Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

quinta-feira, 28 de junho de 2018

Clima e energia 2020: Portugal no bom caminho

  • Portugal está no bom caminho para cumprir os seus objetivos de clima e energia para 2020 e está a progredir na redução das emissões e do consumo de energia per capita, diz um relatório da Climate Action Network, que coloca o nosso país em 2º lugar (66%), depois da Suécia (77%) e numa lista de 28. Restantes países: França (65%), Holanda (58%), Luxemburgo (56%), Dinamarca (49%), Alemanha (45%), Croácia (43%), Finlândia/Lituânia (42%), Letónia/Itália (41%), Reino Unido/Áustria (37%), Espanha/Bélgica (35%), Eslovénia/Eslov´quia (34%), República checa/Roménia (33%), Hungria/Grécia (32%), Chipre/Malta (31%), Bulgária (26%), Estónia (24%), Irlanda (21%) e Polónia (16%). DW.
  • «Carbono zero não quer dizer petróleo zero», afirmou o ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, durante uma audição parlamentar em que foi acusado de ceder perante interesses económicos ao defender a exploração de petróleo em Portugal, a 46 km de Aljezur, «se o país quiser ser independente em termos energéticos do exterior». A audição do ministro do Ambiente fora requerida pelo Bloco de Esquerda, devido à dispensa de estudo de impacto ambiental para o projeto do consórcio Eni/Galp de prospeção de hidrocarbonetos ao largo de Aljezur. Matos Fernandes admitiu ainda ter havido «uma decisão política na manutenção deste contrato», assinado em 2007, mas que «não há mais nenhum contrato válido, nem haverá mais nenhum», tendo em conta a moratória aprovada pelo Governo até ao fim da legislatura. Expresso.
  • Madeira ilegal do Congo entra na Europa através de Portugal, denuncia a Global Witness. Tudo através da Norsudtimber, a principal empresa de extração e exportação de madeira da floresta tropical do Congo, sediada no paraíso fiscal do Liechtenstein. As acusações que recaem sobre as três empresas, a operar no Congo como subsidiárias da Norsudtimber - a Sodefor, Forabola e La Forestière du Lac - vão desde a falta de planos de gestão até corte de árvores fora das áreas concessionadas. As três empresas são responsáveis por 20 concessões, das quais pelo menos 18 foram assinadas por três portugueses, conhecidos como irmãos Trindade, que já foram alvo de uma investigação semelhante em 2007, por parte da Greenpeace. Onze anos depois, um novo relatório volta a apontar o dedo a estas empresas, acusando-as, entre outras coisas, de não implementarem planos de gestão a 25 anos dentro dos prazos legais, de atuarem fora do perímetro autorizado ou, em alguns casos, de suspenderem a exploração por pelo menos dois anos (situação que obrigava à devolução dos terrenos ao estado congolês). Entre todas, apenas duas cumpriam todos os requisitos legais. Do total da exploração, entre 2013 e 2017, 78% foram exportados para a China e 11% para a Europa, tendo entrado a quase totalidade por Portugal e França. O que leva a Global Witness a criticar a forma como ambos os estados têm lidado com a questão, falhando na fiscalização do comércio de madeira ilegal, atividade proibida na UE. DN.
Share:

China: recicladores de plástico deslocalizam-se

Foto: Paul Goldstein/Rex/Shutterstock
  • Os ambientalistas do Natural Resources Defense Council processaram a cidade de Newark, alegando que autoridades violaram as leis federais de água potável, ao não monitorizar e testar adequadamente um sistema de água que continha níveis de chumbo perigosamente altos. ABC7NY.
  • Na China, os operadores de resíduos plásticos estão a deslocalizar-se após o país ter proibido a sua importação. Por exemplo, a gigante Taicang Jinhui Recycling transferiu grande parte da sua atividade para a Malásia. Reuters.
Share:

Memórias curtas

Legenda de programa da RTP1: «Aldeia das Furnas pertence À ilha dos Açores»
  • 28jun2009 - Os trabalhos de despoluição do rio Ferreira começaram no concelho de Valongo, com acções de limpeza nas margens do rio e na praia fluvial de Sobrado.
  • 28jun2008 - A Assembleia Municipal de Terras de Bouro acusa o Parque Nacional da Peneda-Gerês, de nada fazer para combater as infestantes, de deixar degradar o património construído, de não limpar os fontenários, de não recolher o lixo, de não limpar as bermas e valetas das estradas e de não conservar a estrada da mata da Albergaria.
  • 28jun2007 - Mais de um quarto da água em distribuição na rede pública do país é desperdiçada, registando-se uma média de 28,5% de fugas, revela um estudo da Deco; A Câmara do Porto vai abrir um concurso público para a concessão de 50% dos serviços de recolha de resíduos urbanos.
Share:

Bico calado

Foto: Tree Lee.
  • «Ao contrário de alguns dos comentaristas que me criticaram depois da partida, eu não devo nada a ninguém. Nunca pedi dinheiro a presidentes dos clubes para pagar as minhas contas. Conheço-os a todos e conheço os presidentes que lhes davam dinheiro para eles falarem. E é por isso que alguns não gostam de mim. Sei como alguns pagam as suas contas. » Carlos Queiroz entrevistado por Paulo Curado, no Público.
  • «A acreditar na revista Sábado, Carlos Eduardo Reis, conselheiro nacional do PSD e ex-presidente da JSD de Braga, controla várias empresas que ganharam diversas adjudicações de autarquias controlados pelo PSD. Carlos Reis e outros militantes do PSD são suspeitos de integrarem um género de 'teia' de relações de negócios ligados com juntas de freguesia de Lisboa (e dominados pelo PSD). As três juntas que estão a ser alvo de investigação adjudicaram a empresas de militantes do Partido Social Democrata - ou estabeleceram avenças – no valor de cerca de 1.050.279 euros. Por exemplo, Fernando Braamcamp, que preside à Junta de Freguesia do Areeiro, terá estabelecido avenças de um total de 596.982 euros com militantes sociais-democratas. Já Luís Newton, presidente da Junta de Freguesia da Estrela, terá gastado cerca de 303.521 euros.» in Yronikamente.
  • «(…) Os que nos EUA se opõem à imigração fazem questão de sublinhar que os Estados Unidos não têm nenhuma obrigação legal ou moral para receber estes latinos. Isso não é verdade. Os Estados Unidos têm, de fato, a obrigação, porque muitos dos imigrantes, além de fugir da violência das drogas, estão a fugir de uma situação económica desesperada na sua terra natal, provocada pela política intervencionista dos Estados Unidos. (…) Sempre que um governo progressista sobe ao poder na América Latina ou ameaça fazê-lo, um governo empenhado em combater a pobreza, os EUA ajudam a suprimir esse governo ou apoiam a extrema-direita ou o exército na concretização de um golpe. Isso aconteceu na Guatemala, em El Salvador, no México, na Nicarágua e nas Honduras. O exemplo mais recente é o golpe de junho de 2009 (defendido pela secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton), que derrubou Manuel Zelaya, das Honduras. O aumento nos últimos anos na migração hondurenha para os EUA é um resultado direto do derrube de Zelaya, cujo crime era, entre outras coisas, aumentar o salário mínimo, dar subsídios a pequenos agricultores e instituir a educação gratuita. (…)» William Blum, in Dissident Voice.
Share:

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Água: Concessionárias impõem preços mais caros

Foto: Sandra Standbridge/Alamy Stock Photo
  • A esmagadora maioria dos municípios portugueses com as tarifas de abastecimento de água mais elevadas têm contratos de concessão com entidades gestoras, conclui estudo da Deco. Então não eram os privados que iam estimular o mercado, alimentar a concorrência, fazer baixar os preços, fazer milagres?
  • A área cultivada em Portugal com milho geneticamente modificado aumentou 3,6% em 2017, continuando a ser o Alentejo a região com maior extensão, revela o Relatório Estado do Ambiente citado pelo JN. Em 2017, na União Europeia, a área de cultivo de milho OGM diminuiu cerca de 3,5% em comparação com 2016.
Share:

Reino Unido: governo britânico abandona projeto de energia de marés em Swansea Bay

Swansea.
  • O governo britânico rejeitou os planos para um projeto de energia de marés em Swansea Bay, alegando ser muito caro em comparação com alternativas como parques eólicos offshore e energia nuclear. A decisão incendiou o ambiente político-partidário galês. O Plaid Cymru, o partido nacionalista galês, apresentou formalmente, através do deputado Simon Thomas, um voto de desconfiança ao secretário de Estado do País de Gales, Alun Cairns, no parlamento galês: «O governo do Reino Unido insiste em não investir no País de Gales. Já falhara na eletrificação das ferrovias de Gales, agora rejeita o projeto de energia de marés, isto prova que o secretário de Estado do País de Gales não tem credibilidade e não está em condições de representar o País de Gales em cargos públicos. Deve renunciar imediatamente.» O abandono do projeto aconteceu após o governo ter dito que ponderava uma participação multibilionária numa nona central nuclear em Wylfa, no País de Gales. The Guardian. O video promocional do projeto, divulgado pelo Ambiente Ondas3 em 6 de junho de 2017, pode ser visto aqui.
  • Os moradores de Avonmouth acusam uma central de resíduos de atrair pela segunda praga de moscas em poucas semanas. O mês passado os enxames de moscas atingiram localidades como Filton, Severn Beach, Lawrence Weston e Shirehampton, em Bristol. A autarquia diz que a população exagera com um fenómeno que é habitual sempre que as temperaturas sobem. Em 2015, a Boomeco, operadora de resíduos, foi multada em 14 mil libras por responsabilidades nas pragas de moscas que afetaram, em 2014, aquela região inglesa. The Bristol Cable.
  • A GE e a francesa EDF assinaram um acordo para construir seis reatores para um projeto de energia nuclear no oeste da Índia, que deverá ser o maior do mundo quando concluído. Reuters.
  • Aramco, a estatal petrolífera da Arábia Saudita, a ADNOC, a companhia petrolífera nacional de Abu Dhabi e um consórcio de três petrolíferas indianas assinaram um enorme projeto de refinaria de petróleo, apesar dos protestos de agricultores e pescadores locais perto do porto indiano de Ratnagiri. MEM.
  • O ministro do Ambiente dos EUA, Scott Pruitt, encorajou executivos de petrolíferas a candidatarem-se aos principais cargos nos serviços do ministério. Por sugestão de Pruitt, um funcionário da ConocoPhillips enviou ao ministério os currículos de duas pessoas para serem considerados para diretores regionais do ministério. BuzzFeed.
  • Uma investigação da Greenpeace revelou que a Wilmar International, através da Gama, a maior produtora mundial de óleo de palma, continua ligada à destruição da floresta para o óleo de palma quase cinco anos depois de se comprometer a acabar com a desflorestação em Papua, Indonésia.
Share:

Memórias curtas

Imagem colhida aqui.
  • 27jun2007 - Terminou a construção do Parque Eólico do Pinhal Interior. Montados pela Generg,  as 46 turbinas espalhadas pelos concelhos de Oleiros, Proença-a-Nova, Sertã e Vila Velha de Ródão vão produzir 335 Gwh anuais, o suficiente para abastecer 210 mil pessoas.
Share:

Bico calado

  • «(…) É chocante saber que Luís Montenegro e Hugo Soares vão ser constituídos arguidos por aceitarem a boleia para um jogo de futebol e nada se saber dos autarcas do PSD, Marco António, Luís Filipe Meneses, Agostinho Branquinho, Hermínio Loureiro, Virgílio Macedo e Valentim Loureiro, que a Visão n.º 1278 (31/8 a 6/9 de 2017) refere, em 21 páginas, com provas aparentemente irrefutáveis de faturas falsas, empresas de fachada, contratos públicos viciados, tráfico de influências, negócios simulados, fraudes em subsídios, manipulação de contas e iniciativas fictícias.(…)» Carlos Esperança, FB.
  • A francesa Systra abandonou o projeto de parte da construção de uma rede ferroviária israelita em Jerusalém ocupada, após forte contestação de organizações sindicais e divulgação da Federação Internacional dos Direitos Humanos. MEM.
Share:

terça-feira, 26 de junho de 2018

Lisboa: Capital Verde Europeia 2020

Foto>: Martin Fowler/Alamy Stock Photo
  • Lisboa ganhou o prémio Capital Verde Europeia de 2020. Tudo por causa de projetos como uma Praça de Espanha com um novo parque e uma bacia de retenção de água para controlo de cheias, um parque urbano em Entrecampos, um corredor verde que atravessará o vale de Alcântara, ligando-se a Monsanto ao Tejo e regado com água reciclada na sua Estação de Tratamento de Águas Residuais, e as Gira, as bicicletas partilhadas do município que já têm mais de dez mil passes associados. O prémio é uma iniciativa da Comissão Europeia que distingue as cidades com mais de 100 mil habitantes que apostam em políticas de preservação do Ambiente. O município terá agora de preparar um plano de atividades, em conjunto com as instituições europeias, para implementar em 2020. Do prémio faz ainda parte um incentivo financeiro de 350 mil euros. Público.
  • Conduta de esgotos domésticos paralela à ribeira de Seiça é suspeita de libertar resíduos para um curso de água, alertou Américo Costa em recente sessão do executivo camarário de Tomar. Refira-se que cerca de 90% das condutas de saneamento existentes no concelho de Tomar estão construídas ao lado de cursos de água. Rádio Hertz.
  • 50 ambientalistas mortos até junho de 2018. Brasil, Filipinas, Colômbia lideram este terror. The guardian.
Share:

Memórias curtas

Foto: Cindy Hopkins/Alamy Stock Photo
  • 26jun2014 - O Ministério da Agricultura lançou um plano de emergência para combater a vespa do castanheiro. A praga foi detada pela primeira vez em Portugal, no final de maio. 
Share:

Bico calado

Imagem colhida aqui.
  • «Associar imigração, delinquência e terrorismo é uma falácia que o populismo nacionalista dos dois lados do Atlântico utiliza cinicamente para subir nas sondagens e ganhar eleições. Não interessa que a combinação seja simplesmente mentirosa, como fez Donald Trump, ao proclamar que a delinquência na Alemanha subiu com a entrada de refugiados no país, quando a verdade é substancialmente oposta: a criminalidade desceu cinco por cento (para o nível mais baixo desde 1992). Não interessa sequer que os crimes cometidos por imigrantes tenham descido 23%. Vale tudo quando o objectivo é a demonização dos imigrantes; quando o alvo é o outro. Não interessa que os principais actos terroristas nos EUA tenham sido praticados por cidadãos de países muçulmanos excluídos da lista de impedidos a entrar nos EUA. (…) Os globalizadores de ontem são os nacionalistas de hoje: sonham com muros bonitos e grandes por todo o lado, fronteiras bem fechadas, homogeneidade ética e aquilo a que chamam centros de acolhimento, bem longe das suas fronteiras. Os globalizadores de ontem fazem do antigo estratega da administração Trump, Steve Bannon, um ideólogo e acreditam que chegou o momento de lançar um movimento internacional nacionalista com o objectivo de “devolver o poder às pessoas numa revolta popular”. A quem? Só o dinheiro poderá continuar a circular por onde muito bem entender. O dinheiro pode ser clandestino; os humanos não. O paraíso na terra só pode ser um offshore.» Amilcar Correia, in O paraíso na terra só pode ser um offshore - Público.
  • «(…) desde esse dia até agora mais de mil horas de noticiário nas televisões e rádios foram dedicadas aos acontecimentos ligados à direção do Sporting (os dados são de uma empresa que recolhe dados para media e empresas, a Cision, e davam 911 horas de Sporting/Bruno de Carvalho até 18 de junho; com a aproximação da Assembleia Geral do clube que destituiu o agora ex-presidente a contagem deve ter ultrapassado largamente as mil horas). Não só Portugal estava a falar de futebol quando o resto do mundo estava a falar de Israel e da Palestina, como Portugal estava a falar de Bruno de Carvalho muito mais do que de futebol propriamente dito. O Aves ganhou a Taça de Portugal e ninguém lhe ligou. O FC Porto ganhou o campeonato e teve direito a cerca de um terço do noticiário que teve o Sporting. Só a participação de Portugal no Campeonato do Mundo de Futebol deu finalmente alguma luta. Alguns poderão dizer que esta recente explosão de populismo futebolístico merecia não só destaque noticioso como até esta espécie de monocultura mediática em que vivemos. O problema é que não é o populismo futebolístico que justifica a cobertura mediática. É ao contrário: a incessante cobertura mediática é que gera também o populismo futebolístico. (…) Rui Tavares, in E quem nos devolve mais de mil horas de vida? - Público.
  • É irónico ver o país que alberga a segunda maior lavandaria de dinheiro do mundo queixar-se de que muitos britânicos «otimizam» os seus impostos em offshores na concorrência!
Share:

sexta-feira, 22 de junho de 2018

Holanda: 19 cêntimos por cada quilómetro pedalado na ida e volta do trabalho

Imagem colhida aqui.
  • Os turistas vão pagar uma taxa de 4 euros mais o preço da viagem para terem acesso ao ilhéu de Vila Franca do Campo, em S. Miguel-Açores. A receita das taxas será aplicada pela Azorina em ações de conservação da natureza, de divulgação e promoção do património natural ou de educação e sensibilização ambiental, a desenvolver no Parque Natural da ilha de São Miguel, no âmbito de um contrato-programa a celebrar com a Secretaria da Energia, Ambiente e Turismo. Correio dos Açores.
  • O Capitão David William diz ter provas documentais chocantes de que houve um encobrimento da Marinha norte-americana relativamente ao afundamento do submarino nuclear Scorpion ao largo dos Açores. Suspeita até que a misteriosa taxa elevada de cancro que se regista nos Açores pode muito bem ser explicada por comerem peixe exposto a radiação que pode estar a verter do submarino nuclear que repousa no fundo do mar desde 1968. Correio dos Açores, 20junho2018.
  • Mais medusas do que sardinhas nas redes dos pescadores de Málaga, titula o El País.
  • O governo holandês está a estimular as empresas a pagar os seus colaboradores para pedalarem para os empregos. O governo vai comparticipar com 19 cêntimos por cada quilómetro pedalado pelos cidadãos. The Independent.
  • Uma praga de algas tem-se acumulado nas praias do sul da Flórida. Tudo por causa do aumento do uso de nutrientes aplicados na agricultura e na aquacultura, ricos em nitrogénio e fósforo. EHN.
Share:

Memórias curtas

Foto: Gerry Sibell.
  • 22jun2013 - População de Paços de Ferreira impede EDP de desligar parte de iluminação pública, medida aprovada pelo executivo camarário para poupar energia -  presidente de Junta em Paços de Ferreira lidera a revolta alegando quebra de segurança.
  • 22 Junho 2005: Comissão de Ambiente e Defesa da Ribeira dos Milagres despeja baldes com efluentes suinícolas na escadaria da Câmara de Leiria em protesto pela falta de soluções para as contínuas descargas de efluentes na Ribeira dos Milagres.
  • 22 Junho 1633: o Santo Ofício obriga Galileo Galilei a reciclar a sua versão científica de que o Sol, e não a Terra, é o centro do universo.
Share:

Bico calado

Imagem colhida aqui.
  • Quem ganha com a detenção de famílias de imigrantes? Gin Armstrong, Molly Gott e Derek Seidman respondem na LittleSis: (1) empresas de prisões privadas com fins lucrativos, como a CoreCivic e o GEO Group; (2) organizações sem fins lucrativos como os Programas Southwest Key, que operam centros de detenção de crianças; (3) contratados que fornecem serviços de apoio a esse processo, como a MVM e a General Dynamics, que fornecem serviços informárticos, transporte, gestão de casos e outros serviços logísticos; (4) bancos como o Wells Fargo, o Sun Trust e grandes gestores financeiros, como o BlackRock e o Vanguard, que financiam e investem em todas essas empresas. Para ter uma pálida ideia do volume de dinheiros envolvidos, bastará dar o exemplo da Southwest Key que, embora seja uma organização sem fins lucrativos, faturou em 2016 US $ 242 milhões, tendo recebido  US $ 458 milhões em 2018, através do Departamento de Saúde e Serviços Humanos, para operar abrigos para crianças separadas; o seu diretor, Juan Sanchez, ganhou US $ 786.822 em 2016… Em 12 de maio de 2015, Melanie Diaz e Timothy Keen, publicaram um estudo no Council on Hemispheric Affairs intitulado How US Private Prisons Profit from Immigrant Detention (Como as prisões privadas norte-americanas ganham com a detenção de imigrantes).  Vale bem a pena (re)lê-lo.
  • Governo brasileiro vende 3 milhões de hectares da Amazônia por US$ 60 milhões. Ambiente Inteiro.
Share:

quinta-feira, 21 de junho de 2018

PS chumba reutilização de embalagens de bebidas

Foto: Paulo Jmd Silva, 18jun2018.
  • O PS chumbou, no Parlamento, uma proposta do BE que propunha a reutilização de embalagens de bebidas, com tara recuperável a partir de 2023.
  • O número de novas instalações de energia solar caíram para metade no Reino Unido no ano passado e pelo segundo ano consecutivo. É o resultado dos cortes nos subsídios para este setor. The Guardian.
  • As gigantes petrolíferas Shell e Eni vão ser julgadas por alegado suborno no maior caso de corrupção que o setor enfrenta em muitos anos. Em causa alegado suborno de 1,3 biliões de dólares para aquisição de um poço offshore na Nigéria. DeSmogUK.
  • Mundial de Futebol 2018: adeptos do Senegal e do Japão recolhem lixo no fim dos jogos das suas seleções. The Independent.
Share:

Mão pesada

Um indivíduo de Churchill Drive, Crediton, foi condenado a 18 semanas de prisão, suspensa por 2 anos, e proibido de exercer a atividade de recolha de resíduos durante 5 anos. Foi ainda multado em cerca de 5 mil libras por queima ilegal de 2 mil toneladas de resíduos um pouco por toda a zona de Devon. GovUK.
Share:

Bico calado

  • Manifestantes cantando "vergonha, vergonha" cercaram a secretária de Segurança Interna, Kirstjen Nielsen, enquanto comia num restaurante mexicano em Washington, DC. Os manifestantes do Democratic Socialists of America, confrontaram Nielsen com gritos como "fim à separação familiar" e "as crianças não comem em paz, você não come em paz". NYTimes.
  • «O senhor Presidente tem de ter em atenção que o que falha, como tem falhado no passado, são as políticas de concentração de riqueza, ditas de austeridade; são as políticas do euro, que retiram competitividade à nossa economia. O partido de que foi líder o presidente, o PSD, tal como o PS, são responsáveis pelo encerramento dos serviços públicos. O Presidente da República vai dar ordem à chinesa Three Gorges, dona da EDP, para reabrir as dezenas de postos de atendimento que encerrou no Interior? Vai dar orientação aos CTT, privados, para não encerrarem mais postos? (...) A sugestão que deixava ao senhor Presidente da República é a seguinte: tire uma selfie com os empresários do PSI 20, que têm as suas holdings na Holanda para pagarem menos impostos, e convença-os a abandonar essas práticas e a investir no Interior do país. Uma selfie importante.» Carlos Carvalhas, in TSF 19jun2018.
Imagem colhida aqui.
  • «Acabaram-se as crónicas a alertar para a possibilidade de um regresso do fascismo: ele aí está, inconfundível e indesmentível. Quando o governo dos EUA separa crianças dos pais para as encerrar em campos de detenção. Quando o ministro do interior da Itália diz que vai fazer um censo para expulsar todos os ciganos estrangeiros e acrescenta que “infelizmente teremos de ficar com os ciganos italianos porque não os podemos expulsar”. Quando o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, faz um discurso dizendo que “nenhum compromisso europeu será possível em matéria de imigração e asilo” porque “a Hungria é contra a mistura” com povos estrangeiros. Quando tudo isto acontece, o regresso do fascismo já se deu. Sem eufemismos e sem pleonasmos.» Rui Tavares, in Tarefas urgentes para antifascistasPúblico 20jun2018.



Share:

terça-feira, 19 de junho de 2018

IPCC mais social do que carbocêntrico?

  • Assim se aplica herbicida em Asseiceira, Tomar: «Dois homens, devidamente equipados, num dumper, um a conduzir, outro sentado de lado na viatura a pulverizar herbicida nas ervas das bermas da estrada.»
  • Uma nova taxa de congestionamento vai ser introduzida no centro de Birmingham em 2020, numa tentativa de combater a poluição do ar. ITV.
  • A Gran Canaria vai financiar até 50% do custo das instalações fotovoltaicas domésticas para consumo próprio. A ajuda pode chegar aos 3.000 euros para uma instalação de até 3.000 watts de potência. ER.
  • A vice-presidente do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, Thelma Krug, fez uma revelação surpreendente que mudará os rumos das orientações científicas às Nações Unidas: O IPCC está deixando de ser carbocêntrico para seguir rumo a questão social. As mudanças societárias serão imensamente profundas, será tão intensa que inclusive a questão do consumo passará a ser abordado com mais enfase, tanto que hoje o IPCC já começa a falar até em mudança de dieta, a questão da pobreza, da desigualdade passa a ter outro peso nas avaliações científicas e para as nações. Será no IPCC uma mudança de paradigma imensa, deixamos de ser carbocêntricos para ir ao encontro muito mais do social como a erradicação da pobreza, redução das desigualdades e o aumento das colaborações das nações». Envolverde.
  • O Rio Santa Cruz, atualmente pouco mais do que uma cicatriz seca de terra no centro de Tucson, Arizona, em breve começará a fluir novamente pela primeira vez em mais de 70 anos. A revitalização será cortesia de efluentes reciclados, com planos para criar um fluxo inicial de 6 metros de largura, de até 3,5 milhões de galões tratados por dia. MNN.
  • Primeiro o Japão, agora a Coreia do Sul anunciou a suspensão de importar trigo e farinha do Canadá após ter sido registada a presença de transgénicos em cultivos na província de Alberta. CBC.
Share:

Mão pesada

  • Rupert Stadler, o CEO da Audi, foi detido por causa do risco de destruição ou ocultação de provas relacionadas com o caso de manipulação de emissões poluentes. O escândalo de emissões poluentes da Volkswagen, também conhecido por Dieselgate, envolveu várias técnicas fraudulentas por parte do grupo VW, entre 2009 e 2015. CM.
  • A Shell foi multada em 142 mil dólares e intimada a investir 220 mil na sua refinaria de Martinez para introduzir medidas de combate à poluição. San Francisco Chronicle.
Share:

Reflexão: quem lê o Ambiente Ondas3 e quais as preferências?

Hernando Alonso Rivera Cervantes/The Nature Conservancy

No Ambiente Ondas3, os três textos mais populares da última semana foram, segundo a Google Analytics:


Durante o mesmo período, a maioria das visitas vieram, por ordem decrescente, dos seguintes países: Portugal, EUA, Brasil, França, Angola, Suíça, Alemanha, Espanha e Camboja. 

Ainda durante este período, a proveniência, também por ordem decrescente, dos leitores de língua portuguesa, foi a seguinte: Lisboa, Porto, Aveiro, Coimbra, Faro, Braga, Bragança, Évora, Guarda e Santarém.
Share:

Bico calado

Foto: Roberto Moccini Formiga/The Nature Conservancy
  • «(…) Mas não ficaram sós, os italianos. Em seu apoio e aplauso vieram as sombras negras que pairam sobre a Europa nos dias que correm. Os polacos, esse país tantas vezes invadido, pelo Ocidente e pelo Leste, pelo Norte e pelo Sul, e por todos odiado, mas protegido pelos franceses — talvez porque Napoleão se tenha apaixonado por uma rapariga polaca encontrada na estrada a caminho de Moscovo ou porque Frederic Chopin, a única grandiosa contribuição da Polónia para a história da Humanidade, esteja intimamente ligado a França. E a Eslováquia e a República Checa, herdeiras do Império Austro-Húngaro e tal como a Polónia, das primeiras vítimas de Hitler e de Estaline, mas a quem a longa privação da liberdade não ensinou nada de definitivo. Ou a minúscula Eslovénia, com dois milhões de habitantes, um crescimento de 5% ao ano e apenas 200 emigrantes recenseados, que acaba de eleger um governo com um programa anti-emigrantes. Ou o bávaro Horst Seehofer, da CSU, os aliados da CDU de Merkel, que contestam a sua política de acolhimento de emigrantes, agora praticamente extinta, e o jovem chanceler austríaco, Sebastian Kurtz, o outro berço do nazismo, e, tal como Salvini, grande admirador de Donald Trump, xenófobo, racista e nacionalista de extrema-direita. Ou essa besta do húngaro Viktor Orbán, um fascista sem disfarce, representando a primeira nação a revoltar-se contra a ocupação soviética em 56, e que agora construiu um novo muro de Berlim contra os emigrantes e instituiu sem disfarce uma ditadura contra tudo o que reza a carta dos direitos europeus. Todos eles representam países-membros da UE, todos eles, não apenas se recusam a adoptar qualquer política solidária em matéria de absorção de emigrantes vindos de África, como ainda irão, na cimeira europeia de 28 e 29 deste mês, impor à UE a sua visão da Fortaleza Europa. Mas se a Europa se fundou justamente na ideia da dignidade da pessoa humana, o que resta da Europa quando os povos europeus escolhem livremente líderes para quem essa dignidade não significa nada?(…) Miguel Sousa Tavares, in Sob a condição humana – Expresso 16jun2018 – via A estátua de sal.
Imagem colhida aqui.
  • «Os imigrantes ou são heróis como Mamoudou Gassana, que salvou uma criança de cair da varanda de um quarto andar de Paris e que a França regularizou num ápice, ou, então, não são nada. Os imigrantes ou são ricos e têm visto gold ou são considerados indocumentados, ilegais, sem direitos (como na abjecta separação entre menores e adultos na fronteira dos EUA com o México). Num país presidido pelo neto de um imigrante — ele próprio casado com uma imigrante —, crianças são colocadas em gaiolas pelo simples crime de acompanharem adultosna ânsia de uma vida melhor, com a intenção de assim castigar quem o fez e de dissuadir quem o queira vir a fazer.  (…) Amílcar Correia, in O eixo do malPúblico 19jun2018.
  • «(…) Tempos houve em que era possível mentir e dizer que os vistos gold iriam criar emprego. Hoje sabemos que, dos 5876 vistos atribuídos, só nove foram pela criação de postos de trabalho e que 95% se deveram à compra de imóveis. Mais, sabemos que, como o limite mínimo para atribuição do visto dourado é meio milhão de euros, muitas agências inflacionaram os preços das casas de luxo, compradas à distância por magnatas chineses, brasileiros, russos ou angolanos. Sabemos que este movimento é parte da espiral especulativa em curso nos mercados imobiliários de Lisboa e Porto. Em suma, sabemos que os vistos gold não atraíram investimento produtivo, não criaram emprego, não acrescentaram nada ao país a não ser um mercado de luxo que está a contribuir para deixar milhares de pessoas sem casa que possam pagar. Mas o problema não está apenas naquilo para que os vistos gold não servem. O problema está no verdadeiro propósito deste regime, que é vender a cidadania europeia a milionários. Um regime que trafica cidadanias é uma porta aberta para corruptos e criminosos à procura de forma de branquear o seu dinheiro. Procurados pela Interpol, magnatas envolvidos na Lava Jato e oligarquia angolana, os vistos gold servem a todos e não são seletivos. Além disso, tal como alerta o Consórcio Global Anticorrupção, o julgamento de 11 dirigentes da administração pública (incluindo o ex-ministro do PSD Miguel Macedo) por tráfico de influências associado à atribuição de vistos gold, mostra como estes regimes podem corromper governos.(…)» Mariana Mortágua, in Ó Evaristo, tens cá Visto? JN 19jun2018.
  • «(…) Os EUA são um paraíso fiscal desde o início dos anos 1920s, quando pela primeira vez se introduziram os impostos zero sobre os rendimentos de juros obtidos por estrangeiros não residentes. (…)» Vale bem a pena ler este artigo de James S Henry, intitulado The World’s Largest Tax Haven? Guess Who, na revista The American Interest. Provavelmente o melhor texto que li até agora sobre este tem.
Share:

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Gaia: transporte gratuito na frente marítima entre S. Félix e Afurada

  • Toda a frente marítima de Gaia entre S. Félix da Marinha e a Afurada vai ter serviço de transporte gratuito durante época balnear. Enquanto o município de Gaia promove o descongestionamento do trânsito automóvel na orla costeira, o vizinho de Espinho faz precisamente o contrário - concentra tudo na praia da Baía: obras de requalificação da alameda, obras no esporão, auditório para ver o mundial de futebol…
Share:

Memórias curtas

Rio Douro, Porto-Gaia. Imagem colhida aqui.
  • 15jun2017 - Castro Verde Reserva da Biosfera da UNESCO
  • 15jun2006 - A Câmara do Porto mandou fechar o River Caffé após várias queixaspor causa do ruído noturno.
Share:

Mão pesada

A Decostar Industries, Inc. foi multada em 378 mil dólares por infrações nas emissões da sua fábrica em Carrollton, Georgia, estando intimada a investir 2,7 milhões em obras e desenvolvimento de programa de controlo da qualidade do ar. EPA.


Share:

Bico calado

Imagem colhida aqui.
  • «(…) Em particular com a criação e o modo de funcionamento das SAD’s, estas e os clubes a elas ligados transformaram-se em robustas e mais ou menos eficientes “máquinas de lavar” (dinheiro, obviamente…). E, transformada uma associação desportiva em algo que é suposto render euros ou dólares, foi-se cada vez mais impondo a lógica capitalista da proclamada “ética dos negócios”. (…) Começa-se pela criação e tráfico de influências com os decisores políticos e financeiros, com uns lugares de camarote para aqui, uma viagem ao estrangeiro a acompanhar a equipe para acolá, com tudo, desde a própria viagem, alojamento, refeições e bilhetes para o jogo, generosamente pagos. Segue-se a “normalidade” da troca de atenções e favores: uma cedência, mais ou menos gratuita, de terrenos municipais (normalmente justificada com o “fomento do desporto” e formalizada em tão pomposos quanto espectacularmente apresentados “protocolos”), uma isenção (mais clara ou mais encapotada) do IMI, uma “alteraçãozinha” cirúrgica do PDM ou até – porque não? –um perdão da dívida bancária ou fiscal. E, pelo meio, o elogio do “sucesso” a todo o custo e o “fechar de olhos” perante a sucessiva imposição da teoria de que a suposta legitimidade do fim – a vitória dita “desportiva” –, afinal, justificará o mais sórdido dos meios, desde a obtenção de favores da arbitragem (a troca seja de dinheiros ou serviços sexuais, por exemplo, seja da progressão na carreira ou da atribuição de cargos importantes nos vários organismos desportivos) até à compra de resultados e de jogadores. No meio de toda esta podridão (…) o “jogo” das comissões e respectiva repartição pelos amigos, decorrentes de transferências, a promiscuidade mais absoluta entre o mundo dito do “desporto”, o da política e o das Finanças e até o da Justiça (já repararam que os dirigentes desportivos de grandes clubes só são presos depois de deixarem tais cargos?) vai-se impondo sucessivamente. E quem aparece a defender e a proclamar princípios é, no mínimo, apresentado, com um sorriso condescendente, como “um autêntico lírico” e, no máximo, apontado como um alvo a abater por não ser “eficaz” na obtenção dos tão almejados sucessos e vitórias. (…)» António Garcia Pereira, in Anatomia de um ditador - Notícias Online.
  • «Em 2003, o deputado Paulo Pedroso foi preso em plena AR, com um aparato mediático nunca visto até então.  O juiz Rui Teixeira  irrompeu na AR, precedido de uma multidão de jornalistas  e câmaras de televisão e deu voz de prisão ao deputado. Paulo Pedroso foi acusado de práticas pedófilas e permaneceu na prisão  quatro meses e meio, até a justiça reconhecer  que estava inocente e  fora preso injustamente.  Pediu uma indemnização ao Estado que inicialmente lhe foi parcialmente concedida, mas acabou por ser recusada por um tribunal superior, depois do inenarrável Pedro Namora se ter insurgido contra a atribuição da indemnização.  (…) Quinze anos depois, o Tribunal Europeu dos Direitos do Homem dá razão a Paulo Pedroso e condena o Estado português a pagar-lhe uma indemnização de cerca de 68 mil euros, acrescidos de juros. Algumas televisões deram a notícia sem grande alarido, mas  nenhum dos jornal teve coragem de trazer o  assunto para primeira página e pedir desculpa  a Paulo Pedroso pelo mal que lhe causou com as acusações. UMA VERGONHA para os jornalistas e mais uma machadada na  credibilidade dos jornais que se assumem como refúgio de incendiários e cobardes. (…)» Carlos Barbosa de Oliveira, in Crónicas do Rochedo.
  • «Governo-sombra da EDP vai ao Parlamento: Há, na cúpula da EDP, ministros de cada um dos quatro governos que decidiram sobre as polémicas "rendas" que o Estado paga à empresa. O conflito de interesses entre público e privado é um tema central da comissão de inquérito no Parlamento. DN.
  • Uma empresa holandesa terá exportado 38 toneladas de materiais químicos, nomeadamente acetona, para a Síria para aí serem manipulados no fabrico de armas químicas. MEM.
Share:

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Marcas a laser poderão substituir os autocolantes que identificam produtos


Hogenakkal Falls, Índia. Imagem colhida aqui.
  • Marcas a laser poderão substituir os autocolantes que identificam produtos em lojas e eliminar embalagens de plástico. A holandesa Eosta e a sueca ICA criaram e testaram a tecnologia necessária para tal, tendo a primeira recebido o Dutch Packaging Award em março. A nova tecnologia ainda não funciona em uvas, fisális e citrinos. DW.
  • Depois do estado de Odisha, Índia, ter encerrado em Tamil Nadu uma fundição de cobre administrada pela Vedanta Resources após protestos que registaram a morte de 13 manifestantes, a empresa londrina enfrenta outro desafio a 1.600 km de distância, onde cidadãos e ambientalistas se uniram para exigir o encerramento de uma refinaria de alumínio em local considerado sagrado pelos locais. Há muitas provas e queixas relacionadas com a poluição do ar e a contaminação de águas. Reuters.
Share:

Mão pesada

  • A Volkswagen foi multada em 1 bilião de euros pelo escândalo das emissões de diesel. A multa alemã acontece depois de um acordo judicial nos EUA, em janeiro de 2017, quando a VW concordou pagar 4,3 biliões de dólares para resolver penalidades criminais e civis por instalar software ilegal em motores a diesel para falsificar os testes antipoluição dos EUA. Reuters.
  • A VW acordou indemnizar o estado de Vermont em 6,5 milhões de dólares para resolver alegações de publicidade enganosa. Segundo o acordo, a VW concordou em pagar até mil dólares aos proprietários de automóveis cobertos pelo acordo. Reuters.
Share:

Reflexão – Um dos grandes truques do NAFTA

GerÊs. Foto: Portugal em caminhadas.

«(…) O NAFTA ilustra perfeitamente o motivo pelo qual todos os tratados de comércio devem conter uma cláusula de rescisão. As condições que faziam sentido para os negociadores no início dos anos 90 não fazem sentido para ninguém hoje, exceto para as empresas de combustíveis fósseis e os advogados gananciosos. O exemplo mais óbvio é o modo como as suas regras de solução de controvérsias entre investidor e estado foram interpretadas. Essas cláusulas (capítulo 11 do tratado) deveriam impedir os estados de expropriar injustamente os ativos de empresas estrangeiras. Mas eles geraram uma nova indústria, na qual advogados agressivos descobrem meios cada vez mais lucrativos de derrotar a democracia.
As regras fornecem cobertura opaca a gabinetes de advogados, reuniões a portas fechadas, autoridade suprema sobre os tribunais e parlamentos dos seus estados membros. Esses gabinetes de advogados foram usados para suspender casos litigiosos, revogar penalidades impostas a vigaristas condenados, permitir que empresas escapem impunes de ações de desflorestação e envenenamento de aldeias e, ao colocar empresas estrangeiras acima da lei, intimidar os governos a ponto de os obrigar a abandonar as proteções públicas.
Segundo o Nafta, essas provisões tornaram-se, metaforicamente e literalmente, tóxicas. Quando o Canadá tentou proibir um aditivo de combustível chamado MMT por ser uma neurotoxina potencialmente perigosa, o fabricante norte-americano usou as regras do NAFTA para processar o governo. O Canadá foi forçado a suspender a proibição e conceder à empresa 13 milhões de dólares de compensação. Depois das autoridades mexicanas recusarem a licença de uma empresa norte-americana para construir uma unidade de resíduos perigosos, a empresa processou-as num tribunal especial do NAFTA e recebeu uma indenização de 16,7 milhões. A norte-americana Lone Pine Resources está a processar o Canadá em119 milhões porque o governo de Quebec proibiu a fraturação hidráulicas sob o rio St. Lawrence.
(…)
O Nafta obriga o Canadá não apenas a exportar a maior parte de seu petróleo e metade do seu gás natural para os EUA, mas também a garantir que a proporção desses combustíveis produzidos a partir de areias betuminosas e fraturação hidráulica não mude. Por isso, o governo canadiano não pode aderir a ambos os compromissos assumidos no acordo de Paris sobre mudança climática e os seus compromissos para com o Nafta. Enquanto os compromissos de Paris são voluntários, os do Nafta são obrigatórios. 
Os negociadores do Nafta previram todos estes desastres? Se assim for, o acordo comercial foi um atentado contra o povo. Se não - como as evidências sugerem fortemente – os seus resultados imprevistos são um poderoso argumento para uma cláusula de rescisão.(…)»

George Monbiot, in The Guardian 13jun2018.


Share:

Bico calado

Imagem colhida aqui.
  • «(…) Os que negam o direito que, repito, não obriga quem quer que seja, hão de sempre dizer que o assunto não está suficientemente discutido ou assimilado, e confundir o direito à vida com a proibição de escolher a morte quando aquela se torna de todo insuportável. Há sempre uma Vera, uma Isabel ou um Aníbal à espera de fazerem prova de vida e de intolerância, mas a sociedade, cujos costumes evoluem, deixará os moços de recados a falar sozinhos enquanto os legisladores acautelam abusos e aceitam os direitos de quem nunca pensou passar pelo desespero de escolher “antes a morte do que tal vida”». Carlos Esperança, FB.
  • «Como políticos andam certamente a angariar clientes para a sua sociedade de advogados - clientes sobretudo do Estado, Hospital São João, câmaras municipais, ministérios disto e ministérios daquilo. Quando produzem um documento jurídico, a questão que se põe é se esse documento é um documento profissional ou, pelo contrário, é um documento político para compensar a mão que lhe dá de comer?!» - Pedro Arroja, Porto Canal 25mai2015 - a propósito do alegado envolvimento do gabinete de advogados de Paulo Rangel (PSD) na paralisação da obra no Hospital de S. João, financiada por mecenato - DN 12jun2018.
  • «Começou o circo da Copa do Mundo de Futebol, desta vez na Rússia. Quatro anos depois da última Copa (aquela famosa pelo 7X1), o Brasil está em pior situação econômica, vive um caos político e ainda está pagando pelos “elefantes brancos” que começou a construir, convive com obras inacabadas e ainda investiga a corrupção que favoreceu os espertos que souberam manipular o futebol como ópio do povo e capitalizar o mito do país do futebol de drible e ginga fáceis. (…) No Rio de Janeiro, o projeto de gentrificação do Porto Maravilha ficou pelas tabelas e está se transformando em um grande desastre financeiro (…) e a Prefeitura do Rio terá que injetar dinheiro público para a manutenção que deveria estar sendo feita pela iniciativa privada. (…) o Maracanã – “maior estádio de futebol do mundo”  (…) A reforma do estádio estava orçada em R$ 700 milhões, mas custou R$ 1,2 bilhão, e virou uma “arena” com menos de 80 mil lugares. O resultado é que os jogos no Maracanã não dão retorno financeiro para os clubes, pois o custo de manutenção e funcionamento levam toda a renda dos jogos. Desta forma, o ex-“maior estádio do mundo” fica mais fechado do que aberto ao público. (…) em Belo Horizonte, obras prometidas para a Copa de 2014 ainda estão inacabadas. No Aeroporto Internacional de Confins há obras de ampliação e modernização do terminal paradas desde setembro de 2014. (…) Em Cuiabá, nove obras prometidas para a Copa de 2014 seguem inacabadas, o que tem custado caro aos cofres públicos. Entre elas, está a construção do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que já consumiu R$ 1,066 bilhão e está parada desde dezembro de 2014. Só 6 km de trilhos foram concluídos, do total de 22 km. Em Curitiba, quatro das 13 obras prometidas para a Copa ainda não foram concluídas, três de responsabilidade do governo estadual, e duas, da Prefeitura de Curitiba. Todas elas fazem ligação entre a capital e a Região Metropolitana, como o corredor Aeroporto-Rodoferroviária, onde já foram investidos mais de R$ 44 milhões e a reforma e ampliação do Terminal do Santa Cândida. Em Brasília, ainda há cinco obras prometidas para a Copa atrasadas, entre elas a urbanização do entorno do estádio Mané Garrincha e a construção do VLT entre o Aeroporto de Brasília e o Plano Piloto. (…) Em Manaus, o BRT, sistema de ônibus rápido, seria o principal meio de transporte para os torcedores até a Arena da Amazônia. Porém, em 2012, o governo estadual e a prefeitura desistiram de entregar a obra para a Copa, alegando atraso na liberação de recursos para o projeto. Até hoje a obra ainda nem foi licitada. Dos três Centros de Atendimento aos Turistas prometidos para a Copa, um está com as obras paradas e os outros nem saíram do papel. Em Porto Alegre, a obra na Avenida Cristóvão Colombo está parada desde que o consócio que ganhou a concorrência desistiu do contrato alegando dificuldades financeiras. Das 18 obras previstas para a Copa de 2014 na capital gaúcha, dez estão atrasadas e duas nem começaram. Em Recife, cinco das obras de mobilidade prometidas para a Copa ainda não foram entregues. Além disso, o governo do estado rescindiu no ano passado o contrato para construir a Cidade da Copa, projeto apresentado como primeiro modelo de cidade inteligente no Brasil. Em Salvador, as reformas no aeroporto internacional da capital baiana se arrastam até hoje. (…) Em São Paulo, a Linha 17-Ouro do monotrilho, que chegou a ter a inauguração anunciada para antes da Copa de 2014, até hoje não teve nenhuma estação entregue. O projeto foi retirado da lista de obras do Mundial por causa da mudança do estádio da Copa para Itaquera, na Zona Leste. Desde então, os valores da obra aumentaram, e os prazos foram sucessivamente ampliados. A megalomaníaca proposta de fazer ou reformar 12 estádios de futebol para a Copa do Mundo de 2014 só se justifica pelo interesse daqueles políticos e empreiteiros que visavam lucrar com a corrupção das obras superfaturadas. Cidades com Manaus, Cuiabá, Brasília e Natal nem possuem times na primeira divisão do campeonato brasileiro. As obras feitas estão ociosas, as obras inacabadas dão prejuízos e transtornos e toda a população brasileira foi onerada com o desperdício do dinheiro público e a ineficiência das construções. O grande destaque foram os protestos de rua contra a Copa, contra a ilusão midiática dos grandes eventos e contra a manipulação do mito da “pátria de chuteiras” e a paixão cega pelo futebol. Em 2015 estourou o escândalo da Fifa, quando 7 dirigentes da entidade máxima do futebol foram presos na Suíça, após serem acusados por suspeitas de corrupção envolvendo um montante de até US$ 150 milhões. A Fifa se mostrou uma das entidades mais corruptas do mundo. Três brasileiros foram implicados no esquema de corrupção, de acordo com o departamento de Justiça dos EUA. O ex-presidente da CBF José Maria Marin, José Hawilla, dono da Traffic Group (que morreu recentemente) e José Lazaro Margulies, proprietário das empresas Valente Corp. e Somerton Ltda. A CBF e a Fifa saíram com a imagem totalmente arranhadas e a população já percebe que há “algo de podre” no reino do futebol (…) Quatro anos depois da Copa do Mundo de 2014, muitas verdades vieram à tona sobre o circo do futebol enquanto as promessas do Brasil grande foram afogadas em uma crise econômica sem precedentes. O déficit fiscal brasileiro é monstruoso e a dívida pública cresce de maneira explosiva. O país não tem dinheiro para investimento em infraestrutura e o desemprego atingiu níveis astronômicos. A violência é desesperadora. (…)» José Eustáquio Diniz Alves, in O desastroso legado da Copa do Mundo de Futebol de 2014EcoDebate
Share:

quarta-feira, 13 de junho de 2018

15 ONGs unidas na preservação dos recursos marinhos

Graciosa, Açores. Imagem colhida aqui.

15 organizações não-governamentais de conservação marinha de Portugal e Espanha reuniram pela primeira vez em Lisboa – no veleiro Diosa Maat dos Ecologistas en Accíon e na sede da Liga Para a Protecção da Natureza – para coordenar o seu trabalho em assuntos-chave. O stock ibérico de sardinha, as oportunidades de pesca de espécies de profundidade e a implementação da Política Comum das Pescas (PCP) estiveram entre os principais temas discutidos. Como resultado, será solicitada uma reunião ao Comissário Europeu para o Ambiente, Assuntos Marítimos e Pescas, Karmenu Vella. Muitas outras ações conjuntas estão a ser planeadas, assim como uma plataforma de comunicação partilhada, de forma a aumentar a capacidade conjunta das organizações para lidarem com os desafios que as águas ibéricas enfrentam. PONG-Pesca. Ver comunicado conjunto aqui.
Share:

Memórias curtas

Foto: Paul Hilton/Greenpeace
  • 13jun2012 - 11 escolas algarvias foram premiadas por terem conseguido reduzir o seu consumo de água; cerca de metade de Portugal Continental está em seca extrema; a câmara de Alenquer aprovou aumentos de 1240% nas tarifas do lixo.
  • 13jun2009 - A Câmara de Vila Nova de Famalicão vai criar uma brigada de limpeza ambiental para recolher resíduos despejados ilegalmente nas bermas das estradas que atravessam áreas florestais; o projeto Laurissilva Sustentável, a decorrer no nordeste da ilha de S. Miguel, Açores, já permitiu o controlo e remoção de sementes de Gigante,  uma espécie invasora, em 80 hectares de zonas de Turfeiras, no Planalto dos Graminhais.
Share:

Bico calado

Foto: Zhang Guojun/Xinhua/BarcroftImages
  • «A greve de comboios a sul de Coimbra, que se inicia hoje às 12 horas e se prolonga até final do dia 13, já me parecia inusitada mas, ao saber que os sindicatos marcaram greve a norte de Coimbra para os dias 23 e 24 de junho, confirmei as minhas suspeitas: as greves decretadas pelo sindicato ferroviário são manifestamente contra o povo e nada têm a ver com reivindicações dos trabalhadores. Desmontado que já fora o argumento da falta de segurança (o governo e a empresa garantem que os comboios continuarão a circular com dois funcionário, não havendo por isso qualquer alteração, como aliás acontece desde 1998) as greves dos comboios marcadas para as vésperas e dias que assinalam as festas populares mais concorridas do país são greves contra o povo, cujos interesses os sindicatos dizem defenderCarlos Barbosa Oliveira, in Crónicas do Rochedo. As indústrias ligadas ao petróleo agradecem, «penso eu de que».
  • «(…) Acaba de ser conhecida a notícia de que “O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos criticou a decisão do juiz Rui Teixeira que não deu acesso à defesa dos testemunhos e dos relatórios médicos das alegadas vítimas e condenou ainda os tribunais da Relação e o Supremo por terem negado uma indemnização ao antigo governante por detenção ilegal.” O juiz Rui Teixeira procedeu bem quando investigou Paulo Pedroso, mas foi intolerável quando foi à Assembleia da República, com câmaras da televisão, para prender um dos membros e humilhar o mais representativo órgão de soberania. Foi a afronta gratuita, na vertigem mediática, por um cidadão medíocre. O 25 de Abril não saneou os cúmplices do fascismo e os raros juízes demitidos, por colaboração com a Pide, foram imediatamente reintegrados, com retroativos, após o 25 de novembro de 1975. Nem os juízes fascistas dos Tribunais Plenários foram julgados. A Paulo Pedroso não há sentença que consiga ressarci-lo da humilhação, a ele que logo pediu o levantamento da sua imunidade parlamentar, para se deixar prender, sem haver perigo de fuga ou flagrante delito. O juiz que teve a glória a prender um deputado, foi recebido em delírio, com foguetes e banda de música na comarca de Torres Vedras, quando aí foi colocado. Depois de um acórdão da Relação referir que “cometeu erros grosseiros na investigação” do processo Casa Pia, veio a ser classificado de Muito Bom o seu desempenho. O país lembra-se das câmaras que o seguiam e da satisfação com que era filmado em ralis de todo o terreno. O deslumbramento e a certeza da impunidade levaram-no a proferir um despacho em que proibia “no seu Tribunal” o novo Acordo Ortográfico, a todos os funcionários e, pasme-se, aos advogados. O juiz que tão grosseiramente violou o tratado assinado pelo Estado Português, não se limitou à desobediência, quis impô-la ao arrepio da lei e da decência, como se ao juiz não coubesse apenas a aplicação da lei e, jamais, a sua violação. Isso, sim, foi grave, e não consta que tenha sido punido. (…)» Carlos Esperança, FB.
  • Os músicos de uma banda palestina foram detidos e as suas casas confiscadas por as letras das suas canções promoverem o incitamento à resistência. MEM.
  • Um centro de tratamento à cólera acabado de construir em Abs, no centro do Yemen foi bombardeado por forças da coligação da Arábia Saudita e dos Emiratos Árabes Unidos, denuncia Chris Murphy, senador democrata pelo Connecticutt, citado pela Common Dreams.
Share:

Translate

Pesquisar no Ambiente Ondas3

Património

O passado do Ambiente Ondas3

Ver aqui.

Amig@s do Ambiente Ondas3

Etiquetas

Arquivo do blogue