Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

domingo, 31 de janeiro de 2016

Alviela poluído em dias de semana

Alviela poluído.

O Alviela continua a correr poluído durante os dias de semana.  A ETAR e os curtumes de Alcanena são as principais fontes da poluição, garante a  ProTEJO - Movimento Pelo Tejo.
Share:

Reflexão – Zika, o mosquito transgénico da microcefalia?


Em 2011, mosquitos Aedes aegypti, geneticamente modificados, foram lançados em algumas cidades brasileiras. Era o começo do Projeto Aedes Transgênico no Brasil. A promessa era de que os mosquitos transgênicos machos copulariam com as fêmeas selvagens e as crias morreriam ainda no estágio larval, sem atingir a idade adulta. Seria maravilhoso se fosse tudo assim, mas não foi bem isso que aconteceu.
A produção deste mosquito transgénico foi levada a cabo na universidade de Oxford sob o alto patrocínio da Fundação Melinda Gates e, através da Oxitec, empresa já criada em 2002, esses mosquitos transgénicos foram, em 2011, lançados em vários locais do Brasil com o objetivo de combater o dengue. Mesmo havendo a possibilidade das larvas modificadas sobreviverem nas cidades, os testes no terreno prosseguiram, mesmo ignorando a possibilidade remota de os ovos, entrando em contato com a tetraciclina dispersa no ambiente, atingir a vida adulta.
Os primeiros testes acontecerem nas ilhas Cayman, aproceitando o vazio legal em termos de biossegurança. Em 2006, os mosquitos transgénicos foram lançados na Malásia. Em 2011, a Moscamed, parceira da Oxitec, lançou milhões destes mosquitos transgénicos em Minas Gerais e em Bahia. Foi aí que esses mosquitos entraram em contato com resíduos de tetraciclina existentes em lixeiras e se transformaram em monstros geneticamente modificados.
Este Projeto Aedes Transgénico foi sempre sigiloso, o público nunca foi informado do que estava a acontecer, nem seque a Comissão Técnica Nacional de Biossegurança tomou conhecimento. Resultado: em vez de neutralizar o dengue, o novo mosquito criado a partir do contato do transgénico com a tetraciclina, lançou novas doenças – a Zika e a febre chikungunya, a zika com impactos catastrófricos em grávidas.
Entretanto, em julho de 2012, a Oxitec, recentemente comprada pela Intrexon, protocolou a solicitação de licença comercial junto da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança. O negócio foi montado de modo a obrigar as entidades públicas a comprarem constantemente mosquitos transgénicos para combaterem sucessivas vagas de mosquitos de dengue que entretanto também vão evoluindo. Pior: o vírus pode propagar não apenas pela picada do mosquito mas também através de relações sexuais, pelo leite materno em pelo contato com o sangue contaminado.
Convém saber que o vírus Zika foi patenteado em 1947 pela Rockefeller Foundation, após experiências com macacos do Uganda.

O Ambiente Ondas3 registou algumas cenas deste «filme» tenebroso:

A GeneWatch UK acaba de denunciar a autorização concedida pela União Europeia à Syngenta e à Oxitec para manipularem geneticamente insetos cujos ovos e larvas serão posteriormente libertados em tomates, azeitonas e vegetais para que, acasalando com os insetos vulgares, os exterminem. Lamenta-se a recusa das entidades envolvidas em prestarem esclarecimentos sobre,  por exemplo, resultados de testes, a eventual contaminação de alimentos orgânicos e se a tecnologia promove a redução do uso de pesticidas.

Centenas de milhares de mosquitos transgénicos vão ser lançados na Florida com o objetivo de combater o mosquito que transmite a dengue. Apesar dos responsáveis científicos garantirem que não há perigo para os humanos, muito boa gente da zona de Florida Keys, nomeadamente ligada ao turismo, tem dúvidas e já recolheu mais de cem mil assinaturas exigindo mais investigação e mais controlo por parte do governo.

Mosquitos da dengue geneticamente modificados estão a ser libertados duas a três vezes por semana na cidade de Jacobina, na Bahia para combater a epidemia. Os mosquitos transgénicos foram desenvolvidos pela empresa britânica Oxitec. Em 2012, eles foram liberados, de forma controlada, em Juzeiro, também na Bahia. Os insetos foram criados num laboratório da organização social Moscamed.

Bahia, a cidade que recebeu pesquisa com mosquitos transgênicos, decreta estado de emergência de dengue. Tudo apesar da Moscamed, em parceria com a inglesa Oxitec e a Universidade de São Paulo, ter divulgado uma redução de 81% e 100% no registro de casos de dengue em dois bairros de Jacobina, e de ter garantido total segurança e licenciado a venda desses mosquitos transgénicos.

Mosquitos transgénicos estão a ser produzidos em Campinas, Brasil, pela britânica Oxitec. Objetivo: combater a propagação do dengue.

O plano da britânica Oxitec de lançar na Flórida mosquitos machos geneticamente modificados para reduzir a ameaça da dengue e outras doenças está a provocar protestos de moradores. 145 mil pessoas subscreveram uma petição rejeitando que um paraíso para amantes da pesca e do mergulho se torne um laboratório para insetos mutantes. Apesar de a Oxitec garantir o sucesso da tecnologia já testada nas ilhas Cayman e no Brasil, os adversários alegam que a investigação da Oxitec não foi analisada nem mereceu revisão paritária.

Milhões de mosquitos machos transgénicos foram lançados nos arredores da cidade de Piracicaba (São Paulo, Brasil) com o objetivo de combater e eliminar os mosquitos portadores do vírus zika. O projeto é da britânica Oxitec, entretanto comprada pela norte-americana Intrexon, que já fez mais testes no Panamá, na Malásia, nas ilhas Caimão e em Cayos de la Florida.

Share:

sábado, 30 de janeiro de 2016

Espinho: Novo PDM propõe requalificação das ribeiras do concelho

Ribeira de Paramos, Espinho, junto ao Regimento de Engenharia e ao Aeroclube.

As ribeiras do município de Espinho vão, finalmente, merecer a atenção que lhes é devida. O novo PDM assim o determina.

Vai ser uma tarefa hercúlea, dado o avançado estado de degradação em que se encontram alguns dos troços da Ribeira do Mocho, em Espinho, da Ribeira de Silvalde e da ribeira de Rio Maior, em Paramos. Operações de desassoreamento, de limpeza e de consolidação das margens serão levadas a cabo. A maior dificuldade, presume-se, será conseguir resolver os inúmeros casos de ocupação indisciplinada e abusiva de alguns setores dessas margens. Para já não referir o estafado problema da duvidosa qualidade das águas que, por vezes, nelas correm e que empestam o seu leito e as suas margens e contaminam o ar com maus cheiros. 
O PDM propõe uma rede de mobilidade suave, - ciclovias e quejandos -, que deverá ligar as fozes das três ribeiras, respetivamente, ao parque da Gruta da Lomba/Picadela, ao Parque da Cidade e ao Castro de Ovil.

Muitos se questionam acerca da exequibilidade da intenção em 10 anos, mas os responsáveis autárquicos fazem questão de sublinhar que os projetos são realistas.
Share:

Britânicos desperdiçam o dobro do que pensam em alimentos que não consomem

Quevedo, Equador. Foto: Ecuador’s TransitCommission/Reuters
  • Todos os meses, as famílias britânicas desperdiçam o dobro do que pensam em alimentos que não consomem, revela um estudo da YouGov encomendada pela Sainsbury. The Guardian.
  • Leonardo DiCaprio encontrou-se com o Papa Francisco. Ao Papa, DiCaprio ofereceu um livro de trabalhos do pintor holandês Hieronymus Bosch. Ao ator, Franciso ofereceu uma cópia de Laudato Si, a encíclica papal. Gazeta do Rossio.
  • A sobrepesca, o aquecimento global, os resíduos e contaminação e acidificação dos oceanos lideram as preocupações dos cientistas marinhos. Science Nordic.
  • Elevados níveis de chumbo têm sido detetados nas análises feitas às águas que correm nas torneiras de Grand Rapids, Jackson, Detroit, Saginaw, Muskegon, Holland e outras cidades do Michigan. Os níveis de chumbo são tão ou mais altos do que os registados em Flint. The Detroit News.
Share:

Mão pesada

  • Um indivíduo foi multado em 16.800 libras por gestão e tratamento ilegal de resíduos em Ludlow, Shropshire. GovUK.
  • O Hotel de Laguna, em Mato Grosso, foi encerrado e multado em R$ 800 mil por ligação de esgoto clandestina. Globo.
Share:

Bico calado – Como autoplagiar-se e ser bem pago por isso sem os mecenas toparem


«Escreva a sua própria crónica de Vasco Pulido Valente sem recorrer a Vasco Pulido Valente
Talvez o Público não desconfie, mas está a pagar a mesma crónica de Vasco Pulido Valente (VPV) há mais de uma década. Que, por sua vez, é a mesma crónica que o autor escrevia para oDiário de Notícias. E que, por incrível coincidência, foi em tempos publicada em O Independente pelo mesmo autor.
Para poupar despesas à SONAE, apresento-me como voluntário para que o jornal possa construir a sua crónica de VPV sem necessitar de VPV, o que, convenhamos, dá muito menos maçada.
Passo 1 — escolhe-se um tópico, sempre genérico, para não implicar pesquisa. Como qualquer estudante lhe poderá afiançar, a pesquisa é enfadonha e indigna e a recolha de dados é tarefa para gente menor. Se o diabo está nos detalhes, VPV foge-lhe – ao diabo e aos detalhes – com o virtuosismo de um doutorado em Oxford
Passo 2 – estabelece-se à partida o momento em que o tópico (o Estado social, o socialismo, as obras públicas, o PCP —riscar o que interessa) descambou. Por incrível coincidência, qualquer tópico descamba sempre no século XIX, circunstância feliz pois poupa muita reflexão. Não deixa de ser curioso que, embora todo o mundo para lá de VPV seja obviamente dogmático, VPV retribua com a publicação sistemática do mesmo dogma.
Passo 3 — define-se um protagonista (Olof Palme, Mário Soares, Duarte Pacheco, Álvaro Cunhal — riscar o que não interessa) ao qual se aponta o dedo pela sua “ingénua ignorância” (hipótese a) ou pela “ignorância ingénua” (hipótese b) na gestão do dito tópico. É importante não cair no erro de apresentar factos. Todas estas alegações são feitas com a despreocupação de quem não tem dúvidas. Um doutorado em Oxford nunca tem dúvidas.
Passo 4 — tudo, repito, tudo está relacionado com os investimentos em obras públicas de Fontes Pereira de Melo, feitos com dinheiro emprestado, que nos valeram “três décadas de pastoreio despreocupado” até “obviamente nos apresentarem a conta”. O verbo pastorear deve ser utilizado pelo menos uma vez por crónica. Se possível, associado a criatura  e desmiolados.No pensamento de VPV, ora são as criaturas que pastoreiam os desmiolados, ora são os desmiolados que pastoreiam as criaturas.
Passo 5 — o indigenato. VPV fez mais pela causa indígena do que a FUNAI no Brasil. Todos os problemas portugueses justificam-se pelas características do indígena nacional, ocioso, ingénuo e dado a esquentamentos revolucionários. Escusado será dizer que o indígena não frequentou Oxford.
Passo 6 — o parágrafo final deve sublinhar, como os adventistas do sétimo dia, que o fim está próximo. Se possível, com a arrogância de quem sempre o soube. São muito úteis muletas como “como não poderia deixar de ser”, “qualquer pessoa que não tenha estudado nas escolas indígenas adivinha” ou “a tonta cabeça do Dr. (inserir nome) não lhe permite ver que isto vai acabar mal”.
E é isto! Experimente em casa com amigos e em breve publicará também as suas crónicas de Vasco Pulido Valente num divertido jogo interactivo. 
Se tiver mesmo sorte, o Dr. Belmiro paga-lhe uma avença.»

Gonçalo Pereira in Escreva a sua própria crónica de Vasco Pulido Valente sem recorrer a Vasco Pulido ValenteEcosfera Portuguesa.


Share:

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Portugal leva puxão de orelhas por não tratar esgotos


Ribeira de Rio Maior, em Castro de Ovil, Espinho.
  • Portugal não tomou medidas de planeamento para cumprir a diretiva acerca do tratamento das águas residuais urbanas de 44 localidades, sublinha o tribunal de Justiça da União Europeia. Bruxelas argumenta que a pode provocar danos irreparáveis ao ambiente e que as dificuldades financeiras, invocadas por Portugal, não podem justificar o incumprimento. A lista incluiu os seguintes locais: Alvalade, Odemira, Pereira do Campo, Vila Verde, Mação, Pontével, Castro Daire, Arraiolos, Ferreira do Alentejo, Vidigueira, Alcácer do Sal, Amareleja, Monchique, Montemor-o-Novo, Grândola, Estremoz, Maceira, Portel, Viana do Alentejo, Cinfães, Ponte de Reguengo, Canas de Senhorim, Repeses, Vila Viçosa, Santa Comba Dão e Tolosa. DN.
  • O estado de Maryland está a processar as petrolíferas por contaminação de água. Tudo por causa do Éter metil terc-butílico, também conhecido como éter metil terciário butílico e MTBE, um aditivo vendido com o combustível naquele estado e que terá copntyaminado as águas.  Bay Journal.
Share:

Reflexão - quem lê o Ambiente Ondas3 e quais as preferências?

Santarém, Ponte D. Luís, Janeiro de 2016. Foto: PauloPatrício.

No Ambiente Ondas3, os três textos mais populares dos últimos oito dias foram, segundo a Google Analytics:
Durante o mesmo período, as visitas vieram, por ordem decrescente, de Portugal, do Brasil, de França da Alemanha, dos EUA, de Espanha, do Reino Unido, da Holanda, da Suíça  e da Argentina.

Ainda durante este período, a proveniência, também por ordem decrescente, dos leitores de língua portuguesa foi a seguinte: Espinho, Lisboa, Porto, Coimbra, Almada, São Paulo, Gaia, Alverca do Ribatejo e Amadora.

Obrigado pela preferência. Voltem sempre!
Share:

Bico calado


Que santinho é o senhor Alexandre Santos, cromo da Jerónimo Martins.
Share:

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Governo impõe limite à expansão do eucalipto

Pateira de Óis da Ribeira: jacintos arrastados pelas cheias jazem em cima da mesa de piquenique. 
Foto: Lúcia Ávila 23jan2016.
  • O Governo de António Costa acaba de anunciar o limite à expansão da área de plantação de eucalipto, decisão que resulta da negociação com o partido Os Verdes que apoia o Executivo no Parlamento. O ministro da Agricultura, Capoulas Santos, propõe o aumento da produtividade por hectare em vez do aumento da área cultivada, que ronda os 812 mil hectares. Expresso.
  • O custo dos painéis solares tem caído 10% por ano. Se esta tendência se mantiver, a energia solar poderá satisfazer 20% da oferta em 2027, concluem investigadores da Oxford University. The Guardian.
  • Um abutre proveniente de uma reserva natural de Israel foi capturado em Bint Jbeil, no sul do Líbano por suspeita de espionagem, uma vez que era portador de um transmissor. Incidentes deste género não são inéditos. The Guardian.
  • O governo canadiano proibiu as pessoas de terem fogões a lenha, a menos que eles emitam o máximo de 2,5 gramas de partículas finas por hora. A violação desta regra implicará multas entre 2 e 8 mil dólares. Muita gente acha que esta medida, para além de ser um abuso de poder e uma tentativa de impedir as pessoas de viverem em autonomia, também é um enorme frete às gigantes energéticas estatais e privadas. The Daily Sheeple.
Share:

Reflexão – Mais de 95% da iluminação pública provoca poluição luminosa

Imagem captada aqui.

Mais de 95% da iluminação pública provoca poluição luminosa,
por Apolónia Rodrigues in Smart Cities/Cidades Sustentáveis.

Notas:

1 A excessiva iluminação pública produz enormes manchas de luz que também se projetam para o céu, o que representa um colossal desperdício de energia, de dinheiro e de recursos humanos.

2 A poluição luminosa está associada a problemas de saúde: afecta o sono e pode contribuir para o aumento de casos de cancro da mama, segundo estudos científicos. 

3 A poluição luminosa é, para além de um grande fator de encadeamento, causa de uma falsa sensação de segurança levando a comportamentos menos cuidados e pode criar zonas de sombra perigosas. 

4 A redução da poluição luminosa poderá ser conseguida redirecionando a luz para o chão, onde é precisa e reduzindo a intensidade da iluminação a partir de certa hora da noite. 

5 A atual moda da tecnologia LED, apesar dos seus atributos de eficiência energética, emite um espectro extremamente abrangente e a forte predominância no azul acaba por impedir a normal produção de melatonina no organismo humano, o que dificulta os ciclos naturais do sono.

Adenda do Ambiente Ondas3:
Os LEDs estão disponíveis numa variedade de temperaturas de cor: da luz quente e amarelada, à fria e azulada. Este último tipo é mais eficiente em termos de energia e, portanto mais barato, pelo que as autarquias o preferem. Porém, o LED azulado provoca a redução da produção de malatonina nos humanos. A melatonina é uma hormona segregada durante a noite pela glândula pineal que ajuda a equilibrar a reprodutiva, tireóide e hormonas adrenais e regula o ritmo circadiano do dormir e do acordar. Níveis mais baixos de melatonina têm sido associados ao aumento do risco de cancro. Fonte.

Share:

Mão pesada - Lembram-se do Prestige, há 13 anos?

Imahem conseguida aqui.

O Supremo Tribunal espanhol condenou o capitão do Prestige a 2 anos de prisão e o proprietário e a seguradora britânica do petroleiro (London P&I Club) a pagar indemnizações calculadas em 920 milhões de euros. O naufrágio do Prestige ocorreu em novembro de 2002, tendo provocado uma enorme maré negra que contaminou cerca de 3 mil quilómetros das costas da Galiza e de Portugal. A Greenpeace considera que o capitão do Prestige foi usado como bode expiatório para encobrir figuras de proa com enorme responsabilidade no evoluir dos acontecimentos que descambaram em catástrofe. O atual primeiro-ministro espanhol Mariano Rajoy (PP) é uma delas. Na altura, como vice-primeiro ministro de José María Aznar, ordenou que o navio se afastasse da costa em vez de desencadear uma operação de emergência exigindo que fosse rebocado para dentro de um porto onde o ´crude pudesse ser confinado. Pior: menosprezou a gravidade do desastre, inclusive repetindo que as manchas negras que se viam junto do navio que se afundava não passavam de pequenos fios de barro. Yahoo.

Em 12 de outubro de 2012, o Ambiente Ondas3 referia, citando os Ecologistas en Acción e o Público, que, «dez anos após o naufrágio do petroleiro que pintou de negro as costas da Galiza, das Astúrias, da Cantábria e do País Basco, não há protocolo nenhum a seguir em caso de situação semelhante», e que «nem Nem Mariano Rajoy, nem Miguel Arias Cañete, nem José María Aznar nem Francisco Álvarez-Cascos foram responsabilizados e penalizados (…) Os políticos não sofreram nenhuma penalização política pela sua incompetência e nem sequer se criou uma comissão parlamentar para investigar a gestão da catástrofe». Para relembrar o filme da tragédia, o Ambiente Ondas3 sugeria a consulta das suas postas de 4 de janeiro de 2006de 11 de dezembro, de 13 de novembro de 2007, e de 9 de junho de 2010.
Share:

Bico calado - EUA, o maior paraíso fiscal

Imagem captada aqui.
  • Marcelo advertido por estacionar em lugar reservado a deficientes. JN.
  • Os EUA são o novo paraíso fiscal mais popular do mundo, admite a insuspeita Boomberg. Alguns até o consideram a nova Suíça. Para além do Delaware e da Florida, agora os estados do Nevada, do Wyoming e do Dacota do Sul reforçam o papel de atrair fortunas do estrangeiro. Gigantes como a Rothschild, a Cisa Trust Co. SA e a Trident Trust Co. há muito que começaram a transferir as contas dos seus clientes da Suíça, das ilhas Cayman e de outros paraísos fiscais para aqueles estados.
Share:

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

O que está a acontecer à água das torneiras nos EUA?

Ribeira da Ponta do Sol. Foto de Raimundo Quintal 23jan2016. 

Estrada, estaleiro, depósito de inertes, vazadouro ou curso de água?
A Natureza tira-nos as dúvidas, Raimundo Quintal. Por vezes, da forma mais inesperada, violenta e cruel.

  • 2015 foi o ano mais negro da história das eólicas em Espanha: nem um único megavátio foi instalado. AEE.
  • O Hotel Palácio do Governador, um estabelecimento de cinco estrelas localizado em frente à Torre de Belém, em Lisboa, está a funcionar desde outubro sem licença de utilização. Igualmente sem licença funciona, apenas para este hotel, um parque de estacionamento subterrâneo, construído em terrenos municipais anexos ao hotel. Público 26jan2016, via O voo do corvo.
  • A política muito virada para os empreendimentos turísticos pode fazer com que daqui a uns anos não haja residentes no Bairro Alto, alerta a arquiteta e investigadora italiana Fabiana Pavel. Público 18jan2016, via O voo do corvo.
  • 26 de janeiro foi Dia Mundial da Educação Ambiental. Não dei por nada cá em Portugal. Em Espanha parece que também ninguém deu por nada. 20 Minutos.
  • A polícia italiana descobriu uma lixeira ilegal escondida nas ruínas de antigas catacumbas romanas ao longo da Via Ápia. Em Itália, a gestão do lixo tem sido chão fértil para a proliferação de negócios fraudulentos geralmente associados à Mafia. O país já foi várias vezes multado pelas autoridades europeias por diversos incumprimentos nesta matéria. Reuters.
  • O Banco Europeu para a Reconstrução e Desenvolvimento e o Clean Technology Fund vão subsidiar em 125 milhões o consórcio de privados responsáveis por um projeto de energia geotérmica na Turquia. REM.
  • A água que corre nas torneiras de Hoosick Falls, New York, está imprópria para consumo, alertou o ministério do Ambiente norte-americano. A exposição ao ácido perfluorooctanoico, um repelente de água e óleo, utilizado no fabrico de, entre outras coisas, tachos e panelas de fundo antiaderente, terá sido uma das possíveis causas do elevado número de casos de cancro de rins e de testículos e doença da tiróide registados na região. AP.
  • A água de Sebring está imprópria para o consumo humano, alertam as autoridades do Ohio. As escolas estiveram encerradas 6ª e 2ª feira para a realização de análises à água, tendo sido confirmados elevados níveis de chumbo. Este facto já tinha sido detetado em 2015 mas os responsáveis não avisaram os milhares de pessoas que consomem aquela água. Perante este escândalo, muita gente se questiona sobre a veracidade e o rigor dos relatórios até agora publicados sobre a qualidade da água. Para já, o ministério do Ambiente suspendeu o responsável pela estação de tratamento de águas local enquanto investiga o problema. The Daily Sheeple.
Share:

Reflexão - Foi você que sonhou com um apartamento com vista sobre o mar?


Pacifica, na Califórnia, anda nas bocas dos media norte-americanos.
Desde a CBS ao USA Today.

O caso não é para menos.
Há 6 anos, a CNN já tinha filmado a zona.

E agora dizem que a culpa é do El Niño. A culpa nunca é dos que querem, podem e mandam.
Share:

Mão pesada

  • 24 pessoas ligadas ao PP espanhol foram detidas por alegados crimes de corrupção relacionados com eventuais subornos em troca de contratos de obras públicas. Reuters.
  • A Tapecrown Ltd foi multada em 20 mil libras e o seu diretor em 4 mil libras por gestão ilegal de depósito de pneus usados em Faringdon, Oxfordshire. GovUK.
  • A canadiana Sunrise Propane foi multada em 5,3 milhões de dólares pela explosão ocorrida em 2008 na sua fábrica de propano e que provocou a morte de um técnico e obrigou à evacuação de 4 mil vizinhos. The Star.
Share:

Bico calado

  • «(…) Para ganhar, Marcelo renunciou a Passos e Portas, praticou amnésia sobre o anterior Governo, reconheceu e apresentou cumprimentos à tal "geringonça" e prometeu promulgar políticas que pessoalmente rejeita, como a adoção entre casais do mesmo sexo e o restabelecimento do aborto livre e gratuito. Por muito que isso desespere o revanchismo da minoria de Direita, todos sabem que, sem esta trégua com o Governo de António Costa, o presidente eleito não chegaria a sê-lo.(…)» Mariana Mortágua in A ousadia de MarisaJN 26jan2016.
  • «(…) Paulo de Morais não seria a nossa escolha para o lugar de Presidente da República, mas essa não é aqui a questão. A questão é que, como candidato, ele prestou um corajoso serviço ao país e, como tal, merece esse reconhecimento. Ver cidadãos a fazerem troça das dificuldades de Paulo de Morais perante o pagamento das despesas da sua campanha, sabendo, ainda por cima, que o candidato que ganhou as eleições teve as pessoas mais ricas do país a suportá-lo, faz-nos pensar que, de facto, Portugal só tem o que merece.(…)» Uma página numa rede social, FB.
  • O Las Vegas  Review Journal foi vendido confidencialmente. Uma investigação realizada por alguns dos seus próprios jornalistas revelou que o comprador tinha sido Sheldon Adelson, magnata da hotelaria e dos casinos de Las Vegas Sands. Descobriu-se ainda que o negócio ficara por 140 milhões e que a compra fora feita através de uma empresa sediada numa offshore de Delaware. Ficou-se ainda a saber que a fortuna de Sheldon Adelson, calculada em mais de 22 mil milhões, chega não só para negócios deste tipo como também para fazer doações a candidatos republicanos e para publicar um jornal que se distribui gratuitamente em Israel. El Diário.
Share:

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Quais são os rios mais poluídos de Espanha?

Imagem captada aqui.
  • Vinte anos de Eco-Escolas valeu a pena, mas ainda há muito a fazer em termos de educação ambiental, diz Margarida Gomes, que coordena o projeto desde o ano de 2000. Em 20 anos, foram atribuídas 10.623 bandeiras Eco-Escolas a estabelecimentos de ensino em Portugal. Atualmente o programa estende-se a mais de 1.400 escolas de 227 municípios nacionais, num total de cerca de 50 mil alunos. RTP. Exemplo de relatório da Eco-Escola Jaime Moniz, no Funchal, relativo ao ano letivo de 2011-2012.
  • Espanha é dos países europeus cujos rios registam níveis mais preocupantes de contaminação. Ei-los: Río Barbaña, é um autêntico esgoto a céu aberto, que passa por Orense. Quando chove, a sua superfície revela fluidos espumosos, considerados pelas autoridades de «alarmantes mas não nocivos»; Río Cinca: durante anos usado como esgoto por parte das indústrias aragonesas, regista elevados níveis de mercúrio em localidades por onde passa, como Villanueva de Gállegos e Monzón; Río Gállegos: importante rio aragonês que regista elevados níveis de mercúrio;  Río Guadiana: vítima de despejos de resíduos de nitratos, amónia e fosfatos por parte de indústrias de pesticidas e fertilizantes, este rio da Extremadura continua muito contaminado; Río Llobregat: este rio catalão, para além de sofrer de escassez de água devido às minicentrais que o povoam entre Cadí e Prat de Llobregat, regista elevado nível de salinidade por influência dos depósitos das Minas del Bages e contaminação de restos de medicamentos; Río Tinto: vítima da mineração, está contaminado por fosfogesso e elementos radioativos;  Río Rio Urumea: corre por Navarra e pelo País Basco, evidenciando altos níveis de concentração de metais pesados como o chumbo, o cobre e o zinco. Ecoticias.
  • A lavagem ilegal de porões de um barco ao largo da Gran Canaria provocou a contaminação da praia de Las Alcaravaneras, em Las Palmas. 20 trabalhadores procederam á limpaza do sítio, tendo recolhido 3 toneladas de areia contaminada e 8 toneladas de efluentes oleosos. 20 Minutos.
  • Dilma veta energias renováveis não hidráulicas no Plano Plurianual 2016-2019. A presidente do Brasil retirou do Plano Plurianual 2016-2019 objetivos, metas e iniciativas voltadas para o reforço das fontes renováveis na matriz energética brasileira, contradizendo o seu discurso durante a cimeira do Clima em Paris. Dilma considera que a energia produzida pelas renováveis representa 40% da matriz energética do país e que isso basta para não se tornar redundante. “Esses vetos protegem o modelo corrupto de geração centralizada contra qualquer ameaça à sua hegemonia moribunda”, considera Márcio Santilli, fundador do ISA. EcoDebate.
  • O primeiro-ministro do Vietname anunciou a intenção de rever todos os projetos ligados ao carvão e de suspender o uso do carvão no futuro.
Share:

Reflexão – Parques amigos das alterações climáticas

Sete Cidades. Foto: Paulo Machado 24jan2016.

Copenhagen está a criar uma série de parques capazes de lidar com fenómenos cada vez mais frequentes provocados pelas alterações climáticas: períodos de seca interrompidos por fortes e súbitas chuvadas. Enquanto secos, esses parques albergam uma série de atividades sociais, culturais e desportivas. Nos períodos de chuvas intensas, tornam-se em imensos reservatórios de água, aliás reforçados por correspondentes reservatórios subterrâneos, cuja água é depois bombeada para, nos períodos de seca, regar árvores e jardins à volta. Os projetos, que deverão ser levados a cabo durante os próximos 20 anos, estão orçados em 1,3 bilião de dólares, metade do que custaria a ampliação e reforço dos atuais sistemas de drenagem dos pluviais.

Este conceito não é original. Há dois anos, Roterdão fez algo semelhante na praça Benthemplein, e Filadélfia avançou com um projeto de 2,5 biliões de dólares para, em 25 anos, dotar dezenas de ruas com jardins pluviais e superfícies permeáveis para paermitir que a água das chuvas siga para reservatórios subterrâneos em vez de se escoar por tubarias e acabar em ribeiras ou rios. Citiscope.
Share:

Mão pesada

O director da Woods Recycling Services foi multado em 33 mil libras por queima ilegal de resíduos em Amphill. GovUK.
Share:

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Caranguejos migram para a desova

Imagem captada aqui.

A Christmas Island, no oceano Índico, território da Austrália, vive mais uma vez a invasão anual de caranguejos vermelhos. Tudo para desovarem no último quarto minguante da estação das chuvas. DE.
Share:

Reflexão – Ambiente Zero?

Imagem captada aqui.

A Zero é uma nova associação ambientalista. É liderada por Francisco Ferreira e tem sede na Rua Alexandre Herculano, no Porto. Dizem que não se reviam na conduta da atual direção da Quercus e sublinham: "Temos um objetivo fundamental que é acabar com as desigualdades no país e queremos mobilizar a sociedade e as pessoas para a participação e influenciar os decisores nesse sentido».

O aparecimento desta Zero não me espantou. Há muito que as mensagens e as intervenções do seu líder em programas avençados na rádio e na televisão não deixavam margem para dúvidas – inócuas, vazias, roçando o greenwashing, por vezes sugerindo mensagens subliminares de patrocínio a um ou outro produto. 
Infelizmente, parece estarmos perante mais um caso de alguém que soube aproveitar muito bem a velha estrutura da Quercus e a visibilidade mediática conseguida através da participação em programas de rádio e televisão para agora lançar esta ONG. Será mais uma que, em vez de reforçar o movimento ambientalista em Portugal, vem erodir a sua já reduzida força, para gáudio dos donos disto tudo.

«Temos um objetivo fundamental que é acabar com as desigualdades no país», diz Francisco Ferreira. Questionamo-nos por que motivo não terá, para tal, aderido a Os Verdes, ao PCP ou ao BE. Provavelmente porque aí nunca seria maestro. O que ele gosta é mesmo de ser maestro ou, pelo menos, de ser o solista da orquestra. Ele é dos que abominam ensaios, dos que prescindem do ensaio geral, dos que só aparecem à hora do concerto. Que o digam, por exemplo, todos aqueles que, sob a asa da Quercus, têm levado a cabo um formidável e exemplar trabalho de recuperação ambiental do Cabeço Santo, em Belazaima, Águeda. O solista nunca lá pôs os pés, nunca pegou numa enxada, nunca pegou num podão ou numa tesoura de poda para lá trabalhar, mas babou-se a elogiar as virtudes e potencialidades do projeto num programa de televisão. 
O Ambiente dispensa gente desta. Dispensa gente que se põe em bicos de pés para se fazer representada em cimeiras de cuja participação e intervenção pouco ou nada se vem a saber. O Ambiente dispensa gente desta que parece merecer a simpatia de autarquias por ocasião de processos de revisão de Planos Diretores Municipais. O Ambiente dispensa gente com voz mansa e bem colocada que venha entreter-nos e embalar-nos com generalidades em tons cor-de-rosa. O Ambiente precisa de gente que arregace as mangas, calce as luvas e avance para tarefas de defesa, conservação e recuperação de tanto habitat, de tanto ecossistema ameaçado neste Portugal, país tão pequeno mas tão carente.

Share:

Bico calado

Foto: Reto Kuster/Birdlife International, captada aqui.
  • «(…) Quero saber o que pensa Marcelo das pressões de Bruxelas sobre o Governo para que privilegie o deficit em vez da restituição de rendimentos às famílias. Quero saber de que lado estará em caso de tal pressão causar brechas na coligação de esquerda que sustenta o Governo. Quero saber de que lado estará se tentarem mandar no futuro mais faturas aos contribuintes para salvar bancos e banqueiros. Quero saber o que pensa Marcelo da globalização e da crescente ascensão de forças antidemocráticas na Europa com a bênção da União Europeia. Quero saber o que pensa Marcelo sobre a política económica da zona Euro que aposta tudo na desvalorização salarial e no desemprego como forma de ganhar competitividade e de resolver os problemas das dívidas soberanas emergentes dos resgates a bancos provocados pelos desvarios do sistema financeiro desregulado e protegido pelas instituições de Bruxelas e pelos governos liberais da sua família política (…)» Estátua de Sal.
  • “Uma estação que tem 50% de share vende tudo, até o Presidente da República! Vende aos bocados: um bocado de Presidente da República para aqui, outro bocado para acolá, vende tudo! Vende sabonetes!”.» Emídio Rangel 1997.
  • «Marcelo Rebelo de Sousa é, sempre foi e será, um amigo dos ricos e poderosos que verdadeiramente mandam no país e nos políticos. É um hábito que adquiriu durante o Estado Novo, quando, ainda miúdo, escrevia ao ditador Salazar a lisonjeá-lo, e depois, já crescidote, se propunha dar conselhos e denunciar oposicionistas ao ditador Marcelo Caetano. Hábito que continuou a cultivar, frequentando, por exemplo, o iate e a mansão de férias, algures nos EUA, do insidioso e incompetente banqueiro «dono disto tudo» Ricardo SalgadoAlfredo Barroso, FB.
Share:

domingo, 24 de janeiro de 2016

Carrapateira contra exploração de petróleo

Áreas para as quais foram concedidas licenças e contractos de exploração de 
petróleo e gás assinados em Portugal.
  • A população da Carrapateira, Aljezur, começou a mobilizar-se contra a prospeção de petróleo e gás na Costa Vicentina. A exploração por fraturação hidráulica está prevista no contrato da Petrofuel de Sousa Cintra e apesar de ainda não se estar nessa fase os receios já são muitos. Até porque o próprio secretário de Estado das Pescas, o algarvio José Apolinário, ainda não disse nada sobre o assunto. DN.
  • Depois das cheias que afetaram o centro e norte do país, a Agência Portuguesa do Ambiente apresentou os planos de gestão dos riscos de inundações. Entre as medidas de combate aos prejuízos, está o reforço da sensibilização entre as populações e a fiscalização. RTPExemplos de Planos de Gestão de Riscos de Inundações.
  • «Como construir uma Cidade Verde»: conferência internacional que reúne personalidades que contribuíram para a implementação de boas práticas ambientais a nível mundial. Segunda-feira, 25 de janeiro, 15h, no Laboratório da Paisagem, em Guimarães. Esta cidade é candidata a Cidade Verde Europeia.
  • O presidente da Águas do Ribatejo, Francisco Oliveira, manifestou a disponibilidade da empresa intermunicipal para colaborar com o grupo de trabalho que está a ser criado pelo Ministério do Ambiente com o objetivo de proteger os rios, assegurando a redução dos níveis de poluição causados pelo deficiente tratamento de algumas indústrias e sistemas públicos. Francisco Oliveira, que é também presidente da Câmara de Coruche, destaca a importância do investimento no saneamento com o exemplo que a Águas do Ribatejo teve recentemente no concelho de Torres Novas, onde a entrada em funcionamento das novas ETAR de Torres Novas e Riachos, e a melhoria da fiscalização por parte das autoridades junto dos sistemas de tratamento nas indústrias, já se traduz numa melhoria da qualidade da água no Rio Almonda e seus afluentes. Rede Regional. Ora aqui está um excelente exemplo de relações públicas a funcionar na perfeição. Como se a Águas do Ribatejo não existisse para garantir a boa qualidade da água pela qual as populações lhe pagam e bem.
Share:

sábado, 23 de janeiro de 2016

ETAR de Rio de Moinhos funciona ou não funciona?

Foto de Thiago Jorge.
  • O presidente da Câmara de Sátão garante que a ETAR de Rio de Moinhos está em perfeitas condições de operacionalidade e manifesta-se surpreendido com o pedido de esclarecimento de ‘Os Verdes‘ ao Ministério do Ambiente a propósito do se alegado estado de degradação. Que dizer, então, da vegetação que cobre o caminho de acesso? Que dizer dos montes de lixo despejados à entrada? Que dizer dos tanques sem sinal de uso, tanques que deviam servir para depositar as lamas filtradas na ETAR? O Castendo.
  • Desde agosto de 2014 que a Águas do Algarve não publica as análises às aguas das ETARs do Algarve. Viola-se, assim, o cumprimento de uma diretiva comunitária. Na zona de intervenção da Ria foram «modernizadas» algumas ETARs, como a de Tavira, a de Olhão Nascente e a de Faro Noroeste. Mas embora a água descarregada se apresente como límpida e transparente, isso não impede que registe um ph bastante elevado, o que desencadeia o aparecimento de microalgas perniciosas para o meio aquático e, consequentemente, obriga a constantes interdições de apanha de bivalves. Perante esta situação que perdura, há quem suspeite de que haja um plano para eliminar a tradicional produção de bivalves, com a consequente destruição do tecido produtivo na zona e favoreça a sua substituição pelo turismo em regime de exclusividade. Olhão Livre.
  • A Quercus apresentou, junto do parlamento e do Provedor Europeu, uma queixa contra a Comissão Europeia por falta de resposta a várias queixas apresentadas contra o Estado Português. Em causa estão alegados incumprimentos da legislação comunitária na avaliação do impacto ambiental no caso do projeto dos incineradores nas ilhas de São Miguel e da Terceira, nos Açores, na gestão de resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos (REEE) e na falha no prazo de transposição da nova diretiva sobre os REEE. Em junho de 2013, a Quercus apresentara uma primeira queixa contra o Estado Português nas instituições europeias e, em julho, uma segunda, argumentando sempre que o projeto de incineração da Associação de Municípios da Ilha de São Miguel não cumpria a Declaração de Impacto Ambiental, algo que o Governo dos Açores então negava. Em alternativa à incineração de resíduos urbanos sem tratamento prévio, a Quercus defende o tratamento mecânico e biológico, sustentando que já existem em Portugal unidades destas que conseguem reciclar cerca de 60% dos resíduos indiferenciados e de forma mais barata que a incineração. AO.
  • Os projetos de lei ontem votados para acabar com o cultivo e comercialização de produtos com Organismos Geneticamente Modificados foram todos chumbados pelo PS, PSD e CDS. As iniciativas foram propostas pelo BE, PCP, Verdes e PAN, que votaram a favor, enquanto  Inês de Medeiros (PS) se absteve. EN.
  • A Portucel vai plantar ainda mais eucaliptos em Moçambique. Os investimentos previstos rondam os 3 biliões de dólares. Reuters.
Share:

Brasil: mosquitos transgénicos contra o virus zika

Foto: Photograph: Schalk van Zuydam/AP, captada aqui.
  • Residentes de Flint estão a processar a cidade, o estado e o governador do Michigan por ter mentido acerca da presença de chumbo na água das torneiras de suas casas. O encobrimento deste grave problema causou até ao momento 87 casos de legionária, 10 dos quais mortais. RINF.
  • O segundo maior lago da Bolívia, o Poopo, evaporou e talvez não recupere.  The Star.
  • O Papa Francisco manifestou o seu apoio à causa de um movimento ambientalista argentino, que desde 2012 luta contra a construção de uma fábrica de milho transgénico da Monsanto numa povoação da província de Córdoba. AE.
  • Milhões de mosquitos machos transgénicos foram lançados nos arredores da cidade de Piracicaba (São Paulo, Brasil) com o objetivo de combater e eliminar os mosquitos portadores do vírus zika. O projeto é da britânica Oxitec, entretanto comprada pela norte-americana Intrexon, que já fez mais testes no Panamá, na Malásia, nas ilhas Caimão e em Cayos de la Florida. El País.
Share:

Mão pesada

  • A Yorkshire Water foi multada em 600 mil libras por responsabilidades na fuga de esgotos não tratados que matou mil peixes num lago. Telegraph.
  • Um tribunal chinês rejeitou o pedido de reapreciação da aplicação de uma multa superior a 26 milhões de dólares a um grupo de empresas acusadas de despejo de resíduos de ácidos em dois rios em Taizhou. Eco-Business.
Share:

Reflexão – Flint, um caso de racismo ambiental

Imagem captada aqui.

Flint, um caso de racismo ambiental, por John Eligon in NYTimes 21jan2016 (notas)

1 Se Flint fosse habitada por ricos e brancos teriam as autoridades do Michigan reagido mais depressa às queixas sobre a água contaminada por chumbo?

2 Para os defensores dos direitos civis, a atual crise sanitária de Flint cheira a racismo ambiental. O conceito foi estabelecido nos anos 1980s para designar a exposição desproporcional dos negros à poluição, resultado da pobreza e segregação que empurrou muitos negros e outras minorias raciais para ambientes mais industrializados e degradados. Este conceito explica os elevados casos de doenças numa zona conhecida como «Cancer Alley», na Louisiana, os 84% de negros vítimas da poluição no sudoeste de Detroit e a resposta tardia à destruição causada pelo furacão Katrina nas zonas pobres de New Orleans. Ou ainda os inúmeros casos de implantação de incineradoras perto de zonas habitadas por comunidades afro-americanas. No Michigan, onde 14% da população é negra e o estado é maioritariamente republicano, Flint tem muito pouco poder político.

3 A contaminação da água em Flint começou quando a cidade decidiu passar a abastecer-se de água a partir do rio Flint, em abril de 2014. Tudo para salvar Flint, que estava à beira do colapso financeiro. Acontece que o administrador de Flint é um negro nomeado pelo governador de Michigan para gerir a crise daquela cidade e que apoiou esta alteração. 
Muita gente manifestou preocupação acerca da qualidade das águas do rio Flint, que era há anos alvo de despejos dos resíduos industriais das fábricas outrora florescentes. Mas os responsáveis garantiram que não havia problemas.
Mas as queixas continuaram porque muita gente andava a sofrer de queda de cabelo, náuseas e problemas de pele. As autoridades minimizaram as críticas e atribuíram-nas ao ambiente político, considerando o problema da água uma arma de arremesso utilizada pelos adversários políticos.

Texto com conteúdo semelhante no Huffington Post de 22jan2016.

Atualização: o governador diz, citado pela Reuters. que a culpa foi da burocracia dos funcionários ao seu serviço e ao facto de muitos se «armarem» em especialistas.
Share:

Bico calado


«É jovem? É. É cientista? É. É mandatária nacional de Marcelo? Não. Afinal, Maria Pereira - que tem sido apresentada como mandatária nacional de Marcelo Rebelo de Sousa - não é oficialmente a mandatária nacional. O cargo é ocupado por um antigo presidente do Conselho Fiscal do Benfica, Fernando Fonseca Santos.» Rui Pedro Antunes in O estranho caso da mandatária nacional que nunca o foiDN 22jan2016.

«(…) A campanha de Marcelo foi tudo menos uma aula magistral. Marcelo usou o estilo do professor que vai para a aula contar anedotas de modo a criar empatia com o auditório dos broncos que tem pela frente, sendo a seguir escutado com menos bocejos quando enunciar um difícil conceito que de outra forma não atingiria nunca os enferrujados neurónios da plateia. Para Marcelo o país é ainda uma floresta povoada de seres inferiores e pouco dotados para as coisas do espírito, da política e da cidade. Eles não percebem as minudências constitucionais, mas percebem o taberneiro que serve copos de tinto. Eles não percebem odeficit das contas públicas, mas percebem a cabeleireira que fala dos amantes da vizinha do sétimo esquerdo. Eles não percebem o Tratado Orçamental, mas percebem o barbeiro que sabe todas as táticas futebolísticas. Eles não percebem os poderes do Presidente da República, mas percebem o taxista que conhece todas as moradas de bruxos, quiromantes e afins, porque se farta de lhes descarregar à porta clientes infelizes com a vida. Assim sendo, Marcelo fez a campanha que, lá no fundo, ele acha ser a merecida pelo país que ele julga ser ainda Portugal no dealbar do século XXI: um país inculto e bronco, sem vontade de deixar de o ser, onde habita um povo incapaz de orientar racionalmente as suas escolhas eleitorais, subjugando-as à leveza das romarias e ao sabor do bolo de bacalhau. (…) Nóvoa diz que é de esquerda, seja lá o que isso signifique nos dias de hoje, mas que todos são bem-vindos porque a todos ouvirá ainda que (…) não poderá prover a todos com igual peso. Porque estará do lado dos mais fracos contra os mais fortes. Porque estará do lado dos mais desvalidos contra os mais privilegiados em caso de irreconciliável conflito. Nóvoa acha que os portugueses são suficientemente cultos e inteligentes para perceberem esta mensagem, que a merecem, e mostra-se aberto a discuti-la com todos os quadrantes políticos, e nomeadamente com o seu adversário mais direto, já anunciado vencedor por antecipação por muitos arautos encartados. Para Nóvoa, enquanto professor, parece que os alunos não são broncos e não é preciso contar-lhes anedotas antes de se lhes expor conceitos difíceis que devem aprender e debater de seguida. (…) Ungido pelas televisões, apadrinhado pelos escribas do reino, agora quer ser entronizado pelos súbditos. Se tal suceder, provavelmente vai-nos dar catorze que é a nota que se dá a um aluno médio, mas esforçado. Se tiver que disputar uma segunda volta, ainda nos vai dar oito para irmos á oral. Mas se perder na segunda volta, acreditem que nos irá chumbar inapelavelmente, e nunca mais faremos a cadeira. Mas nesse caso, as gentes deste país, terão mostrado a Marcelo, terem muito mais inteligência e bom juízo do que ele pensava que tivessem. (…). E a lista vai longa e poderia ser continuada com mais outras tantas interrogações pertinentes.
Como vê, meu caro Marcelo, ainda há cidadãos, portugueses mas anónimos, capazes de lhe fazerem perguntas difíceis. E já que anda diariamente a rezar o terço para não ter que debater de novo com o professor Nóvoa estas e outras matérias, se quiser pode discutir comigo. Eu garanto que ainda lhe pago um fino e dois bolos de bacalhau e não chamo as televisões se você se sentir muito atrapalhado.» Estátua de Sal 23jan2016.
Share:

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Açores com 17 áreas marinhas protegidas


  • Já pode denunciar ameaças à qualidade da água. A plataforma interativa dQa permite a qualquer cidadão denunciar situações que possam ameaçar a qualidade da água, informação que pode dar origem a fiscalização das autoridades.
  • Os Açores vão ter 17 áreas marinhas protegidas de acordo com uma proposta de alteração ao diploma que estrutura o Parque Marinho do arquipélago e que foi entregue pelo executivo regional na Assembleia Legislativa. JA9.
  • A dívida sanitária de Espanha é de cerca de 8 milhões de euros. Por mera curiosidade, refira-se que o município de Espinho deve  €1.421.485 à SIMRIA, pelo tratamento dos seus esgotos. O caso anda em tribunal porque a autarquia se tem recusado a saldar a dívida, sublinha o Relatório e Contas da SIMRIA relativo a 2014.
  • O México lançou um projeto hoteleiro que vai destruiu parte de um mangal em Cancun. A zona húmida de Tajamar aloja espécies protegidas. Os ambientalistas prometem tudo fazer para impedir o avanço de tão desastroso projeto. El País.
  • A China é o maior produtor mundial de energia solar, com 43.000 MW instalados até ao fim de 2015. A China projeta triplicar a sua capacidade de energia solar instalada até 2020. Energias Renovables.
Share:

Bico calado

Imagem captada aqui.
  • «“Na hora das intervenções políticas, (…) autonomia total foi a palavra de ordem do 1º orador, Jaime Ramos (claro!). O homem prometia voltar a reclamar  “um país, dois sistemas” para Portugal e a Madeira, qual China com Hong Kong e Macau. (…) Jardim subiu ao palco. (…) Botou discurso: contra o “poder socialista de Lisboa”, contra o “regime corporativista tal como era no tempo de Salazar”, contra aqueles que “têm rótulos de socialistas e estão feitos com os grandes capitalistas”. “(…) Precisamos agora de Marcelo Rebelo de Sousa para acabar com essa pouca vergonha”. (…) Marcelo retribuiu-lhe o mimo: “Alberto João Jardim conta com o meu apoio político e pessoal agora e sempre”. Marcelo falou de autonomia e da “vitória” na revisão constitucional, com o fim de “todos os poderes políticos importantes” dos ministros da República, e quebrou os últimos ‘muros’ quando, qual Kennedy berlinense, disse: “Na vossa companhia, sinto-me um madeirense também”. “» Mário Ramires, in Jardim nas nuvens - Expresso 2ago1997, citado por Ribeiro Cardoso in Marcelo na Madeira, agora e sempre com Jardim - Clube dos Jornalistas 16jan2016.
  • «Passos Coelho nunca teve direito a este tipo de pensão. A Lei n.º 26/95, de 18 de Agosto, (que alterou a Lei n.º 4/85, de 9 de Abril, do Estatuto Remuneratório dos Titulares de Cargos Políticos) determinou que 55 anos seria a idade mínima para um titular de cargo político ter direito à subvenção. Na época em que Passos alegou ter renunciado à subvenção, ele tinha 35 anos, não cumprindo, portanto, um dos critérios para a atribuição da subvenção. Agora, a parte mais fofa: Sócrates acabou com o regime das subvenções vitalícias, por isso, mesmo após os 55 anos, Passos nunca poderia ter requerido esta pensão. E de quem foi a ideia de repor o regime das subvenções vitalícias? De Passos, claro. Hoje, Passos tem 51 anos. No final da actual legislatura, Passos terá 56 anos. Recuperar este tipo de pensão ter-lhe-ia dado imenso jeito, não teria?» Uma Página Numa Rede Social, FB.
  • «Apesar de o cognome de Marcelo Rebelo de Sousa (M.) se dever em grande parte à sua assumida intenção de explicar a política aos outros, julgo interessante registar o depoimento de uma jornalista que foi sua aluna há duas décadas na Faculdade de Direito de Lisboa. Eis extractos de um recente texto online de Mafalda Anjos, directora adjunta da Visão. “Gostava de dar boas notas e, também assim, ‘comprar’” a popularidade que granjeava na Faculdade. Fazia questão de corrigir algumas dezenas de testes, para sentir o pulso à classe. Mas era tão mãos-largas nas notas que até os próprios assistentes subalternos consideravam tal generosidade estupidamente despropositada, e não o escondiam. Para quem quisesse perceber, ficava logo ali bem claro que, com Marcelo, as coisas nunca são o que parecem. Elogiar não é o mesmo que apoiar? Fumar não é o mesmo que inalar? Na cabeça de Marcelo, claro que não. É possível, de facto, dizer tudo e o seu contrário, sempre com um enorme sorriso na cara. (…) Embora adorado pelos alunos, e de longe o professor mais popular da Faculdade no meu tempo (…) nunca foi uma referência entre a doutrina em matéria de direito constitucional. (…) Sempre que me lembro de Marcelo e dos tempos da faculdade, recordo o elogio mais demolidor que alguma vez ouvi sobre alguém: ‘Gosto muito de o ouvir. Costumo concordar sempre com ele, sobretudo nos assuntos que não conheço bem’» Fernando Correia in Marcelo e os media: das contradições e do populismo à manipulação pura e dura. Via CJ.
  • Foi concedida uma amnistia aos brasileiros com contas em offshores. A contrapartida é o pagamento de uma multa de 15% sobre uma das contas. International Investment.
Share:

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Governo cria Comissão de Acompanhamento sobre a poluição do Tejo


Foto: De Mattos Sébastien/SOS-OBSERVATÓRIO AMBIENTAL DO RIO TEJO-PORTUGAL 17jan2106.
  • O Ministério do Ambiente anunciou a criação de uma Comissão de Acompanhamento sobre a poluição no Tejo, que terá por missão avaliar e diagnosticar as situações com impacto direto na qualidade da água do rio Tejo e seus afluentes, e, até ao fim de junho de 2016, apresentar um relatório com propostas e recomendações. Dela fazem parte representantes da Agência Portuguesa do Ambiente, da Inspeção-geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo e do Centro, as Comissões Intermunicipais da Lezíria do Tejo, Médio Tejo, Beira-Baixa, e a GNR/SEPNA. Esta decisão surge como resposta aos problemas de poluição que afetam o rio Tejo e seus afluentes e que assumiram em 2015 uma maior expressão em virtude da fraca pluviosidade registada e associada às temperaturas elevadas. Lusa/MedioTejo.
  • Mais de 80% dos peritos envolvidos na avaliação oficial do glifosato por parte da União Europeia recusaram tornar públicos os seus nomes. Como a sua avaliação tivesse contradito a Organização Mundial de Saúde sobre o potencial cancerígeno do glifosato e tivesse considerado aquele herbicida como não causador de cancro para os humanos, poderá inferir-se que esses 80% terão possíveis conflitos de interesses que não quererão ver postos em causa. O representante português da Direção-Geral da Alimentação e Veterinária faz parte desses 80% que negaram autorização para que os seus nomes fossem tornados públicos. CEO.
  • 30% do peixe capturado não é reportado, denuncia a Nature Communications. Os investigadores coordenados pela Sea Around Us, levada a cabo na University of British Columbia e aopoiada pela The Pew Charitable Trusts e pela Vulcan Inc., atribuem o facto à pouca ou nenhuma atenção dedicada às quantidades de peixe descartado, à pesca ilegal e à pesca artesanal de subsistência. Via Science Daily.
Share:

Reflexão - a porta giratória de 1/3 dos comissários europeus

Imam captada aqui.

Um terço dos comissários que acabaram de cumprir o seu mandato em 2014 usaram a porta giratória para exercerem atividades em grandes empresas e organizações, violando normas comunitárias acerca da salvaguarda de eventuais conflitos de interesses. Durão Barroso é o ex-comissário mais ocupado: 22 novas funções declaradas! A atividade mais popular destes ex-comissários é ser membro de conselho de administração da Friends of Europe, um poderoso lóbi que defende os interesses das grandes empresas. CEO.
Share:

Bico calado


Miami, USA. Imagem captada aqui.
  • «“Para se defender da frustração não assumida de não ter chegado a primeiro-ministro, conformou-se com a sua projeção de poder através da influência e da exposição comunicacional” (VM, 643). Desde 1973, primeiro no Expresso, depois no Semanário, na TSF (1993-96) e na TVI ou na RTP (consecutivamente desde 2000), que conta as histórias que quer, como quer, explicando Portugal como se fosse como ele diz, mas que não passa de um país que ele inventa semanalmente a seu gosto. Para o ajudar a chegar onde ele quer. Porque o herdeiro, agora, quer ser Presidente.» Manuel Loff in O HerdeiroPúblico 16jan2016.
  • «Mas alimentar, a poucos dias das eleições, a dúvida, chega e sobra para fazer o que este jornal faz em todas as campanhas: lançar lama sobre qualquer candidato que não seja da sua área política. Marcelo Rebelo de Sousa, tendo apoiado Sampaio da Nóvoa para o cargo de reitor, sabendo por isso da sua qualidade académica, tinha o dever de já ter matado este tema e desmentido o que sabe, como professor que é, não ter pés nem cabeça. A tese é esta: Sampaio da Nóvoa, que é professor catedrático do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, foi reitor e leccionou Nas universidades de Genebra, Paris V, Wisconsin, Oxford, Columbia e São Paulo, enganou esta malta toda. Felizmente o Correio da Manhã descobriu a marosca.» Daniel Oliveira, FB 20jan2016.
Share:

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Paio Pires: Petição exige cumprimento da legalidade ambiental na Siderurgia Nacional

Siderurgia Nacional, Paio Pires. Foto extraída daqui.
  • Uma petição exigindo o cumprimento das normas ambientais, nomeadamente a redução dos gases, das poeiras e do ruído produzido pela Siderurgia Nacional em Paio Pires, Seixal, acaba de ser lançada.
  • As unidades de tratamento da ERSUC em Aveiro e Coimbra estão a trabalhar muito abaixo do desejável. A ERSUC enviou 46% de resíduos para aterro em 2014 em vez de 25%, confirma o ministério do Ambiente à Quercus. NA.
  • Em 2015, 42% da energia produzida pela Dinamarca foi de origem eólica. Isto representa uma aumento de 3% em relação a 2014. Na Escócia, as eólicas satisfizeram 97% das necessidades energéticas, registando-se um aumento de 16% em relação a 2014.
  • Stuttgart convidou os moradores a deixarem os seus carros em casa por tempo indeterminado a partir de segunda-feira. O objetivo é tentar reduzir os níveis de partículas finas no ar que ultrapassam em muito os limites impostos pela União Europeia. DW.
  • A Monsanto pressiona as autoridades californianas e a Organizção Mundial de Saúde a não incluírem o glifosato na lista de substâncias cancerígenas. A gigante dos químicos e dos transgénicos chega a ameaçar as autoridades californianas de processos judiciais por não considerarem provas científicas válidas. Ironicamente, foi a própria Organização Mundial de Saúde que, após longos estudos, declarou o glifosato uma substância potencialmente caerígena. Reuters.
  • 10 mil lulas mortas deram à costa na Ilha de Santa Maria, ao largo do Chile. A subida da temperatura da água do mar e uma quebra súbita do oxigénio na água são apontadas como prováveis causas desta catástrofe. The Daily Sheep.
Share:

Mão pesada

A Puna Geothermal Venture foi multada em 76.500 dólares por violações a regras de segurança química na sua unidade de energia geotermal em Puna, ilha do Hawaii. EPA.
Share:

Bico calado

  • «Eram dez da manhã, e até às onze o candidato social-democrata caminhou sem pressa pelo centro, distribuindo beijinhos e sorrisos e entrando em quase todas as lojas para conversar com os comerciantes, incluindo numa funerária, onde perguntou "Como vai o negócio?" O gato-pingado respondeu reconhecido: “Estes últimos quatro anos o negócio da morte floresceu graças às medidas do vosso governo PSD/CDS, os resultados foram excelentes, razão por que vou votar no professor.” “Dê cá um abraço”, retorquiu MarceloCid Simões in O abraçoAs Palavras são armas 16jan2016.
  • Os 30 deputados do PS (21) e PSD (9) subscritores da petição ao Tribunal Constitucional sobre as subvenções vitalícias.
  • «É um assunto envenenado, antes de mais. Resulta de uma iniciativa de deputados até agora anónimos, mas certamente do PS ou do PS e do PSD. Se forem só do PS, problema para Nóvoa e Belém, que nos últimos dias disputam acirradamente o concurso de eu-é-que-sou-mais-PS-do-que-tu e vão ter que responder aos seus correlegionários. Se os deputados anónimos forem do PS e do PSD, pior ainda, é a casta a mover-se pelas sombras e a lembrar a sua unidade por cima de qualquer diferença. Podem aliás ter sido os mesmos que tentaram aprovar a restituição das pensões há um ano, que falharam no parlamento e na opinião pública e que agora se arriscaram a envenenar a campanha eleitoral com este assunto, sempre mantendo um prudente silêncio sobre os nomes dos autores da diligência junto do Tribunal. É um assunto mesquinho, depois. Tudo se resume a isto: a norma agora em vigor determinava que um ex-titular de cargo público não receberia a pensão se já tivesse outros 2 mil euros mensais de rendimento (ou que receberia a diferença até esse valor) em vez de acumular com a pensão ou com o salário (porque, pela regra inicial e só abolida em 2005, até poderia ter havido um jovem de 26 ou de 30 anos com uma pensão vitalícia). Agora passam a poder acumular a pensão com qualquer outro rendimento, nos termos da decisão do Tribunal. É uma posição inconsistente, ainda. Alguns e algumas destas deputadas defendem a alteração do regime eleitoral para os círculos uninominais, em nome da “aproximação aos eleitores”. No entanto, não hesitam, num assunto melindroso, em esconder-se dos seus eleitores, e menos hesitam em reclamar um direito especial para si próprios, bem longe da vida dos seus queridos eleitores. É um assunto vergonhoso, finalmente. A ideia de que os ex-titulares de cargos públicos devem ter um regime especial de privilégio, ou que devem escapar às restrições da segurança social que abrange todos os cidadãos, é sinistra. É estúpida, alimenta o ódio populista contra os políticos e os seus beneficiários merecem estar na berra. É errada, porque os autores das leis que se declaram universais criam uma lei só para si. Por isso, a regra das pensões ficou fechada em 2005, mas ficou a lista dos que até então beneficiavam, alguns dos quais se batem ardorosamente pela salvação do seu pecúlio.» Francisco Louçã in Não sou de cá, só vim ver a bola, explica Nóvoa – Público 19jan2016.
  • A Colômbia vendeu a gigante estatal energética Isagen à canadiana Brookfield. Consta que o negócio contou com a ajuda de Tony Blair, que terá apresentado o presidente Juan Manuel Santos aos diretores Guass O'Donnell e Frank Mackenna. Diz quem sabe que a Brookfiled está envolvida num escândalo de suborno para aquisição de licenças de construção no Brasil. TeleSUR.
Share:

Translate

Pesquisar no Ambiente Ondas3

Património

O passado do Ambiente Ondas3

Ver aqui.

Amig@s do Ambiente Ondas3

Etiquetas

Arquivo do blogue