Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Rio Maior: empresa de tomate intimada a aplicar sistema de retenção de emergência

  • A Inspeção-Geral do Ambiente participou ao Ministério Público a existência de crime nas descargas feitas na Ribeira da Assêca, em Rio Maior, Santarém. A descarga poluente foi realizada por uma empresa da indústria agroalimentar de processamento de tomate. A inspeção, realizada no seguimento de uma denúncia, confirmou a degradação da qualidade da água e a morte de peixes neste afluente do rio Tejo. A empresa terá de implementar, no prazo de cinco dias, um sistema de retenção de emergência. Caso não cumpra, a Inspeção-Geral do Ambiente poderá decretar o encerramento da fábrica. RTP. Porque é que os media portugueses raramente identificam os poluidores?
  • O ministro norueguês de Petróleo e Energia, Terje Soviknes, fervoroso defensor da expansão da exploração de petróleo no Ártico e de áreas protegidas como Lofoten, demitiu-se no âmbito de uma reforma mais ampla da primeira-ministra Erna Solberg. Energy Voice.
  • As autoridades de Detroit ordenaram o corte de abastecimento de água a todas as escolas públicas da cidade após o registo de níveis elevados de chumbo e cobre na tubagem de alguns prédios. Reuters.
  • 63 mil pessoas de 85 localidades de Myanmar (antiga Burma) foram evacuadas na sequência de falha grave no escoamento de águas da albufeira de Swar, criada para irrigar vastas áreas de arrozais. Poucos dias antes, os trabalhos levados a cabo na albufeira tinham sido dados por concluídos, apesar de alguns reparos levantados por agricultores em relação à capacidade de retenção de água daquela albufeira. Reuters.
  • Para quem pensa que fotografar a vida selvagem é tarefa fácil, vale a pena ler o que o fotógrafo Joel Sartore conta na National Geographic
Share:

Reflexão – Fresno vai deslocalizar-se para a bacia do Alqueva?


Agricultores de origem portuguesa há muito radicados na Califórnia estão a investir na bacia do Alqueva, diz a Reuters. O Alqueva parece a Califórnia dos anos 1950s, dizem eles. A isca foi lançada por António Costa quando da visita do primeiro-ministro português àquele estado em junho passado. 
Jose Dariush Leal da Costa, não é o único que passou a investir nesta zona, concretamente em amêndoa. Há outros que, para além da Califórnia, vieram do Chile e, claro, de Espanha, para investir numa zona onde parece não faltar água, coisa que anda a faltar nas zonas de onde vêm. As taxas de empréstimos são baixas e os incentivos bons para quem quiser investir mais de 500 mil euros.
Share:

Memórias curtas

Share:

Bico calado

  • «(…) no caso de Mário Centeno, o economista português que criticava as limitações estruturais da zona euro e que exibia os erros e os sacrifícios inúteis das medidas de austeridade, eclipsou-se completamente. O que se viu e escutou foi um Jeroen Dijsselbloem ou um Wolfgang Schäuble a falar usando o rosto do ministro português como máscara. (…)  Mas o que é verdadeiramente imperdoável, e constitui uma irreversível confissão de irrelevância por parte de Centeno, é a pequena frase em que o presidente do Eurogrupo atribui as causas das desgraças helénicas exclusivamente às suas "más políticas do passado" (bad policies of the past). (…) ao ilibar totalmente as instituições europeias (Conselho Europeu, Comissão Europeia, Banco Central Europeu, Eurogrupo, Parlamento Europeu), bem como os grandes países, Alemanha e França, de qualquer ónus no mais repugnante processo de humilhação e empobrecimento de um povo na Europa desde 1945, Centeno fez recuar o relógio da União Europeia até 2008. Como se não tivéssemos aprendido nada e tudo tivesse sido esquecido, como se o sofrimento passado tivesse sido inútil perante as imensas tarefas que a nau europeia terá de assumir se não quiser naufragar nas tormentas que se aproximam. A tragédia grega foi a primeira demonstração inequívoca do erro matricial da zona euro, um erro contra o qual o chanceler Kohl advertiu no Bundestag, em novembro de 1991: uma união monetária não sobreviverá se não for suportada por uma união política. Quando George Papandreou, num gesto de lisura kantiana, revelou a realidade das contas públicas gregas no final de 2009, em vez de receber aplauso e solidariedade foi submetido ao fogo cerrado do longo holocausto da austeridade e do esbulho helénicos. Centeno mostrou que pode subir ainda mais alto. Merece a confiança desta elite europeia que odeia a verdade e exulta com o preconceitoViriato Soromenho Marques, in Altos cargos e pequenos homensDN 26ago2018.
  • O tempo usado na leitura e envio de emails durante as deslocações dos trabalhadores devem ser contadas como parte do dia de trabalho, sugerem investigadores da University of the West of England. BBC.
Share:

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Portugueses com níveis de glifosato no seu organismo 20 vezes mais elevados do que os suíços e os alemães

  • Há portugueses, especialmente no norte e centro de Portugal, que registam níveis de glifosato no seu organismo 20 vezes mais elevados do que os suíços e os alemães. O glifosato é um composto tóxico, a substância ativa de 20 marcas de herbicidas comercializadas em Portugal. RTP. Apesar de o glifosato ter sido considerado potencialmente cancerígeno pela Organização Mundial de Saúde, as autoridades europeias têm arrastado os pés na tomada de medidas de proteção da saúde das pessoas. Este é um assunto que tem merecido especial atenção por parte deste blogue. A aplicação do glifosato tem enormes e vastas implicações em termos de contaminação de solos e plantas, com impactos na cadeia alimentar e na saúde humana e dos animais. Continuaremos, por isso, a seguir de perto esta temática. Entretanto, podemos recordar o que de essencial este blogue já escreveu sobre o assunto. Para tal basta teclar «glifosato» na pequena janela do canto superior esquerdo do blogue: uma longa lista de artigos será disponibilizada para consulta pormenorizada. 
  • Uma descarga na Ribeira da Asseca, no concelho de Santarém, provocou a morte a centenas de peixes. A primeira descarga aconteceu no domingo mas na segunda-feira a situação agravou-se. O presidente da junta de freguesia da Moçarria, Marcelo Morgado, espera que os culpados sejam encontrados e responsabilidades. TSF.
Share:

Suíça: Climeworks vai extrair dióxido de carbono do ar


  • A indústria pesqueira escocesa pediu que às petrolíferas para removerem as suas plataformas marítimas do fundo do mar sempre que elas forem descomissionadas. A Federação Escocesa de Pescadores argumenta que a remoção de plataformas favorecerá o potencial regresso de antigas áreas de pesca. Energy Voice.
  • Uma pequena empresa suíça angariou 31 milhões de dólares para investir na extração de dióxido de carbono do ar. A Climeworks AG usa filtros de alta tecnologia e ventiladores para extrair dióxido de carbono da atmosfera a um custo de cerca de 600 dólares a tonelada. A extração de grandes quantidades de dióxido de carbono da atmosfera pode ajudar a reduzir o aquecimento global, responsável por causar mais ondas de calor, incêndios florestais, inundações e subida do nível do mar. A fábrica da Climework na Suíça vende dióxido de carbono para as estufas próximas como fertilizante para tomates ou pepinos. Também tem um projeto na Islândia, onde o gás é enterrado no subsolo. Reuters.
  • A Rússia proibiu um grupo de lobi ambiental dos EUA de operar no país depois de o considerar uma organização indesejável e uma ameaça para a segurança. Sedeado em San Francisco, o Pacific Environment diz, no seu portal, que faz campanhas com parceiros locais para proteger o ambiente na Sibéria e no Extremo Oriente da extração de combustíveis fósseis, mineração e extração ilegal de madeira. Reuters.
  • A África do Sul abandonou projetos para aumentar a oferta de centrais nucleares para favorecer as fontes renováveis à medida que reduz a dependência do carvão. REW.
Share:

Reflexão - «Crianças transgénicas»


«Crianças transgénicas», um filme recente que denuncia as deformações físicas de crianças expostas a agroquímicos na Argentina. Via Organic Consumers.
Share:

Mão pesada

A Sanepar foi multada em R$ 800 mil por descarga de esgoto não tratado no Ribeirão Lindóia que abastece o Lago Norte, em Londrina, tendo provocado a morte de muitos peixes. Globo.
Share:

Bico calado

  • A sobrefacturação dos privados à ADSE, atingiu 37 milhões de euros em 2017, denuncia Eugénio Rosa.
  • «Centeno desde que foi para o Eurogrupo comporta-se como os seus congéneres que o antecederam e que tão mal fizeram a Portugal. Mais: assumiu todas as políticas que nos garantem a sobrevivência na mediocridade, com surtos de falsa felicidade e quedas na realidade que vão ser particularmente dolorosas, mas que nos impedem de sair da condição de país remediado, com futuro mais ou menos assistido. É tudo menos uma política que mereça a classificação de nossa, de patriótica, dos nossos interesses de sair da cepa torta. Depois, há a declaração sinistra, para não lhe chamar outra coisa, sobre a Grécia. Ele falou sobre a Grécia, e nada do que ele disse é verdade, como o que o Eurogrupo e Passos Coelho disseram sobre uma “saída limpa” que se revelou (e ainda mais se revelará bem “suja”).» José Pacheco Pereira, in O homem que deixou de ser portuguêsSábado 26ago2018.
  • «A 12 de Fevereiro passado, a empresa Boju Lda. emitiu uma factura no valor de 31 milhões e 960 mil kwanzas para a venda de quatro mil batas hospitalares para médico(a)s e enfermeiro(a)s, ao custo de 7.990 por cada unidade. De acordo com a factura nº 03/18 (BOJU/002/EA/18RP), o Hospital Américo Boavida era obrigado a pagar antecipadamente 50 por cento do valor e o restante no acto de entrega das batas, no espaço de 15 dias. Este portal obteve informações segundo as quais o hospital pagou a totalidade do valor a 26 de Fevereiro. Já passaram seis meses e não há sinais de entrega das batas. Um médico da unidade, contactado por este portal, lamenta que não recebe uma bata do hospital há três anos. Este não é o único contrato com a Boju. A 30 de Janeiro passado a empresa emitiu a factura nº 01/18 (BOJU/003/EA/18RP) para o fornecimento de quatro mil lençóis, no valor de 45 milhões e 540 mil kwanzas. O hospital pagou metade do valor, mediante recepção da factura, e a segunda parte em Fevereiro. Só após a inquirição da Inspecção-Geral das Finanças, que tem estado a vistoriar as contas desde finais de Abril, a Boju viu-se obrigada a entregar os lençóis em Maio.» Maka Angola.
Share:

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

França: Nicolas Hulot demite-se frustrado com falta de progresso no combate às alterações climáticas

  • Nicolas Hulot, o ministro francês do Ambiente, demitiu-se dizendo-se dececionado com a falta de progressos no combate às alterações climáticas. «Não quero mentir a mim mesmo, não quero dar a ilusão de que a minha presença no Governo significa que estamos a avançar, portanto tomo a decisão de deixar o Governo (…) Começámos a reduzir os pesticidas? A resposta é não. Começámos a impedir a erosão da biodiversidade? A resposta é não. Estamos em posição de parar a fertilização artificial dos solos? A resposta é não», afirmou na entrevista durante a qual anunciou a sua decisão. TSF.
  • Os bebedouros instalados em Londres têm-se revelado muito populares. Mais de 8.000 litros de água foram distribuídos em duas torneiras na Liverpool Street Station, - o que representa 16 mil garrafas de água de plástico… -, enquanto a torneira instalada na Carnaby Street foi usada mais de 10.000 vezes desde junho. The Guardian.
  • Centenas de moradores de duas localidades perto de Wichita, no Kansas, consumiram, durante 6 anos, água contaminada do poço Hufman. O estado sabia e nada fez para resolver o problema. The Wichita Eagle.
Share:

Reflexão – Carbonato de sódio dá cores paradisíacas a praia da Toscana


As cores paradisíacas da praia de Rosignano Solvay, em Rosignano Marittimo, na Toscânia, Itália, escondem um mistério tenebroso: são favorecidas por derrames de resíduos de carbonato de sódio de uma fábrica vizinha… 


Share:

Mão pesada

  • A polícia espanhola desmantelou a maior fábrica de criação ilegal de tartarugas e cágados, tendo capturado mais de mil animais de 62 espécies, 14 das quais em vias de extinção. A operação decorreu perto de Llucmajor, na ilha de Mallorca, tendo as autoridades detido dois alemães e um espanhol proprietário de uma loja de animais de estimação exóticos em Barcelona. AFP.
  • Operação conjunta contra o garimpo ilegal de ouro realizada por agentes da Polícia Federal, do Ibama e da Polícia Militar do Pará resultou na desativação de 27 escavadeiras hidráulicas, 11 balsas, 26 motobombas, 3 tratores e 2 pistas de pouso clandestinas na Terra Indígena Kayapó, no sul do estado. Dez acampamentos que davam suporte à atividade ilegal foram desmontados e duas espingardas, apreendidas. 
  • A Anhui Haide Chemical Technology Corporation, em Jiangsu, China, foi multada em 55.1 milhões de yuan ($8 milhões) por despejo de resíduos químicos perigosos no rio Yangtze. Reuters.
Share:

Bico calado

  • «(…) Senhor primeiro-ministro, lá fora sou professor e cá dentro gostaria muito de ser professor. No entanto, num país onde os meus colegas e amigos trabalham mais de 60 horas por semana e os ordenados insistem em não subir para além dos 1100 euros limpos por mês, não vejo no desconto no IRS um atractivo para regressar, até porque o regresso será sempre um regresso ao desemprego, com ou sem IRS, e lá voltamos nós ao mesmo, dez anos depois e tudo na mesma.(…)» João André Costa, in Eu quero pagar o IRS por inteiroPúblico 27ago2018.
  • «No país mais rico do mundo, há dezenas de milhões de pessoas que não têm acesso a cuidados de saúde. Essas pessoas têm a liberdade de escolher qual o hospital que não vão conseguir pagar. No mesmo país, famílias remediadas arruínam-se em batalhas ganhas ou perdidas contra a doença de um familiar. Essas famílias têm a liberdade de escolher entre a casa ou a saúde de um dos seus. É esta a realidade por detrás da liberdade de escolha. Os Estados Unidos da América, o país em que as ideias da direita sobre a saúde foram mais longe é o país que gasta mais em saúde. Quando comparados com outras nações ricas, os EUA gastam mais 25% per capita em paridades de poder de compra do que a Suíça e quase o dobro da Alemanha. E esta diferença tem aumentado desde os anos 80. Um sistema que gerou a maior e mais lucrativa indústria de saúde do mundo. Qual o resultado deste investimento massivo? Um estudo recente da Organização Mundial de Saúde dá a resposta: com base num painel de indicadores de saúde, os Estados Unidos eram classificados como o 37º sistema de saúde do mundo, a seguir à Costa Rica. Portugal era o 12º. Não admira que a indústria da saúde norte-americana gaste uma fortuna em lobbying, “investigação” paga a peso de ouro ou no suborno mais ou menos descarado.(…)» Marisa Matias, in DN 26ago2018, via Entre as Brumas da Memória.
  • «(…) Não sabemos como isto vai acabar, mas uma coisa é certa: não teríamos chegado tão longe se Orbán não tivesse aliados tão poderosos em Bruxelas e em certas capitais da UE. Acima de tudo, Orbán tem contado nos últimos anos com o apoio do Partido Popular Europeu, PPE, de que fazem parte os partidos portugueses PSD e CDS. Como pode um partido europeu que se reclama da democracia-cristã aceitar no seu seio um líder político que se recusa a alimentar detidos sob a sua responsabilidade? (…) É preciso que militantes e políticos desses partidos, jornalistas, adversários noutros partidos políticos e o público em geral comecem a perguntar sistematicamente a Rio e a Cristas: como podem admitir ter no mesmo partido europeu alguém que se recusa a alimentar requerentes de asilo para os pressionar a não usar o seu direito de recurso judicial? Não há vergonha?» Rui Tavares, in Um silêncio vergonhoso de Rio e Cristas - Público 27ago2018.
  • Um traidor safa-se e outro é acusado sem provas, por Dieter Dellinger, FB 23ago2018.
  • O Livro Das Caras anda a filtrar, a censurar, informação que critica e/ou não apoia a política externa norte-americana, admite WT Whitney, na Mint Press.
Share:

terça-feira, 28 de agosto de 2018

Petrolíferas querem muralha de proteção

  • A indústria petrolífera norte-americana quer que o governo construa uma muralha de cerca de 60 milhas ao longo da costa entre a Louisiana e o sul de Houston, a zona de maior concentração mundial de refinarias. Tudo para as defender dos impactos das alterações climáticas, nomeadamente da subida dos níveis das águas do mar. Oregon Live. Querem maior ironia? Isto é, os combustíveis fósseis são comprovadamente responsáveis pelas alterações climáticas, os políticos locais, fortemente patrocinados pelas petrolíferas e orgulhosamente céticos do clima, querem agora que o país inteiro contribua com 12 biliões para defender o seu negócio, o seu sistema. 
  • A enorme incineradora de Detroit ultrapassa muitas vezes os limites de poluição, mas é raramente punida pelas autoridades competentes. Segundo o Breathe Free Detroit, entre 2013 e 2017, a incineradora violou esses limites 800 vezes, mas só foi multada 8 vezes, num total de 149 mil dólares. WXYZ.
  • O Vietname do Norte exige justiça e compensações para as cerca de 3 milhões de vítimas de exposição ao Agente Laranja, o famigerado químico que a Monsanto vendeu aos militares norte-americanos durante a Guerra do Vietname (1961-1971) e que foi pulverizado sobre florestas para as desfolhar, tendo contaminado solos, rios e provocado problemas graves de saúde nos habitantes das comunidades atingidas. RT.
Share:

Reflexão - Desenvolvimento e alterações climáticas


«(…) Tem uma formação científica, é geólogo. Há alterações climáticas?
Há e sempre houve. A tese dominante é que as alterações climáticas se estão a agravar e que são provocadas pelo homem. O que me parece é que estão a ser intensificadas pela acção humana e os seus efeitos afectam cada vez mais população devido à gestão capitalista. As soluções que o capitalismo está a apontar são embustes. Taxar o carbono é uma solução mais preocupada com a rentabilização de mercados e a penalização de países em vias de desenvolvimento. Eu não quero um mundo que não tenha CO2, mas que tenha pessoas que não tenham o que comer. Quero um mundo em que permitamos aos povos em desenvolvimento que se desenvolvam com os meios que tiverem, com sensibilidade ambiental cada vez maior. Acabámos com os seus recursos, explorámos a mão-de-obra deles, acabámos com os nossos recursos, poluímos com fartura, toda a poluição do mundo… bem agora a Índia e a China estão a afirmar-se como grandes poluidores, até hoje a Europa e os Estados Unidos eram os maiores.

O desenvolvimento justifica tudo?
Não, nem há desenvolvimento se houver destruição do globo. Há riscos em tudo o que fazemos, também estamos a entrar em embustes, estamos a trocar carros por carros eléctricos que provocam desequilíbrios no ambiente praticamente iguais. A extracção de lítio que estamos a fazer para ter essas baterias é terrível, devassa tudo e provoca uma poluição que só vamos conhecer dentro de 20 anos, quando as baterias estiverem obsoletas.(…)» 

Miguel Tiago, entrevistado por Nuno Ribeiro – Público 27ago2018.
Share:

Mão pesada

Uma empresa têxtil, situada no Distrito Industrial de Petrolina, Sertão de Pernambuco, foi multada em R$ 16 milhões por despejo de resíduos químicos sem tratamento num canal ligado ao Rio São Francisco. Globo.
Share:

Bico calado

  • «Desde o início da operação Liberdade Duradoura, isto é, a invasão do Afeganistão pela NATO, em Outubro de 2001, a produção anual de ópio para fabrico de heroína e outras drogas ilícitas neste país cresceu entre 4000 a 4500%, alimentando um tráfico com lucros de um bilião de dólares que terá provocado a morte de mais de um milhão de pessoas. Os dados são de várias organizações internacionais, entre elas a United Nations Office Drugs and Crime, agência da ONU para a droga e o crime. (…) mais de dezena e meia de senhores da guerra e do narcotráfico têm lugar no Parlamento “democratizado” de Kabul, nascido de eleições grosseiramente falsificadas – mas consideradas válidas pelos ocupantes.» José Goulão, in O Lado Oculto.
  • O presidente da campanha presidencial de Trump em 2016, Paul Manafort, foi considerado culpado de fraude. No mesmo dia, o seu ex-advogado, Michael Cohen, declarou-se culpado de violações de fraude e financiamento de campanhas. Manafort mentiu aos bancos para obter milhões de dólares em empréstimos pessoais e escondeu milhões em ganhos das Finanças dos EUA. Ele escondeu esse dinheiro através da criação de empresas anônimas. Essas empresas receberam pagamentos de empresários ucranianos e trasnferiram-nos para contas bancárias pessoais de Manafort como se fossem empréstimos em vez de rendimento.
  • «(…) Não sabemos como isto vai acabar, mas uma coisa é certa: não teríamos chegado tão longe se Orbán não tivesse aliados tão poderosos em Bruxelas e em certas capitais da UE. Acima de tudo, Orbán tem contado nos últimos anos com o apoio do Partido Popular Europeu, PPE, de que fazem parte os partidos portugueses PSD e CDS. Como pode um partido europeu que se reclama da democracia-cristã aceitar no seu seio um líder político que se recusa a alimentar detidos sob a sua responsabilidade? (…) É preciso que militantes e políticos desses partidos, jornalistas, adversários noutros partidos políticos e o público em geral comecem a perguntar sistematicamente a Rio e a Cristas: como podem admitir ter no mesmo partido europeu alguém que se recusa a alimentar requerentes de asilo para os pressionar a não usar o seu direito de recurso judicial? Não há vergonha?» Rui Tavares, in Um silêncio vergonhoso de Rio e Cristas - Público 27ago2018.
Share:

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Matosinhos: praia de Angeiras interdita a banhos

  • Banhos interditos em praia de Angeiras devido a alteração na qualidade da água, noticia o JN.
  • A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) não cumpre prazos e resiste à prestação de contas, acusam os ambientalistas da Zero. Num balanço a propósito dos dois anos da nova legislação para regular o acesso à informação, a Zero refere que houve 77 queixas na Comissão de Acesso aos Documentos Administrativos (CADA), num total de 151 pedidos de disponibilização de dados relativos a temas ambientais: «51% dos pedidos resultam em queixas à CADA», resume a associação. Além da APA, a Zero indica que também o Ministério do Ambiente e a Secretaria de Estado das Infraestruturas não reportaram informação relativa à poluição do Tejo e ao novo aeroporto de Lisboa, respetivamente, e o Fundo Ambiental «demonstrou incompreensíveis resistências à disponibilização de indicadores sobre a gestão dos fundos públicos que lhe está adstrita». Pela positiva, destaca o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e a Direção Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural, que «demonstram ter mais atenção aos prazos e à qualidade das respostas dadas». DN.
Share:

Memórias curtas

  • 24ago2017 - Uma traineira com pavilhão português foi apresada no porto de Lorient, França, pela pesca de 30 toneladas de atum rabilho e tubarão-sardo, cuja pesca está proibida.
  • 24ago2008 - O Governo de José Sócrates autorizou a sociedade gestora do Parque Alqueva, empreendimento turístico em Reguengos de Monsaraz considerado PIN, nas margens de Alqueva, a abater 6.484 azinheiras, devendo os promotores compensar plantando 27.700 novas árvores da mesma espécie; centenas de árvores, na sua maioria freixos e salgueiros, foram abatidas ao longo de 3km numa das margens do Arunca, afluente do Mondego, no concelho de Soure.
Share:

Bico calado


A Namíbia está a processar a Alemanha (o processo deu entrada em 2001 – alguém tinha ouvido falar disto?) através de um tribunal em New York City. Exige-se o reconhecimento e compensações pelo genocídio levado a cabo entre 1904 e 1908 por tropas alemãs que eliminaram 80% dos Herero e 50% dos Nama. Há anos que a Namíbia negocia a devolução de crânios de namibianos usados em laboratórios alemães para provar a superioridade da raça branca sobre outras. Os colonialistas alemães decapitaram inúmeros Herero e Nama e pelo menos 300 cabeças foram levadas para laboratórios alemães para «investigação científica». Muitos foram «descobertos» no Museu de História Médica do Charité Hospital de Berlin, e na Freiburg University. New Eastern Outlook.

Informação adicional: 

Para os mais exigentes e especialistas:
Share:

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

Madeira: pombal original anima ribeira do Funchal


Os pombos agradecem a solução encontrada pelos decisores madeirenses.

Share:

Indonésia: óleo de palma no querosene em troca de encomenda de aviões à Airbus e à Boeing

  • Um grande incêndio deflagrou na refinaria de petróleo Stanlow, da Essar Oil UK, que processa cerca de um sexto das necessidades de petróleo do país. Energy Voice.
  • A Indonésia só encomendará aviões à Airbus e à Boeing se o querosene incorporar óleo de palma. Jacarta pede aos Estados Unidos e à França para não reduzirem ou bloquearem a produção de querosene a partir de óleo de palma no seu território. Tudo porque o combustível é produzido a partir de óleo de palma, de que a Indonésia é o maior produtor mundial, e a União Europeia e os Estados Unidos estão a reduzir o seu uso por causa do seu impacto nas florestas tropicais e no ambiente. Reuters. Entretanto, o governo francês opõe-se à proibição da importação de óleo de palma e autoriza a biorrefinaria da Total, em La Mède, que aumentará as importações desse óleo, informa a Reporterre.
  • A General Mills está a ser processada nos Estados Unidos por uma mulher da Flórida que a acusa de praticar práticas comerciais enganosas, ao não alertar o público que os seus cereais Cheerios e Honey Nut Cheerios contêm glifosato, o conhecido agente cancerígeno e o herbicida mais usado do mundo. Sustainable Pulse.
  • O acesso a emails internos da Monsanto mostram que, em 2003, os executivos admitem não terem testes que garantissem que o glifosato não era cancerígeno. Monsanto Papers.
  • Líderes indígenas de toda a Bacia Amazónica, reunidos em Bogotá, divulgaram uma declaração pedindo a consolidação do maior corredor ambiental e cultural do mundo para unir áreas protegidas com territórios indígenas, recuperar áreas degradadas e promover o uso sustentável da floresta. 
Share:

Reflexão - «A carne é para dias de festa»


«As pessoas têm de se convencer que a carne é para dias de festa, até porque se pode viver muito bem sem ela. O planeta não aguenta... não há recursos, não há água, não há capacidade de gerir tanto desperdício. Para fazer um quilo de bife o que se deita fora de água, nutrientes, de bife estragado ao longo da cadeia para depois ter um bife no prato, não dá. E o que vi assusta: hormonas, cortisonas, antibióticos, outros tipos de drogas...». 

Carlos Pimenta, entrevistado pelo Público de 22ago2018.
Share:

Memórias curtas

  • 23ago2010 – A lagoa das Sete Cidades sofre intensa eutrofização.
Share:

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Espinho: «Madeira fossilizada» encerra praia do Pau da Manobra em Silvalde


A praia do Pau da Manobra, em Silvalde, Espinho, foi encerrada a banhos por, segundo informação da Junta de Freguesia, ter ficado a descoberto, por ação das marés e consequente desassoreamento, «madeira fossilizada, massa orgânica que, em contato com a água do mar, desprende-se alterando a cor da água». A câmara municipal de Espinho e a APA foram notificadas acerca desta ocorrência. JF de Silvalde. Não será lodo estratificado proveniente de lamas do fundo da Lagoa de Paramos, algumas centenas de metros a sul do local?
Share:

Açores: zona de Rede Natura 2000 terraplanada no Pico para fazer jeito a rave

  • Em Vila do Conde, pulveriza-se as ruas de Caxinas com glifosato para eliminar as chamadas ervas daninhas. «Em plena época balnear, com as ruas cheias de banhistas, crianças, cães, gatos, há que pulverizar tudo muito bem (…) com herbicida, à hora de almoço (…) todos têm as janelas abertas (…) Onde estão os cuidados com a saúde pública? Onde estão os métodos alternativos mecânicos e biológicos a aplicar ANTES dos químicos, como consta na lei?», pergunta Fátima Cabeleira Teixeira. Em Espinho também se abusa do glifosato.
  • O Ribeiro do Rebentão, na Queiriga, Vila nova de Paiva, f sofreu novas descargas de esgotos não tratados. Descargas semelhantes ocorreram também junto à Ponte Pedestre, no rio Paiva, ao lado da Estalagem. Das ocorrências foi dado conhecimento À Câmara Municipal de Vila Nova de Paiva e ao Instituto de Conservação da Natureza, uma vez que parte da descarga abrange terrenos classificados na Rede Natura. Rádio Escuro.
  • Uma zona da Área Protegida para a Gestão de Habitats ou Espécies das Lajes do Pico, que é também parte da Rede NATURA 2000, foi mais uma vez terraplanada para se instalar uma "tenda eletrónica" para alojar as "raves" que acompanham as festas regionais. De nada serviu a queixa feita em 2015 ao Governo Regional e à Comissão Europeia sublinhando a contradição entre a destruição do património natural e o turismo de natureza, ignorou-se a ordem do Governo Regional para o habitat ter de ser restaurado. Lamentavelmente, tudo está legal mercê de pareceres positivos dos departamentos competentes da Câmara Municipal das Lajes do Pico e do Governo Regional.


Share:

Índia: reciclados de plástico pavimentam 16 mil Km em Tamil

  • Na Índia, cerca de 16 mil quilómetros de estrada já foram pavimentados no estado de Tamil, Índia, com um produto resultante da reciclagem de resíduos plástico recolhidos por todo o lado. O criador da tecnologia foi Rajagopalan Vasudevan, professor de Química. El País.
  • Os vinhedos situados no oeste do estado do Texas estão a ser gravemente prejudicados pela deriva de herbicidas aplicados em campos de soja e de algodão vizinhos. NPR.
  • A ilha grega de Tilos, de 400 habitantes, é a primeira ilha do Mediterrâneo a consumir energia totalmente produzida pelo sol e pelo vento. Techxplore.
Share:

Reflexão – o impacto da indústria de óleo de palma nas florestas tropicais da Indonésia


Rang-tan revela o impacto da indústria de óleo de palma nas florestas tropicais da Indonésia, quando elas são arrasadas para cultivar óleo de palma que é usado como ingrediente nos nossos chocolates, sabonetes e lanches.
Share:

terça-feira, 21 de agosto de 2018

Espinho no fim do dia de feira


No final do dia 20 de agosto, segunda-feira, era este o aspeto de parte do recinto onde se realiza a feira semanal de Espinho.
A foto de Isabel Vaz Duarte diz muito dos nossos hábitos de consumo, de gestão de resíduos e de limpeza e do muito que há que fazer para evoluirmos para um mundo melhor, com muito mais respeito pelo Ambiente, pela qualidade de vida e pela saúde.
Share:

Celorico de Basto: população de Cavez exige cumprimento da promessa da Iberdrola


  • Era este o aspeto do espaço deixado pelos festivaleiros do MEO Sudoeste 2018 em Zambujeira do Mar.
  • A população de Cavez manifestou-se em frente à Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto em protesto contra a não aplicação na freguesia de uma verba de 2,7 milhões de euros paga pela Iberdrola por causa da construção da barragem de Daivões. Aquela empresa comprometera-se a dar aquele montante, pago em parcelas anuais, até 2023, para compensar o impacto que a barragem teve na pista de pesca, cuja ampliação, prevista no orçamento municipal, se tornou inviável com a empreitada. O Minho.
  • Ninguém diz nada quando uma empresa de marketing diz que os Açores estão nos trópicos? E se a Quercus tentasse ser mais rigorosa nos critérios que a fazem escolher vídeos para divulgação?
  • «Em Moçambique, a maior área plantada de eucaliptos é da responsabilidade da Portucel, controlada pela portuguesa The Navigator CompanySofia da Palma Rodrigues, in Público 19ago2018.
  • Com as alterações climáticas, as árvores estão a crescer mais depressa porque passaram a armazenar mais dióxido de carbono mas a madeira torna-se menos densa e, por isso, mais leve, sugerem investigações coordenadas por Hans Pretzsch, professor na Technical University de Munique. Isto significa que a madeira se torna menos resistente e mais suscetível a quebras. Terra Daily.
  • No Brasil, um sistema fraudulento de extração de madeira resulta não só em degradação florestal, mas também numa ameaça às vidas de pessoas e comunidades indígenas que dependem da floresta para a sua subsistência. PHYS.
Share:

Bico calado

  • Uma avozinha de 87 foi intercetada pela polícia quando, com uma faca, apanhava dentes-de-leão na sua vizinhança. Imigrante síria, com nacionalidade norte-americana desde 2001, não compreendeu o que o agente de autoridade lhe dizia. Aplicaram-lhe choque elétrico e detiveram-na. Na Georgia é assim. ABC.
  • «(…) Andávamos todos nós tão contentes com os voos low  cost, e antes disso com a velocidade que modificou as condições da viagem e do percurso. Sabemos agora que alguém, ou alguma coisa, desatou a rir-se de nós, fazendo-nos experimentar a situação paradoxal de ficarmos imobilizados por causa do excesso de mobilidade. A situação já era nossa conhecida nas entradas e saídas das grandes cidades. Mas agora todas as ligações aéreas de umas cidades às outras conhecem esse regime do trânsito parado. Este mundo que tende para a sua perda, isto é, para a entropia, é um mundo irónico que transforma toda a promessa de felicidade (temporária, é certo) num inferno e deixa toda a gente parada – por muito mais tempo do que aquele que conseguimos suportar – exactamente porque foi prometida a toda a gente a fácil mobilidade e a velocidade. Nunca o fenómeno da entropia foi tão espectacular como é hoje nos aeroportos e no tráfego aéreo. Talvez seja necessário ter em conta que há uma economia política da velocidade e não apenas da riqueza produzida. E quando somos submetidos nos aeroportos e nos aviões à condição de plebe desprezível, pensamos que ali pode estar a renascer uma nova modalidade de luta de classes: por onde circulam os ricos nos aeroportos? Em que aviões viajam para não correrem o risco de perder tempo? Porque é que a velha máxima do “tempo é dinheiro” continua a ser tão actual que ou se tem as duas coisas – tempo e dinheiro - ou não se tem nenhuma. (…)» António Guerreiro, in Low cost e luta de classesPúblico 17ago2018.
  • «(…) temos Santana Lopes armado em Noé, ansioso por comandar a nau da Aliança. Até ver nem acontece Dilúvio - o outro estava obcecado com o Diabo! -, que lhe desse razão de ser, como parecem poucos os animais aliciados por nela entrarem. Os bípedes, mais espertos!, adivinham fútil o aliciamento, mas ele contaria sobretudo com os quadrúpedes, pois sobram muitos na área política em que anseia ter, senão uma palavra a dizer (algo difícil a alguém com tanta inocuidade mental!), pelo menos um lugarzinho ao sol, onde sinta compensada a neurose narcísica.(…) O programa político agora apresentado é uma colagem requentada de coisas que as direitas andaram a propor nas décadas mais recentes e nenhuma delas dando outro resultado, que não a desgraça das maiorias: cheque-ensino para acabar com o ensino público e dar fôlego aos colégios privados; seguros de saúde para acabar com hospitais e centros de saúde estatais para que o negócio da saúde seja rentável para os empreendedores, que com ele querem enriquecer; e, sobretudo, reduzir impostos para que acabem as veleidades constitucionais de estarem garantidos os direitos fundamentais trazidos pela Revolução de Abril e traduzidos na Lei Fundamental.» Jorge Rocha in Parvoíces sazonais - Ventos semeados.
Share:

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Vila Praia de Âncora: automobilistas espertos brincam com o mar

  • Em Vila Praia de Âncora, há automobilistas tão inteligentes e espertos que estacionam as suas viaturas na rampa de acesso dos barcos ao mar. A sua enorme inteligência e esperteza têm merecido, algumas vezes, prémios oferecidos pelo mar que os alaga. A autoridade marítima atribui-lhes um bónus: coimas por estacionamento abusivo. JN.
  • A Câmara da Figueira da Foz recuou na decisão de abater 16 árvores, no âmbito de uma obra de requalificação urbana em curso, e vai reformular o projeto, informa o JN.
  • Madrid gasta 7,4% menos água do que em 2007 apesar da sua população ter aumentado 425.500, informa o El País.
  • Moradores e autoridades locais do distrito de Funhalouro, na província de Inhambane, no sul de Moçambique, acusam madeireiros chineses de abaterem árvores ilegalmente em Tome. Para além de não terem as devidas licenças, tratam os colaboradores como escravos, fomentam assim a concorrência desleal com os madeireiros locais. Club of Mozambique.
  • Vestígios do cancerígeno glifosato estão presentes em 45 produtos, nomeadamente em marcas populares como a incluindo produtos populares de alimentação para crianças como a Quaker, a Kellogg’s e a General Mills. The Guardian.
  • Uma proposta dos Verdes e dos Trabalhistas para introduzir limites à pesca comercial em parques marinhos foi derrotada, pela segunda vez, pela maioria do Senado australiano. The Guardian.
Share:

Mão pesada

Os proprietários do Hardwicke Hall Manor Hotel, perto de Blackhall, em East Durham, e uma transportadora foram multados, respetivamente em mais de 4 mil libras e 6 mil libras por despejo ilegal de resíduos para aumentar o parque de estacionamento do hotel. GovUK.
Share:

Bico calado

Foto: Semra Genç
  • «No dia 14 de maio, escrevi aqui um artigo intitulado "Incompetência ou crime?" onde abordava o facto de, incompreensivelmente, ter ficado incompleto o processo de definição da chamada ZEP - Zona Especial de Proteção da Ponte da Arrábida, classificada em 2013 como monumento nacional. "Esquecimento" que fez com que apenas uma área de 50 metros para montante e jusante da ponte ficasse protegida (…) Isto mostra bem como a Câmara tudo tem feito, nos últimos anos, para salvaguardar o direito de construção daqueles terrenos (algo que, até à entrada de Rui Moreira sempre contestou!). Sendo ainda mais escandaloso que o faça quando é a própria Câmara que reclama em tribunal que esses terrenos são seus (e que foram indevidamente apropriados por terceiros com recurso à figura de usucapião). Será que a Câmara, se voltar à posse dos terrenos, quer lá construir? Ou está a dar mais um tiro nos pés para perder a ação pela posse desses mesmos terrenos?» Rui Sá, in Basta!JN 13ago2018.
  • «Estou desolada com o que aconteceu à octogenária Freda Jackson, de Blackburn, Lancashire. Poupou dinheiro da pensão e foi com uma amiga passar umas férias de pesadelo a Benidorm. Quer que a agência de viagens lhe devolva o dinheiro: havia demasiados espanhóis. (…) Tenho uma coisa para dizer a Freda. Não venha para o Algarve, que nós, portugueses, nestas coisas somos parecidos com os do lado de lá e temos a mania de passar férias por cá, e para aí metade da malta ruma ao mar quente e sossegado do sul. A não ser que escolha bem, muito bem, e vá decididamente para Albufeira, onde há 158 turistas por metro quadrado. Não sei como fazem estas contas, mas vem num estudo que encontrei na net que também diz que nessa terra abençoada há 39 forasteiros por cada albufeirense. Ali é que se está bem. Gente educada que fala inglês. (…)» Ana Sousa Dias, in Quatro mil buracos em Blackburn Lancashire. E Freda Jackson - DN 15ago2018.
  • «(…) o bombástico anúncio da “triplicação” de rendimentos denuncia uma ideia: a de que um político de esquerda deve empobrecer. Pelo contrário, à direita tudo se permite porque não sendo supostamente moralista o político de direita está livre do julgamento moral e nada tendo contra o capitalismo o seu enriquecimento legal é sempre legítimo.(…)» Daniel Oliveira, in Sobram Mujica e Che - Expresso Diário, 16ago2018 – via A estátua de sal.
Share:

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Leça do Balio: «chuva pastosa» cai há 3 anos em Agra

  • Uma espécie de “chuva pastosa” cai há três anos no Lugar da Agra, Leça do Balio. Os moradores apontam o dedo À incineradora da Lipor que fica a cerca de 500 metros. Público.
  • Qual é a resposta que Rita Marques Costa, dá à pergunta que titula o seu texto no Público - E se deixássemos de usar glifosato, haveria alternativa? Nenhuma evidenciada por subtítlo(s) ao longo do texto. Convenhamos que o uso do imperfeito do conjuntivo e do condicional torna as hipóteses bastante remotas. Entretanto, recordemos que a Sonae, proprietária do Público, disponibiliza glifosato nas prateleiras da secção de jardinagem das suas lojas Continente.
  • As linhas de transmissão que ligam a França e a Península Ibérica vão ser modernizadas. Mas será que haverá um fluxo de eletricidade mais renovável de Portugal para a Europa Central, ou mais fluxo de energia nuclear na França na outra direção? DW.
Share:

Reino Unido: ministra compara o glifosato à lixívia

  • Therese Coffey, a ministra do Ambiente britânica, compara o glifosato à lixívia e a outros produtos de limpesa doméstica. BBC.
  • As multinacionais petrolíferas ConocoPhillips e Perenco estão a tentar impedir que o governo vietnamita arrecade 179 milhões de dólares em impostos sobre os lucros obtidos com a venda de campos petrolíferos no país. O processo será analisado por um tribunal internacional, administrado pela ONU e pouco conhecido fora dos círculos legais privilegiados. O caso está relacionado com a venda em 2012 de duas empresas pertencentes a uma filial britânica da ConocoPhillips, a ConocoPhillips Gama Ltd e a ConocoPhillips Cuu Long, a uma empresa britânica pertencente à petrolífera anglo-francesa Perenco. A ConocoPhillips vendeu as empresas por 1,3 bilião de dólares, obtendo um lucro de 896 milhões, não tendo pago qualquer imposto por isso. O Vietname, tem, porém, segundo peritos, todo o direito de cobrar o respetivo imposto segundo o acordo anglo-vietnamita. The Guardian.
  • O procurador-geral do Illinois avançou com uma ação contra a Trump Tower, em Chicago, alegando a violação das leis ambientais e uma ameaça para os peixes do rio Chicago. A Trump International Hotel & Tower descarrega milhões de litros de água no rio todos os dias para arrefecer vários sistemas no prédio. Alega-se ainda que a torre e o hotel residencial de 92 andares não realizaram estudos obrigatórios do impacto da descarga da água no rio. Reuters.
  • A Florida declarou o estado de emergência perante a dimensão da praga de algas que invadiu algumas praias e zonas húmidas do sul do estado. A maré vermelha - uma floração nociva de algas que ocorre naturalmente - começou em outubro de 2017 se espalhou-se pelo Golfo do México, abrangendo aogra cerca de 150 Km. Peixes e outros animais selvagens foram encontrados mortos nas praias de toda a Flórida, incluindo mais de 300 tartarugas marinhas, peixes-boi e até um tubarão-baleia que pode ter sido morto pelo fenómeno. 1,5 milhão de dólares foram disponibilizados para apoiar cientistas nos esforços de limpeza e resgate de animais. Huffington Post.
  • O corpo de Jorginho Guajajara foi encontrado perto de um rio no estado brasileiro do Maranhão. Ele líder do povo Guajajara, famoso internacionalmente pelo seu trabalho nos "Guardiões da Amazónia". Embora se desconheça o ou os autores do crime, uma poderosa máfia madeireira tem atacado a tribo por proteger a sua floresta tropical e os Awá. Survival International.
  • O candidato presidencial da extrema-direita Jair Bolsonaro ameaça retirar o Brasil do Acordo de Paris se vencer a eleição de outubro. Porquê, não o disse. DeSmogUK.
  • A segunda maior província siderúrgica da China, Jiangsu, vai exigir a deslocalização das siderúrgicas para duas novas áreas na costa. Objetivo: reduzir a poluição do ar e tornar a indústria mais eficiente. Reuters.
  • Alguns filipinos estão fartos da narrativa da sua alegada resiliência durante desastres naturais. Dizem que isso é uma treta para tentar impedir uma avaliação séria dos serviços de resgate e uma distração para encobrir a inação do governo no combate às inundações. Interaksyon.
  • A Nova Caledónia vai aplicar regras mais apertadas no acesso a uma vasta faixa de alguns dos últimos recifes de corais quase intocados do mundo. DW.
Share:

Mão pesada

GNR multa 36 pessoas por acampamento e estacionamento ilegais em dunas junto da lagoa de Melides, Grândola. Público.
Share:

Reflexão – Das sequóias às ervas daninhas comestíveis

  • David Milarch tenta salvar as sequóias da costa da Califórnia, alguns dos maiores e mais antigos seres vivos do mundo. Via Treehugger.
  • Ervas daninhas que crescem em áreas urbanas pobres são mais nutritivas do que produtos comprados em lojas, admitem investigadores da University of California, Berkeley, Seis espécies diferentes foram testadas quanto ao conteúdo nutricional: morugem (Stellaria media), dente de leão (Taraxacum officinale), doca (Rumex crispus), malva (Malva sylvestris), capuchinha (Tropaeolum majus) e oxalis (Oxalis pescaprae). Todas equiparadas à couve, com fibra alimentar, proteínas, vitamina A, sódio, cálcio, ferro e vitamina K. Até o momento, os investigadores documentaram 52 espécies diferentes nas ruas principais de São Francisco, nomeadamente a orelha de gato (Hypochaeris radicata), erva-doce (Foeniculum vulgare), banana (Plantago lanceolate), cardo de porca (Sonchus oleraceus), alface selvagem (Lactuca ludoviciana) e cebola selvagem (Allium spp). Cosmos.
Share:

Bico calado

  • «(…) Qualquer das oito notícias com que iniciei este texto poderia figurar na capa de um jornal ou fazer manchete no topo de um site de informação português: são relevantes, interessantes, dramáticas e curiosas. Não vi nada disso. Estas notícias têm mais proximidade aos interesses económicos, históricos e sociológicos dos portugueses do que qualquer tweet inconsequente de Donald Trump. Estas notícias dizem mais ao coração de centenas de milhares (milhões?) de imigrantes desses países que residem em Portugal, potenciais leitores de órgãos de comunicação social portugueses, do que qualquer manifestação contra imigrantes num país do centro da Europa. Estas notícias cumprem todas a regras editoriais que o jornalismo determina, porém, inexplicavelmente, nós, jornalistas, ignoramos ou reduzimos a sua importância à expressão mínima. Preferimos debater, com paixão anacrónica, o nome de um museu sobre a formação do império colonial português. Durante anos colaborei, alegremente, neste virar de costas do jornalismo português ao mundo da lusofonia. Agora sou obrigado a ver como fui tão burro e como é, desculpem, tão burro o jornalismo português.» Pedro Tadeu, in O jornalismo português é burro?DN 15ago2018.
  • Um executivo sénior do Facebook admitiu em privado que Mark Zuckerberg «está a borrifar-se» para os editores e avisou que, se eles não trabalhassem com a gigante das redes sociais, «eu estarei a pegar nas suas mãos com os vossos negócios moribundos como num lar». Facebook nega estes comentários, mas cinco pessoas que participaram na reunião à porta fechada em Sydney, - que contou com a presença de mais de 20 executivos de TV e editoras -, corroboraram para o The Australian que essa frase foi dita. Embora o Facebook tenha admitido que a reunião foi gravada, recusou-se a divulgar uma gravação completa dessa reunião.
  • A palavra «corrupção» desapareceu do novo código de conduta da FIFA. Em seu lugar apareceu o conceito de «difamação», ao abrigo do qual todo o tipo de críticas públicas estará proibido sob pena de expulsão. AP.
Share:

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Descida do Cávado pelo Ambiente

  • A Associação de Desenvolvimento Desportivo do Vale do Homem promove, no próximo domingo, 19 de agosto, a 5ª Descida do Cávado Pelo Ambiente, em kayak. O evento decorre em parceria com o Município de Amares e tem partida às 14h30 na zona fluvial de Dornelas e segue em direção a Prozelo, onde terminará perto da Igreja. A chegada está prevista para as 17h00. O Amarense.
  • A Polónia devolveu mil toneladas de resíduos ilegais enviados a partir do Reino Unido.  Unearthed.
  • As ações da Bayer caíram mais de 10% após um tribunal de San Francisco ter intimado a Monsanto, adquirida pela Bayer, para pagar uma indemnização de 290 milhões de dólares por não ter informado sobre os perigos do seu herbicida Roundup, a causa do cancro contraído por Dewayne Johnson, um jardineiro americanoFrance24.
  • A ConocoPhillipis anunciou a redução do seu pessoal nos eUA a partir de meados de setembro. Em abril, será a vez da petrolífera dispensar 450 trabalhadores no Reino Unido. Energy Voice.
  • Ellie Daniels e Donna Broderick, membros da Local Citizens for Smart Growth, processaram a cidade de Belfast, no estado do Maine, alegando que a Câmara abusou dos seus poderes ao aprovar emendas ao zonamento da cidade e ao plano abrangente sem respeitar o estatuto estadual e o processo de ordenação de zonas locais, com o objetivo de permitir a instalação de uma aquacultura de salmão por parte da norueguesa Nordic Aquafarms. Organic Consumers Association.
Share:

Reflexão – As consequências ambientais dos paraísos fiscais


Grande parte do dinheiro escondido em paraísos fiscais acaba financiando a pesca ilegal ou a desflorestação da Amazónia, sugere um estudo do Centro de Resiliência de Estocolmo e da Global Economic Dynamics and Biosphere, da Royal Swedish Academy of Science, e ainda da University of Amsterdam.
Combinando dados da Interpol, da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e dos bancos de dados de gestão pesqueira, os autores do estudo identificaram cerca de 200 embarcações envolvidas na pesca ilegal ou irregular. 70% desses navios tinham uma bandeira de conveniência de um desses paraísos fiscais, liderados pelo Panamá e por Belize.
“Embora o número real de embarcações seja insignificante comparado com o registo da FAO, a porcentagem não é, e é isso que importa, 4% contra 70%", diz Jean-Baptiste Jouffray, co-autor do estudo. Essa concentração não diria muito se fosse repetida em outros tipos de navios, como cargueiros ou petroleiros que também costumam usar bandeiras de conveniência, algo que não acontece. "Por exemplo, a Mongólia tem um dos registos de maiores navios do mundo, mas nem um único quilómetro de litoral. Então, nós olhamos para o banco de dados da FAO para colocar em perspetiva a 70% e ressaltamos que era bastante raro que os navios de pesca estavam concentrados em jurisdições de paraísos fiscais ", acrescenta Jouffray.
O estudo quantifica o capital estrangeiro que fomenta dois dos setores envolvidos na desflorestação da Amazónia: pecuária e cultivo de soja, responsável por 80% da desflorestação da selva. Usando dados do Banco do Brasil, o trabalho mostra que cerca de 23.500 milhões de euros de capital estrangeiro foram destinados às principais empresas de ambos os setores entre outubro de 2000 e agosto de 2011. Desse dinheiro, pouco mais de 16.000 milhões vieram de paraísos fiscais, com as Ilhas Cayman à frente.
"No Brasil, em toda a economia e em 2011, 17% de capital estrangeiro veio destes paraísos fiscais para o setor da pecuária e da soja, foi de 68%", afirma Víctor Galaz, o principal autor do estudo.»

O estudo afirma que é hora de colocar os paraísos fiscais na agenda da sustentabilidade global e sugere três medidas que consideram fundamentais em futuros esforços de pesquisa e governança de paraísos fiscais:

(1) A perda de receita tributária causada por paraísos fiscais deve ser considerada como subsídio indireto às atividades económicas, às vezes com impactos negativos nos bens comuns globais;
(2) Organismos e organizações internacionais, como a ONU Environment, devem avaliar os custos ambientais desses subsídios;
(3) A comunidade internacional deve considerar a evasão fiscal não apenas um problema sociopolítico, mas também ambiental.

Via El País.


Share:

Translate

Pesquisar no Ambiente Ondas3

Património

O passado do Ambiente Ondas3

Ver aqui.

Amig@s do Ambiente Ondas3

Etiquetas

Arquivo do blogue