Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

  • Ambiente Ondas3

    Notícias sobre Ambiente. Sem patrocínios privados ou estatais. Desde janeiro de 2004.

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Maus cheiros incomodam SJ da Madeira e Santa Maria da Feira


Share:

Bico calado

Share:

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Biodiesel a partir de enxúndia de frango


Espinho. Foto de SGLima, set2014.
Share:

Reflexão

No Ambiente Ondas3, as 3 postas mais populares da semana que passou foram, segundo a Google Analytics:
As visitas vieram, por ordem decrescente, dos Estados Unidos, de Portugal, da China, da da Alemanha, da Rússia, de França, do Brasil, da Índia, do Canadá e da Ucrânia.

Aveiro, Lisboa, Braga, Porto, Coimbra, Leiria, Santarém, Ponta Delgada, Faro, Viseu e Funchal foram as cidades portugueses que mais visitaram o Ambiente Ondas3.

Obrigado pelo vosso interesse e preferência.
Share:

Bico calado

A britânica Ineos é acusada de estar a tentar subornar proprietários de terras onde prepara intervenções para extração de gás de xisto através do uso da polémica tecnologia de ftraturação hidráulica.
Share:

domingo, 28 de setembro de 2014

Sardinha: pesca proibida até ao final do ano

Ferraria, S. Miguel. Foto: Filipe Andrade.
Share:

Reflexão – recolha e gestão inteligente de resíduos sólidos urbanos

Um sistema inteligente de gestão de resíduos sólidos urbanos para reciclagem está a ser desenvolvido por um mestrando de Computação Móvel do Instituto Politécnico da Guarda.
"Um dos componentes importantes deste processo são uns iBags, uns sacos especiais que têm um identificador eletrónico único que permite associar os mesmos ao tipo de resíduos e ao cidadão", explicou. Quando o saco estiver cheio, o cidadão dirige-se a um iEcoPonto, que reconhece o iBag e então é aberta a porta dos respetivos resíduos, que são pesados, sendo então enviada a informação através de uma rede implementada pelos próprios iEcoPontos.
"A informação disponível na base de dados permite-nos rentabilizar ainda mais o processo, recorrendo a um algoritmo de inteligência artificial que vai definir as rotas de recolha das viaturas em função da capacidade dos iEcoPontos estar ou não esgotada até à data da próxima recolha", acrescenta o investigador.

Há 20 anos, li uma reportagem de Abi Daruvalla publicada no The European, entretando extinto, que falava de esquema semelhante já aplicado em Amsterdão. Achei a ideia tão interessante que não hesitei em editá-la para ser publicada em Link-up, (vide página 132) um manual de língua inglesa para alunos do 10º ano, que publiquei, através da ASA, em coautoria com dois colegas. O Ambiente Ondas3 folga saber que, finalmente, alguém em Portugal pegou na ideia e parece estar a aprofundá-la. Porém, acho que o investigador ultrapassa as suas competências quando diz que o cidadão vai beneficiar com este projeto através da isenção ou da redução da taxa de tratamento de resíduos. Isso é matéria da exclusiva competência da autarquia, ouvida a Assembleia Municipal. E sabemos como funcionam as taxas de resíduos anexas à fatura da água. Sobre a desafetação destas taxas da fatura de água os responsáveis pelo projeto nada dizem. Porque será? As eventuais pressões ou influências do poderoso lóbi dos resíduos e da reciclagem não são, por agora, para aqui chamadas.
Share:

Mão pesada

Dois madeireiros foram detidos no Perú por suspeita de terem assassinado 4 ambientalistas indígenas para impedir que se opusessem ao abate de árvores em terras nativas próximas da fronteira com o Brasil.
Share:

Bico calado

  • “Mas atenção: ‘os jornalistas’ são uma abstracção. Quando se acusa «os jornalistas» – e o caso BES é apenas um exemplo – da qualidade e do sentido da informação e da opinião que nos chegam, de quem estamos a falar? Das centenas que nos últimos anos têm vindo ou estão na iminência de ser «reestruturados», ‘rescindidos’, empurrados para a «reforma» ou simplesmente despedidos? Dos que vêem os salários reais diminuídos, os que nada recebem pelas horas extraordinárias, os que são impedidos de progredir na carreira e no vencimento, os que têm contrato com um jornal e, sem receber mais um cêntimo, têm de trabalhar para o online, a rádio ou a TV do grupo? Dos precários, os pagos à peça, os freelance não por opção mas por lhes ser recusado contrato? Dos estagiários curriculares, utilizados de borla e de cara alegre, como substitutos dos profissionais que já lá não estão? Dos que praticam todos os dias, agarrados ao computador, um noticiarismo muitas vezes pouco estimulante mas que é útil? Dos que têm por tarefa correr as portas dos tribunais e das sedes partidárias em busca de uma frase bombástica ou de uma mexeriquice que faça manchete ou abra um noticiário? Dos que vêem as suas propostas para uma reportagem ou uma investigação serem recusadas porque «não há dinheiro» ou são ‘inconvenientes’ à ‘linha’ do órgão, isto é, ao interesse comercial ou político dos patrões? Dos que, ocupando ou não lugares de coordenação, de forma responsável e paciente orientam, corrigem e ajudam o trabalho dos menos experientes, entregues quotidianamente a uma rotina essencial à qualidade do produto final e à necessidade de que a edição esteja pronta a tempo e horas? Dos que, discreta mas honradamente, longe dos holofotes, desenvolvem trabalho de qualidade, incluindo em lugares de responsabilidade executiva ou realizando investigações de importante significado social e político, aproveitando as brechas abertas pela guerra das audiências?” Fernando Correia.
  • O populista Nigel Farage, o tal eurodeputado pago com os impostos dos europeus e que bota abaixo todos os organismos europeus, recebe 2,25 milhões de euros de dezenas de doadores conservadores btitânicos, revela o Mirror.
  • O partido conservador britânico quer impedir o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos de se imiscuir nas decisões dos tribunais britânicos. Pois claro: querem estar livres de penalizações por eventuais crimes cometidos no âmbito das suas intervenções militares no estrangeiro.
Share:

sábado, 27 de setembro de 2014

Açores incentiva manutenção de paisagens tradicionais

Salto Farinha, S. Miguel-Açores. Foto de Pedro Silva 17set2014.
Share:

Mão pesada

Um indivíduo foi condenado a pena de prisão por 5 meses, à proibição de transportar e tratar resíduos também durante 5 meses e a uma multa de 900 euros por gestão ilegal de aterro em Alcalá de Guadaíra, Sevilha.
Share:

Bico calado

  • O sistema da TPO (third party ownership) aplicado aos jogadores de futebol vai acabar, avisa a FIFA. Grande vantagem! A Argentina acabou em 2012 com essa treta da TPO. A Inglaterra também. Tudo para combater a fraude fiscal e reduzir a fuga de capitais para offshores.
  • Como o Ocidente creou o Estado Islâmico (Estado Islâmico = ISIS = Islamic State of Iraq and Syria, Estado Islâmico do Iraque e da Síria) por Nafeez Ahmed in CounterPunch. Relacionado: Estória de uma Guerra antecipada: porque estamos a combater a ISIS, do mesmo autor.
  • “Reparem que não há agressão quando Washington bombardeia e invade 7 países em 13 anos sem uma única declaração de guerra. Só há agressão quando a Rússia aceita a petição de cidadãos da Crimeia que votaram 97% a favor da reintegração na Rússia, da qual fez parte durante séculos antes de Khrushchev a ter anexado à Ucrânia em 1954, quando a Ucrânia e a Rússia faziam parte do mesmo país.” Dr. Paul Craig Roberts in Global Research.
  • A BBC usa dois pesos e duas medidas quando faz reportagens sobre crianças israelitas abatidas por paslestinianos e sobre crianças palestinianas abatidas por israelitas, acusa Hicham Yezza in Dear BBC, Palestinian children, too, have names (Querida BBC, as crianças palestinianas também têm nomes).
Share:

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Baganha Basta

Faial. Foto de Lúcia Ávila 21ag2014.
Share:

Reflexão – Porque não é bom dar de comer a patos selvagens

As espécies selvagens desenvolveram capacidades para obterem comida que contém os nutrientes essenciais para elas sobreviverem, reproduzirem-se e viverem uma vida saudável. Estas capacidades ajudam a manter o equilíbrio entre os animais e o seu habitat natural. Este equilíbrio será compremetido se as alimentarmos, porque é mau para as aves e é uma das principais causas da sua malnutrição. 
No seu habitat natural, os patos selvagens têm à sua disposição uma variedade de alimentos como plantas aquáticas, sementes naturais e invertebrados. Os alimentos que lhes damos são normalmente pão, milho, pipocas, etc, que são baixos em proteinas e muito pobres em relação aos alimentos naturais. 
Na seu habitat natural, os patos selvagens comem à sua vontade, quando precisam, e não estão sujeitos a estresse. Se forem alimentados por humanos, os patos bravos ficam malnutritdos e podem perder energia e a sua musculatura poderá deteriorar-se, as suas asas poderão deformar-se e eles poderão deixar de ser capazes de voar, registam perdas nas suas defesas em relação a predadores, vêem a sua capacidade de reprodução e a sua esperança de vida reduzida.
Além disso, sendo alimentados por humanos, tornam-se dependentes deles e dai a tornarem-se incomodativos e agressivos vai um passo. Por outro lado, a sua malnutrição pode favorecer a propagação de doenças que poderão alastrar-se a outras aves.
Estes e outros problemas causados pela alimentação artificial de patos podem ser consultados aqui
e aqui.
Share:

Mão pesada

Share:

Bico calado

  • Passos Coelho assinou pelo seu punho declaração de que estava em exclusividade.
  • Albino de Azevedo Soares saltou esta semana para o centro da atenção pública, ao informar os jornalistas que “não existe uma declaração de exclusividade [do mandato de Passos Coelho como deputado] relativa ao período que medeia entre Novembro de 1995 e 1999”. A informação foi depois usada pelos apoiantes do primeiro-ministro para o ilibar da acusação de ter recebido dinheiro "por fora" enquanto era deputado em regime de exclusividade. Mas logo a seguir foi desmentida por outro documento, com data de 2000, em que Passos Coelho pedia aos serviços da AR um subsídio de reintegração como se tivesse estado em dedicação exclusiva à atividade parlamentar nesse período. Albino de Azevedo Soares foi nomeado em fevereiro deste ano para o cargo de secretário-geral da Assembleia da República. Mas segundo a informação disponível no site do Millenniumbcp Ageas Grupo Segurador, S.G.P.S., S.A., ainda pertence ao Conselho.”
  • “É chocante a atitude de Albino Azevedo Soares. Porque é superficial, escorregadia e no mínimo parece desonesta. E porque coloca o país a pensar no que mais estará a esconder. O que esconde o secretário-geral da Assembleia da República?” in Público de 24set2014.
  • A administração Obama entrou numa corrida ao armamento nuclear.
Share:

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Pneus a partir de resíduos de arroz?

Lugar do Cachorro, Freguesia das Bandeiras, Madalena, Açores.
Share:

Reflexão - ar de escola

As salas de aula de 23 escolas do básico e secundário têm má qualidade do ar, alerta a Deco.
Senhores diretores de escolas e de agrupamentos de escolas, senhoras professoras, não sabem que devem tornar obrigatório a abertura das janelas durante os intervalos?
Share:

Bico calado

  • “Pedro Passos Coelho não pode deixar para a Procuradoria-Geral da República uma pergunta a que tem obrigação moral e política de responder pessoal e imediatamente. Porque começa a haver apenas uma explicação plausível para a sua falta de memória: que Pedro Passos Coelho não se lembre do que fazia na Tecnoforma. Para ganhar cinco mil euros por mês, nos anos 90 ou hoje, é preciso fazer por isso. E se Pedro Passos Coelho não tem atividade para mostrar à frente do Centro Português para a Cooperação, a ONG que a Tecnoforma fundou para — outra boa pergunta: para quê, exatamente? — a grande dúvida aí começa a ser: por que estranho motivo poderia uma empresa privada querer pagar cinco mil euros por mês a um jovem político à espera de mais altos voos para este não fazer nada de que se lembre? E o problema é que, caso cheguemos aí, esta é uma daquelas perguntas que se responde a si mesma: o político queria receber e a empresa queria que o político lhe ficasse a dever.” Rui Tavares in Aqui há gato, Público 24set2014.
  • “A visita anunciada pelo Ministro Paulo Portas, sendo uma visita de caráter económico e a matéria que trata é, concretamente, o Mar, leva a que esse assunto deva ser tratado com o Governo dos Açores, porque, se a visita é de caráter empresarial, o que fazem nessa visita o Vice-Primeiro-Ministro, a Ministra do Mar e dois Secretários de Estado?” Sérgio Ávila, vice-presidente do governo açoriano.
  • Ativistas escoceses bloquearam a Thales UK, agora conhecida por Govan, protestando contra o seu papel na produção de drones usados por Israel contra a Palestina.
  • Pais agridem professora dentro de escola em Abrantes. Este ano o circo começa cedo...
  • A CIA dispõe de vasta experiência em derrubar aviões: derrubaram o avião dos presidentes Roldos, no Equador, Torrijos, no Panamá, do líder revolucionário cubano Camilo Cienfuegos, em 1959, e também o avião da Cubana 455, em Barbados. A CIA também derrubou o avião do primeiro-ministro de Portugal, Sá Carneiro, e do seu ministro da defesa, mortos na queda do Cessna 421 em Lisboa, em 1980, numa pré-eleição muito parecida agora com a pré-eleição de Campos. Essa queda preparou a entrada de um governo português pró-EUA. Wayne Madsen, jornalista, antigo oficial da armada norte-americana responsável pela gestão de um dos primeiros programas de software de segurança daquela armada.
Share:

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Transporte público vai custar metade nos dias de contaminação atmosférica

Fúria. Foto: Oscar Martinez Diego.
Share:

Reflexão

A culpa das cheias em Lisboa não foi, entre outras coisas, atribuída aos bueiros entupidos.
A culpa foi dos metereologistas e da Proteção Civil que não alertaram a tempo os serviços (in)competentes.
Este “vereador” ainda não se demitiu?
Share:

Mão pesada

A SB Recycling Ltd, de Middlesbrough, foi multada em 14.400 libras por gestão ilegal de uma unidade de reciclagem.
Share:

terça-feira, 23 de setembro de 2014

ETARs junto de cascatas?

Perto da Ponte da Varela, Murtosa. Foto de Paulo HortaCarinha 16ag2014.
Share:

Mão pesada

Vladimir Yevtushenkov, foi colocado sob detenção domiciliária implicado num caso de lavagem de dinheiro relacionado com a aquisição de ações da petrolífera Bashneft.
Share:

Bico calado

  • Referendo na Escócia: video revela truques e vigarices durante a contagem.
  • “Herdado do salazarismo, prevalece nos monos da administração pública o espírito do chefe e do subchefe, o espírito do guiché, que faz com que um funcionário possa boicotar a assinatura de um ministro. Toda a gente que passa por cargos públicos sabe disto. Os funcionários são ciosos do seu “património” e, quanto mais ameaçados, mais se batem uns contra os outros. É este saudável espírito da rivalidade das tutelas, ministérios e autarquias, direções-gerais, gabinetes, etc., que faz com que o módulo do CCB que falta nunca tenha tido as assinaturas necessárias “da tutela” para passar a hotel. E que fez com que o Pavilhão de Portugal, abandonado entre as diversas nações administrativas, seja uma ruína. Um grande encenador de teatro disse-me um dia: “O meu problema não é o subsídio, que é ínfimo, é o Ministério da Cultura; metade daquela gente não faz nada e combate a outra metade.” Clara Ferreira Alves in O “tesouro vivo” do Siza, Expresso 26jul2014.
  • A instituição financeira mais secreta do mundo, por Beja Santos in O Ribatejo de 11set2014.
Share:

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Gronelândia: licença para caçar baleias

Costa do Miradouro de Santa Iria, Ribeira Grande. Foto: Luís Noronha Botelho 21ag2014.
Share:

Bico calado

Como os meios de comunicação lixaram o povo da Escócia, por George Monbiot in  The Guardian, 16set2014

Pontos a reter:
(1) Nas sua torres de marfim, os jornalistas estão dessintonizados com o sentimento popular e bolsam calúnias perante qualquer desejo de mudança;
(2) Nenhum meio de comunicação social local, regional, nacional, inglês ou mesmo escocês, à exceção do Sunday Herald, fez eco dos que apoiam a independência;
(3) Ao longo dos anos que passei a trabalhar com os movimentos de protesto e a tentar salientar questões negligenciadas, registei sempre isto: salvo raras e honrosas exceções, os jornalistas são sempre os últimos a dizer que as coisas mudaram. Não será por acaso que os resultados das sondagens os apanharam de surpresa;
(4) O próprio The Guardian, que não tem dono e foi fundado para representar e dar voz aos que não o são nem a têm, deixou muito a desejar, quedando-se por uma colagem de opiniões repescadas do resto da imprensa;
(5) O consenso neoliberal que paralisa Westminster deve-se, em parte, aos media corporativos, controlados pelos seus beneficiários, que assim o exigem. Qualquer partido que desafie esta visão do mundo é brutalmente disciplinado. Qualquer partido que mais ruidosamente promova o poder corporativo é elogiado e defendido;
(6) Apesar da ascensão dos media sociais, os media de referência continuam a definir o perfil da política representativa na Grã-Bretanha, para moldar as exigências políticas e para punir e eliminar aqueles que resistem. É uma câmara do coração corrupto da Grã-Bretanha, bombeando medo, desinformação e ódio contra o povo de um país;
(7) O facto de tantos escoceses, criticados por todos como tolos, vigaristas e ingratos, se terem recusado a continuar a ser intimidados é já um triunfo político. Se eles votarem pela independência, fá-lo-ão desafiando não só o consenso de Westminster, mas também os seus executores: os estranhos, pessoas complacentes que afirmam falar em seu nome.
Share:

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Taxa sobre os resíduos vai subir cinco vezes?

Foz do Cabril. Foto: Natureza e Poesia 3set2014.
Share:

Mão pesada

A Occidental Chemical Corp está judicialmente obrigada a pagar 190 milhões de dólares ao estado de New Jersey para descontaminar o rio Psaaic.
Share:

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Governador nega racionamento de água

Fajã do Ouvidor, Piscina Natural do Simão Dias, São Jorge–Açores, ao entardecer. Foto de Rui Vieira 9set2014.
Share:

Mão pesada

Share:

Bico calado

Share:

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Pilha carrega em segundos?

Lagoa do Fogo. Foto Pedro Silva 31ag2014.

Foi lançada uma pilha que carrega em segundos quando agitada.
Esta pilha que carrega sendo agitada já vai dando pano para mangas...
Share:

Bico calado

Share:

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Apicultores canadianos processam Bayer e Syngenta


Foz d'Égua – Arganil. Foto da CM Arganil 14mar2013.
  • Duas empresas de apicultores canadianas (Sun Parlour Honey e Munro Honey) acabam de processar as filiais da Bayer e da Syngenta, fabricantes de pesticidas, alegando que toxinas como os neonicotinoides estão a dizimar as suas abelhas.
  • Terrenos no delta do Mecão, partilhado pelo Vietnamne e pelo Cambodja, estão a baixar entre 1 e 4 centímetros por ano, revela uma investigação da Stanford University. Não é por acaso que têm aumentado as inundações provocadas pelo avanço das águas do rio e das águas do mar. Este abaixamento do nível dos terrenos deve-se ao enorme volume de água extraída do milhão de poços na região.
Share:

Mão pesada

Share:

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Espanha campeã da reciclagem


Amanhecer na Ilha das Flores. Foto de Graça Quaresma 24ag2014.
Share:

Reflexão – proibir os eletrodomésticos potentes ajuda a combater as alterações climáticas?

Os eurocéticos e os céticos do clima já criticaram a medida europeia e garantem que eliminar os potentes eletrodomésticos pouco ou nada influirá na redução das emissões. Muitos argumentam que os eletrodomésticos menos potentes terão de consumir mais energia para cumprir uma determinada tarefa que duraria muito menos se a potência do eletroméstico fosse maior. Outros dizem que os eletrodomésticos mais baratos e energeticamente mais eficientes poderão estimular mais consumo. The Guardian.
Share:

Mão pesada

  • A Thames Water foi multada em 257 mil libras por responsabilidades na fuga de esgotos não tratados e consequente contaminação da Chase Brook, em Newbury.
  • A Pacific Gas & Electric Co. deverá ser multada em 1,4 mil milhões de dólares por explosão que matou 8 pessoas, destruiu 38 casas e provocou feriu 66 pessoas em San Bruno, perto do aeroporto internacional de San Francisco.
Share:

Bico calado

“Uma coisa é não ter vergonha do passado – outra é ter orgulho nele e continuar a alimentar duvidosas memórias através de arranjos florais. Se a cara de Salazar lá estivesse desenhada com gardénias e hortências também seria para manter? Não, isto não é apagar a História coisíssima nenhuma. É apenas não continuar a engalanar um jardim como se estivéssemos em 1940. Sá Fernandes tem razão. Nós já não somos aquele país. E convém dizê-lo, vezes sem conta, aos senhores do PSD e do CDS: não somos e ainda bem. Graças a Deus e ao 25 de Abril. Deixem o buxo crescer em paz.” João Miguel Tavares in O patriótico buxo, Público 4set2014.
Share:

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Município acusado de vandalismo por ter autorizado abate de árvores

Migração de caranguejo eremitão – cenas impressionantes captadas por Steve Simonsen em Nanny Point, na ilha de St. John.
Share:

Bico calado

  • O PSD-Madeira proíbe a entrada nas suas sedes a jornalistas. A situação não é inédita. Já em Março de 1994, os correspondentes da SIC,Diário de Notícias e PÚBLICO foram expulsos de uma conferência de imprensa realizada na sede regional do partido, à rua dos Netos, no Funchal. Em Julho de 2011, o PSD-M recusou facultar aos Diário de Notícias da Madeira e de Lisboa, TSF/Madeira e jornal PÚBLICO credenciais de acesso e livre trânsito nas zonas reservadas à comunicação social na sua herdade do Chão da Lagoa, para a cobertura da festa anual.
  • “ESTOU FARTO de políticos mentirosos que na oposição prometem tudo e que no Governo nada fazem. ESTOU FARTO de políticos despudorados que concorrem a eleições com um programa e que, quando eleitos, o rasgam sem ponta de vergonha. ESTOU FARTO de políticos autistas que não percebem que a elevada abstenção representa um não ao actual sistema político. ESTOU FARTO de políticos malabaristas que jogam com números já hoje duvidosos e amanhã falsos, tentando fazer de nós estúpidos e ineptos. ESTOU FARTO da promiscuidade entre políticos e poderes financeiro e empresarial. ESTOU FARTO de ministros que são nomeados e que depois se volatilizam, tal como o dinheiro dos contribuintes que o Estado coloca nos bancos falidos. ESTOU FARTO de pagar mais impostos, ver a pensão reduzida e a dívida a aumentar. ESTOU FARTO de ouvir dizer que o problema são os juros da dívida e não ver coragem para negociar a sua reestruturação. ESTOU FARTO de banqueiros e de presidentes de empresas com prejuízo receberem milhões de indemnização e definirem para si próprios reformas obscenas. ESTOU FARTO de bancos e empresas com conselhos de administração de 20 membros a ganharem quantias exorbitantes. ESTOU FARTO de uma AR cujos deputados passam parte do tempo a trabalhar para empresas privadas. ESTOU FARTO das juventudes partidárias que só produzem políticos incultos, arrogantes e inexperientes. ESTOU FARTO de ex-ministros muito críticos, esquecidos de que já tiveram o poder e não resolveram os problemas do País. ESTOU FARTO dos reguladores que não regulam nada e no final ainda são promovidos. ESTOU FARTO de uma classe dirigente com salários muito superiores aos dos seus colegas europeus, enquanto o salário mínimo nacional está muito abaixo da média europeia. ESTOU FARTO das fugas de informação que beneficiam os depositantes que têm 10 M euros e nunca os que têm 10 000 euros. ESTOU FARTO de um sistema judicial que está estruturado para proteger os fortes e poderosos e aniquilar os fracos e desprotegidos. ESTOU FARTO de uma justiça lenta, inoperante e que deixa prescrever processos importantes. ESTOU FARTO de ouvir dizer que o nosso sistema de pensões é insustentável porque o número de idosos é muito superior ao dos jovens, enquanto na Alemanha há percentualmente mais idosos e menos jovens do que em Portugal e o sistema ali é viável e as reformas intocáveis. ESTOU FARTO de ser acusado, juntamente com os outros reformados e funcionários públicos, de sermos as gorduras do Estado, de termos vivido acima das nossas possibilidades e daí arcarmos com a maioria das medidas correctivas. Mas pergunto: e as gorduras dos gabinetes de governo e empresas? E as reformas de políticos e gestores de empresas? ESTOU FARTO de ver o Governo corajoso a reduzir as pensões e medroso frente às PPP. ESTOU FARTO dos offshores, das pessoas que lá colocam o dinheiro e dos governos incapazes de travar esta fuga aos impostos. ESTOU FARTO dos empresários que obtêm lucros em Portugal e depois os aplicam no exterior." Mário Cabrita, tenente-general in Basta, estou farto! DN 27ag2014.
  • Professor norte-americano desaparecido depois de detido e interrogado por publicar 2 livros de ficção científica.
  • “Ser preso por roubar um banco ou numa aloja dá direito a prisão. Ser apanhado a vender cocaína ou a roubar um carro dá direito a rpisão. Mas se for um CEO de um dos maiores bancos da América e esse banco for multado em milhares de milhões por fraudes, você não precisa preocupar-se porque o Departamento de Justiça dos EUA dá-lhe um passe de livre circulação; você está, de facto, acima da lei.” Michael Payne.
  • "Imagina um documento, desconhecido pela maioria da população da União Europeia e dos Estados Unidos, que substituía as leis nacionais e comunitárias de uma só vez. Imagina que esse documento era discutido atrás de portas fechadas, com as negociações entregues a burocratas não eleitos e representantes de empresas multinacionais. Imagina que esse documento quebrava à partida a legislação comunitária ao ser discutido em segredo. Imagina que o documento entrava em vigor e tu nem sabias de nada. Era uma obra de ficção ao nível da Guerra das Estrelas, com traições, acordos secretos e subversão das instituições. Não precisas imaginar mais. Esse documento chama-se Tratado de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento (sigla TTIP) e está em discussão há meses em Bruxelas e Washington. (...) É por tudo isto que o tratado tem de ser negociado de maneira secreta. É por isso que não querem escrutínio público ou democrático. É a política da Guerra das Estrelas, com tecnologias de ponta a ser dirigidas por pessoas que defendem os princípios da Idade Média.”  João Camargo in Tratado Transatlântico: O Império Contra-Ataca, Público.
Share:

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Quem tem medo de usar a energia solar?


Share:

Mão pesada

As autoridades mexicanas encerraram, pela segunda vez este ano, parte da mina de cobre Buenavista na sequência de um enorme derrame de ácido sulfúrico no rio Sonora e que obrigou ao fecho de 80 escolas e ao corte de água em 7 cidades. 
Share:

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Selfies com lixo ao fundo?


Ninho de vespas. Foto Município de Celorico de Basto 26ag2014
  • Que fazer quando uma rua de Copenhagen não tem ciclovia? Uma sugestão a ponderar.
  • Na Tunísia está na moda as selfies com montes de lixo ao fundo. O objetivo é alertar as autoridades locais e governamentais para a necessidade de limparem os sítios. Esta atitude é apenas o começo de algo que poderá tornar-se + direto, mais ativo, mais assertivo. Convenhamos que limitarmo-nos a selfies com montes de lixo ao fundo poderá ser interpretado como demasiado passivo, quiçá exibicionista. Porque não usar a moda das selfies para mostrar uma determinada zona antes e depois de ter sido limpa por nós com a ajuda dos vizinhos?
  • Como a vespa velutina dizima enxames de abelhas, e como os franceses estão a encarar o problema.
Share:

Motivos para exigir água pela vida e não pelo carvão

  • 1 2 mil milhões de pessoas, cerca de um terço da população mundial, vive em países onde a água é escassa;
  • 2 A eletricidade produzida a partir do carvão exige imensa água: de 3 em 3 minutos e meio uma central a carvão usa água que dá para encher uma piscina olímpica;
  • 3 1200 novas centrais a carvão estão projetadas para zonas onde a água é escassa;
  • 4 Por exemplo, a sul-africana Eskom usa 10 mil litros de água por segundo, enquanto os vizinhos são obrigados a comprar água engarrafada porque não há água limpa para eles;
  • 5 As 16 mega centrais a carvão previstas para a China vão consumir 10 mil milhões de m3 de água por dia. 
  • 6 Apesar de 6 mil agricultores indianos se terem suicidado entre 2001 e 2010 por falta de água para irrigar os seus campos, estão previstas 71 centrais a carvão num dos distritos onde reina a escassez de água. Fonte
Share:

Reflexão - A Ucrânica e os transgénicos

O Banco Mundial e o FMI decidiram em 2013 assinar um acordo de ajuda à Ucrânia no valor de 17 mil milhões de dólares com o objetivo de fomentar naquele país o cultivo e a comercialização de transgénicos.
Viktor Yanukovych, o presidente da Ucrânia na altura, rejeitou este apoio e preferiu aceitar outro, da Rússia, no valor de 15 mil milhões, com direito a descontos no gás natural importado. Esta atitude provocou uma violenta onda de protestos que culminaram no seu afastamento em fevereiro de 2014. 
Acontece que as leis em vigor na Ucrânia proibem o uso de transgénicos, mas o artigo 404 de um acordo europeu, prevê a cooperação no desenvolvimento do uso de transgénicos. Conclui-se, assim, que a Ucrânia em particular, e os antigos países de leste em geral estão na mira da poderosa indústria agroalimentar, incluindo a indústria de maquinaria como a Deere.
Note-se que em maio de 2013, a Monsanto anunciara o investimento de 140 milhões numa fábrica de sementes não transgénicas, mas logo em novembro desse mesmo ano, o acordo estendia-se para a criação, transporte e uso de transgénicos. 
Já em 2011 a Wikileaks divulgara pormenores acerca de pressões exercidas por embaixadores norte-americanos a nível mundial favorecendo negócios de transgénicos envolvendo empresas como a DuPont, a Syngenta, a Bayer e a Dow. Fonte.
Share:

Mão pesada

A Petros&Concretos S.R.L. foi encerrada e multada em cerca de 20 mil euros por continuada violação de regras ambientais no distrito de José Leonardo Ortiz.
Share:

Bico caldado

“Nesse submundo, entre almoços onde todos se encontram de férias onde todos se conhecem, coexistem em perfeita harmonia políticos, banqueiros, advogados de negócios, consultores e jornalistas, aos quais em momentos precisos se juntaram lojas maçónicas e até os serviços secretos. Todos aceitam tacitamente relações de dependência e de patrocínio: eu protejo o teu negócio, tu cuidas do meu e ambos afastamos terceiros com a ajuda preciosa do poder político que há de legislar, contratar, privatizar, pressionar ou chumbar todas as veleidades de outsiders inoportunos. Os mais fortes, duques do quilate de Ricardo Espírito Santo Salgado, dispõem de vastos impérios de influência, seja através de posições minoritárias ou pelo poder de impor condes ou viscondes nas empresas, ministros ou secretários de Estado nos governos.” Manuel Carvalho in A culpa do sistema, Público 31ag2014.
Share:

Translate

Pesquisar no Ambiente Ondas3

Património

O passado do Ambiente Ondas3

Ver aqui.

Amig@s do Ambiente Ondas3

Etiquetas

Arquivo do blogue