênicas nos National Wildlife Refuges. Beyong Pesticides.
  • Os Waorani avançaram para tribunal para tentar impedir que o governo equatoriano leiloe as suas terras a petrolíferas. Este tipo de conflito começou nos anos 1960s quando a Texaco, agora Chevron, iniciou perfurações na Amazónia. A eleição de Lenin Moreno veio agudizar o conflito. Reuters.
Share:

Reflexão: que fazer com casos/notícias inconvenientes?


«Muitas zonas de África tornaram-se pouco mais do que depósitos de lixo para o crescente desperdício de países ocidentais. A Somália foi uma das primeiras. Nos anos 1990s, com o caos provocado pelo derrube do ditador da Guerra Fria, Mohamed Siad Barre, as multinacionais italianas despejaram resíduos nucleares e outros resíduos perigosos no país. Posteriormente, grandes inundações infiltraram-se nos lençóis freáticos, o que terá provocado impactos negativos nos estoques de peixe, razão frequentemente citada pelos somalis para terem optado pela pirataria. «Os piratas da Somália são vistos quase como uma espécie de Robin Hood, roubando o Ocidente pelo mal que este lhes faz», diz Abdirahman Aden Ibrahim, analista político somali. Em 2006, o enorme despejo de lixo em Abidjan, na Costa do Marfim provocou um enorme escândalo relacionado com um grupo britânico. A petrolífera multinacional Trafigura foi acusada pelos graves problemas de saúde causados pelos resíduos tóxicos despejados. A Trafigura negou as alegações e sacudiu as culpas para uma empresa subcontratada que despejara o lixo sem o seu conhecimento. Após clamor internacional, a empresa pagou 110 milhões de libras para realizar uma limpeza organizada pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente. (…)» 
Times online 18jul2009, via Wikileaks e Scribd.
Share:

Bico calado


  • «Assange recusou ser membro do clube. Ele envergonhou tantos jornalistas porque conseguiu, através da Wikileaks, revelar muito mais manchetes do que eles tinham conseguido durante todas as suas vidas. Ele teve muito sucesso e mostrou o que os media de facto sempre foram, e nunca como agora, um apêndice do poder estabelecido. Ele expôs isso e não lhe perdoem por isso. » John PIlger, outubro 2018.
  • «É de uma arrogância sem limites tentar processar um editor não americano na Europa segundo leis dos EUA. Se o governo e os jornalistas do Reino Unido permitirem isso, talvez Moscovo ou Riad processem jornalistas britânicos por revelarem segredos sobre eles. É este o precedente criado.» Mark Curtis.
  • Na semana passada, o parlamento do Equador aprovou uma resolução pedindo uma investigação de corrupção sobre assuntos de Moreno em relação aos INA Papers, a partir de um alerta lançado pela plataforma de notícias digitais La Fuenteon, em 19 de fevereiro. A INA Investment Corp of Panama é perita em otimizar impostos. Alega-se que, a partir desse paraíso fiscal, foram utilizadas altas verbas de uma conta offshore para fazer uma série de pagamentos de presentes, compras de móveis e um apartamento em Espanha. E a detenção de Assange não passou de um número de circo que, alegando a defesa dos interesses nacionais, mais não pretende senão desviar as atenções internacionais do escândalo de corrupção que envolve Moreno e a sua família. Fontes: CounterPunch e Dissident Voice.
  • As acusações contra Julian Assange são um ataque direto à liberdade de imprensa, alertam peritos como Yochai Benkler, da Harvard e Carrie Decell, da Knight First Amendment Institute, Columbia University. A acusação diz que que «Assange conspirou ao encorajar Manning a fornecer informações e documentos de departamentos e agências dos Estados Unidos.» É uma função básica do jornalismo incentivar as fontes a fornecer informações de interesse público sobre as atividades do governo. A acusaão também diz que «Assange e Manning conspiraram ao tomar medidas para esconder Manning como fonte da divulgação de documentos confidenciais para o WikiLeaks.» Mas proteger o anonimato das fontes é precisamente a pedra de toque de muitos relatórios de segurança nacional e investigativa - sem fontes não haveria divulgação de informações, e a imprensa não poderia cumprir o seu papel de responsabilizar o poder. A acusação diz ainda que «Assange e Manning conspiraram ao usarem o serviço de chat Jabber e a plataforma Dropbox para colaborar na aquisição e disseminação dos documentos classificados.» Acontece que tanto o Jabber como o Dropbox são ferramentas de comunicação vulgarmente usadas por jornalistas que trabalham com denunciantes. Ed Pilkington, The Guardian.
  • «(…) Imaginemos Tony Blair arrastado da sua casa georgiana de vários milhões de libras em Connaught Square, Londres, algemado, para ser enviado para o tribunal de Haia. Pelo padrão de Nuremberg, o maior crime de Blair é a morte de um milhão de iraquianos. O crime de Assange é o jornalismo: responsabilizar os predadores, expor as suas mentiras e dar poder às pessoas em todo o mundo com a verdade. A detenção de Assange traz um aviso para todos os que, como Oscar Wilde escreveu, “semeou as sementes do descontentamento [sem as quais] a civilização não teria avançado”. O aviso é explícito para os jornalistas. O que aconteceu com o fundador e editor da WikiLeaks pode acontecer com você num jornal, num estúdio de TV, na rádio, enquanto está a fazer uma gravação. (...) O The Guardian explorou o trabalho de Assange e WikiLeaks como sendo, segundo o seu editor anterior, "a maior manchete dos últimos 30 anos". O jornal desmentiu as revelações da WikiLeaks e reivindicou os elogios e dinheiro de que daí vieram. Um livro do The Guardian sobre o assunto levou a um lucrativo filme de Hollywood. Assange e a WikiLeaks não receberam um cêntimo. Os autores do livro, Luke Harding e David Leigh, revelaram a sua fonte, abusaram dele e revelaram a senha secreta que Assange tinha dado ao jornal em segredo, que pretendia proteger um ficheiro digital contendo mensagens tiradas da embaixada americana. (…) O The Guardian diz que “O caso de Assange é uma teia moralmente emaranhada. Assange acredita em publicar coisas que não deveriam ser publicadas… Mas ele sempre expôs coisas que nunca deveriam ter sido escondidas ”. Essas "coisas" são a verdade sobre o modo homicida como a América conduz as suas guerras coloniais, as mentiras do Foreign Office Britânico ao negar os direitos a pessoas vulneráveis, como os habitantes de Chagos, a denúncia de Hillary Clinton como apoiante e beneficiária do jihadismo no Médio Oriente, a descrição detalhada de embaixadores americanos sobre como os governos da Síria e da Venezuela poderiam ser derrubados e muito mais. Está tudo disponível na página da WikiLeaks. Compreende-se o nervosismo do The Guardian. A secreta britânica já o visitou, exigindo e conseguindo a destruição ritual de um disco rígido. (…) Em 1983, uma funcionária do Foreign Office, Sarah Tisdall, divulgou documentos do governo britânico que mostravam quando as armas nucleares americanas chegariam à Europa. O The Guardian recebeu uma chuva de elogios. Porém, quando uma ordem judicial exigiu conhecer a fonte, em vez de o editor ser preso por um princípio fundamental de proteção de uma fonte, Tisdall foi traída, processada e detida por seis meses. Se Assange for extraditado para a América por publicar o que The Guardian considera “coisas” verdadeiras, o que impedirá a atual editora, Katherine Viner, de o seguir, ou o editor anterior, Alan Rusbridger, ou o prolífico propagandista Luke Harding? O que vai impedir os editores do New York Times e do Washington Post, que também publicaram pedaços da verdade provenientes da WikiLeaks, e o editor do El Pais, em Espanha, e o Der Spiegel, na Alemanha, e o Sydney Morning Herald, na Austrália? A lista é longa. (…) Mesmo que os jornalistas que publicaram as denúncias da WikiLeaks não sejam convocados por um júri americano, basta a intimidação a Julian Assange e a Chelsea Manning. O jornalismo a sério está a ser criminalizado por bandidos às claras. (…) O jornalismo a sério é o inimigo das vergonhas denunciadas pela Wikileaks. Há uma década, o Ministério da Defesa britânico elaborou um documento secreto que identificava as três principais ameaças à ordem pública: terroristas, espiões russos e jornalistas investigativos. Os últimos foram considerados a maior ameaça. (…)» John Pilger, in The Assange Arrest Is a Warning From HistoryMPN. Conferir com este artigo de Kelley Beaucar Vlahos, no The American Conservative.
Share:

sexta-feira, 12 de abril de 2019

Ovar: presidente da autarquia enredado em processo jurídico por causa da cimenteira ABTF


O presidente da Câmara de Ovar está enredado num processo jurídico por causa da cimenteira ABTF, diz a Visão de 11 de abril.

A operar há cerca de 10 anos, apenas em setembro passado a Câmara liderada por Salvador Malheiro emitiu uma licença após queixas de moradores e empresários contra a poluição provocada pela central de betonagem.

Malheiro está ainda enredado em processos de investigação por causa da colocação de vários relvados sintéticos pela mesma empresa, a Safina, cujo presidente-executivo foi vereador da Urbanização daquela autarquia., por causa da utilização de um carro de luxo do município para ações partidárias, sobre a compra de votos de militantes do PSD de Ovar inscritos com moradas-fantasma, sobre a forma como foi concretizado o projeto vencedor do último Orçamento Participativo do município, sobre a sua viagem a um jogo da seleção nacional no Euro 2016, sobre o projeto de ampliação de um restaurante local sem alvará…
Share:

Metade dos países da União Europeia pode não cumprir os objetivos de reciclagem de 50% de lixo municipal

  • Metade dos países da União Europeia pode não cumprir os objetivos de reciclagem de 50% de lixo municipal até 2020. Apesar de um aumento nas taxas de reciclagem na UE de 43,7% em 2014 para 46,4% em 2017, apenas 9 países estão no caminho certo para atingir a meta, enquanto 5 - Áustria, Bélgica, Alemanha, Holanda e Eslovênia - já conseguiram. EEB.
  • A Comissão Europeia diz que vai avançar com medidas que facilitam taxas os poluidores. EEBMais fácil dizer do que fazer. A ver vamos.
  • Rolos cheios de areia e de fibra de coco são enterrados em dunas próximas das fachadas de casas em Cape Cod, e noutras zonas costeiras do Massachusetts, para absorver a energia das ondas e manter a areia no lugar. O reforço da duna é feito com o plantio de gramíneas e arbustos. NPR. Trata-se de uma tecnologia semelhante à dos geotubos aplicados em 2015 e 2018 na orla costeira do Furadouro, Ovar.
  • As autoridades do estado de New York anunciaram que vão processar a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos por permitir que a General Electric Co parasse de limpar a contaminação do rio Hudson antes de o trabalho estar concluído. Reuters.
  • O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, confirmou que está «tentando converter da Vale de R$ 250 milhões em investimentos em sete Parques Nacionais em Minas Gerais, para infraestrutura, trilhas, atividades e serviços que as tornem mais atrativas para o ecoturismo através de concessão futura». Este anúncio recebeu fortes críticas até mesmo de apoiantes do governo de Gaidó. GaúchaZH.
Share:

Reflexão – Mais um truque da Shell


A Shell quer tornar os combustíveis fósseis mais agradáveis para o consumidor consciente do meio ambiente. A partir de 17 de abril, na Holanda (e mais tarde em outros países), a gigante petrolífera dará aos clientes do posto de abastecimento de combustíveis a opção de adicionar 1 cêntimo por litro de combustível, que a empresa usará para “compensar” as emissões de carbono dessa gasolina. O dinheiro irá para a compra de créditos de carbono de projetos “baseados na natureza”. A ideia não é original. A BP, através do projeto “Target Neutral”, uma plataforma onde qualquer pessoa pode comprar créditos de carbono. A BP afirma ter compensado cerca de 3 milhões de toneladas métricas de dióxido de carbono. No mês passado, a petrolífera italiana Eni anunciou um plano de reflorestação para compensar parte das suas emissões. Quartz.

Esta gente é muito esperta e julga quer ainda nos pode enganar. O truque da Shell é o melhor! Resta saber para que servem os 21,4 biliões de dólares de lucros divulgados pela Shell em 2018…
Share:

Bico calado

  • «(...) Não sei se Rui Pinto foi um ladrão de bancos ou não, o que o António Lobo Xavier disse nada prova ou vale, mas fiquei com uma certeza absoluta, é que ALX está mesmo muito incomodado com o que Rui Pinto sabe e que ALX sabe que RP sabe. E também todos nós sabemos que ALX tem muitos amigos, de Ricardo Salgado a Oliveira e Costa, que esses sim não foram uns pequenos ladrões de bancos, estavam dentro da própria banca que pilharam com elevado nível de gangsterismo. Teria sido melhor que ALX estivesse calado (…) Portugal é a nível macro-político orientado por Marcelo, enquanto PR, de quem ALX é conselheiro de Estado e por 4 grandes sociedades de advogados de negócios, a saber: A Morais Leitão, onde pontifica Lobo Xavier, A LPMJ, onde pontifica Miguel Júdice, A Gutierrez, onde pontifica Proença de Carvalho, A Abreu, onde pontifica Luís Marques Mendes, outro conselheiro de Estado do actual PR. Tudo expoentes da direita portuguesa e com forte influência nos media. Tirem as vossas conclusões.(…)» José Joaquim de Souza, via José Valente.
  • «A Polícia Judiciária da Guiné-Bissau apreendeu na segunda-feira no âmbito da operação "Arroz do Povo" mais 36 toneladas de arroz numa quinta do ministro da Agricultura do país.» LUSA/Macua.
  • Quando as redações dos jornais encolhem, há menos concorrentes a presidentes de câmara e menos pessoas votam, conclui um estudo de Meghan Rubado e Jay Jennings. Mais conclusões: a perda de experiência profissional na cobertura do governo local tem consequências negativas para a qualidade da política da cidade, porque os cidadãos se tornam menos informados sobre as políticas locais e as eleições; uma redação forte está associada a uma margem menor de vitória para o eventual vencedor; quando os jornais reduzem a equipa dedicada ao governo local, é menos provável que os presidentes de câmara sejam responsabilizados pela disponibilização de informações sobre suas decisões e comportamentos. Estudos anteriores mostram que um jornal local forte aumenta a participação dos eleitores, reduz a corrupção, torna as cidades financeiramente mais saudáveis, torna os cidadãos mais informados sobre política e mais propensos a envolver-se no governo local, força a TV local a subir a fasquia e faz com que os eleitos sejam mais atuantes e eficientes. NiemanLab.
  • Julian Assange foi arrastado da embaixada do Equador e detido pela polícia britânica a mando do Equador. Parece que um jornalista já pode ser preso por publicar documentos de um denunciante sobre crimes de guerra. Mais: 16 anos depois da invasão do Iraque, foram presas mais pessoas que divulgaram crimes de guerra do que criminosos de guerra. Mais ainda: consta que o atual presidente do Equador, Lenin Moreno, negociou a entrega de Julian Assange a Donald Trump para "aliviar" a dívida do Equador aos Estados Unidos e não o envolver com os paraísos fiscais onde ele tem a sua fortuna.
Share:

quinta-feira, 11 de abril de 2019

Tavira: dragagens espalham resíduos entre a barra de Tavira e a praia de Cabanas

  • O areal entre a barra de Tavira e a praia de Cabanas apareceu juncado de resíduos, nomeadamente pneus, ferros, vidros, tecidos, carrinhos de compras e artes de pesca de plástico. Aponta-se o dedo às dragagens feita no fim de 2018 pela Docapesca no rio Gilão, intervenção que não era feita há 30 anos. DN.
  • Foram suspensas as jornadas organizadas por associações ligadas à caça em Arcos de Valdevez, informa O Minho. Nuno Gomes, do FAPAS, escreve: «Desde caso tiram-se algumas lições: 1 - O oportunismo de alguns caçadores; 2 - A importância das associações de conservação da natureza; 3 - O papel fundamental de um Deputado atento (neste caso, André Silva, do PAN, que felicito); 4 - A lucidez, neste assunto, do nosso Primeiro Ministro.»
Share:

Translate

Pesquisar no Ambiente Ondas3

Património

O passado do Ambiente Ondas3

Ver aqui.

Amig@s do Ambiente Ondas3

Etiquetas

Arquivo do blogue